Confira aqui uma lista com as piores cidades para empreender no Brasil.

Os especialistas são unânimes quando afirmam que antes de abrir qualquer negócio o novo empreendedor deve fazer uma pesquisa sobre a atividade a ser desenvolvida, público e ponto. É bem comum vários empreendimentos que tinham tudo para dar certo, fecharem as portas antes mesmo de um ano de atividades. O motivo do fracasso? A região em que se encontram.

Enquanto existem cidades em que os empreendimentos crescem e se desenvolvem, há também aquelas que não são tão favoráveis na abertura de novos negócios. Neste post você vai conhecer as 10 capitais que se encaixam nesse perfil desfavorável aos empreendimentos novos.

  • Fortaleza: é uma capital que possui muitos problemas como uma infraestrutura deficiente, em que os centros comerciais estão muito distantes. Além disso, existe a falta de segurança pública.
  • Teresina: se enquadra no mesmo perfil de Fortaleza, uma capital com problemas de infraestrutura.
  • Cuiabá: não atrai investidores, sofrendo um abandono econômico que não estimula a abertura de um novo empreendimento.
  • Belém: também não é uma boa opção, considerando o número de leis relacionadas a tributação, diante de tantas adversidades o empreendedor não consegue se manter.
  • São Luís: a falta de segurança pública e o aumento da violência influenciam na abertura de novos empreendimentos.
  • Manaus: além de problemas de infraestrutura, os entraves burocráticos também não estimulam novos empresários.
  • Salvador: embora seja muito badalada, para novos negócios não oferece atrativos, pois a começar pela burocracia, a insegurança pública leva a não atração de investidores.
  • Aracaju: apesar de possuir pontos negativos como as demais, ainda apresenta uma receptividade maior.
  • Natal: tão linda, mas ainda tão fechada para novos empreendimentos pelos mesmos motivos das demais capitais.
  • Maceió: de todas, é apontada como a pior, possuindo problemas de estrutura, falta de investimentos e segurança pública.

A listagem acima, feita com base do levantamento anual sobre capitais e empreendedorismo (Endeavor), mostra cidades lindas, muito conhecidas e surpreendentemente com baixos índices de empreendedorismo. Os motivos são claros, mas poderiam ser eliminados se houvesse um apoio maior a essas capitais, cujos empreendedores esbarram nos problemas de responsabilidade pública e de entraves legais. Fatores que não atraem novos investidores e nem favorecem o desenvolvimento dos poucos empreendimentos presentes nessas regiões.

Sirlene Montes


Confira aqui algumas dicas de como aumentar as vendas de sua empresa neste período de crise econômica.

Não é novidade de que a crise está afetando a todos. Desemprego, inflação e corrupção, tem frustrado a população. Mas como vender bem em tempos de crise? Existem técnicas e novidades que você pode fazer suas vendas alavancar mesmo diante da atual situação. Ideias que talvez antes você não tinha pensado e que podem fazer muita diferença neste Natal.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a Intenção de consumo das famílias brasileiras (ICF) caiu pelo nono mês seguido em outubro deste ano, com 78,4 pontos, percentual menor que 100 pontos, isto significa insatisfação dos consumidores.

Veja 12 dicas de como vender bem neste Natal em tempo de crise:

  • Comece as vendas em novembro (incentiva os consumidores a comprar antecipadamente).
  • Ofereça produtos na promoção (aproveite principalmente os produtos natalinos que sobraram do ano passado, a promoção incentiva ao consumo).
  • Divulgue seus produtos através das mídias sociais (uma forma moderna, sem custo e muita atrativa de divulgação, através do Facebook, Twitter, Blog, Site, crie uma página destinada a sua empresa e alimente-a com informações dos seus produtos, como fotos e valores que custam).
  • Entregue panfletos (não podemos esquecer desta forma tradicional de divulgação e que dá resultados).
  • Esteja atento ao estoque (mantenha ele sempre cheio para não correr o risco de deixa de vender mais produtos).
  • Ajude os funcionários (deixe o orgulho de lado e venda também, caso não tenha condições de contratar mais funcionários).
  • Contrate mais profissionais (devido ao pouco lucro e menos consumidores nas lojas, então contrate poucos funcionários para este período).
  • Contrate um locutor de loja (um locutor chamará atenção para seu estabelecimento, ofuscando as lojas que estão ao redor da sua, mas essa forma de divulgação depende do público que você almeja atingir e do perfil de sua empresa).
  • Fique de olho nos funcionários (Procure observar se todos os seus funcionários estão trabalhando bem e tratando bem os clientes).
  • Faça um sorteio (divulgue através de um cartaz em frente da loja, locutor ou mídias sociais sobre este sorteio, e explique que quem comprar na SUA LOJA, estará concorrendo a um prêmio, você escolhe o prêmio, pode ser um fogão, viagem, depende do público que você tem e do orçamento de sua empresa).
  • Decore sua loja (a aparência desperta atenção das pessoas).
  • Padronize seus funcionários (transmita um clima natalino, cheio de harmonia e alegria, através de acessórios e roupas natalinas).

Maria de Lurdes, 44 anos, pernambucana, comerciante, relata o que fez para melhorar as vendas de Natal. “No meu estabelecimento não tinha locutor de loja, então contratei um rapaz que já tinha essa experiência em lojas e através dele a situação melhorou, pois ele é bastante animado e extrovertido, isso chama a atenção dos clientes que passam, estou vendendo bastante atrativos natalinos”, comentou.

Por Erika Amanda Silva de Souza





CONTINUE NAVEGANDO: