Sistema para cooperativas oferece 4 módulos de gestão para o setor de logística



São Paulo – SP 25/6/2021 –

Sistema de gestão de empresa paulistana contribui para o desenvolvimento de cooperativas de transporte em todo o país



Os gargalos no setor de logística, que envolve a movimentação de todo o tipo de transporte de produtos e cargas por via terrestre e marítima entre empresas, das indústrias para os consumidores internos e das indústrias para o mercado externo -, ainda representam hoje uma das maiores travas ao desenvolvimento da economia nacional. É nesse cenário altamente competitivo, onde predominam grandes empresas, mas onde também competem pequenas transportadoras, que as cooperativas de transporte têm ampla oportunidade de crescimento.

Com essa visão, de buscar alternativas para fortalecer a atividade e conquistar novos mercados, nasceu em 1992 a Coopgraneis – Cooperativa de Transportes de Cargas do Estado do Espírito Santo. Aos 26 anos, já agrega 480 cooperados e conta com 280 equipamentos – incluindo caminhões basculantes, caminhões para transporte de rocha e sucata de aço, caminhão-carreta basculantes, caminhões poliguindastes, caminhões guindastes, caminhões para hidrojateamento e sucção, empilhadeiras de 4 e 7 toneladas e minipá carregadeira. Entre suas áreas de atuação, estão transporte de resíduos industriais, transporte rodoviário de cargas, de minério de ferro, de escória de alto forno e de GLP em botijão.



Essas conquistas estão assentadas sobre seu avançado sistema de gestão. Desde o início, os dirigentes da cooperativa tiveram a consciência de que inovação e tecnologia ajudam a reduzir custos, melhorar processos e aumentar a produtividade. Passo decisivo foi dado em 2012, quando a Coopgraneis fechou contrato com a Easy System Informática, empresa paulista desenvolvedora de softwares, para a implantação de moderno software de gestão.

Em entrevista à EasyCoop, a diretoria aponta que, além da modernização da gestão, a Coopgraneis tem, como cooperativa, vantagens adicionais sobre outras empresas do setor de logística, entre elas o “diferencial de custos”, calcado em “custos de manutenção menores”. Como as manutenções são realizadas e acompanhadas pelos cooperados, este acompanhamento se reflete na qualidade e no custo das manutenções”. Além disso, “como a cooperativa não tem fins lucrativos, seus resultados financeiros são investidos no próprio negócio”.

Leia também:  Especialista em Investimentos avalia alta da projeção do PIB que dá sinais de que o mercado está confiante na política monetária

Entre os principais gargalos enfrentados pelo setor, a diretoria menciona as más condições das rodovias e problemas na legislação. Em relação às cooperativas de transporte, ele aponta falta de linhas especiais de financiamento. Mas os desafios não impedem a Coopgraneis de fazer novos planos de expansão. São três exemplos citados pela diretoria: intensificar a participação em licitações das grandes empresas do ramo siderúrgico; concluir a construção da nova sede; e entrar no segmento de transporte de passageiros.

Sistema para cooperativas da Easy System oferece 4 módulos de gestão

Três módulos do software fornecido em 2012 pela empresa Easy System Informática já estão sendo utilizados e um quarto está em fase de implantação.

A diretoria enfatiza que a nova tecnologia permite o controle pleno das operações; a rastreabilidade de informação; o acompanhamento de rotinas de processos; a confiabilidade das informações; a redução de custos com pessoal; e a facilidade de treinamento. A modernização da gestão apenas confirma o avanço do profissionalismo da Coopgraneis ao longo dos anos. Seu investimento em tecnologia e em inovação em todas as demais áreas visa fornecer a infraestrutura necessária para que a atividade se mantenha articulada de maneira estratégica e proporcione: garantia de entrega rápida dentro dos prazos estipulados; segurança e agilidade no manuseio das cargas; veículos novos e constantemente revisados; atendimento personalizado para os clientes; e monitoramento de carga via GPS.

FPC – É responsável pela geração de Folha de Pagamento para os cooperados associados à cooperativa, além do faturamento dos serviços prestados aos clientes. Também é responsável pela geração de arquivos para SEFIP (Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social), DIRF (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte), e-Social, entre outros.

Leia também:  Mercado imobiliário de luxo deve seguir aquecido mesmo após subida da Selic

EMT – Módulo Transporte, responsável pelo registro e envio de CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) e Manifesto Rodoviário para a SEFAZ-RS (Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul), que é a responsável por receber essas informações. Esse módulo também pode ser utilizado em outros Estados. E mais: ele gera registros para o módulo FPC, que gera o valor que o cooperado receberá pelo transporte da mercadoria.

AFIN – Módulo de Administração Financeira, que faz todo o controle financeiro da cooperativa, gestão de contas a pagar, contas a receber e contas bancárias, gerando arquivos de interface para sistemas de pagamento (FOPAG) e cobrança (CNAB) para diversos bancos, sistemas de contábeis etc.

EMC – É responsável pelo gerenciamento das bombas de combustíveis existentes no posto da cooperativa, automatizando o registro dos gastos do cooperado. Registra também os gastos do cooperado com óleo lubrificante e disco de tacógrafo, entre outros produtos disponibilizados pela cooperativa. O módulo EMC gera registros para o módulo FPC, para que o valor seja descontado na folha de pagamento do cooperado.

Sistema para cooperativas oferece 4 módulos de gestão para o setor de logística

Website: http://www.easysystem.com.br

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *