Confira aqui algumas dicas para economizar água em casa.

De acordo com a Agência Nacional de Águas, a ANA, foi registrado um percentual de utilização de água que atingiu, no ano de 2017, o total de 2.083 m³/s. Estes dados estatísticos indicam que a maior parte desse recurso hídrico foi utilizado em irrigação, ou seja, 52%. Com relação ao abastecimento humano a marca atingiu 23,8%, sendo que 9,1% foram utilizados nas indústrias. Os demais registros deste órgão indicam o abastecimento dos animais, com 8,0%; das termelétricas, com 3,8%, o necessário suprimento rural, com 1,7% e o setor de mineração, com 1,6%.

O que está registrado no Banco Mundial indica que há um desequilíbrio na distribuição de água no Brasil. O último relatório apresenta um histórico de que 82,5% dos brasileiros são beneficiados com água potável, embora somente 43% do total de domicílios disponham de vasos sanitários diretamente conectados às redes de esgoto.

Portanto, economizar água e utiliza-la com inteligência é fundamental, já que o Brasil contém um quinto das reservas hídricas em todo o mundo. Abaixo seguem algumas dicas para utilização de água de modo econômico em casa:

A – Prestar muita atenção no momento de disparar a descarga. Cerca de um terço da água (da caixa de água) de cada casa é utilizado na descarga. Deste modo, estar atento e poder regular o registro deste sistema, de modo que não haja excesso. A melhor opção está na descarga munida de duplo acionamento, dado que se trata de um mecanismo é fracionado capaz de dividir a quantidade de água, em litros, que são utilizados todos os dias, para evitar desperdício.

B – Outra excelente opção está na instalação do arejador na torneira. Este dispositivo funciona de modo a evitar desperdício de água, por exemplo, na hora de lavar louças. O mecanismo faz com que o ar flua junto da água de modo a minguar o fluxo, porém, mantendo a quantidade necessária para utilização.

C – Para quem pode, pode ser um dos melhores recursos a captação de água da chuva. Este empreendimento permite ao consumidor criar um reservatório extra que poderá ser utilizado para jardim; lavar o carro; os pisos e as paredes, proporcionando uma economia assombrosa de água na caixa. Este tipo de captação pode ser realizado por meio de cisternas, que recebem as águas pelas calhas e a armazenam em diversos barris.

D – A hora do banho é essencial, porém, gasta muita água. Uma das alternativas está nos chamados chuveiros sustentáveis. Existem modelos são os de baixo fluxo, que proporcionam economia de até 50% de água. Outra opção está na aquisição de um redutor de vazão.

E – Embora pareça estranho, especialistas recomendam a criação de sabão caseiro à base de óleo. Dado que o típico óleo de cozinha não pode ser descartado na pia, ou no lixo orgânico comum, pois pode prejudicar perigosamente o meio ambiente. Este resíduo compromete muito todo o sistema de encanamento, como também pode poluir até um milhão de litros de água. Desastroso e perigoso.

F – Organizar-se de modo a pode reutilizar a água na máquina de lavar roupas, por exemplo. Dado que toda a água utilizada no enxágue das máquinas de lavar mantém um potencial de higienização, devido à presença de amaciante e de sabão, podendo, deste modo, ser utilizada na limpeza de chão, da casa e ou mesmo para se deixar outras peças de indumentária em molho.

G – Toda pessoa que possui um bom jardim e cultiva diversos tipos de vegetais, deve conhecer bem as variadas condições climáticas brasileiras, durante o ano. São necessários cuidados especiais para cada espécie de planta. A grande dica está em optar pelas espécies que podem melhor adaptar-se a uma dada região. Por conseguinte, toda utilização de água para irrigação se dará de modo equilibrado.

Paulo Henrique dos Santos


Não apenas a conta de luz teve alteração nos valores. As tarifas de água também constam na lista dos serviços que sofrerão aumento, e isso ocorre não apenas para diminuir o consumo, assim como acontece em São Paulo.

Conforme informações do Banco Central prevê-se um aumento de 27,6% na conta de energia em 2015. Com o aumento desta conta, as empresas de saneamento sofrem também grande impacto nas suas operações. Até o ano passado, os fornecedores de água absorviam essa diferença de custos, porém, agora começará a pesar também no bolso dos consumidores.

Em Campinas (SP), os consumidores já sentirão em fevereiro aumento na conta de água em 11,98%, em 2014 já havia ocorrido aumento de 6,63%. No Distrito Federal a diferença é ainda maior, ocorrerá reajuste de 16,20% no mês de março, em 2014 o aumento foi de 7,39%.

Há cidades em que os fornecedores de água ainda estão avaliando o impacto do gasto com energia, como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Após a avaliação será divulgado o aumento nas tarifas ao consumidor. Lembrando que em novembro de 2014, a Sabesp reajustou a conta de água em 6,49%, aumento que não levou em consideração o aumento no custo com energia. Em Belo Horizonte, os impactos na conta de água deverão ser sentidos a partir do mês de maio. Em Pernambuco o reajuste passa vigorar em 17 de fevereiro, inicialmente o impacto seria de 6,5%, porém, devido ao aumento da luz considerado desproporcional, a Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) está reavaliando valores.

Gastos dos fornecedores de água:

Os gastos com energia figuram na 2ª colocação de maiores despesas das empresas de saneamento, ficando atrás apenas dos gastos com folha de pagamento. Cerca de 20% dos recursos das empresas são utilizados para quitar a conta de luz. Os vencimentos dos colaboradores ficam em 40%. 

Por Rafaela Fusieger

?gua





CONTINUE NAVEGANDO: