Adiamento da Entrega do Imposto de Renda 2021



Receita Federal divulga adiamento do prazo para entrega do Imposto de Renda 2021.

A Receita Federal adiou a entrega da Declaração do Imposto de Renda. Até o momento, o prazo de entrega da declaração terá início no dia 31 do mês de maio. A declaração é de pessoas físicas, com ano-base 2020.

O prazo inicial para a entrega da declaração estava marcado para acabar em 30 de abril, mas sua promulgação foi publicada na segunda-feira 12 de abril, no Diário Oficial da União.



De acordo com a Receita Federal, o prazo de prorrogação foi realizado com o intuito de suavizar as dificuldades geradas pela pandemia. Em 2020, o prazo também foi estendido devido à crise econômica que a Covid-19 causou. Sendo assim, estenderam o prazo para dois meses, até o dia 30 do mês de junho.

De acordo com uma nota da Receita Federal, a promulgação teve o intuito de garantir a segurança da sociedade ao evitar que a aglomerações sejam formadas nos postos de atendimento, como também em outros estabelecimentos que geralmente são procurados pelos cidadãos, tanto para tirar novos documentos quanto para esclarecer dúvidas com os profissionais. Desse modo, a medida visa medir esforços ao governo federal e contribuir para que ocorra o distanciamento social, bem como a propagação da doença.



Pessoas físicas que não quiserem optar pelo débito automático, é possível através do Extrato da Declaração ou do próprio programa ser emitido os DARFs das cotas. Para isso, basta acessar ao site da Receita Federal e acessar o campo Atendimento Virtual.

Além disso, a Declaração de Saída Definitiva do País e a Declaração Final de Espólio também tiveram seus prazos de entrega prorrogados. Além disso, também foi adiado o pagamento do imposto que se refere às declarações. A nova data para realizar o pagamento e enviar as declarações também passou para o dia 31 de maio.

Leia também:  Anbima deve Fazer a Reclassificação dos Fundos de Investimento

Para quem não sabe, o imposto de renda é um tributo que tanto pessoas físicas como jurídicas devem pagar ao governo certa porcentagem da sua renda. Desse modo, o cálculo do tributo gira em torno de novas riquezas que são geradas pelo contribuinte, tanto pelo trabalho quanto para o capital, ou até mesmo, pelos dois. Com base nisso, é aplicada sobre tal riqueza uma porcentagem, também chamada de alíquota, que tem como base uma tabela criada pelos organizadores fiscais. Sendo assim, a cada mês o imposto de renda é cobrado e no próximo ano o contribuinte precisa estar com uma declaração, já com o ajuste realizado anualmente de quanto deve de imposto.

Diante disso pode surgir a dúvida: por que não é todo mundo que paga imposto de renda? Pois bem, pagam imposto de renda pessoas físicas ou jurídicas em que o rendimento anual é superior a uma taxa estabelecida pelo governo. Essa taxa tende a variar a cada ano. E talvez a resposta mais simples seja a seguinte: a maioria dos brasileiros ainda são trabalhadores informais e aqueles que trabalham na formalidade têm uma realidade financeira muito longe daqueles que precisam repartir o seu lucro com o governo.

Daí vem outro questionamento, no Brasil, o imposto de renda é algo justo? Esse tipo de imposto é cobrado em diversos países do mundo e o resultado é sempre benéfico. Isso porque, em países que não há corrupção esse montante é destinado para melhorias nos âmbitos de educação, saúde, segurança, trânsito, etc. Por outro lado, no Brasil os impostos muitas vezes são cobrados de forma desproporcional com a realidade dos contribuintes e alguns afirmam até mesmo serem abusivos. O problema é que os brasileiros não conseguem ver o retorno da sua contribuição em melhorias dentro de seu território, o que causa revolta em muitos.

Leia também:  Nova Lei do Cadastro Positivo - O Que é? Como Funciona?

Devido a essa insatisfação geral de como o imposto de renda é cobrado no Brasil, surgiu ‘’o jeitinho brasileiro’’. Isto é, não realizar o pagamento não é uma opção, já que isso pode acarretar problemas de ordem jurídica. Com isso, inúmeros brasileiros arranjam estratégias de sonegar o imposto, para que possa pagar uma quantia menor sobre a renda produzida. Essa prática também é crime e pode resultar em prisão.

Adiamento da Entrega do Imposto de Renda 2021

Ana Paula

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *