Veja aqui o passo a passo para tirar o seu E-Título.

A tecnologia está chegando um pouco mais longe e as eleições deste ano irão ter uma novidade, o seu título de eleitor digital em seu smartphone.

Mais um serviço público que está se modernizando e vários setores estão passando por diversas mudanças e uma das mais recentes é o lançamento do e-título, divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 1º de dezembro de 2017.

A iniciativa foi promovida pelo Tribunal Regional do Acre (TRE-AC), que foi muito bem aceita pelo TSE e estas mudanças serão adotadas em todo país. Quer entender como funciona o título de eleitor digital? O que você deve fazer para instalar em seu celular?

Continue lendo este texto e entenda como você deve proceder para receber seu título de eleitor digital em seu smartphone e ter muito mais segurança e praticidade na hora de votar.

Sustentabilidade e menos papel

Um dos pontos positivos desta iniciativa é a economia. A alteração é uma alternativa para diminuição da emissão de títulos eleitorais impressos, uma redução de custos para a Justiça Eleitoral.

Serão muitas vantagens em relação a emissão de segunda via de títulos perdidos, bem como suprimentos de impressora entre outros detalhes.

A vantagem para o eleitor é a segurança dos seus dados eleitorais, maior disponibilidade e a diminuição dos riscos de perda e danos por conta dos extravios.

Segundo a Justiça Eleitoral, o avanço da tecnologia proporcionará uma grande economia aos cofres públicos, maior sustentabilidade e utilização eficiente dos recursos.

Como vai funcionar o e-título

Para conseguir ter o e-título e acessar seu título de eleitor digital, será necessário baixar o aplicativo que está disponível nas lojas Google Play em smartphones com sistema Android e também na App Store da Apple para celulares com sistema iOS.

Após efetuar o download do aplicativo e-título, será necessário inserir o número do título, seu nome, além dos nomes da mãe e pai, incluindo também a data de seu nascimento. Inserindo seus dados o app irá validar e liberar seus dados para votação no dia das eleições.

Quando o aplicativo for utilizado pela primeira vez, o título digital ficará armazenado localmente em seu aparelho e disponível para o uso do documento.

Quais são as novidades em relação ao título impresso

Além do fator da economia, as novidades em relação ao título tradicional impresso, a versão digital possui a foto do eleitor para que seja identificado na hora da votação.

No entanto, esta versão digital com foto valerá apenas para aquelas pessoas que já fizeram o recadastramento biométrico que no ato da captura dos seus dados é tirado também a foto para melhorar a identificação e segurança para as eleições.

Estas novidades não interferem em nada o eleitor que não fez ainda o recadastramento, baixar o aplicativo, porém, para que sua votação seja concluída será preciso apresentar um documento com foto para sua identificação.

QR Code e Segurança

O título de eleitor digital segundo a secretária de Tecnologia da Informação do Tribunal Regional do Acre, teve seu desenvolvimento em uma plataforma híbrida, ou seja, aparelhos com sistema Android ou iOS poderão fazer o download do aplicativo eleitoral.

Após o usuário eleitor informar seus dados no aplicativo, ele confirma e configura o seu acesso, você recebe informações referentes a sua quitação eleitoral, caso houver alguma pendência, será possível saber, inclusive o app fornece um QR Code que será utilizado para validação das informações que são fornecidas pela Justiça Eleitoral.

O aplicativo foi desenvolvido sem custos para os tribunais regional e superior, com o passar do tempo novas melhorias poderão surgir e os usuários que estiverem com o app eleitoral instalado em seu smartphone receberão as notificações de possíveis atualizações e novas funcionalidades.

Veja o vídeo que foi disponibilizado no Youtube pela Justiça Eleitoral para entender e ilustrar melhor o funcionamento do aplicativo, acesse: http://bit.ly/video-etitulo.

Marcio Ferraz


Tripoli foi o vereador mais votado em São Paulo.

Na cidade de São Paulo, as Eleições 2012 elegeram 55 novos vereadores. A capital paulista teve como o candidato mais votado Tripoli, com 132.313 mil votos (aproximadamente 2,32%).

Na segunda colocação ficou Andrea Matarazzo, com 117.617 mil votos (aproximadamente 20,6%). Em terceiro colocado ficou Goulart, com 103.301 mil votos (aproximadamente 1,83%).

Do total de votos, 80% foram nominais e 19% para a legenda. Os votos brancos ficaram em 10% e os nulos em 8%.

Clique aqui e confira a lista completa dos vereadores eleitos em São Paulo.


Bispo Fernando Luiz voi o vereador mais votado.

Em Belo Horizonte, as eleições 2012 deste domingo (07) elegeram 41 novos vereadores. A capital mineira, segundo o TSE, contou com 1 milhão e 118 mil votos para candidatos específicos e 135 mil votos para as legendas dos partidos políticos.

Os votos nulos foram 114 mil e os em branco foram 139 mil. O candidato que recebeu mais votos foi o Bispo Fernando Luiz, com quase 12 mil votos. Na segunda colocação, Arnaldo Godoy aparece com 11 mil votos.

O terceiro colocado foi o Delegado Edson Moreira, com 10 mil votos. Foram 8 os candidatos que receberam somente um voto e 20 que não receberam nenhum voto. Entre estes, estão aqueles que tiveram as suas candidaturas impugnadas.

Clique aqui e confira a lista completa dos vereadores eleitos em Belo Horizonte.


Eleições 2012 no Rio de Janeiro.

No Rio de Janeiro, as Eleições 2012 elegeram 51 novos vereadores na capital carioca. No total, a cidade contou com mais de 3 milhões de votos válidos para vereadores.

Deste número, aproximadamente 87% foram nominais e outros 12% foram na legenda. A candidata mais votada foi a vereadora Rosa Fernandes, com mais de 68 mil votos (2,20% do total).

Na segunda posição está Guaraná, que teve 53 mil votos (1,71% do total). O terceiro colocado foi César Maia, com 44 mil votos (1,42% do total).

Foram 43 candidatos a vereador que não levou nenhum voto nesta eleição no Rio de Janeiro. Com somente 1 voto, foram 6 candidatos.

Clique aqui e confira a lista completa dos vereadores eleitos no Rio de Janeiro.





CONTINUE NAVEGANDO: