O setor de telecomunicações passou a se expandir com elasticidade após a privatização da antiga Telesp, segundo afirmações do ex-governador de São Paulo, José Serra. O segmento, aliás, cresce ano a ano, tanto que na cidade de São Paulo, por exemplo, medidas de expansão de números para a telefonia móvel tiveram de ser emplacadas – tais como adição do dígito 5, antes utilizado apenas pela modalidade fixa.

Compreendo o setor, informações da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) apontam aumento de 51,5% no número de acessos em banda larga móvel e fixa das prestadoras de telecomunicações no primeiro trimestre de 2011 em comparação ao período igual de um ano antes, para 38,5 milhões.

Os números favorecem alguns pontos estatísticos ao Brasil. Segundo a Telebrasil, consultorias internacionais indicam o país como o oitavo mais bem posicionado no mundio no ramo de banda larga móvel e a nova colocação entre as nações com os maiores acessos fixos.

Destacada a banda larga fixa, os acessos ao final do primeiro trimestre chegaram a 14 milhões, dados que representam aumento de 20,5% em comparação ao período análogo de 2010. Em relação às conexões móveis, 24,4 milhões, avanço de 77,7% em detrimento aos 13,7 milhões registrados no mesmo intervalo do ano passado.

Mantendo-se essa tendência o Brasil precisará, em poucos anos, adotar medidas que permitam a expansão do número de acessos fixos e móveis. Este setor, em especial, é um ótimo campo para quem deseja conquistar uma oportunidade de emprego e crescer profissionalmente, aos poucos.

Por Luiz Felipe T. Erdei





CONTINUE NAVEGANDO: