Saiba aqui como usar o site do Serasa para renegociar suas dívidas.

Atire a primeira pedra quem nunca esqueceu de quitar uma conta ou, ainda, não fez o cálculo exato do dinheiro do mês e acabou deixando vencer um boleto bancário. Se você já passou por qualquer uma dessas situações, deve saber que, em alguns casos, a companhia para a qual você está devendo irá incluir o seu CPF na lista de inadimplentes, como o Serasa. Esses locais são muito utilizados posteriormente como uma referência das instituições ou dos bancos para a garantia de boas qualificações, seja para oferecer empréstimos ou créditos, por exemplo. Então, se o seu nome consta na lista de devedores, é bem possível que você tenha vários problemas na hora de financiar imóveis, obter crédito ou, ainda, solicitar cartões de lojas específicas.

Nome sujo. E agora? Apesar de ser uma situação no mínimo incômoda, “limpar” o seu nome não exige medidas tão drásticas como se imagina, sendo inclusive muito fácil de fazer. Isso porque o próprio Serasa já criou uma ferramenta que possui o nome de “Serasa Limpa Nome”, que ajuda na resolução de tal problema na modalidade online. Sendo assim, a ideia é de que os usuários possam consultar de forma muito prática os seus possíveis débitos que estejam no seu CPF, de forma a renegociar também as suas dívidas com alguns descontos e com o pagamento parcelado.

Porém, é muito importante lembrar que ainda são poucas empresas que estão participando desse sistema. Todavia, sabe-se que esse já abrange boa parte das prestadoras de serviços voltados para as telecomunicações, bancos, companhias de cartão de crédito e instituições de educação. Podem-se citar entre elas as seguintes participantes: Itaú, Santander, Vivo, Porto Seguro Cartões, Recovery, Net/Claro/Embratel, Tricard, CredSystem e Ipanema Credit Management.

Então, se você ficou curioso e quer saber como fazer para limpar o seu nome, fique ligado nas dicas que nós te daremos a seguir. Vamos a elas.

Como faço para “limpar” o meu nome?

Para limpar o nome é muito simples. Se você tiver qualquer dívida, basta se cadastrar na plataforma do Serasa, disponível no site do órgão no endereço eletrônico https://www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online/. Nesse link, é possível consultar o seu número de CPF e, também, se cadastrar na plataforma. Para a última opção, é só clicar em “Cadastre-se”. É possível vincular também à plataforma por meio de uma conta particular no Facebook ou no Google.

Feito o cadastro na ferramenta, o usuário precisa clicar em “Listagem de Ofertas”. Por esse local é possível fazer a checagem das propostas para a renegociação de uma dívida para um determinado CPF. Somente estarão disponíveis tais detalhes se as empresas se dispuserem a renegociar.

No local intitulado “Meus Acordos, ainda é possível consultar pelas dívidas que já foram renegociadas e imprimir os boletos para os pagamentos dos eventuais parcelamentos dos débitos que serão renegociados.

Sem proposta de renegociação: o que fazer? E, além de tudo que já foi citado, no mesmo portal ainda é possível verificar se ainda há dívidas que estão ativas no seu CPF e que ainda não tenham tido quaisquer propostas para renegociação por meio da plataforma “Limpa Nome”. Para visualizar essa opção, basta clicar em “Serasa Consumidor”.

No caso dos débitos sem uma proposta para o seu pagamento, é indicado que o devedor entre diretamente em contato com a própria empresa para que seja feita a renegociação da dívida. Isso porque muitas organizações ainda não estão cadastradas na plataforma, utilizando de outros meios para entrar em contato com o consumidor. Porém, a tendência é de que sempre mais empresas acabem se cadastrando para esse sistema. Com isso, o futuro nesse sentido é tanto o de facilitar a vida de quem tem as contas a receber, como de garantir praticidade para aqueles que possuem as dívidas pendentes de pagamento.

Kellen Kunz


Evento irá até o final do mês de novembro de 2017.

A grande maioria das pessoas passa por dificuldades financeiras em algum momento da vida e com isso não conseguem arcar com seus compromissos financeiros. Devido a isso, acabam deixando de fazer pagamentos a certas instituições e com isso a suas despesas e dívidas só vão aumentando. Uma forma de solucionar essa falta de pagamento que dos credores é a renegociação da dívida. Muitas empresas fazem esse procedimento nos dias atuais, usando recursos como: diminuir os juros, parcelando em mais vezes o valor total da conta, dentre outros. Muitas organizações fazem essa renegociação através do Serasa. Já que de tempos em tempos, a empresa de negociação realiza o seu tradicional feirão de renegociação de dívidas. Popularmente conhecido como “feirão limpa nome”, tem previsão de início no próximo dia 06 de novembro de 2017.

A edição deste ano vai começar no dia 06 de novembro, como dito acima, e vai durar até o último dia do mês de novembro, ou seja, dia 30. Os consumidores que possuem dívidas e querem renegociar suas contas, através desta iniciativa promovida pelo Serasa, precisam seguir este passo a passo:

– Primeiramente, eles precisam consultar a instituição em que existe o débito, se eles vão participar do feirão.

– Caso a resposta seja positiva, o consumidor deve acessar o seguinte endereço eletrônico: https://www.serasaconsumidor.com.br/feirao/. No site, o consumidor deve informar o número de seu Cadastro de Pessoa Física, o CPF e através dessa plataforma vai se ter o início a renegociação com a supervisão do Serasa. Para que tanto o consumidor quanto a empresa consigam um acordo em que nenhuma das partes saíam prejudicadas.

Nesta edição, o número de empresas está maior ainda. Visto que as organizações estão vendo que essa pode ser uma solução mais rápida e menos burocrática do que entrar com uma ação judicial contra o cliente, por exemplo. Já que pendências como essa podem levar anos na justiça nacional.

Nesta edição, vão participar entidades de diferentes setores, como: bancos, lojas, empresas de telefonia, dentre outras. Além disso, uma outra vantagem desse “feirão limpa nome” é que todo o procedimento de renegociação da dívida é feito através da internet. Então, você consumidor, não precisa nem sair de casa. Tudo é feito com a maior segurança, protegendo os seus dados. E também, segundo o Serasa, os descontos neste ano podem chegar até 90%.

As empresas também estão dispostas a renegociar prazos, valores, a conversa pode ser feita ainda por telefone, chat ou até por troca de mensagens eletrônicas, os e-mails.

Para facilitar ainda mais a vida do consumidor, algumas empresas já saíram na frente e já disponibilizaram exemplos de acordo e até os boletos de pagamento, que o consumidor pode imprimir em casa e pagar em casas loterias ou instituições bancárias. Para se ter uma ideia do sucesso dessa iniciativa, no feirão do ano de 2016, mais de 300 mil pessoas conseguiram tirar os seus nomes na lista de credores inadimplentes no Brasil e puderam voltar a comprar normalmente, sem nenhum problema. Pessoas que não possuem dívidas, mas querem consultar como está a situação de seu nome, também podem informar o número do CPF na plataforma.

Para a edição deste ano, estima-se que o número de participantes do “Feirão Limpa Nome da Serasa” deve ser maior ainda. Visto que o número de pessoas com dívidas cresceu, em relação ao ano passado. Hoje, no Brasil existem mais de 60 milhões de pessoas que possuem algum débito em aberto. A dívida dessas pessoas chega ao montante de mais de R$ 200 bilhões de reais. Esse tipo de serviço prestado pelo Serasa se mostra bastante eficiente. Você que possui alguma dívida, faça os seus cálculos, pense quanto do seu orçamento familiar você pode destinar para pagar suas contas sem fazer com que você e sua família passem por grandes dificuldades. Boa sorte!

Isabela Castro.


Evento para renegociar dívidas acontece de 27 de março a 2 de abril de 2017.

O Serasa Experian, por meio do Serasa Consumidor, estará promovendo entre os dias 27 de março e 02 de abril, o Liquida Dívidas. Vai ser uma oportunidade para que pessoas que estejam em situação inadimplente possam renegociar suas dívidas e ter a possibilidade de limpar o nome.

De acordo com a entidade, serão oferecidos descontos que poderão variar conforme o credor e a situação da dívida. Mas, a depender do caso, eles poderão chegar até 90%.

A campanha Liquida Dívidas irá possibilitar ao consumidor, além de fazer a renegociação dos valores, de efetuar o pagamento das contas vencidas no site da entidade ou até mesmo pessoalmente naquelas empresas que estiverem participando do projeto. Ainda para este fim, serão colocados a disposição 20 mil postos e canais exclusivos de atendimentos.

Quem quiser consultar os endereços e horários de funcionamento poderá verificar essas informações no site www.liquidadividas.com.br.

O número de inadimplentes no Brasil

De acordo com estudo realizado pela Serasa Experian, em janeiro deste ano, o recorde de inadimplência foi batido. Os números apontam para 59,7 milhões de pessoas com as contas atrasadas em todo o Brasil. Para se ter uma ideia mais ampla da gravidade da situação, basta dizer que 40% dos adultos estão com problemas para quitar suas contas.

Para regularizar tudo e voltar a ter o nome limpo o consumidor deverá fazer uma consulta no site www.liquidadividas.com.br. Isso para saber se a empresa para a qual deve está participando do projeto.

Outra orientação para o inadimplente é revisar as contas antes de acessar o serviço. Ou seja, analisar tudo com atenção para saber o quanto dispõe para o pagamento das contas sem que o orçamento fique ainda mais comprometido.

No espaço de tempo que compreende a realização do evento, aquelas empresas que estiverem participando irão apresentar propostas exclusivas para os seus clientes que estão com as contas atrasadas.

Algumas das empresas que estão participando do Liquida Dívidas são as seguintes: Pernambucanas, Portocred, Cemig, Kredilig, Bemol, Compesa, Koerich, Calcard, Tricard, Qualicorp, BV Financeira, TIM, SKY, Banco Honda, Enel, Oi, Caixa Econômica Federal, AES Eletropaulo, Unibanco, Recovery e Banco Itaú.

Lembrando aos interessados que as renegociações das dívidas poderão ser feitas diretamente com cada credor que irá oferecer opções de atendimento pessoal nas lojas, por chat ou por telefone.

Para saber mais acesse o site do serviço: www.liquidadividas.com.br.

Por Denisson Soares


Evento busca negociar dívidas dos consumidores e limpar o nome no Serasa.

Para quem deseja retirar o nome do Serasa e deixar de ter restrições de crédito, está previsto para o período que vai do dia 08 até o dia 26 deste mês, o Super Feirão Limpa Nome, serviço que será disponibilizado para pessoas de todo o Brasil, através do site www.serasaconsumidor.com.br/feirao, oferecendo propostas de negociação de dívidas.

Ao negociar suas dívidas em atraso, o cidadão pode contar com condições de pagamento favoráveis e ainda descontos acordados diretamente com os seus credores.

Em uma pesquisa realizada pelo Serasa Experian, o equivalente a 59,3 milhões de pessoas se encontram com dívidas atrasadas, o que significa que 40% da população brasileira faz parte do quadro de inadimplentes.

O Super Feirão em sua versão online possui parceria com muitas empresas credoras, que estarão à disposição de quem quiser negociar suas dívidas. O site funcionará 24 horas por dia, para assim facilitar o contato e o acordo entre as partes, sem cobrar nada pelo serviço.

Para fazer uma negociação é muito simples, basta acessar o link www.serasaconsumidor.com.br/feirao e preencher um cadastro com seus dados pessoais. O sistema realizará uma busca no Serasa onde aparecerá as dívidas constantes em seu nome e estabelecerá uma conexão com as empresas credoras, deixando a disposição telefone, e-mail e chat, para que ocorra a negociação.

Dessa forma, o cidadão devedor e seus credores estarão em contato direto e podem chegar a um acordo, sendo que nesses casos as empresas oferecem descontos relevantes e formas diferenciadas de pagamento, facilitando ao consumidor a quitação da dívida e a remoção do nome na lista do Serasa. E em alguns casos todo o processo da negociação pode ser feito pela internet, até mesmo a emissão dos boletos já com os descontos.

O Super Feirão Limpa Nome se configura em uma forma inteligente de negócio, que beneficia todas as partes envolvidas no processo, pois com o nome “limpo” o consumidor não passa mais a ter restrição de crédito, podendo realizar novas aquisições ou negociações em bancos. Já as empresas credoras, por sua vez, não ficam com o prejuízo financeiro.

Se você está com o seu nome negativado no Serasa Experian, não perca a oportunidade de limpar o seu nome. Acesse e site e saiba mais informações.

Sirlene Montes


Serasa realiza um feirão online para os endividados poderem negociar suas dívidas com as empresas e limpar seus nomes.

A Serasa oferece feirão online para quem está com dívidas e pretende limpar o nome. Consumidores terão até o dia 14 de novembro para participar da oportunidade. A versão presencial ocorrerá nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

A partir desta terça-feira (03 de novembro), a Serasa Experian oferece o Feirão Limpa Nome para auxiliar os devedores a saírem da lista dos credores de restrição ao crédito. Os consumidores podem renegociar dívidas com até 40 empresas de diferentes setores.

Para participar do Feirão Limpa Nome, basta acessar o site www.serasaconsumidor.com.br/superfeirao e preencher um cadastro para a participação efetiva.

Como negociar com a empresa?

Ao cadastrar, você terá que escolher o nome da empresa para a renegociação. Logo, aparecerá uma lista com as dívidas em aberto e os canais de atendimentos para lhe auxiliar no processo (telefone, e-mail, chat).

O momento da negociação é propício porque os dois lados (consumidor e empresa) estão precisando fazer um acordo. O consumidor pode entrar em contato direto com a empresa para a renegociação. É importante para o consumidor fazer um orçamento prévio antes de sair fechando o acordo. Caso você não tenha planejamento financeiro para a negociação, você pode entrar numa bola de neve ainda maior. As empresas precisam de dinheiro e o consumidor quer se livrar o mais rápido possível das temidas dívidas. Entretanto, salientando mais uma vez, é importante para o consumidor ter o pé no chão para não transformar o pesadelo da dívida em um monstro maior.

Dependo da negociação, um boleto pode ser gerido a partir de uma proposta realizada pela própria empresa. As propostas são realizadas de forma individualizada. Os descontos são incríveis, podendo chegar a até 95%.

Não perca seu tempo. Para saber mais, acesse o site oficial e fique por dentro de todo o processo: www.serasaconsumidor.com.br/superfeirao.

Por Felipe Pancheri Colpani

Feirão Limpa Nome


Pesquisa feita pelo Serasa aponta que os brasileiros que ganham até um salário mínimo são os que mais procuram financiamentos. Para muitos, o fato de ganharem apenas R$ 724 por mês só é possível comprar parcelado e não comprometer o orçamento doméstico. Entre os bens mais procurados para parcelamento, por pessoas com essa faixa de renda, estão os móveis, eletrônicos, roupas e material de construção.

De acordo com a pesquisa, "a demanda do consumidor por crédito cresceu em todas as faixas de renda durante o mês de agosto/14. A maior alta foi de 7,4% para as pessoas que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais, seguida pela alta de 6,4% para os consumidores com renda mensal compreendida entre R$ 1.000 e R$ 2.000. Nas demais camadas de rendimento mensal, a procura do consumidor em agosto apresentou resultados bastante próximos, indo de 5,5% (faixa de renda mensal abaixo de R$ 500) até 5,9%, para os consumidores que recebem entre R$ 2.000 e R$ 5.000 por mês", afirma a pesquisa da Serasa

Os economistas da Serasa Experian indicam que as medidas de estímulo ao crédito anunciadas pelo Banco Central a partir do final de julho/14 impulsionaram os consumidores a buscar crédito com um pouco mais de ímpeto ao longo do mês de agosto. 

Para a Serasa, as pessoas que se enquadram nessa faixa de renda ou terminam o mês com pouco dinheiro, devem ser cautelosas para não atrasar as contas, para isso requer um orçamento doméstico mais planejado. O risco de inadimplência nessa situação é grande, pois de acordo com levantamento feita pela empresa responsável pela pesquisa, 40% dos brasileiros que ganham até um salário mínimo não sabem calcular juros simples. 

Um dado preocupante levantado pelo SPC e divulgado nessa semana, refere-se à inadimplência que aumentou em 5% no mês passado e que 55 milhões de brasileiros não conseguem pagar as contas em dia, principalmente as de água e luz.

Por Jana da Silva Barbosa Mendes Lopes


Segundo o indicador Serasa Experian, agência de informação financeira do Serasa associada a empresa internacional de dados financeiros Experian, a procura por crédito por parte dos consumidores caiu em 16,5% no mês de setembro deste ano em relação ao mês passado. Isso interrompeu uma seqüência de duas altas nos meses anteriores. De acordo com a pesquisa, isso representa uma queda de 9,0% em comparação com o ano passado, no mesmo período.

A Serasa Experian afirma que esse resultado deveu-se aos dias úteis de setembro serem em número excepcionalmente pequeno. Em setembro de 2012 foram apenas 19 dias úteis, enquanto em setembro de 2011 foram 21 dias e agosto deste ano 23. Quando os dados sobre consumidores buscando crédito são analisados por dia o mês de setembro apresenta uma de 1,1% em relação ao mês de agosto. O que demonstra que a queda expressiva não revela uma fuga dos consumidores do mercado de crédito.

Segundo os economistas da Serasa Experian esse crescimento é o produto de diversas causas: “as reduções das taxas de juros, o recuo gradual da inadimplência e a manutenção de taxas de desemprego historicamente baixas".  Na análise por região os dados mostram que a menor queda no mês de setembro se deu na região sul, menos 14,5%, e a maior no nordeste com menos 17,6% de consumidores à procura de crédito.

 Por Matheus Camargo


Parece simples citar que o crescimento da economia brasileira no ano de 2010 ocorreu pontualmente. De fato, a alta de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no período aconteceu de modo surpreendente, mas esse registro só pode assim ser citado graças a medidas adotadas há muitos, muitos anos.

Exemplo quase-perfeito é a criação do real durante a curta gestão de Itamar Franco, que na época contava com Fernando Henrique Cardoso como ministro da Fazenda – que depois viria a ser presidente da República.

A crise financeira mundial, na metade do caminho da segunda gestão do também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, requereu dele e de toda sua equipe medidas audazes. A aceleração do PIB em 2010, por outro lado, foi substituída por seu antônimo nos dias atuais: desaceleração. Por consequência, a inadimplência do consumidor passa a ser afetada.

De acordo com a Serasa Experian, o Indicador de Inadimplência aumentou 21,4% entre janeiro e março de 2011 em comparação ao 1º trimestre de 2010, taxa superior, pois, à constatada no 4º trimestre de 2010 sobre o período igual de 2009 (20,3%).

Os economistas da entidade ressaltam que o endividamento do consumidor no decorrer dos dois últimos anos e o aumento da inflação em 2011 incidiram no indicador, tanto que a população passa por dificuldades em honrar seus compromissos.

Em março de 2011, a inadimplência subiu 3,5% sobre fevereiro, ou seja, a primeira vez que isso ocorreu em 2011. Economistas da Serasa ponderam que essa situação tem por base o pagamento da última parcela do imposto de carros (IPVA) no mês de março, bem como despesas com Carnaval, férias e materiais escolares.

Por Luiz Felipe T. Erdei


O Serasa Experian de Cheques Sem Fundos informou  nesta segunda-feira (20) que a inadimplência com cheques no mês de agosto em todo o país  teve a cotação mais baixa desde fevereiro do ano de 2005.

De acordo com o indicador, a inadimplência alcançada foi de 1,62%. Segundo economistas da empresa, a queda na inadimplência mostra que o consumidor brasileiro está preferindo comprar produtos com prazos mais curtos para pagamento, evitando a inadimplência.

Entre os meses de janeiro e agosto, de acordo com o Serasa, o estado de São Paulo obteve o menor percentual de cheques devolvidos, com 1,38%. O estado do Amapá, com 11,26% de cheques sem fundos, foi o estado que teve o maior nível de cheques devolvidos no período.

Por Luana Neves


O Serasa Experian informou na última quarta-feira (18) que o número de cheques devolvidos no Brasil durante o mês de julho teve declínio de 1,74% em relação ao mês anterior.

O índice foi o menor registrado pelo Serasa desde julho de 2004, quando foram devolvidos por falta de fundos 1,56% dos cheques. Segundo o Serasa Experian, no acumulado dos seis primeiros meses do ano, os cheques sem fundo foram 1,86%, contra 2,29% no mesmo período do ano passado.

A expectativa do Serasa Experian é que o número de cheques devolvidos no Brasil continuam apresentando recuo durante os próximos meses do ano.

Por Luana Neves


Dados relacionados ao Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor apontaram que a inadimplência da população caiu 5,1% desde maio até o mês de julho deste ano. Este resultado parte do pressuposto de que a retomada positiva da economia brasileira e o chamado efeito calendário contribuíram com tais resultados.

O saldo supracitado é correlato com as informações divulgadas na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE), quando revelou que o Produto Interno Bruto (PIB) ascendeu em 1,9% do segundo trimestre em relação aos três primeiros meses de 2009.

No entanto, mesmo com essa notícia favorável, o índice de inadimplência acumulado de janeiro até agosto é de 9,5% em paralelo ao mesmo período do ano passado.


Parece que durante os meses de julho e agosto as pessoas com baixa renda mensal, até R$ 500,00, resolveram pisar no freio e recorrer menos às atraentes ofertas de crédito oferecidas pelas instituições financeiras.

É o que revela uma recente pesquisa do SERASA Experian a partir da qual  foi constatada uma diminuição de 0,03% dos empréstimos nos referidos meses. Contudo, a pesquisa sofreu forte influência das regiões brasileiras em que a renda mensal per capita é muito baixa (Norte e Nordeste).

No geral, a concessão de empréstimos cresceu significativamente e acumula a cinco altas consecutivas em 2009. Só em  julho deste ano, o volume de dinheiro emprestado por bancos e instituições financeiras superou o mesmo período de 2008 em 3,5% e continuou em alta em agosto.

O segundo semestre é de crescimento para o setor. É a crise que se afasta e o dinheiro que circula.


Dados divulgados pela Serasa informam que o período das férias elevou em 9,4% o número de cheques sem fundo lançados no mercado em relação a junho. Foram registrados no sistema da entidade cerca de 2,30 milhões de cheques sem fundo lançados no mês de julho.

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 11% no número de cheques devolvidos por falta de saldo. A razão disso parece vir de um aumento excessivo no consumo devido ao rigor do inverno desse ano, além do Dia dos Namorados e das férias escolares.

Segundo os analistas da Serasa, vários estabelecimentos estão realizando financiamentos sem controle criterioso no recebimento de cheques pré-datados, o que colabora para a elevação dos dados. A expectativa é que a inadimplência comece a reduzir a partir do último trimestre desse ano.





CONTINUE NAVEGANDO: