App liberado pela Receita Federal promete descomplicar questões mais burocráticas dos MEI.

A Receita Federal lançou nesta semana (10 de julho) um aplicativo que auxilia os microempreendedores individuais (MEI) em seus negócios. O aplicativo é capaz de emitir boletos e também de verificar o pagamento dos mesmos.

O App MEI possui um moderno layout e é muito fácil de utilizar. O programa já está disponível nas versões iOS e Android, sendo que as duas versões são gratuitas.

Como todos já sabem, o MEI — microempreendedor individual — é um trabalhador independente que tem seu próprio negócio legalizado, emitidor de notas fiscais e que fatura no máximo R$ 60.000,00 por ano. A novidade tem como objetivo principal o aumento de facilidades para “resolução de problemas burocráticos”, por exemplo, emitir boletos de pagamento, conferências de pagamento, acompanhamento da situação tributária do microempreendedor, entre outros serviços que antes era mais difícil de se ter acesso.

Por meio deste programa virtual é possível obter informações sobre os dados de cadastro do microempreendedor individual, como por exemplo, a situação tributária da empresa, a natureza jurídica, nome e endereço cadastrados.

Para os interessados, o App também possibilita que o empreendedor faça uma espécie de “Quiz” que serve principal e unicamente para testar os conhecimentos sobre o assunto. No final deste questionário o usuário poderá dar sugestões e nota para o aplicativo de auxílio.

O programa já está disponível para ser baixado gratuitamente, os utilizadores do Android e iOS já o encontram nas lojas virtuais (Playstore e Apple Store).O aplicativo, que se chama "APP MEI", promete ser uma ótima ferramenta de auxílio para os microempreendedores individuais brasileiros – MEI, pois com ele é possível poupar muito tempo e ter as informações literalmente na palma das mãos, já que através do celular não será necessário encarar grandes filas e esperas no telefone para obter a resolução de questões burocráticas.

Você que é um microempreendedor, baixe o APP MEI e faça um teste. Depois conte-nos sobre a experiência deixando um comentário sobre a novidade lançada pela Receita Federal.

Carolina B.


Confira aqui os principais pontos que mudam nos direitos dos trabalhadores com a Reforma Trabalhista.

Na noite da última terça-feira, dia 11 de julho de 2017, depois de mais de 10 horas de reuniões, o Senado Brasileiro votou e decidiu aprovar novas reformas trabalhistas. A votação teve 50 votos a favor e 26 votos contra. As reformas já passaram pela Câmara dos Deputados e segue agora para a aprovação do presidente Michel Temer.

Os pontos aprovados foram os seguintes:

– A quantidade de horas de trabalho passa a ser um acordo entre patrão e empregado.

– Férias, parcelamentos e participação nos lucros também vai ser decidido entre empregado e empregador.

– A jornada de trabalho vai ser de 30 ou 26 horas semanais, com mais dias, o empregado vai ter mais dias de férias.

– O período de férias poderá ser dividido em até 3 vezes.

– As grávidas e as lactantes apresentando riscos de se expor a riscos físicos e químicos podem pedir afastamento do emprego.

– Contribuir com o sindicato de cada profissão, passa a ser uma decisão do trabalhador.

– Trabalhadores que exercem suas funções em casa, também passam a ter normas próprias.

– O período para intervalo de almoço passa a ser um acordo entre patrão e funcionário.

– Foram também mudadas normas para trabalhos que forem não contínuos, aqueles que podem sofrer paralisação.

– O tipo de roupa usada no local de trabalho, passa a ser decidido pelo empregador.

– Autônomos podem ser contratados para realizar trabalhos particulares.

– O patrão vai ser o único responsável pelo transporte do empregado.

– A contratação de demitidos por uma empresa e ser contratada por uma organização terceirizada precisará de um prazo de 18 meses para essa contratação.

Essas reformas têm o prazo de 120 dias, ou seja, 4 meses para serem adotadas e elas serão obrigatórias. Elas ainda vão ser publicas no Diário da União. Os políticos que votaram a favor acreditam que essas leis vão beneficiar os trabalhadores e deixar as regras mais modernas, além de aumentar o número de vagas de empregos. Já os que votaram contra alegam que essas reformas vão minimizar o direito dos trabalhadores e prejudicar as suas condições nas empresas que trabalham. Ainda precisa do veredicto final, do presidente Michel Temer. Espera-se que essas reformas ajudem aos trabalhadores brasileiros ou estrangeiros que atuem no país.

Isabela Castro.


Confira aqui algumas dicas para o gerenciamento e sucesso de sua empresa.

A gestão é um dos pilares fundamentais para o gerenciamento e o sucesso de uma empresa, seja ela de pequeno ou médio porte. Normalmente quando uma empresa almeja um crescimento, poderá trazer algumas complicações na folha de pagamento. Para que isso não ocorra é necessário um bom gerenciamento que possibilite bons resultados e o estabilizar dos seus funcionários.

Com um bom planejamento e um quadro de funcionários sólido, alinhado e satisfeito, conseguimos assim ter um uma boa estrutura e funcionalidade para os negócios.

Em algumas empresas o gerenciamento é feito por dois departamentos, o RH e o departamento financeiro, que fará com que o gestor tenha as melhores informações dos seus negócios no que se refere a sua equipe como também a sua folha de pagamento, que por sua vez se torna uma das suas maiores responsabilidades. No mundo atual a ineficiência da folha de pagamento traz desmotivação, provocando retenção dos mais talentosos de sua equipe.

Para isso, um bom plano de cargos e salário, por mais simples e objetivo, pode ser a chave para o crescimento, fazendo com que tenham aumento em sua produtividade, refletindo diretamente nos ativos da empresa.

De acordo com as leis trabalhistas, empresas com mais de dez funcionários é obrigatório o registro na folha de ponto, seja ele manual ou eletrônico, pois desse modo teremos um melhor controle das horas trabalhadas, trazendo benefícios tanto para os funcionários quanto para os empresários, fidelizando a jornada diária, além das horas extras trabalhadas e outros fatores.

Contudo, como possuímos um sistema tributário complexo, devemos reduzir ao máximo os erros e as imprevisibilidades, como multas, sanções, atraso em pagamento, etc. Para isso, toda e qualquer finança precisa ser acompanhada de perto, tornando assim o processo de constas a pagar e receber uma forma mais simplificada e eficiente, evitando surpresas indesejáveis a longo e até mesmo a curto prazo.

Por M. O Lucas


Segundo uma pesquisa divulgada pela Fiesp a confiança dos empresários do setor industrial no Brasil caiu no mês de outubro deste ano. De acordo com a pesquisa Sensor, a confiança dos empresários industriais paulistas atingiu 50,6 pontos no indicador utilizado.

Com este valor, o indicador de confiança caiu em relação ao mês de setembro deste ano. Em setembro o indicador apontava um índice de 52,3 pontos de acordo com os dados da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. A pesquisa foi divulgada no dia 30 de outubro.

Segundo os dados da pesquisa, dos 5 itens que compõe o indicador da federação 3 apresentaram uma queda e apenas 1 apresentou aumento em outubro. Um dos indicadores apresentou estabilidade durante o período.

O indicador sobre os itens de estoque saiu de 40,8 pontos em setembro para um valor de 44,7 pontos em outubro, sendo este o único que apresentou um aumento no período. O indicador do item de emprego passou de 49,8 pontos em setembro para o valor de 46,2 pontos em outubro.

A avaliação dos empresários do setor industrial em relação ao mercado também apresentou queda no período. Este item passou de 59,3 pontos em setembro para um valor de 55,5 pontos em outubro.

Por Matheus Camargo

Fonte: R7


A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) informou nesta terça-feira, dia 30 de outubro, que o indicador de confiança dos empresários do comércio subiu. Ele é medido pelo Índice de Confiança do Empresário do Comércio.

Houve uma alta de 2,2% do índice no mês de outubro. De acordo com o indicador, o índice de confiança dos empresários do setor ficou em 128,0 pontos. Esse patamar de resultado ficou abaixo do que foi auferido no mesmo mês de outubro de 2011.

Ainda de acordo com a pesquisa houve uma melhora no índice que avalia as condições atuais do empresário do comércio no mês de outubro deste ano. De acordo com os dados, a expectativa dos empresários do comércio mostrou um crescimento de 2%.

O crescimento da confiança dos empresários do comércio no mês de outubro foi o maior entre os negócios com ampla abrangência. O índice entre as empresas com menos de 50 funcionários cresceu em 2,1%. Já, nas empresas com mais de 50 funcionários o indicador subiu 2,5%, alcançando um patamar de 143,8 pontos. Na comparação com o mesmo período do ano passado houve uma baixa do índice  para as empresas com menos de 50 funcionários e um avanço de 1,7% nas empresas com mais de 50 funcionários.

Por Matheus Camargo

Fonte: Estadão





CONTINUE NAVEGANDO: