Um estudo feito em parceria entre o Programa de Finanças Práticas Visa Brasil e a Boa Vista SCPC divulgou que quase metade da população brasileira pertencente à classe C procura poupar dinheiro.

A pesquisa foi realizada consultando 1.000 pessoas da classe C em diversos estados, a realização da mesma foi através do ambiente virtual. O resultado indicou que a principal forma de poupar é colocando o dinheiro na poupança, mostrando que as pessoas não estão dispostas a correr riscos oriundos de investimentos em fundos fixos e outras formas de aplicação do capital. 

Como resultado do estudo realizado, foi constatado que 49% das pessoas que estão classificadas como participantes da Classe C nacional poupam o seu dinheiro. Do total de pessoas que informaram que gostam de ter sempre dinheiro guardado, 43% disseram que a principal causa de manter uma reserva de recursos é a preocupação com imprevistos de ordem financeira ou emergências (saúde, educação, entre outras). Outras pessoas afirmam que estão reservando dinheiro para a compra da casa própria (26%). Ainda há quem esteja economizando para o final de sua trajetória laboral marcada pela aposentadoria, uma boa parcela da população busca reter um pouco do ingresso mensal para assegurar uma velhice mais tranquila. A porcentagem menor de poupadores (4%) está fazendo a sua reserva pensando na compra do seu primeiro automóvel.

Um dado interessante foi que do total de pessoas que poupam mais de R$100 (74%), 65% utilizam a poupança, logo, 24% deixam o dinheiro em casa e somente 10% procuram fundos de investimento, CDBs ou aplicar em ações. Esta configuração atual demonstra que o brasileiro está preferindo não "trocar o certo pelo duvidoso". Numa economia que está em retração e com juros bastante altos, as pessoas não estão buscando investir e sim poupar. 

Das pessoas que participaram da pesquisa e indicaram que não poupam valor algum, 30% afirmam que há grande probabilidade de iniciar a sua reserva em breve, 44% disse que a possibilidade não é tão remota.

Por Melina Menezes

Poupar


Guardar dinheiroé um fator essencial para quem pretende liderar sua carreira e ter liberdade financeira. Afinal, quem não consegue ter fôlego de sobreviver por pelo menos um ou dois meses sem trabalhar,  acaba não usufruindo de liberdade para tomar suas próprias decisões, como pedir demissão no futuro ou tomar uma atitude com ousadia,  sem perder o sono, com receio de ser demitido.

Fazer uma reserva pode ser mais fácil quando você possui um objetivo definido. O primeiro passo para começar é separar uma parte que deve ser investida, sem pensar nas suas despesas. Para quem ganha uma remuneração bruta de R$ 1,5 mil por mês, por exemplo, a dica é começar a economizar R$ 300 por mês, valor razoável, e que não exige grandes sacrifícios para poupar, podendo chegar a uma boa reserva depois de algum tempo. Quer tentar? Veja alguns exemplos abaixo:

– Guardar R$ 300 por mês:

Quem ganha R$ 1,5 mil por mês de remuneração bruta, pode juntar seus primeiros R$ 100 mil em até 13 anos se souber guardar 20% do seu salário todos os meses. 

– Ganhar R$ 50 mil reais:

Quem quer alcançar os primeiros R$ 50 mil, a dica é trabalhar com fundos de investimento ou poupança. Agora, a poupança se tornou um bom caminho, pois está alcançando rendimentos de 0,5%. Se a taxa de juros estiver baixa, o rendimento da poupança será equivalente ao do fundo fixo. Quando a taxa de juros subir, a poupança virará um mau negócio.

– Guardar de R$ 51 mil a R$ 100 mil:

Após juntar seus primeiros R$ 50 mil, você pode começar a investir a segunda parte deste dinheiro em fundo de ações, por exemplo. Esses investimentos devem ser de longo prazo, ou seja, acima de cinco anos, pois a Bolsa de Valores é uma opção muito interessante e atraente. Só não é bom começar a investir em ações por conta própria. Para pessoas leigas essa pode não ser uma boa opção.

Por Daniela Almeida da Silva





CONTINUE NAVEGANDO: