Como Quitar Dívidas Atrasadas e Organizar as Contas




Confira aqui algumas dicas para melhorar a organização de suas contas.

O final de ano se aproxima e isso é sinônimo de aumento de gastos para a maioria dos Brasileiros. Nessa época do ano, as pessoas começam a se preparar para as festas, compram presentes para amigos e familiares, roupas para usar no Natal e Ano Novo, investem na reforma da casa, entre outros gastos. Em muitos casos, esses gastos excedentes acabam indo parar na fatura do cartão de crédito, ou pior, novos empréstimos são contratados, o limite do cheque especial vira opção ou dívidas importantes são deixadas de lado.

Para não cair nas armadilhas de final de ano e acabar gastando mais do que ganha, é preciso ter muita cautela. Ainda mais quando o comércio se organiza para atrair a atenção de potenciais compradores, oferecendo vantagens, promoções e liquidações que podem fazer o consumidor perder o foco e o controle das finanças. Se você quer saber como se organizar de forma a começar 2019 no azul, acompanhe nossas dicas e veja como manter o orçamento na palma das mãos.


Organizando a vida financeira

Não é muito difícil encontrar pessoas que não têm ideia de quanto gastam por mês. A água e chocolate comprados no trajeto de casa para o trabalho, a cerveja ou refrigerante com os amigos no fim do expediente e a pizza com a família aos finais de semana compõem a lista de despesas não contabilizadas durante o mês. A maioria das pessoas costuma anotar apenas as despesas mais básicas, como a conta de luz, água e internet, por exemplo. Esse costume configura erro, pois, os pequenos gastos podem se transformar em valores exorbitantes quando calculados.

A solução para manter tudo em ordem é colocar na planilha todos os gastos, pequenos ou grandes. Após somados, eles precisam ser debitados da quantia líquida arrecadada por mês e o saldo final precisa ser positivo. Se ao contabilizar você perceber que só conseguirá pagar o valor mínimo das compras com o cartão de crédito, deixando parte da dívida para o mês seguinte, sentimos informar que seu orçamento não fecha e, talvez, a solução seja deixar de fazer compra com essa modalidade de pagamento. Na dúvida prefira pagamentos em dinheiro, mas somente se estiver sobrando. Tentar não cair na ilusão do cheque especial é outra dica importante.

Cartão de crédito não significa mais dinheiro

Algumas pessoas entendem o cartão de crédito como complemento de renda. É essa mentalidade que leva o consumidor a ir ao supermercado e utilizar o crédito como forma de pagamento, por exemplo. É preciso entender que os gastos com alimentos se repetirão todos os meses, portanto, se houver necessidade de usar a modalidade de crédito, evite parcelar, deixando parte da dívida para o mês seguinte.


Segundo especialistas, cerca de 40% da renda mensal é gasta com a compra de alimentos e esse valor deve estar incluso no orçamento mensal. Se o valor destinado às compras de mês não for suficiente, o ideal é rever a lista de compras e evitar o que for dispensável. Refrigerantes, salgadinhos e aperitivos podem ser deixados de lado, nesse caso. Se houver a possibilidade de mudar para uma marca mais barata, mas com qualidade similar, não hesite em mudar. Outra opção é ir atrás das promoções agendadas que alguns mercados fazem e, quem sabe, ir em mais de um supermercado ou ir também no dia das promoções mais vantajosas.

Imponha limite ao orçamento

Como já ressaltamos, a planilha de gastos é a única forma de saber se seu salário cobre todas as despesas. Feito isso, você poderá saber onde você pode reduzir gastos ou em que área você pode investir mais dinheiro.
Se você planeja viajar no final do ano, determine previamente um valor para gastar enquanto estiver viajando. Isso evitará surpresas e aperto financeiro ao retornar. Além disso, você precisa estar ciente que a chegada de um novo ano é sinal de reajuste. Aumento na mensalidade do colégio ou da faculdade e até mesmo reajuste nos serviços prestados por companhias de água e luz precisam ser previstos antes de gastar demais no passeio.

Não há nada de errado com as lembrancinhas

Se você já anotou, somou e debitou todas as despesas do salário e descobriu que precisa mesmo economizar, comece a cortar despesas imediatamente. Se a intenção é presentear os entes queridos nas festas de final de ano, considere dar apenas lembranças ao invés de presentes muito caros. No entanto, se você está com o orçamento estourado, o ideal é descartar os mimos esse ano.

Boas marcas também entram em liquidação. Através do site da sua loja preferida você pode pesquisar as opções de roupas e montar um look para o fim de ano gastando menos. Ir à loja tendo em mente o que procura ajuda a evitar o excesso na hora da compra. Dá para se vestir bem gastando pouco e a internet pode ser sua aliada nesse momento.

Tome medidas radicais

Se é tempo de radicalizar, radicalize. Ruas e edifícios comerciais são uma tentação nessa época. Esses locais estão sempre tumultuados e repletos de promoções irresistíveis. Portanto, se houver a possibilidade de trocar o trajeto, mude. Você pode guardar uma pequena quantia em dinheiro na carteira somente para emergências, evitando carregar muitos cartões e se tornar presa fácil na hora da tentação.

Em tempos de crise, o consumidor precisa policiar as finanças rigorosamente. O ideal é tentar pagar todas as dívidas ou boa parte dela. Renegocie, se houver essa possibilidade. Reserve uma parte da renda para possíveis despesas, compra de remédios, por exemplo, e pense no décimo terceiro salário como um dinheiro extra e não como parte do orçamento, mas, se precisar, use para quitar as dívidas e começar 2019 no azul.

Por Nanny Cunha

Related Post



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

?> ?>