Saiba aqui como fazer para tirar o CPF de crianças menores de idade.

Sabemos que hoje em dia o CPF é um documento essencial, e é exigido em muitas áreas mesmo para as crianças, na saúde e até nas escolas no ato da matrícula. Por esse motivo é importante estar tirando o exemplar da criança esteja ela com qualquer idade.

O CPF está sendo exigido também a partir de 2018 para incluir como dependente em imposto de renda, além de obrigatório na abertura de contas.

Os jovens a partir de 16 anos que já possuírem título de eleitor pode tirar seu exemplar pela internet, mesmo de forma totalmente gratuita. Já para menores que ainda não possuem a idade mínima para votar, tem que ser via agência de Correios, Bancos da Caixa e Banco do Brasil. E será cobrado uma taxa para a execução do serviço prestado.

Para menores de 16 anos os documentos exigidos são: Certidão de Nascimento ou Casamento, documento para identificação que possua foto, documento que possua foto do solicitante seja pai ou responsável legal pela criança, se o solicitante for o próprio pai o documento com foto da criança pode ser substituído pela certidão de nascimento.

Se você é pai ou responsável legal de uma criança que ainda não possui o CPF, não perca tempo e corra até a agência dos Correios mais próxima ou uma das agências bancárias correspondentes e emita o CPF de sua criança, hoje um documento totalmente importante para muitos fins de nossa sociedade.

Nas escolas do Estado de São Paulo é obrigatório a apresentação do documento no ato da matrícula da criança, pois seu número vai nos dados do sistema, então a partir do 6º ano a criança deverá conter o título de eleitor junto aos demais documentos. Muitos pais são pegos de surpresa no ato da matrícula e isso acaba dificultando a efetivação da matrícula, fazendo com que o pai tenha que correr atrás do documento antes mesmo de efetivá–la. Por esse motivo, se você reside no estado de São Paulo e ainda não tirou o documento do seu filho, não perca tempo para não ser pego de surpresa quando for fazer ou renovar a matrícula do seu filho na escola.

Se você já tiver o CPF antes mesmo de emitir o RG ainda terá a possibilidade de incorporar o número na cédula de identidade facilitando assim o transporte onde não precisará carregar os dois documentos apenas o RG.

É importante lembrar também que os jovens com mais de 18 anos que por algum motivo ainda não tiraram o documento precisarão obrigatoriamente apresentar o título de eleitor ou o comprovante de alistamento eleitoral provando assim por sua vez que está em dia com as obrigações eleitorais.

Em alguns estados brasileiros existem programas que isentam a taxa que precisa ser paga para emissão do documento procure se informar nas assistências sociais de sua cidade para saber se no seu município existe algum programa social para auxiliar no pagamento da taxa.

Hoje a facilidade de emissão do documento é muito além das expectativas, portanto não há desculpas para demorar ou deixar de ir atrás de tirar o documento do seu filho em muitos casos nem pagar a taxa você precisará, por isso vá atrás hoje mesmo se você ainda não pediu a expedição do CPF do seu filho.

Espero que de alguma forma esse artigo possa te ajudar a te instruir e motivar para que possa ir atrás de fazer o CPF do seu filho para que assim todas as crianças possam estar regularizadas assim com o Cadastro de Pessoa Física nacional podendo assim facilitar o governo e suas instituições pública para futuros cadastros seja o mais simples até como um posto de saúde próximo a sua residência ou a matrícula escolar.

Ricardo Ferreira Rodrigues


Veja aqui o passo a passo para tirar o seu E-Título.

A tecnologia está chegando um pouco mais longe e as eleições deste ano irão ter uma novidade, o seu título de eleitor digital em seu smartphone.

Mais um serviço público que está se modernizando e vários setores estão passando por diversas mudanças e uma das mais recentes é o lançamento do e-título, divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 1º de dezembro de 2017.

A iniciativa foi promovida pelo Tribunal Regional do Acre (TRE-AC), que foi muito bem aceita pelo TSE e estas mudanças serão adotadas em todo país. Quer entender como funciona o título de eleitor digital? O que você deve fazer para instalar em seu celular?

Continue lendo este texto e entenda como você deve proceder para receber seu título de eleitor digital em seu smartphone e ter muito mais segurança e praticidade na hora de votar.

Sustentabilidade e menos papel

Um dos pontos positivos desta iniciativa é a economia. A alteração é uma alternativa para diminuição da emissão de títulos eleitorais impressos, uma redução de custos para a Justiça Eleitoral.

Serão muitas vantagens em relação a emissão de segunda via de títulos perdidos, bem como suprimentos de impressora entre outros detalhes.

A vantagem para o eleitor é a segurança dos seus dados eleitorais, maior disponibilidade e a diminuição dos riscos de perda e danos por conta dos extravios.

Segundo a Justiça Eleitoral, o avanço da tecnologia proporcionará uma grande economia aos cofres públicos, maior sustentabilidade e utilização eficiente dos recursos.

Como vai funcionar o e-título

Para conseguir ter o e-título e acessar seu título de eleitor digital, será necessário baixar o aplicativo que está disponível nas lojas Google Play em smartphones com sistema Android e também na App Store da Apple para celulares com sistema iOS.

Após efetuar o download do aplicativo e-título, será necessário inserir o número do título, seu nome, além dos nomes da mãe e pai, incluindo também a data de seu nascimento. Inserindo seus dados o app irá validar e liberar seus dados para votação no dia das eleições.

Quando o aplicativo for utilizado pela primeira vez, o título digital ficará armazenado localmente em seu aparelho e disponível para o uso do documento.

Quais são as novidades em relação ao título impresso

Além do fator da economia, as novidades em relação ao título tradicional impresso, a versão digital possui a foto do eleitor para que seja identificado na hora da votação.

No entanto, esta versão digital com foto valerá apenas para aquelas pessoas que já fizeram o recadastramento biométrico que no ato da captura dos seus dados é tirado também a foto para melhorar a identificação e segurança para as eleições.

Estas novidades não interferem em nada o eleitor que não fez ainda o recadastramento, baixar o aplicativo, porém, para que sua votação seja concluída será preciso apresentar um documento com foto para sua identificação.

QR Code e Segurança

O título de eleitor digital segundo a secretária de Tecnologia da Informação do Tribunal Regional do Acre, teve seu desenvolvimento em uma plataforma híbrida, ou seja, aparelhos com sistema Android ou iOS poderão fazer o download do aplicativo eleitoral.

Após o usuário eleitor informar seus dados no aplicativo, ele confirma e configura o seu acesso, você recebe informações referentes a sua quitação eleitoral, caso houver alguma pendência, será possível saber, inclusive o app fornece um QR Code que será utilizado para validação das informações que são fornecidas pela Justiça Eleitoral.

O aplicativo foi desenvolvido sem custos para os tribunais regional e superior, com o passar do tempo novas melhorias poderão surgir e os usuários que estiverem com o app eleitoral instalado em seu smartphone receberão as notificações de possíveis atualizações e novas funcionalidades.

Veja o vídeo que foi disponibilizado no Youtube pela Justiça Eleitoral para entender e ilustrar melhor o funcionamento do aplicativo, acesse: http://bit.ly/video-etitulo.

Marcio Ferraz


Saiba aqui como declarar imóveis e veículos em seu Imposto de Renda.

O Imposto de Renda é um imposto federal que é cobrado para todos aqueles que possuem renda mensal acima do estabelecido pela Receita Federal. Ele deve ser declarado uma vez ao ano, geralmente entre os meses de março e abril, em seguida é realizado um cálculo com as informações declaradas para informar se o contribuinte realizou mais ou menos pagamentos de impostos do que deveria ter feito. Caso tenha realizado menos pagamentos de impostos, o contribuinte pode receber um tipo de estorno.

A partir do ano de 2019, será obrigatória a inclusão de algumas informações adicionais sobre os bens possuídos pelas pessoas que contribuem para o Imposto de Renda. A Receita Federal já divulgou em seu programa as novas informações que serão necessárias para o preenchimento da declaração do Imposto de Renda.

Para o ano de 2018 estas exigências ainda são opcionais, mas algo que é unânime é que elas tornaram mais complicado o preenchimento da declaração desses bens. Porém, no caso dos veículos basta, somente informar o número do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) que se encontra no documento do próprio veículo.

Para a declaração de imóveis serão necessárias mais informações, como, por exemplo, registro em cartório, área total do imóvel, inscrição municipal, etc. Veja a seguir como encontrar os dados para declarar imóveis:

Inscrição Municipal e Área Total

Devido à obrigatoriedade desta informação, a partir do ano que vem o contribuinte irá precisar incluir em sua declaração um número de inscrição municipal de seu imóvel, encontrado no boleto do IPTU, junto com a data de aquisição do bem.

Além disso, o programa virá a perguntar sobre a área total do imóvel, que se encontra na escritura do bem e pode ser informada em metros quadrados ou hectares. Caso haja controvérsia em relação à área, informe o que consta no cartório.

Ficha de bens e direitos

Para todo imóvel, até mesmo os financiados, é exigido o preenchimento, na área sobre os rendimentos da pessoa física, da ficha de bens e direitos. Para isso, basta somente selecionar o tipo de bem com seu número correspondente (o número será disponibilizado pela Receita Federal na ficha).

Valor do imóvel

É necessário informar apenas o valor da aquisição do seu bem. Portanto, por mais que sejam realizadas reformas e que seja mudado o valor do imóvel no mercado, a declaração do valor do imóvel deve ser imutável, com exceção das melhorias realizadas e comprovadas com recibos no próprio bem.

Registro em cartório do imóvel e da vaga de garagem

O programa irá questionar se o imóvel é registrado no cartório, caso a resposta seja afirmativa, será aberto um novo campo para que o contribuinte preencha o nome do cartório em que o imóvel possui registro. Em caso de resposta negativa, o campo aberto será para o preenchimento de um número de registro, como, por exemplo, o número do contrato de compra e venda ou qualquer outro documento que possua a assinatura do comprador e vendedor.

Também, a partir deste ano, será necessária a declaração de vagas de garagem dos apartamentos que possuem registros em cartório. Como não há detalhes claros sobre a declaração da vaga de garagem, os especialistas deduzem que pode ser possível declarar a vaga de garagem separadamente, como um bem.

Ou então, é possível informar o valor total do imóvel, junto com a garagem e na seção da garagem, deixa o valor como zero, explicando a situação no campo da descrição. Embora haja especialistas que acreditam que não seja necessária a separação da declaração da garagem com a do imóvel, bastando apenas informar o registro e a inscrição municipal da garagem na descrição do apartamento.

Para mais informações, consulte o site da Receita Federal ou se informe em um escritório de contabilidade de sua confiança.

Aurenivia Alves Pereira


Saiba todas as mudanças nas regras de utilização do cartão de débito e suas facilidades.

O BC (Banco Central) divulgou para todo o Brasil três circulares acerca do assunto nesta segunda-feira, dia 26 de março. E ainda abriu três CPs (consultas públicas) para facilitar o aumento do uso de pagamentos eletrônicos (obviamente incluindo o cartão de débito na lista) no Brasil, dessa forma aumentará a escala e potencializará os custos menores para quem utiliza tais formas de pagamento.

Além disso, o Banco Central deseja ampliar a competitividade entre o setor envolvido no assunto em geral, de forma a aumentar o incentivo de inovações relacionadas aos pagamentos eletrônicos e também garantir o acesso de infraestruturas para os novos integrantes da área.

Sobre as novidades e inovações

Saiba mais sobre as inovações e mudanças propostas pelo BC recorrentes na utilização dos cartões de débito brasileiros.

Tais mudanças foram discutidas desde o final do ano passado (2017), e segundo especialistas do assunto, elas já estavam para sair desde algum tempo atrás. Porém as especulações não sabiam ao certo se o piso sairia para a taxa de desconto (a MDR) ou se sairia para a tarifa de intercâmbio.

Criação de teto para tarifas de intercâmbios

Advinda da circular 3.887, a mudança passa a valer a partir do dia 1º de outubro do ano de 2018. Essa inovação limita a taxa de intercâmbio média de cartões de débitos para 0,50% a partir do valor de transação. A circular também limitou o valor máximo dessa tarifa de intercâmbio para cartões de débito para 0,80%.

Em nota, o Banco Central assegurou que essa regulação da tarifa aplicada aos cartões de débito em momento de intercâmbio é aplicada também em caráter internacional.

Sobre o estímulo diante do uso do cartão de débito

Segundo informações do correspondente do Banco Central, durante os últimos oito anos a taxa de intercâmbio aplicada nos cartões de débito aumentou sua porcentagem de 0,79% para 0,82% da totalidade da transação bancária, enquanto isso, a taxa correspondente ao desconto caiu. A porcentagem correspondente foi de 1,60% da transação bancária para 1,45%.

Para que haja uma garantia de que tenham descontos nos adicionais tarifais, o Banco Central tomou a decisão de limitar as tarifas de intercâmbio.

Segundo o Banco Central brasileiro, de acordo com as expectativas, essa redução das tarifas adicionais no cenário de intercâmbio seja totalmente repassada do credenciador para o comércio respectivo a compra e, a partir daí essa taxa seja passada ao consumidor, por meio da diferenciação de preços e também pela concorrência.

O correspondente do BC afirmou em entrevista que quanto maior for a utilização dos cartões de débito para compras e pagamentos gerais e de cartões de crédito como utilizador de crédito, maior será o potencial de redução dos ditos subsídios cruzados.

Sobre a simplificação

Dentro do conjunto de medidas divulgadas pelo Banco Central está a “simplificação do processo de autorização dos arranjos de pagamento”. Segundo o correspondente oficial do BC, a entrada, que foi prevista para o dia 28 de setembro de 2018, na liquidação centralizada para quem é sub credenciador, passou, diante das mudanças ocorridas, a ser obrigatória apenas para quem possui um giro anual superior a R$ 500 milhões. Esses representantes comerciais são sinônimo de cerca de 90% desse mercado. Os sub credenciadores representam uma espécie de ponte de ligação entre o comerciante (quem vende o produto) e os credenciadores de cartão (empresas que possuem as maquininhas de cartão).

Para que haja o incentivo para a entrada de outros e novos concorrentes, também para que a inovação não pare e também para que o desenvolvimento de novos produtos não cesse, o Banco Central exigirá previamente autorização apenas de quem emite moedas eletrônicas, de quem emite instrumentos de pagamento estilo “pós-pago” ou dos que credenciam e possuem giro anual maior que R$ 500 milhões. Os demais estarão dispensados da necessidade de autorização prévia.

Por Carolina B.

Cartão de débito


Declarações devem ser enviadas entre o dia 1º de março e 30 de abril de 2018.

Se você já sabe que deve declarar o Imposto de Renda, nesta última segunda-feira, dia 26 do mês de fevereiro, a Receita Federal liberou em seu site o programa que gera o Imposto De Renda do ano de 2018, cujo ano-base é 2017.

Assim, para realizar a declaração do imposto o contribuinte deve baixar o programa, embora o programa já esteja disponível para download, o envio da documentação só poderá ser feita a partir do dia 1º do mês de março, próxima quinta-feira.

Os declarantes terão até o dia 30 do mês de abril para enviar ao Fisco a sua declaração. Dessa forma, as empresas empregadoras terão até o dia 28 do mês de fevereiro para entregar os comprovantes de rendimentos do ano de 2017 aos seus funcionários, para que estes possam realizar a suas declarações, caso se enquadrem nos requisitos.

Como se pode notar, o prazo para envio da declaração é relativamente bom, porém, aquele contribuinte que enviar sua declaração no início do prazo estipulado, que não haja erros, inconsistências ou ainda omissões, devem receber mais cedo a restituição do IR, caso tenha direito a ela.

Contribuintes que sejam portadores de alguma doença grave, idosos e deficientes mentais ou físicos terão prioridade.

A previsão é de que as restituições comecem a ser pagas no mês de junho e se encerrem no mês de dezembro, contudo, as restituições são pagas àqueles que não forem pegos pela malha fria.

É importante que quem possui a obrigação de fazer a declaração a faça , pois quem não fizer terá que pagar uma multa, cujo valor mínimo é de R$165,74 e o valor máximo pode corresponder a 20% do valor total do imposto a ser declarado.

Para o ano de 2018 a expectativa da Receita Federal é de que seja enviado o total de 28,8 milhões de declarações, número este que supera o do ano de 2017. No ano de 2017 foram entregues 28,5 milhões de declarações.

Muitos contribuintes veem a Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física como um problema, ou aborrecimento, já que é uma extensa documentação a ser preenchida e enviada. Contudo, desde o ano passado, acompanhando o avanço tecnológico atual, a Receita Federal disponibilizou o programa cujo intuito era facilitar esse preenchimento e por fim o envio da documentação.

Quem já possui o programa baixado em seu computador, tablet ou smartphone não precisará baixá-lo novamente, basta atualizá-lo.

Já quem não possui o programa, basta acessar o site da Receita Federal e fazer o download do programa que foi chamado de Meu Imposto de Renda.

Uma das vantagens desse programa, além da comodidade para realizar a declaração é que em caso de erros, é possível fazer a retificação mesmo que a documentação já tenha sido enviada, contanto que isso seja realizado dentro do prazo estipulado para envio.

Se você ainda tem dúvidas se deve ou não fazer a Declaração do Imposto de Renda, veja abaixo quem tem a obrigação e declarar:

– Quem no ano de 2017 teve rendimentos tributáveis com valor superior aR$ 28.559,70;

– Quem no ano de 2017 teve rendimentos tributados ou não tributados na fonte ou isentos, cujo valor seja maior que R$ 40 mil;

– Quem em um mês qualquer do ano de 2017 teve ganho de capital por meio de alienação de direitos ou bens, ou que fez operações na bolsa de valores ou de mercadorias;

– Quem que por meio de atividade rural obteve uma receita bruta cujo valor seja maior que R$ 142.798,50;

– Quem que até o dia 31 do mês de dezembro teve a propriedade de direitos ou bens cujo valor é maior que R$ 300 mil;

– Quem passou a morar no Brasil no ano de 2017 e permaneceu até o dia 31 do mês de dezembro.

Não deixe para fazer a sua Declaração na última hora, faça o download do programa e envie ao Fisco com antecedência.

Acesse o site da Receita Federal e saiba mais sobre o IRPF.

Sirlene Montes


O prazo para enviar a declaração começará no dia 1º de março (quinta-feira) e se estenderá até 30 de abril (segunda-feira).

Se você está se preparando para entregar a sua declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), saiba aqui detalhes sobre as previsões da Receita Federal do Brasil (RFB) para restituição do imposto referente aos rendimentos do exercício 2017. O prazo começa no dia 1º de março (quinta-feira) e você já pode fazer o download do programa Receitanet desde o dia 26 de fevereiro (segunda-feira). Veja mais informações a seguir.

Quem deve declarar?

A regra geral é que pensionistas, aposentados e trabalhadores que perceberam rendimentos tributáveis no valor mensal deR$ 1.903,98, o que corresponde a R$ 28.559,70 anual deve realizar a declaração. Outras situações são: contribuintes que exercem atividade rural e obteve renda bruta maior que R$ 142.798,50 em 2017; quem teve rendimentos não tributáveis no valor superior a R$ 40 mil, entre outros casos previstos pela RFB.

Como declarar?

Para realizar sua declaração de imposto de renda, é necessário utilizar o sistema da receita federal, Receitanet. Caso você já tenha baixado em seu computador, não precisa realizar o download novamente, basta que faça a atualização. Para isso, você deve clicar em "menu", em seguida, "ferramentas" e, depois, "verificar atualizações". Se ainda não o fez, acesse o site idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018/download.

Outro modo de realizar sua declaração é através do aplicativo em tablet e smartphone. Se preferir e tiver certificado digital, poderá optar pelo centro virtual de atendimento.

Prazos previstos pela RFB

O prazo para enviar a declaração começará no dia 1º de março (quinta-feira) e se estenderá até 30 de abril (segunda-feira). Aqueles que passarem dessa data deverão pagar multa de até 20% em cima do valor do imposto. Isso corresponde a, no mínimo, R$ 165,74. Essa multa incidirá a partir do dia 2 de maio (quarta-feira) até a data de entrega da declaração.

As empresas devem entregar o informe de rendimentos aos seus funcionários até o dia 28 de fevereiro (quarta-feira). Caso você não tenha recebido, dirija-se ao setor de recursos humanos, ou departamento pessoal para solicitar. Esse documento é essencial para você preencher as informações da declaração do IRPF.

A prioridade de receber no primeiro lote, previsto para o dia 15 de junho de 2018 (sexta-feira), é para pessoas com doenças graves, tanto físicas, quanto mentais, idosos e portadores de necessidades especiais (PNE). Agora, segundo determina a Lei nº 13.498 de 2017, professores compõem a lista prioritária. Quanto mais rápido você entregar seu documento à RFB, maiores são as chances de você ser restituído do imposto já nos lotes iniciais.

Confira o calendário de pagamento na sequência dos lotes: 16 de julho (segunda-feira), 15 de agosto (quarta-feira), 17 de setembro (segunda-feira), 15 de outubro (segunda-feira), 16 de novembro (sexta-feira) e 17 de dezembro (segunda-feira).

O valor será depositado na conta bancária indicada pelo contribuinte no momento da entrega da declaração. Esse montante pode ser sacado no período de até 1 ano.

Tabela do imposto de renda 2018

Em 2018, não houve mudança da alíquota por faixa de rendimento. Assim, os percentuais das cotas recebem entre 7,5% e 27,5%.

Sobre retificação

Caso você entregue a declaração até o dia 30 de abril, e somente depois, perceba que enviou com algum erro, poderá consertar com uma declaração retificadora, sem pagar qualquer valor de multa por isso. Nesse caso, a data da antiga documentação será desconsiderada e você perderá a prioridade, caso tenha se antecipado para receber nos primeiros lotes.

Imposto de Renda Pessoa Física 2018

A Receita Federal do Brasil informou que no ano de 2017, referente ao exercício de 2016, recebeu mais de 28,8 milhões de declarações. Para o ano de 2018, a instituição espera mais 340 mil documentos dos contribuintes.

Veja mais detalhes no site da Receita Federal do Brasil (idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018/download).

Por Melisse V.

IRPF 2018


Decreto autoriza menor aumento do Salário Mínimo desde a introdução do Plano Real.

Foi assinado nesta última sexta–feira, dia 29 de dezembro, pelo presidente Michel Temer, um decreto que reajusta o salário mínimo brasileiro, que passa para o valor de R$ 954 para o ano de 2018. Desse modo, quem recebia o valor de R$937, passará a receber a partir de janeiro de 2018 R$ 17 a mais.

Uma vez assinado o decreto, o documento que determina o valor do reajuste foi oficialmente publicado no Diário Oficial da União, passando a ter validade em todo o país a partir do dia 1º de janeiro. De acordo com um levantamento realizado pelo governo, em um período de 24 anos esse é o menor reajuste de salário que os brasileiros já receberam.

Aliás, esse valor também foi menor do que o próprio governo esperava. Já que durante os últimos meses várias estimativas surgiram inclusive uma em que o valor do mínimo seria de R$979, que acabou sendo diminuído para R$969 e parecia estar definido em R$965. Contudo, de acordo com os cálculos realizados pelo governo, esse aumento era inviável, uma vez que geraria muitos gastos para o governo, que desde o ano de 2016 tem enfrentado uma forte crise econômica, que vem de certa forma atingindo o país todo.

A assessoria de imprensa do governo informou que para cada um real que seja aumentado no salário mínimo os gastos anuais somam-se em mais de R$ 301,6 milhões, pois o número de brasileiros que recebem o salário mínimo, o que inclui pensionistas do INSS e aposentados, passa de 45 de milhões.

E diante de um quadro de crise o governo busca por uma economia no ano de 2018 de até R$ 3,3 bilhões, buscando ainda outras formas de diminuir seus gastos e manter certa estabilidade econômica.

Como o salário mínimo teve um reajuste de 1,81%, outros valores também foram reajustados, como o valor diário que foi para R$ 31,80 e o valor da hora que passa a ser de R$ 4,34.

Embora muitos valores tenham sido considerados para o salário mínimo de 2018, este valor é determinado baseado em um cálculo já utilizado há muito anos. Dessa forma, na hora de considerar o valor que será reajustado o mínimo, utiliza-se para o cálculo o valor do INPC, que é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que é a inflação referente ao ano anterior e que sempre é calculado pelo IBGE e também o valor do PIB, que é o Produto Interno Bruto dos dois últimos anos.

O resultado do PIB do ano de 2016 foi muito baixo, em decorrência da crise econômica do país e por isso não pode ser utilizado no cálculo. Sendo considerado para calcular o mínimo de 2018 apenas o valor do INPC.

Assim, até o mês de novembro deste ano o valor do INPC foi de 1,81%, mesmo percentual utilizado para o reajuste do mínimo de 2018.

O Dieese, que é o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do governo, afirma que esse reajuste está abaixo da variação do INPC de 2017, fato que não ocorria desde o ano de 2003. Mas o governo não teve outra opção a não ser esta, mas o ponto positivo nisso é de que o INPC apontou que a inflação durante o ano de 2017 esteve controlada, o que foi muito bom para os brasileiros que tiveram que enfrentar outros problemas como a falta de emprego. Se a inflação durante o ano for menor, principalmente no setor alimentício, o salário mínimo recebe um reajuste também menor.

Contudo, o resultado verdadeiro do INPC só será conhecido mesmo no mês de janeiro, de modo que esses 1,81% é apenas uma estimativa do governo, considerando os resultados até o mês de novembro.

Enfim, o salário mínimo brasileiro a partir do dia 1º de janeiro será no valor de R$954.

Sirlene Montes


Confira dicas de negócios lucrativos e promissores para o ano de 2018.

Diante de toda a crise que se estendeu sobre a vida econômica e política, no Brasil, as ideias criativas e as vocações para elaboração de negócios continuam a exercer suas funções. A história registra que os períodos de crise, entre guerras e pós-guerras, decadências nos sistemas políticos, por exemplo, foram os que mais despertaram as mentes mais inventivas e competentes. Aos poucos toda economia tende a se reerguer, exatamente como ocorre em tempos de processo inflacionário, nos quais o dinheiro chega ao máximo de desvalorização e precisa de nova moeda.

Assim, qualquer pessoa que tenha meios de investimento e alguma ideia concreta em mente, vale a pena apostar em empreendimentos mais baratos, criativos e muito originais. Existe uma relação de sete tipos de negócios que, se organizados de forma competente, rendem e muito, são eles:

Food Truck – este tipo de comércio consiste em um veículo atrativamente customizado e com adaptação de meios para elaborar, cozinhar e servir pratos e ou bebidas de produção autônoma. É um negócio móvel, que pode estacionar em locais estratégicos, de grande circulação de pessoas. Hoje o ramo de fast food está em alta, sobretudo nas grandes cidades. Vale a dica de oferecer ao público pratos saudáveis, finos e mais baratos.

Marketing Digital – na atualidade o universo digital veio para ficar. Desde as redes sociais mais famosas, como o Facebbok, até as mais particulares, ou canais de youtube, todas constituem meios de comunicação quase obrigatórios para quem deseja estar inteirado com a realidade do mundo. Marketing digital consiste em uma série de trabalhos realizados em alguma empresa, por alguma marca ou mesmo por algum empreendedor particular, que passam horas elaborando ambientes digitais atrativos para diversos negócios, no sentido de impulsionar empreendimentos em todos os setores econômicos e culturais. Em geral é um investimento de menor custo diante da mídia tradicional.

E-Commerce –está entre as melhores alternativas lucrativas atualmente. Já que existe uma série de fraudes e golpes aplicados por meio de falsos sites na internet. Este é um meio seguro, sobretudo porque pode ser compartilhado por Whatssapp entre familiares e amigos que vão indicando uns aos outros o serviço. É importante recorrer aos serviços de pessoas especializadas em desenvolvimento de sites, marketing digital, para a elaboração de uma página de bom visual e segura, que faça uma atrativa propaganda de produtos.

Doces para Festas – este é um dos mais tradicionais e eficientes ramos de empreendimento autônomo. Durante todo o ano são diversos eventos ocorrendo entre festas de aniversários, casamentos, datas comemorativas, sobretudo no final do ano, com as festas de Natal e ano novo. Nos últimos anos, o ramo de produção e venda de doces e outros tipos de alimentos refinados tornou-se um dos negócios mais lucrativos, com baixo investimento.

Bebidas Funcionais – nestes tempos em que existe grande preocupação com a saúde, e os alimentos estilo fitness estão em alta, o ramo de bebidas funcionais tem grande chance de dar excelente resultado, já que um empreendimento deste tipo exige práticas inovadoras que instiguem a curiosidade. Bebidas funcionais precisam ser elaboradas com muito cuidado e responsabilidade, proporcionando um organismo revitalizado.

Cosméticos Especiais – este é outro ramo tradicional que nunca perece. O comércio de cosméticos pode ser realizado tanto via internet, quanto pessoalmente. Está entre os que mais dão lucro, sendo que existe um mercado oficial já saturado, abrindo a oportunidade de trabalhar com cosméticos alternativos ou artesanais, tais como os orgânicos ou dermocosméticos, que precisam ser usados ou indicados por profissionais do ramo.

Beleza e Estética – este é outro ramo de atuação autônomo que está entre os que mais lucram, sobretudo em datas de festas e eventos. Em geral, o público feminino não abre mão de seus cuidados pessoais e da beleza, sempre há espaço para cuidar do visual. Os homens também estão nesse público. Portanto, um salão de beleza ou uma barbearia são excelentes meios de renda e de negócios que sempre tem grande demanda. É importante investir em um atrativo e elegante destaque para fazer frente à concorrência.

Por Paulo Henrique dos Santos

Negócios


O saque do Pis-Pasep referente ao ano-base 2015 tem o prazo final o dia 28 do mês de dezembro.

Atenção trabalhador brasileiro. Se você trabalhou no ano de 2015 com carteira profissional assinada e ainda não fez o saque do seu PIS/Pasep, fique atento porque o prazo termina no próximo mês de dezembro. Verifique se você possui direito ao benefício e não perca o benefício.

Na última terça-feira, dia 28 do mês de novembro, foi anunciado pelo Ministério do Trabalho o último prazo para sacar o benefício do PIS/Pasep do ano-base 2015.

De acordo com essa informação os trabalhadores que possuem o direito a esse abono salarial cujo ano – base é 2015, têm até o dia 28 do mês de dezembro para comparecerem a uma agencia bancária e realizar o saque do benefício.

Ou seja, restam menos de trinta dias para a retirada do benefício, sendo que quem não sacar seu saldo até esta data não terá mais a oportunidade de fazê-lo, perdendo assim seu benefício, pois o governo já anunciou que não haverá mais nenhum prazo de prorrogação para saques.

De acordo com informações do Ministério do Trabalho, cerca de 1,42 milhão de trabalhadores brasileiros ainda não sacaram seu saldo, o que representa um número bastante alto.

Dessa forma, encontram-se ainda nos cofres públicos um total de R$ 990 milhões para o pagamento do benefício do PIS/PASEP 2015. Os saques serão de valores entre R$79 e R$937, o que é determinado pelo tempo em que o cidadão exerceu atividades em empresa privada ou no setor público.

Desse montante ainda disponível para saque, metade será disponibilizada para a região Sudeste do país, sendo os estados que têm mais saques a fazer, o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Assim, se você no ano de 2015 trabalhou na iniciativa privada e ainda não realizou o saque de seu benefício, compareça a uma agência da Caixa Econômica Federal ou vá a uma casa lotérica. Agora se você no ano de 2015 trabalhou como servidor público, seu benefício poderá ser sacado em uma agência do Banco do Brasil.

Para sacar seu benefício é preciso estar com um documento de identificação, o cartão cidadão e sua respectiva senha.

Se você ainda tem dúvidas se possui ou não o direito ao abono salarial do PIS/Pasep ano-base 2015, veja se você se enquadra em alguns quesitos.

– É preciso ter prestado serviços com a carteira profissional devidamente registrada pelo período mínimo de 30 dias no ano de 2015;

– No período em que trabalhou formalmente é preciso ter recebido uma remuneração mensal de no máximo dois salários mínimos vigentes;

– O trabalhador também precisa possuir inscrição no PIS, que é o Programa de Integração Social, ou no Pasep que é Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público, pelo período mínimo de cinco anos.

Se sua situação atende aos requisitos citados acima consulte a sua situação no site do Ministério do trabalho no endereço http://verificasd.mtb.gov.br/abono. Para a realização da consulta é necessário preencher um campo com a data do seu nascimento e número de CPF ou de Inscrição no PIS/Pasep.

Também é possível fazer esta consulta através do número do Alô Trabalho, que é 158 ou pessoalmente em um agencia bancária.

A caixa também disponibiliza um número de telefone para que os beneficiários possam obter informações sobre o PIS, basta ligar para 0800-726 02 07.

Já o Banco do Brasil disponibiliza o número 0800-729 00 para os beneficiários do Pasep.

Verifique a sua situação e se possuir direito ao abono salarial do PIS/Pasep não deixe de procurar uma agência bancária e realizar o seu saque. O benefício do PIS/Pasep é um direito do trabalhador, por isso faça valer o seu direito e garanta um extra para o final do ano. Fique atento ao prazo.

Por Sirlene Montes

PIS


Veja aqui o calendário de pagamento da Aposentadoria e Pensão em 2018.

O número de pessoas que dependem do Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, é muito grande. Sejam pessoas que recebem aposentadorias ou que são pensionistas, qualquer anúncio feito pelo órgão é muito importante. Pois, afeta diretamente milhões de brasileiros. E o último anúncio do INSS foi referente as datas com os pagamentos do ano de 2018. O calendário foi divulgado no dia 16 de novembro de 2017, no endereço eletrônico do INSS, para que qualquer pessoa possa verificar todas as informações.

Há alguns anos o Instituto Nacional do Seguro Social é o responsável por fazer pagamentos para pessoas que são aposentadas e outros indivíduos que por algum motivo recebem uma pensão sejam por algum parente falecido ou por outro motivo. Com isso, o INSS criou uma série de regras para estabelecer esses pagamentos para que eles aconteçam de forma correta e não cause nenhum problema. Esses requisitos vêm sendo seguidos há anos e para o pagamento de 2018, essa regras estão valendo. O cronograma funciona da seguinte maneira, confira:

– As primeiras pessoas que recebem os pagamentos, são os indivíduos que ganham o piso da previdência no período dos últimos cinco dias úteis do mês.

– Já para quem recebe um valor acima do mínimo da previdência, o pagamento vai acontecer nos primeiros cinco dias úteis do mês. Em qualquer um dos dois casos citados, caso aconteça do pagamento do INSS acontecer em uma data que seja um feriado, o pagamento será feito no dia seguinte, quando for um dia útil.

No próximo ano, os pagamentos vão ser iniciados no dia 25 de janeiro, data reservada para os segurados que recebem até o piso da previdência e o pagamento vai ser encerrado em 07 de fevereiro, data para quem recebe acima do teto imposto pelo órgão.

Se você é aposentado ou pensionista do INSS e quer saber o dia em que você vai poder sacar o seu benefício, é muito simples, basta: conferir o último número do cartão cedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social, retirando o último dígito (o número que parece depois do traço).

Criado pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social, órgão ligado ao Governo Federal do Brasil, o Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, foi criado no ano de 1990, com o intuito de regularizar a situação dos contribuintes em diferentes casos. Seja eles para aposentados, pensionistas, beneficiários, dentre outros. Com os diferentes governos que já comandaram o país, ao longo desses 27 anos desde a sua criação, as regras de aposentadoria foram mudando ao longo do tempo. Nos dias atuais, existem diferentes leis para se dar entrada no pedido de aposentadoria. Como por meio de tempo de contribuição e pela idade, isso varia de caso para caso. Então, quando uma pessoa desejar averiguar como está a sua situação, ela deve ir a uma agência do INSS e marcar uma consulta para verificar o seu caso.

Se você quiser conferir o calendário informando corretamente as datas com os pagamentos, acesse o endereço eletrônico do Instituto Nacional do Seguro Social, através do seguinte link: https://portal.inss.gov.br/. O calendário vai aparecer de cara na página principal. Caso você não consiga acessar o portal da previdência, existem mais dois sites que você pode fazer essa consulta. O primeiro é o recém lançado site da Previdência Social, que é o: http://www.previdencia.gov.br/. Basta rolar a página, na parte de notícias você encontra o cronograma. Por fim, a terceira maneira é através deste link direto do site da Previdência Social: http://www.previdencia.gov.br/. Não deixe de conferir essas informações, para saber exatamente que dia você vai poder sacar o seu benefício. Em caso de qualquer dúvida entre em contato com o Instituto Nacional do Seguro Social, através do seguinte número de telefone: 135. Lembrando que o atendimento pela ouvidoria do INSS está disponível de segunda – feira a sábado, das 7:00 horas até às 22:00 horas. Boa sorte!

Isabela Castro.





CONTINUE NAVEGANDO: