Banco realizou mudanças no sistema de financiamento de imóveis. Confira aqui quais são as novidades.

Muitas pessoas receberam com alegria as últimas notícias veiculadas na última terça-feira, 8 de Março, referente aos novo método de financiamento de imóveis da Caixa Econômica Federal (CEF). De acordo com a Instituição, a partir do dia 24 de Março deste ano o percentual de financiamento de imóveis para trabalhadores do setor privado passa de 50% para 70% e para os do setor público, de 60% para 80%.

A principal objetivo desta mudança é movimentar o setor imobiliário, que vem passando pelos tempos da “vaca magra” desde 2015. A nova linha de crédito serve para financiamento de imóveis de até R$ 750.000,00 nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Minas Gerais. Já para os demais Estados, o valor de imóvel pode ser de até R$ 650.000,00.

Os financiamentos devem ser realizados pelo SAC (Sistema de Amortização Constante), que é o mais praticado atualmente no setor imobiliário, que consiste na diminuição dos valores das parcelas ao longo do tempo.

Outra oportunidade é que a Caixa agora também volta a oferecer a chance de financiar um segundo imóvel utilizando os recursos a poupança. Este tipo de transação estava suspensa desde de 2015, com isso se torna possível realizar o financiamento de dois imóveis até que um deles possa ser vendido.

No anúncio o banco reafirmou também que irá oferecer novamente o financiamento através da Linha Pró-Cotista, que torna possível utilizar os recursos do FGTS que possui taxa de juros entre 7,85% e 8,85% a.a e vale para compra de imóveis no valor de até R$ 750.000,00 e o prazo máximo para financiamento é de 30 anos para quitação.

Com as novas tabelas de financiamento,  especialistas de mercado acreditam que será possível reaquecer o setor da construção civil através de criação de novas vagas de emprego. Nos últimos 12 meses, a construção civil foi um dos segmentos que sofreram impactos assustadores em relação a taxa de desemprego, o que não vinha sendo uma realidade da área antes do início da crise no país.

Alguns especialistas acreditam também que as mudanças são apenas uma medida emergencial na tentativa de salvar o setor, visto que no passado a CEF já ofereceu melhores condições de financiamento. As condições devem favorecer uma forte fatia de faixa de cliente que busca imóveis em média de R$ 400.000,00.

Por Jaime Pargan


Começa em Campinas, interior de São Paulo, nesta próxima sexta-feira (dia 14) o 9º Feirão Caixa Econômica Federal que oferece mais de 20 mil imóveis e opções de financiamentos para os interessados em comprar sua casa própria.

O Feirão acontece no Parque Dom Pedro Shopping e vai até o próximo domingo (16). A expectativa de público para este ano é de 25 mil pessoas. São 30 construtoras, 20 imobiliárias, 24 correspondentes Caixa Aqui e oito lojistas no espaço construção, além de corretores e técnicos da própria Caixa.

Uma das novidades anunciados nesse Feirão é que aqueles que optarem pelo financiamento, só precisam pagar a primeira prestação em janeiro de 2014.  Para dar entrada no requerimento de crédito, os interessados precisam pegar uma senha e apresentar a seguinte documentação: carteira de identidade, CPF e comprovante de renda.

A Caixa oferece financiamentos com prazo de pagamento de até 35 anos, com taxas de juros a partir de 4,5% ao ano.

Endereço: Avenida Guilherme Campos, nº 500, no Jardim Santa Genebra
Horários: Sexta e Sábado: das 10h às 21h nesta sexta-feira e Domingo: das 10h às 18h.

Por Thaís Cortez


O BNDES, Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social, deverá propor linhas de financiamento especial para o setor de inovação no Brasil. O BNDES possui um grupo de trabalho com o Ministério de Ciência e Tecnologia  e o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para estruturar as linhas de crédito.

Luciano Coutinho, presidente do BNDES, informa que o objetivo das linhas de crédito especiais para programas de inovação serão voltadas para áreas da produção que são intensivas em uso de conhecimentos de ponta, tais quais faltam no país atualmente.

Dentre os setores que se devem beneficiar do novo crédito devem estar a área da saúde, aeronáutica, tecnologia da informação (T.I.) e telecomunicações. As afirmações foram feitas nesta última terça-feira, 6 de novembro, durante seminário intitulado  "Atração de Centros de P&D para o Brasil".

As linhas visam estimular esses setores para fazer incrementar sua capacidade de competição frente às empresas internacionais de tecnologia de ponta. Segundo Coutinho, as condições de crédito para esses setores devem ser parecidos com aqueles oferecidos pelo BNDES para os produtores de etanol e petróleo no Brasil, afim de abrangir cada vez mais empresas de alta tecnologia.

Por Matheus Camargo


Nessa segunda-feira, 15 de outubro, o Fundo da Marinha Mercante informou que aprovou mais R$ 1,5 bilhão de financiamento a OSX, além dos R$ 2,7 bilhões já aprovados anteriormente pelo fundo para a empresa de Eike Batista.

A OSX é especializada na construção naval e esses recursos devem ser gastos com a elaboração do estaleiro do Porto do Açu, no Rio de Janeiro. O total de investimentos na construção do estaleiro já soma R$ 4,8 bilhões.

Os recursos devem sair dos cofres do BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. As operações do estaleiro de Porto de Açu devem começar já no início de 2013 embora a conclusão da obra esteja prevista para 2014.

Segundo a OSX o Fundo da Marinha Mercante aprovou na mesma ocasião outros R$ 4,9 bilhões em financiamento para outras empresas de construção naval no país.

Apesar do anúncio do financiamento adicional para a construção do estaleiro de Porto de Açu, as ações da empresa de Eike Batista continuavam a ser negociadas em baixa de menos 0,2 por cento ao meio dia dessa segunda-feira na Bolsa de Valores.

Por Matheus Camargo

Fonte: UOL Notícias





CONTINUE NAVEGANDO: