Pagamento do PIS para pessoas com mais de 70 anos de idade iniciou em 19 de outubro.

Desde o dia 19 de outubro (quinta-feira), o Governo Federal liberou os recursos do Programa de Integração Social (PIS) ou o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP). Se você quer saber quem tem o direito de realizar o saque e outras informações, confira os detalhes a seguir:

Quem pode sacar?

A antecipação do calendário de saque visa beneficiar os idosos. Aqueles com mais de 70 anos de idade têm prioridade para receber a verba. Eles já podem efetuar o saque desde o dia 19 de outubro.

Os aposentados em geral serão contemplados a partir do dia 17 de novembro (sexta-feira). Já homens acima de 65 anos e mulheres com mais de 62 poderão sacar o montante do PIS/ PASEP a partir de 14 de dezembro (quinta-feira).

Quem possui saldo para resgate?

Apenas são beneficiários aqueles que contribuíram com um dos dois programas, enquanto trabalhavam de carteira assinada, seja em instituições públicas, seja de organização privada, até o dia 4 de outubro do ano de 1988, pois quem passou a contribuir após esse período, não há mais saldo a ser resgatado.

Outro requisito é que os contribuintes com esses fundos não tenham resgatado todo o saldo da conta.

Saque do PIS

Quem possui algum montante do PIS para sacar, deve se dirigir a uma agência da Caixa Econômica Federal. Há 4 formas de retirada:

1) Nos caixas eletrônicos e sem o cartão do banco- para pagamentos de, no máximo, R$ 1,5 mil. É fundamental que o beneficiário digite a senha do cidadão. Caso não lembre da senha, você deve acessar o site da Caixa (servicossociais.caixa.gov.br/internet.do?segmento=CIDADAO01) e clicar "esqueci a senha" e, em seguida, preencher as suas informações pessoais.

2) Nos caixas eletrônicos com Cartão Cidadão ou – para valores até R$ 3 mil. É necessário digitar a senha do cidadão.

3) Nas lotéricas e correspondentes bancários – além de apresentar o cartão cidadão, o cliente deve digitar a senha cidadão e, além disso, apresentar algum documento oficial de identificação com foto.

4) Em alguma agência da Caixa – para valores superiores a R$ 3 mil, o beneficiário deve levar um documento com foto.

Se você é cliente do Banco Caixa, poderá receber o depósito automaticamente na sua conta corrente. Também é possível realizar transferência, sem custos, para quer for cliente de outros bancos. Para isso, é necessário que a conta esteja no nome do beneficiário.

Saque do PASEP

O saque do PASEP deve ser realizado no Banco do Brasil. Aqueles que são correntistas receberam o dinheiro automaticamente em sua conta corrente.

Quem tem até R$ 2,5 mil para sacar, mas não possui conta nesse banco, pode realizar uma transferência para qualquer outra instituição bancária, desde que a conta esteja em seu nome. Essa operação pode ser realizada pela internet (www.bb.com.br/pbb/pagina-inicial/setor-publico/governo-federal/gestao/gestao-de-recursos/pagamento-de-ordens-bancarias,-salarios-e-beneficios/pasep#/) ou nos pontos de autoatendimento.

No caso de correntistas com saldo acima de R$ 2,5 mil, deve ir até uma agência do Banco do Brasil para efetuar o saque.

Mais detalhes

O Governo Federal informa que não há data limite para os saques. O calendário estabelece apenas a data de início da liberação.

Quem for herdeiro de cotistas falecidos pode efetuar o saque do dinheiro a qualquer tempo.

Caso você tenha alguma dúvida que queira esclarecer, pode entrar em contato com o Banco do Brasil ou com a Caixa.

Se você, durante a vida laboral, migrou entre uma instituição pública e outra privada, não precisa ir nas duas instituições bancárias. Com frequência, os bancos atualizam seus dados cadastrais e transferem os montantes do PIS e PASEP, em caso de ter havido essa migração de serviços públicos e privados.

Aquelas pessoas que contribuíram depois de 1988 não possuem mais direito ao saque, uma vez que a Constituição Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Essa verba serve para realizar o pagamento do seguro-desemprego e do abono salarial. Além disso, outra parte desse montante é direcionada ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Por Melisse V.

Pis idosos


Pessoas com 70 anos ou mais que possuem direito de sacar o FGTS de contas inativas podem retirar o dinheiro a qualquer momento, sem precisar atender os requisitos do calendário estabelecido.

Nos últimos dias muito tem se falado sobre o FGTS de contas inativas, devido ao fato de que em uma medida extraordinária o presidente da república, Michel Temer liberou a partir do mês de março o saque desse saldo de FGTS Inativo, com o intuito de auxiliar os milhões de brasileiros que possuíam esse saldo e que vem enfrentando a crise da economia que se instalou no país.

O saldo gerado pelas contas inativas do Fundo Garantia por Tempo de Serviço geralmente é pago aos seus nominais quando estes se aposentam ou quando pretendem realizar a compra da casa própria e em casos de doenças graves.

Nesse sentido, o saque do FGTS de contas inativas também está liberado para as pessoas que possuem idade maior que 70 anos, o que já era um direito garantido por lei para os idosos.

Contudo, com o saque liberado para essas pessoas, a única diferença que existe é no fato de que os idosos podem realizar o saque sem ter que considerar o calendário que determina as datas para realização dos saques, que leva em conta a data de aniversário dos beneficiados.

Dessa forma, pessoas acima de 70 anos que tenham trabalhado com carteira registrada e que tenham pedido demissão ou que tenham sido demitidas com justa causa têm o direito de realizar o saque do saldo das contas inativas.

Como essas pessoas não terão que seguir o calendário que estipula as datas para saque, o recebimento do benefício poderá ser feito em qualquer data a contar do dia 10 do mês de março, sendo que a data limite para o saque é o dia 31 do mês de julho de 2017.

A Caixa Econômica Federal, que é a responsável pelos pagamentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, pretende nos dias liberados para os saques, abrir suas agencias duas horas mais cedo, além de planejar também atendimentos aos sábados e domingos.

Tudo para que as pessoas consigam receber o dinheiro até a data limite, pois após o dia 31 de julho, quem não tiver feito a retirada do dinheiro perderá o seu direito.

Informe-se e faça valer o seu direito!

Por Sirlene Montes

FGTS para idosos


Custo de vida dos idosos ficou acima do IPC-BR, que registrou alta de 1,17% no 3º trimestre.

Foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Economia, Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) na ultima terça-feira, dia 13, o resultado da pesquisa do Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) que a inflação entre os idosos subiu 1,23% no terceiro trimestre de 2015. De acordo com a FGV, a taxa acumulada entre julho e setembro foi de 1,23%, contra aumento de 2,46% no segundo trimestre deste ano.

Segundo os dados apurados, o custo de vida dos idosos ficou acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação em todas as faixas etárias e que subiu 1,17% no terceiro trimestre do ano. Ao todo, o IPC-BR ficou em 9,65%, enquanto o IPC-3i acumulou 10,21% no mesmo período.

Esse índice de preços ficou acima da inflação oficial, de 9,49%, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O índice está bem superior ao teto da meta de inflação do Banco Central, que é de 6,5%.

Apesar da alta, a FGV apurou que na passagem do segundo para o terceiro trimestre de 2015, a taxa do IPC-3i registrou decréscimo de 1,23 ponto percentual, ao passar de 2,46% para 1,23%. Ainda conforme a pesquisa alguns itens contribuíram para a deflação, ou seja, subiram menos na passagem de um trimestre para o outro, os principais foram os alimentos  que saíram de uma alta de 2,34% para 0,54%, sobretudo as hortaliças deram um resultado maior, com deflação de 16,33% no terceiro trimestre depois de aumento de 11,85%. 

Ao todo, foram sete das oito classes de despesa que compõem o índice que registraram variação menor. Dentre elas estão os grupos saúde e cuidados pessoais (3,47% para 1,82%), despesas diversas (9,31% para 0,67%), habitação (2,53% para 1,97%), educação, leitura e recreação (2,73% para 0,94%), vestuário (1,98% para 0,24%) e transportes (0,69% para 0,35%).

Por Lilian de Oliveira

Inflação entre idosos

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: