A Comissão de Valores Mobiliários determinou que os balanços financeiros dos anos de 2011 e 2012 apresentados publicamente pela Marfrig sejam refeitos. Segundo a CVM, a Marfrig teria cometido um erro no cálculo de seu patrimônio líquido.

A Marfrig é um grupo empresarial do setor alimentício que realiza o processamento e a distribuição de alimentos à base de carne bovina, suína, ovina e avícola no Brasil.

Segundo o órgão governamental, a empresa teria contabilizado debêntures, tipo de papel creditício emitido por empresas negociável na bolsa de valores que funcionam como instrumento mandatário à empresa aos seus possuidores, em seu patrimônio líquido. No entanto, não segue as regras de contabilização desse tipo de operação e a Marfrig deveria ter colocado o valor de seus papéis de debêntures na contabilidade de passivos não circulantes da empresa e não no patrimônio líquido.

A republicação dos balanços financeiros da Marfrig de 2011 e 2012 deve apresentar, portanto, uma queda em seu patrimônio líquido. Em nota, a empresa esclarece que a reclassificação das debêntures "não tem efeito sobre o atual endividamento financeiro da companhia”, pois o instrumento mandatário creditício só é passível de liquidação em ações ordinárias de emissão da própria empresa.

Por Matheus Camargo

Fonte: Infomoney


Emissão de debêntures de infraestrutura aumentarão

Segundo Otavio Yazbek, presidente interino da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o programa de logística anunciado ontem, de R$ 133 bilhões, poderá acelerar as emissões de debêntures de infraestrutura, pois os investimentos não podem ser financiados pelos bancos.

O BNDES irá financiar cerca de 80% do valor previsto, e o restante será obtido através de títulos de renda fixa, por exemplo.

De acordo com Yazbek, o Brasil tem uma grande oportunidade de desenvolver o mercado de renda fixa, principalmente o secundário, em meio ao panorama de queda de juros, atraindo os investidores para esse segmento.

O Senado aprovou, na semana passada, uma série de esclarecimentos na Lei 12.431, que oferece a isenção de IR a investidores que aplicam em títulos mobiliários para investimentos em projetos, como de infraestrutura. Esses títulos são as debêntures e CRIs.

Segundo Yazbek, iniciativas como a da Cetip, que lançou uma nova plataforma eletrônica de negociação de ativos, contribuem para uma maior transparência do mercado após a negociação, porém é preciso que isso também aconteça na pré-negociação. Ele também citou que a desindexação do mercado é mais um atrativo para o mercado de renda fixa.





CONTINUE NAVEGANDO: