Rendimento da Poupança em 2020





A poupança pode não ser um bom investimento para o ano de 2020 e quem deixar o dinheiro na conta pode acabar perdendo dinheiro.

A conta poupança é uma das mais utilizadas pelos clientes de diversos bancos do país. Há quem prefira ter esta modalidade de conta, devido à facilidade que ela proporciona a seus usuários. Além de não ter a cobrança de tributos, quem faz uso das contas poupanças possuem uma liberdade maior para utilizar seu dinheiro.

Uma notícia que não vem agradando aqueles que utilizam a conta é que, quem deixar dinheiro na conta pode acabar perdendo dinheiro em 2020. O fato é que, com o decaimento das taxas de juros que auxiliam na diminuição do valor de crédito, o rendimento tende a ficar ainda menor que a inflação.




Segundo a IPCA – índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – em 2019, a poupança teve um rendimento bem menor que a inflação. Para quem aplicou dinheiro na poupança em 2019, o rendimento máximo obtido foi de 4,26% contra a inflação com 4,31%. Dados da Revista Semanal Focus em uma Pesquisa do Banco Central, menciona que, caso não haja mudanças nos juros a caderneta deve ter somente 3,15% de rendimento.

Alternativas: Aplicações

Normalmente, em casos como este, as melhores alternativas possíveis são as aplicações ou investimentos. Deixar o dinheiro parado na conta não vai ser uma boa ideia, logo, por que não investi-lo? Essa é uma das alternativas mais usadas para que o dinheiro possa realmente ter um bom rendimento. Mas lembre-se de realizar o procedimento com muito cuidado e fique sempre atento às notícias sobre sua aplicação.


Antes de mais nada, o cliente investidor precisa estar atento ao tempo em que deseja deixar o dinheiro rendendo; ter conhecimento de quais são as taxas administrativas e impostos, deve estar em mente. Caso contrário, as chances de ter um prejuízo ainda maior são muitas!

Mesmo que a poupança seja uma modalidade que não cobrar tributos, a conta é capaz de render cerca de 70% da taxa Selic, que possui 4,5% de juros básicos por ano. Por outro lado, grande parte das aplicações e dos fundos, precisam arcar com valores tributários; e nem todos eles fazem a liberação do dinheiro de forma imediata. Por isso, antes de fazer seus investimentos esteja ciente das datas de vencimento e tudo mais que for necessário. Esta é uma das formas de evitar ter ainda mais prejuízo.

Alternativa: Títulos Públicos

Certamente, você já deve ter ouvido falar no Tesouro Direto. Este é um programa que dá permissão a pessoas físicas de adquirir títulos públicos. O ideal é que o pedido seja realizado até as 18h de segunda a sexta, podendo assim, ter o resgate em até um dia útil. Para pedidos realizados após o horário, em feriados e finais de semana, o resgate acontece em até dois dias úteis.

Após o resgate que é feito diretamente na fonte, a única preocupação do investidor é informar o valor líquido no seu imposto de renda anual. Para quem deseja fazer aplicações que duram até 30 dias, também é necessário realizar o pagamento IOF – Imposto de Operações Financeiras.

Há ainda a possibilidade de ter um bom rendimento com a LTF – Letras Financeiras do Tesouro – que pode gerar rendimentos bem próximos à taxa básica de juros. Neste caso, o investidor precisa aguardar pelo menos 30 dias para que não precise arcar com o IOF.

Nos demais formatos de títulos públicos, é ideal que o investidor tenha muita atenção antes de resgatar o valor, se esta ação for realizada antes do vencimento. Em casos de não analisar bem o mercado, as chances de perder muito dinheiro são consideráveis. Por outro lado, se tudo for como o planejado, o usuário pode sair com muito dinheiro.

Por Juliana Almeida

Poupança

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *