O BCE (Banco Central Europeu), em sua última reunião, manteve a taxa básica de juros na Zona do Euro em 0,75%. A decisão já era prevista por analistas financeiros. A medida foi tomada mesmo com a previsão de que a economia europeia está entrando em uma rota de recessão expressiva.

Mario Draghi, presidente do BCE, deu uma entrevista coletiva depois que a medida foi anunciada e disse estar afastada a ameaça de um aumento da inflação na Zona do Euro. A inflação para a região, segundo ele, deverá cair para baixo da meta de 2% no ano de 2013.

Draghi afirma que os riscos para a economia europeia estão inclinados para o lado negativo. Segundo o presidente do BCE, apesar do mau tempo no crescimento econômico europeu, isso não deverá impactar a inflação, que está amplamente equilibrada em previsões para o médio prazo.

A decisão do Banco Central Europeu de manter a taxa básica de juros em 0,75% é efetuada pelo quinto mês consecutivo. Com a taxa em 0,75%, apresenta-se a menor taxa de juros já estabelecida pelo BCE em sua história. Economistas avaliam que um novo corte de juros não teria seria benéfico para as transações financeiras na Zona do Euro.

Fonte: G1

Por Matheus Camargo


Nesta quinta-feira, dia 25 de outubro, o Parlamento Europeu voltou a reiterar sua posição de recusa de participação à Yves Mersch, presidente do BC de Luxemburgo, na composição da Comissão Executiva do BC Europeu. A indicação de Mersch para o Banco Central já havia sido rejeitada essa semana pelo Comitê de Assuntos Econômicos da União Europeia.

Segundo o comunicado do Parlamento Europeu, a rejeição de Mersch no BC foi feita por uma margem apertada. Segundo as regras da União Europeia, o veto do parlamento unificado não tem poder decisório sobre a nomeação de dirigentes da Comissão Executiva do BC Europeu. Embora, dizem avaliadores, seja desejável sua aprovação. A Comissão Executiva do BC Europeu possuiu seis cadeiras, o corpo geral do conselho é composto pelos dezessete presidentes de BCs dos países da zona do euro.

O motivo da rejeição do Parlamento Europeu à Mersch na casa teria sido a defesa de que se aumente a participação de mulheres na direção do BCE. Participantes da direção da União Europeia afirmam que Mersch irá compor o Conselho do BC Europeu mesmo com rejeição do parlamento. O Conselho deverá tomar a decisão por si mesmo, afirmou uma fonte da instituição para a agência de informações da Dow Jones.

Segundo o relatório de estabilidade financeira do FMI de setembro, o Brasil é um dos países emergentes mais suscetíveis a uma instabilidade financeira na zona do euro. Isso se deve aos grandes investimentos de empresas da zona do euro no país. 

Por Matheus Camargo


Bolsas europeias fecharam, em seu maioria, em alta.

Nesta sexta, dia 31 de agosto, as principais bolsas da Europa fecharam hoje em alta, com um ganho de mais de 3% em Madri depois da divulgação de uma reforma bancária.

Isso acontece no mesmo dia de um discurso do presidente do Federal Reserve (Banco central dos EUA), considerado animador.

Com relação a Bolsa de Frankfurt, o índice Dax 30 dos principais valores apresentou alta de 1,09%, aos 6.970,79 pontos. O fato teve estímulo dos anúncios do Fed de que estaria disposto a aumentar o seu apoio frente a economia dos Estados Unidos.

Na França, em Paris, o seletivo CAC 40 terminou com uma alta de 1%, aos 3.413,07 pontos. Já na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 operou o seu fechamento em queda de 0,14%, aos 5.711,48 pontos.

No mercado de Madri, o Ibex 35 finalizou o dia em alta de 3,13%, a 7.420,50 pontos, com o estímulo da aprovação de uma nova reforma bancária, o que pode vir a sanear o setor por definitivo.





CONTINUE NAVEGANDO: