Empresa oferece autonomia a motoristas de aplicativo para definição de tarifa



Porto Alegre, RS 5/7/2021 – O Garupa App optou por trabalhar com o modelo de sócio operador que, em cada município, estabelece a tarifa em conjunto com o motorista considerando os custos

Aumento do combustível tem afetado fortemente os aplicativos de mobilidade urbana



Os reajustes da gasolina seguem impactando o bolso dos consumidores brasileiros. Pelo 13º mês seguido, o preço médio do combustível registrou variação positiva.
Em junho, o valor subiu 1,41% nos postos de combustíveis do país, com o litro sendo vendido a R$ 5,915 em média, de acordo com levantamento feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas. Segundo o estudo, nos primeiros seis meses de 2021, o preço da gasolina já subiu 25,48% no Brasil. As capitais do Rio de Janeiro (R$ 6,341) e do Acre (R$ 6,331) foram as que apresentaram maiores preços médios em junho. Já Manaus (R$ 5,301) e Curitiba (R$ 5,381) registraram os menores valores.

A notícia que assusta o consumidor, afeta fortemente os aplicativos de mobilidade urbana. “Enquanto o preço da gasolina não para de subir, o valor das tarifas de corrida segue o mesmo, ou seja, a equação, no final do mês, não fecha. E quem sai prejudicado são os motoristas, que, ao tentarem manter a remuneração – muitos dependem única e exclusivamente deste serviço para pagar as contas – se veem obrigados a dobrar as horas trabalhadas. O resultado é insatisfação e risco de prejudicar a saúde física e mental dos motoristas”, afirma o CEO do Garupa, Marcondes Trindade. O criador do aplicativo 100% brasileiro defende que o ajuste da tarifa é a melhor solução, visando a satisfação tanto do usuário, quanto do motorista. A empresa optou por trabalhar com o modelo de sócio operador, que, em cada município, estabelece a tarifa em conjunto com o motorista, considerando os valores de combustível, impostos e outros custos, que diferem de um lugar para o outro. “O sócio operador, junto com os motoristas, tem essa autonomia. Não é nada complexo. A questão é que essas multinacionais levam o dinheiro para fora do Brasil, então, elas não estão muito preocupadas com o ajuste da tarifa, pois, para elas, o preço do combustível não faz diferença. Diferentemente de empresas que são nascidas aqui, no Brasil, que compram, gastam e investem no país, pensando no desenvolvimento local”, declara o empreendedor.

Leia também:  Tributação na Bolsa: o que todo trader precisa saber


Em São Paulo já existem 26 sócios operando em 32 cidades, com 1894 motoristas cadastrados no Estado. Na Grande São Paulo são 409 motoristas atuando em oito cidades. Em 2019, eram 18 mil motoristas. Hoje, são mais de 46 mil, um crescimento de mais de 50%.

Operador de veículos pesados há mais de 10 anos em uma metalúrgica, Adilson Rodrigues Bueno, 40 anos, ingressou como motorista no Garupa em 2019, quando o aplicativo de mobilidade chegou a Charqueadas, no Rio Grande do Sul. Em meio à pandemia, encarou o desafio de se tornar sócio operador junto com outro colega motorista. “Eu antes, apenas dirigia. Hoje sou responsável por fazer o aplicativo funcionar e trabalho muito para alcançar meus objetivos”, comemora Bueno.

Motoristas aprovam modelo de negócio
O modelo de negócio é aprovado pelos motoristas do Garupa, que vêm nele a solução para momentos de crise como a alta dos combustíveis. Marcelo Bernardes da Silva, 36 anos, trabalha como motorista de vários aplicativos. “É importante reajustar a tarifa de acordo com a demanda e o preço do combustível, pois, assim, não tem prejuízo para nós, motoristas, e para os passageiros. Fica bom para todo mundo”, acredita.

O gerente de Expansão do app, Vinícius de Mattos destaca que tem estudado diversos perfis ao longo destes quatro anos de existência do Garupa App. “Concluímos que o jovem empreendedor de até 30 anos é o que melhor se encaixa em nosso projeto”, comenta. Além disso, a empresa procura empreendedores que tenham nascido na cidade e conheçam bem suas características, como nomes de ruas, pontos turísticos, estabelecimentos diversos, entre outros.

Atualmente, o Garupa conta com 170 sócios-operadores e pretende engajar mais 435 no segundo semestre.
As cidades que estão na mira ficam nos seguintes estados: Bahia (Eunápolis, Itabuna, Jequié, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória e São Félix do Coribe), Minas Gerais (Araguari, Formiga, Nova Serrana e Prata), Maranhão (Balsas), São Paulo (Mogi Mirim) e Tocantins (Araguaína).

Leia também:  Feira de artigos para casa e decoração volta ao calendário de eventos da capital paulista

O sócio operador é o responsável pelo recrutamento de motoristas, seguindo todos os protocolos de segurança nessa escolha. O estabelecimento da tarifa em cada município/região é diferente, pois considera os valores de combustível, impostos e outros custos, que diferem de um lugar para o outro. Em cada local onde o Garupa finca a sua bandeira são gerados até 4 empregos diretos e de 10 a 15 indiretos, sem contar os motoristas cadastrados, os Garupers.

Empresa oferece autonomia a motoristas de aplicativo para definição de tarifa

Website: http://www.garupa.co/socio-operador

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *