O Governo Federal anunciou no dia 1º de novembro que prorrogará a redução dos Impostos sobre Produtos Industrializados. A divulgação se deu pelo decreto nº 7.834, publicado no Diário Oficial.

A redução do imposto estava prevista para durar até o dia 31 de outubro de 2012.  Agora, com a nova prorrogação do IPI, o imposto reduzido deverá durar até dezembro deste ano.

A redução do imposto foi anunciada pela primeira vez pelo Governo Federal com o objetivo de incentivar o consumo de mercadorias industrializadas no país frente à crise econômica mundial.

Um dos setores que mais se beneficiou com a redução do imposto IPI foi a indústria automobilística nacional. A venda de automóveis no período de redução do IPI foi muito expressiva alavancada pela passagem da redução do custo do imposto no barateamento dos preços de veículos novos.

Durante a semana o governo conversou com empresários brasileiros para discutir a medida que acabou sendo oficializada no dia 1º. Dentre as reuniões realizadas em Brasília houve uma com representantes do Ministério da Fazenda, do Tesouro Nacional e da Confederação Nacional das Indústrias. 

Por Matheus Camargo

Fonte: EBC


A Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, declarou nessa terça-feira, 22 de outubro, que a manutenção do IPI reduzido seria bom para o mercado automobilístico nacional. De acordo com as palavras do primeiro vice-presidente da Anfavea, Luiz Moan, "uma manutenção do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) reduzido para veículos permite a manutenção de um preço mais vantajoso dos automóveis para o mercado como um todo".

Luiz Moan fez a declaração após reunião com Ministério da Fazendo. Para Moan o preço mais baixo dos automóveis é sempre um fator que impulsiona as vendas no setor. Entretanto o vice-presidente da Anfavea evitou tecer comentário sobre a prorrogação da redução da cobrança do IPI que está programada para terminar na semana que vem.

O setor automobilístico está esperando que o governo reveja a data do fim da redução do imposto. A expectativa é que o governo volte a prorrogar a data do final da redução. Segundo Moan, a Anfavea espera que o governo chame a instituição para um nova reunião na semana que vem para debater o assunto.

A reunião de hoje entre o Ministério da Fazenda e a Anfavea tratou de sugestões do setor para o decreto do governo federal que disciplina o setor no país. O Ministério da Fazenda estava representado na reunião por Dyogo Oliveira. Ainda segundo Moan, as sugestões da Anfavea não tocavam em nenhum ponto de fundo do decreto que foi publicado pelo governo no último mês.

Por Matheus Camargo


IPI de painéis de madeira, laminados de alta resistência e de PVC foi zerado

O governo publicou no Diário Oficial da União nesta segunda-feira (20/08), um decreto que reduz para zero a alíquota do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) que incide sobre painéis de madeira, laminados de alta resistência e de PVC, sendo que alguns produtos tinham a alíquota de 5% e outros de 15%.

A indústria de móveis vinha reivindicando a redução do IPI dos painéis, pois eles são considerados uma das principais matérias primas do setor.

De acordo com a Receita Federal, o objetivo dessa redução é “estimular os setores envolvidos”, pois isso contribuirá para a manutenção dos níveis da atividade econômica, e de emprego e renda.

Guido Mantega, ministro da Fazenda, anunciou a redução do IPI para os itens citados no dia 29 junho, quando renovou o prazo de redução para a linha branca de eletrodomésticos, mas a decisão somente foi publicada oficialmente nesta segunda-feira.

A estimativa é que a renúncia de receitas vinda desta redução chegue em R$ 116,12 milhões.

A medida valerá até o dia 30 de setembro de 2012, quando será encerrada a redução do IPI para móveis, papel de parede, laminados, lustres e luminárias.





CONTINUE NAVEGANDO: