A empresa de cosméticos Avon anunciou no dia 1º de outubro, que irá cortar a remuneração de dividendos em quase 74 %. A motivação da medida tem haver com os maus resultados da empresa no último período.

A Avon divulgou que recebeu um lucro líquido de 31,6 milhões de dólares no terceiro trimestre de dois mil e doze. O resultado apresenta uma queda na lucratividade da empresa em relação ao segundo trimestre do ano.

De acordo com declarações da empresa, o problema no terceiro trimestre foi o aumento de custos em produtos e prejuízos financeiros, com taxas de câmbio desfavoráveis. Como a medida o pagamento dividendos das ações da Avon sai de 0,23 dólar por ação e vai para anteriores 0,06 dólares por ação.

Com o corte de dividendos a empresa pretende se capitalizar para fazer novos investimentos e superar a queda na sua lucratividade nos próximos trimestres.

Na apresentação dos balanços financeiros da empresa, a Avon demonstrou ainda uma ampliação de suas vendas no Brasil, seu principal mercado consumidor, as vendas apresentarão quedas acentuadas, especial, para os produtos da Avon na América do Norte. Lá suas vendas de produtos cosméticos caíram cerca de 8%.

Por Matheus Camargo


Lucro líquido da Avon registrou queda no 2º trimestre de 2012

No segundo trimestre deste ano as vendas da Avon no Brasil caíram 19%. Influenciado por esse resultado, o lucro líquido mundial da empresa foi 70% menor no período, alcançando US$ 61,6 milhões. Outro fator que também influenciou esse resultado foi o recuo das vendas na Europa. O lucro diluído também apresentou queda, indo de US$ 0,70 para US$ 0,14.

Na América Latina, o recuo em vendas foi de 9%, ficando em US$ 1,2 bilhão. Porém, o número de revendedoras aumentou em 1%.

Já, em volume, a Avon vendeu 3% menos se comparado ao mesmo período de 2011. O lucro operacional também foi menor, ficando em US$ 115 milhões.

A receita líquida global da empresa caiu 10%, registrando US$ 2,54 bilhões, se comparado aos US$ 2,81 bilhões vistos no 2º trimestre de 2011.

Os preços da Avon, na média global, aumentaram 3%, e o número de revendedoras recuou também 3%, na comparação anual.





CONTINUE NAVEGANDO: