Os supermercadistas devem obter êxito com as vendas de Páscoa neste ano de 2012.

De acordo com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados), é esperada uma alta de 11% nas vendas em relação ao mesmo período de 2011. O período é o segundo melhor para o setor, ficando atrás apenas do Natal.

Conforme a pesquisa, todos os produtos analisados tiveram um aumento de encomenda aos fornecedores, isso quer dizer que os supermercados já estão se preparando para uma maior demanda, com uma superior quantidade de produtos à venda. Nesta análise, o bacalhau se destacou em primeiro lugar com um aumento de 11,3%.

Os preços dos itens analisados também tiveram um aumento, o que garante maior lucratividade aos supermercados. Nesta análise, a cerveja liderou com uma alta de 7,7%.

Nas duas análises, os ovos de Páscoa ficaram em terceiro lugar, com 9,4% e 5,9%, respectivamente.

Tudo leva a crer que em 2012, o sentido da Páscoa e a celebração em família serão regados a muita fartura e variedade de compras, resta agora se preparar para os gastos extras não planejados e também, é claro, para as calorias dos chocolates.

Por Anne A. Matioli Dias


O setor supermercadista apresentou bom crescimento em março deste ano. De acordo com levantamento realizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as vendas nas lojas cresceram 9,28% em comparação a fevereiro. Consequentemente, o maior volume de aquisições fez o consumidor certamente e ao menos uma vez enfrentar grandes filas.

Para evitar esse tipo de estresse, um Projeto de Lei (PL) em tramitação na Câmara Municipal de São Paulo visa estabelecer um tempo máximo de espera para atendimentos nos caixas de super e hipermercados situados na cidade. De autoria do vereador do Partido Progressista – Attila Russomanno, a proposta não abrange, porém, caixas rápidos e preferenciais.

O tempo máximo almejado dentro do PL n° 01-00186/2011 é de 20 minutos. Para o cumprimento, a proposta indica a entrega de senhas ou de bilhetes aos clientes com horários iniciais e de atendimento nos caixas. Caso isso não ocorra, a multa pode variar de R$ 300 a R$ 2,4 mil, valor a ser aplicado em conformidade ao número de reincidências.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Associação Paulista de Supermercados


Uma das satisfações da grande maioria dos brasileiros é percorrer corredores de supermercados em busca de alimentos, bebidas, apetrechos para festas, promoções nos setores de eletroeletrônicos e eletrodomésticos, além de informática, entre outros. Ir para o lar com o carro lotado é o grande sonho, mas nem todos assim podem.

Com a ascensão da classe média, a mesma que já adquire bens duráveis e serviços antes não visitados, deixou para trás os produtos mais básicos, corriqueiros, para apostar em mercadorias incrementadas. O número de empregos criados e o acesso ao crédito durante 2010 são algumas das justificativas para essa disposição.

O aumento das carnes brecou consideravelmente a intenção de consumo do item, obrigando os consumidores a recorrerem a frangos. Em meio a esse cenário, as vendas reais do segmento supermercadista avançaram 4,2% em 2010 sobre 2009. Apenas no mês de dezembro, a alta no confronto anual abraçou índice de 3,16%.

Segundo Sussumu Honda, presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), apesar dos números positivos o crescimento ficou abaixo das perspectivas. A elevação dos preços, principalmente das commodities, exerceu influência sobre os dados. Além dessa constatação, o brasileiro comprometeu sua renda por causa da ampla oferta de crédito no mercado.

O Índice de Vendas da Abras abarcou, em dezembro do ano passado, expansão de 34,71% em comparação ao mês imediatamente anterior e 9,25% no confronto com o mesmo período de 2009. No acumulado de 2010 outra alta, de 9,46%.

Apesar de emitir bons sinais para 2011, Sussumu prevê que o aumento do preço das commodities no contexto global e a oferta de crédito devem influenciar os próximos resultados, mesmo com a renda e aumento dos postos de trabalho em evidência.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Abras





CONTINUE NAVEGANDO: