Dinheiro esquecido e a burocracia para o resgate


Não faz muito tempo que foi divulgado que os brasileiros poderiam resgatar quantias em dinheiro que estivessem esquecidas em contas bancárias antigas. Assim, muitas pessoas se interessaram por saber o que precisavam fazer para saber onde estava este dinheiro e para ter acesso a ele. Logo, várias pessoas correram para o Banco Central na expectativa de encontra-lo.


Entretanto, devido ao volume de visitas recebido pelo sistema estabelecido pelo BCen, em um primeiro momento, foi impossível dar conta de todos os acessos e o banco precisou pausar a medida para conseguir ajustar os aspectos técnicos e, então, dar continuidade a este processo. Assim, muitas pessoas ficaram ansiosas e quando finalmente o sistema foi liberado, elas se sentiram frustradas com o que encontraram em termos de dinheiro.


Isso acontece porque os trabalhadores precisam passar por um processo que envolve muita burocracia e pode se tornar extremamente cansativo. Quando essas questões se somam ao fato de que, no fim, eles não têm grandes quantias para receber, a frustração é potencializada.


De acordo com as informações divulgadas sobre isso, um dos passos obrigatórios para sacar o dinheiro é ter uma conta do nível ouro ou prata no site do Governo Federal. As categorias em questão são feitas conforme o Governo, devido às medidas de segurança necessárias. O objetivo é assegurar proteção aos usuários, mas isso acaba por dificultar o saque do dinheiro.


Além disso, vale ressaltar que o site apresenta alguns erros no que se refere ao processo de migração das categorias. Assim, vários usuários chegaram a relatar que, em determinados momentos, eles simplesmente ficaram presos em uma espécie de limbo, visto que não conseguiram concluir os procedimentos obrigatórios para o saque.

O caso se tornou ainda mais surpreendente, do ponto de vista negativo. Na ocasião citada, as pessoas encontraram saldos de apenas alguns centavos e, em cenários mais otimistas, de algumas dezenas de reais. Embora no atual cenário econômico qualquer quantia seja bem vinda, encontrar valores baixos depois de passar por um processo extremamente desgastante para conseguir acessa-lo é algo frustrante.

Portanto, a falta de transparência do processo foi algo que acabou se tornando incômodo para muitas pessoas. Desse modo, alguns apontam que se ainda nos primeiros momentos o Banco Central simplesmente informasse quanto cada trabalhador possui disponível para saque, isso pouparia o tempo de passar por todo o processo para descobrir que não valeria a pena se empenhar no fim das contas. Além disso, representaria um alívio para o sistema, visto que menos pessoas estariam tentando simultaneamente acessar os seus valores.

Caso você esteja interessado em verificar essas questões e ainda não saiba como fazer isso, vale ressaltar que atualmente o processo passou por algumas simplificações e tudo isso pode ser feito de maneira mais rápida, sem a necessidade de preencher tantas informações ou fazer tantas migrações quanto citado anteriormente.

Assim, a primeira etapa é acessar o site do Banco Central criado especialmente para isso no endereço eletrônico valoresareceber.bcb.gov.br. Uma vez no site em questão, o usuário encontrará um espaço para preencher o seu CPF ou então o CNPJ de uma empresa que pode ter valores a receber. Posteriormente, o sistema fará uma verificação para procurar por saldo pendente em contas antigas e, então, você será informado se existe alguma quantia a receber. Além disso, o site informará a data de retorno para o recebimento de todo o dinheiro disponível.

Vale pontuar que as quantias disponíveis já começaram a ser liberadas pelo Governo Federal no dia 7 de março. Logo, se você ainda não sabe se tem algo para receber, procure checar o quanto antes para fazer a sua solicitação caso valha a pena sacar os valores que você encontrar disponíveis.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.