Saiba todas as mudanças nas regras de utilização do cartão de débito e suas facilidades.

O BC (Banco Central) divulgou para todo o Brasil três circulares acerca do assunto nesta segunda-feira, dia 26 de março. E ainda abriu três CPs (consultas públicas) para facilitar o aumento do uso de pagamentos eletrônicos (obviamente incluindo o cartão de débito na lista) no Brasil, dessa forma aumentará a escala e potencializará os custos menores para quem utiliza tais formas de pagamento.

Além disso, o Banco Central deseja ampliar a competitividade entre o setor envolvido no assunto em geral, de forma a aumentar o incentivo de inovações relacionadas aos pagamentos eletrônicos e também garantir o acesso de infraestruturas para os novos integrantes da área.

Sobre as novidades e inovações

Saiba mais sobre as inovações e mudanças propostas pelo BC recorrentes na utilização dos cartões de débito brasileiros.

Tais mudanças foram discutidas desde o final do ano passado (2017), e segundo especialistas do assunto, elas já estavam para sair desde algum tempo atrás. Porém as especulações não sabiam ao certo se o piso sairia para a taxa de desconto (a MDR) ou se sairia para a tarifa de intercâmbio.

Criação de teto para tarifas de intercâmbios

Advinda da circular 3.887, a mudança passa a valer a partir do dia 1º de outubro do ano de 2018. Essa inovação limita a taxa de intercâmbio média de cartões de débitos para 0,50% a partir do valor de transação. A circular também limitou o valor máximo dessa tarifa de intercâmbio para cartões de débito para 0,80%.

Em nota, o Banco Central assegurou que essa regulação da tarifa aplicada aos cartões de débito em momento de intercâmbio é aplicada também em caráter internacional.

Sobre o estímulo diante do uso do cartão de débito

Segundo informações do correspondente do Banco Central, durante os últimos oito anos a taxa de intercâmbio aplicada nos cartões de débito aumentou sua porcentagem de 0,79% para 0,82% da totalidade da transação bancária, enquanto isso, a taxa correspondente ao desconto caiu. A porcentagem correspondente foi de 1,60% da transação bancária para 1,45%.

Para que haja uma garantia de que tenham descontos nos adicionais tarifais, o Banco Central tomou a decisão de limitar as tarifas de intercâmbio.

Segundo o Banco Central brasileiro, de acordo com as expectativas, essa redução das tarifas adicionais no cenário de intercâmbio seja totalmente repassada do credenciador para o comércio respectivo a compra e, a partir daí essa taxa seja passada ao consumidor, por meio da diferenciação de preços e também pela concorrência.

O correspondente do BC afirmou em entrevista que quanto maior for a utilização dos cartões de débito para compras e pagamentos gerais e de cartões de crédito como utilizador de crédito, maior será o potencial de redução dos ditos subsídios cruzados.

Sobre a simplificação

Dentro do conjunto de medidas divulgadas pelo Banco Central está a “simplificação do processo de autorização dos arranjos de pagamento”. Segundo o correspondente oficial do BC, a entrada, que foi prevista para o dia 28 de setembro de 2018, na liquidação centralizada para quem é sub credenciador, passou, diante das mudanças ocorridas, a ser obrigatória apenas para quem possui um giro anual superior a R$ 500 milhões. Esses representantes comerciais são sinônimo de cerca de 90% desse mercado. Os sub credenciadores representam uma espécie de ponte de ligação entre o comerciante (quem vende o produto) e os credenciadores de cartão (empresas que possuem as maquininhas de cartão).

Para que haja o incentivo para a entrada de outros e novos concorrentes, também para que a inovação não pare e também para que o desenvolvimento de novos produtos não cesse, o Banco Central exigirá previamente autorização apenas de quem emite moedas eletrônicas, de quem emite instrumentos de pagamento estilo “pós-pago” ou dos que credenciam e possuem giro anual maior que R$ 500 milhões. Os demais estarão dispensados da necessidade de autorização prévia.

Por Carolina B.

Cartão de débito


No site da Prefeitura de São Paulo, os colaboradores do IPTU podem consultar as certidões dos tributos que se referem ao imóvel. É possível fazer não apenas a consulta das certidões negativas, como também dos dados cadastrais. Conheça os principais serviços:

  • Certidão Negativa de Débitos de Tributos Imobiliários: Com essa opção os contribuintes podem emitir e confirmar a autenticidade das certidões do IPTU, taxas de conservação pública, índices da limpeza pública, entre outros serviços que se referem ao destino do imposto.
  • Certidão Negativa de Débitos de Tributos Mobiliários: Com essa opção as pessoas podem comprovar de modo oficial como se encontra a regularidade no que tange aos recolhimentos do TRSS, TFE, TFA e ISS.
  • Certidão de Dados Cadastrais do Imóvel (Valor Venal): Além de emitir, os contribuintes também podem autentificar os dados cadastrais dos imóveis, basta colocar o número do cadastro que se encontra no boleto de pagamento e fazer a consulta. Também existe o informe da base de cálculo sobre a cobrança do IPTU.
  • Certidão de Rol Nominal: É possível requerer, emitir e fazer a confirmação da autenticação que se refere à pessoa jurídica ou física no Rol Nominal.
  • Certidão de Informações de Tributos Imobiliários: É possível confirmar e realizar a emissão do número de cadastro para confirmar informações da certidão e dos dados de lançamento do IPTU. As ações podem ser do ano vigente ou dos períodos anuais posteriores.
  • Certidão de Recolhimento da Taxa do Lixo: Com essa opção os contribuintes emitem certidão não apenas da TRSD, como também sobre a TRSS. Na lista do sistema há o quadro completo de pagamentos, desde o ano de 2010.
  • Outras Certidões de Tributos Mobiliários: Com essa opção os contribuintes podem requerer certidões do quadro geral dos tributos imobiliários que são emitidos via Secretaria Municipal de Finanças.

Clique aqui e conheça maiores informações sobre as certidões dos tributos imobiliários.

Por Renato Duarte Plantier


Houve um tempo não muito distante, em que o Brasil enfrentava o caos na economia. A inflação, então um dragão que soltava fogo para todos os lados, elevava os preços dos alimentos, vestuários e o que mais estivesse ao seu alcance. O resultado era o preço subindo às alturas, atualizados a todo o momento. Valores registrados pela manhã, eram alterados ao longo do dia.

Com a introdução do Plano Real e a estabilização da moeda, a inflação conseguiu ser dominada, aliviando a vida de todos. Porém, como todo cuidado é pouco, a economia precisa sempre ser monitorada, pois qualquer mudança, por mínima que seja, pode ser um motivo para que o preço de algum item saia do controle.

É o caso agora da carne e das roupas, que tiveram aumento considerável no mês de Outubro de 2013, afetando o índice da inflação.

Enquanto em Setembro de 2013 o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) registrou inflação de 0,35%, ocasionada pela alta das passagens aéreas e pelos alimentos derivados do trigo, em Outubro a alta do preço da carne e dos itens de vestuário foram os responsáveis por elevar a inflação em 0,57%.

No caso da carne, a média de aumento foi de 3,17% (aumento maior na carne bovina) e um dos motivos para isso ficou por conta dos problemas da entressafra, ocasionada por más condições na pastagem, que recaíram na quantidade de animais para abate. Consequência, crescimento da exportação de carne por causa da sua baixa oferta no mercado interno.

Com relação aos itens de vestuário, eles foram os que mais apresentaram alta de preços em Outubro, com um aumento na inflação de 1,13%. Um dos motivos para isso se deve à aproximação do final de ano, quando aumenta a busca da população por novos artigos em todas as esferas e, principalmente, por roupas. Neste segmento, o vestuário feminino liderou o aumento (1,34% de aumento), seguida dos tecidos, roupas masculinas e roupas infantis. No entanto, no índice anual as roupas femininas aparecem em último.

Na visão do governo, a alta do índice de inflação de Outubro, apesar de tudo, permaneceu dentro da expectativa.

Por Alessandra de Sousa


Já não é de hoje que a empresa de Eike Batista, a OGX, não vai bem das pernas. As ações despencam desde que foi anunciada que a Bacia de Tubarão Martelo na Bacia Campos iria produzir apenas 5 mil barris de petróleo por dia e não os 20 mil esperados tanto pelos acionistas quanto pelos credores, que são implacáveis quanto aos dividendos da companhia e podem não entrar em acordo para o pagamento das dívidas. E as coisas podem ficar ainda piores, já que se a coisa continuar da forma que está a empresa não terá dinheiro e poderá falir.

Segundo o relatório de reestruturação da empresa, a companhia necessita de US$ 250 milhões até abril do ano que vem para continuar viva. Esses recursos podem vir de um novo empréstimo, investimentos ou aumento de capital. Isso só para manter as atividades da empresa, que deve pagar US$ 89 milhões para credores. O capital da empresa deve aumentar com o início das produções na Bacia de Campos, em novembro, mas só começa a vender petróleo em janeiro de 2014.

Caso as coisas fiquem boas para o lado da OGX, é possível que a empresa consiga fazer um acordo, principalmente com a venda de ativos da OGX no Maranhão. O que ocasionaria um perdão de parte da dívida e converteria o saldo em ações da empresa, totalizando entre 42% e 57% de participação da OGX. Em tese, a solução salvaria a empresa de Eike Batista, que pode até pedir recuperação judicial.

A recuperação funciona assim: a OGX fica impedida de ser processada por seis meses e nesse período mantém suas atividades para que possa saudar suas dívidas. Esse é o último recurso antes da falência se os credores não aceitarem nenhum argumento para a quitação das dívidas da companhia brasileira. Algumas fontes afirmam que a OGX não irá incluir a unidade de gás natural e esta será vendida para outras empresas de Eike.

Por Robson Quirino de Moraes


Após se dizer frustrada com o preço, a Sony anunciou que mesmo vendendo o console a R$ 3.999, terá prejuízo com o PlayStation 4 no Brasil.

Por meio de um comunicado no PlayStation Blog, a gerência da divisão para a América do Sul da Sony nega que tenha interesse em comercializar o PS4 com preço tão alto, por irritar os consumidores e não ser bom para a marca. Apesar disso, por conta dos altos impostos, a empresa foi obrigada até a dar um desconto e diminuir sua margem de lucro para que o valor não fosse maior ainda.

O comunicado indica que 63% do preço de venda é voltado para a compensação dos impostos federais, como IPI, PIS/COFINS, ICMS e ICMS-ST, que por si só já totalizam R$ 2.524 do valor do console. Em seguida, há mais 15,5% de margem de lucro para as lojas que revenderão o PS4 no Brasil. Por fim, há mais 21,5% referente ao preço de transferência do console, o que totaliza ao final R$ 4.257.

Esse valor excedente, segundo a Sony, é descontado pela empresa, o que representa 6,5% do valor final, que é de R$ 3.999. Com isso, o prejuízo da empresa passa de R$ 250 para cada aparelho vendido. Ainda segundo a empresa, caso o PS4 fosse fabricado no país, o preço de venda poderia diminuir cerca de 50%. Mesmo assim, o preço ainda ficaria exorbitante em comparação com o valor do console no resto do mundo.

Por Jorge Souza


O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) anunciou que irá prorrogar o prazo de adesão ao novo termo de rescisão de Contrato de Trabalho. Com isso, as empresas brasileiras deverão se ajustar aos novos termos de rescisão contratual a partir de 1º de fevereiro de 2013.

O ministro Brizola Neto afirmou que o novo prazo de validade para o termo de rescisão contratual dará tempo para que muitas empresas que ainda não adotaram os novos procedimentos possam fazê-lo. Isso evitaria prejuízos para os trabalhadores no momento de solicitar o seu seguro desemprego ou o fundo de garantia junto à Caixa Econômica Federal.

De acordo com os novos procedimentos do termo de rescisão contratual, os trabalhadores poderão identificar de forma clara todos os valores que tem direito a receber por parte do seu empregador. Como contar com férias proporcionais, aviso prévio e detalhamentos do contracheque mensal e de todas as demais remunerações que compunham o seu salário.

Com a nova regulamentação virá dois novos formulários que serão entregues em 4 vias para o empregador e em 3 vias para o trabalhador. Desse, um ele deve guardar e as outras duas deve entregar a Caixa no momento de sacar o seu fundo de garantia ou de solicitar o pagamento do benefício do seguro desemprego.

Fonte: UOL

Por Matheus Camargo


Analistas do mercado financeiro preveem que o lucro da Petrobras fique em R$ 8 bilhões no período de julho a setembro de 2012. O balanço financeiro da empresa está para ser divulgado ainda essa semana.

Dessa forma, os analistas creem que os maus resultados da Petrobras no segundo trimestre desse ano fiquem para trás. O balanço financeiro da empresa naquele período ficou em um prejuízo de R$ 1,346 bilhões. Um ponto fora da curva histórica de bons rendimentos da empresa.

As estimativas de lucro de R$ 8 bilhões para o próximo balanço da empresa é feito por seis corretoras da bolsa de valores, dentre elas a JP Morgan, a Deutsche Bank e a Bradesco Corretora.

O balanço financeiro da Petrobras para o terceiro trimestre de 2012 está previsto para ser divulgado na sexta-feira, dia 26 de outubro. A partir do ano de 2008, os balanços financeiros da gigante brasileira têm estado na casa dos 7 a 8 bilhões de reais. Desde então, a empresa só reportou um prejuízo (no segundo trimestre de 2012) e três balanços abaixo de R$ 7 bilhões de lucro.

A previsão é que o próximo balanço traga uma receita recorde para a empresa. As estimativas são de que a receita bruta alcance o volume de R$ 72,17 bilhões. Apesar do prejuízo no segundo trimestre, esse período apresentou a receita bruta recorde da empresa, com R$ 64,18 bilhões.

Um dos fatores apontados para este bom resultado seria o favorecimento da taxa de câmbio no período. Isso deve ter tido um impacto positivo nas receitas com exportações da companhia, apontam os analistas.

Fonte: O Estado de São Paulo

Por Matheus Camargo


Com produção de 83,9 milhões de toneladas de minério de ferro a companhia Vale do Rio Doce bateu sua produção do segundo trimestre de 2012. Esses dados representam um crescimento de produção da ordem de 4,2% da empresa no terceiro trimestre em comparação com o período anterior. Esse resultado, porém, é uma queda de 4,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a Vale informa em nota à impressa, o crescimento orgânico da empresa mostra uma sólida capacidade de desempenho operacional das suas plantas de extração de minério. Ela afirma ainda que o bom desempenho deveu-se a “flexibilização operacional e à riqueza de recursos minerais”.

A empresa informou também que está enfrentando problemas com a queda de desempenho nas minas da região de Carajás, no Pará, em virtude da não obtenção ou atraso no licenciamento ambiental para abertura de novas explorações. Isso fez com que a empresa insistisse na produção em lavras antigas e o desempenho operacional caísse em 10,5% em relação ao mesmo período o ano passado.

Apesar disso, globalmente a Vale ressalta que aumentou de maneira significativa seu número de licenças ambientais em 2012. A empresa conta agora com um total de 52 licenças entre janeiro e setembro deste ano.

Por Matheus Camargo

Fonte: Infomoney


INSS: foi liberada hoje a consulta à primeira parcela do 13º salário

Foi liberada nesta segunda-feira (20/08) a consulta à primeira parcela do 13º salário de aposentados, pensionistas e segurados que recebem os benefícios do INSS.

Segundo a Previdência, os extratos serão atualizados durante esta semana, e o documento poderá ser consultado no site www.previdencia.gov.br, no extrato de benefício do mês de agosto.

O pagamento do 13º salário representa a injeção de recursos na economia brasileira de aproximadamente R$ 11,22 bilhões.

Os valores começarão as ser depositados no dia 27 de agosto para os benefícios de pessoas que recebem até 1 salário mínimo (R$ 622,00), com final 1, e seguem até o dia 10 de setembro.

Os segurados que ganham acima de um salário mínimo, começarão a receber a partir do dia 3 de setembro.

O valor será depositado no mesmo dia do pagamento do benefício, e aparecerá no extrato mensal de pagamento do segurado destacado como “antecipação de Natal” ou “13º salário”.

Vale acrescentar que esta primeira parcela não terá descontos de Imposto de Renda, ocorrendo isso somente no pagamento da segunda parcela, no mês de novembro.


Lançamento das novas cédulas de R$ 10 e R$ 20

O Bacen lançará na segunda-feira (23/07) as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20 da segunda família do real.

O lançamento será realizado em Brasília (DF), às 15h, e contará com a presença do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

Segundo o BC, as cédulas apresentarão novos elementos de segurança, que serão mais modernos e de fácil verificação, além de tamanhos diferenciados e novas marcas táteis, visando facilitar a identificação dos valores das notas pelos deficientes visuais, aumentando a dificuldade de falsificações.

A circulação das novas cédulas será feita através dos comércios, dos bancos comerciais e dos caixas automáticos. As notas atuais continuarão valendo, sendo retiradas de circulação pelo motivo do desgaste natural.

A segunda família do real entrou em vigor com o lançamento das notas de R$ 100 e R$ 50, que foram colocadas em circulação em 2010. Já, o lançamento das novas notas de R$ 2 e R$ 5 está previsto para 2013.

O projeto das novas cédulas segue desde 2003, com a interação entre o Bacen e a Casa da Moeda do Brasil, responsável pela fabricação do dinheiro nacional.


Caixa oferece novo serviço de fundo de investimento

A Caixa Econômica Federal inovou mais uma vez e criou uma nova forma de aplicação em fundo de investimento de curto prazo. O investimento é automático, o que oferece uma rentabilidade aos recursos depositados na conta corrente.

O novo produto se chama “Caixa FIC Movimentações Automáticas Curto Prazo” e exige que a primeira aplicação seja de R$ 100, no mínimo. Com isso, sempre que a conta corrente apresentar mais de R$ 50, o valor superior a isso será automaticamente depositado no fundo e começará a pagar juros. Por exemplo, se a conta corrente tiver R$ 70, R$ 20 serão enviados automaticamente ao fundo. Porém, caso a conta fique negativa o dinheiro também será resgatado automaticamente, ou a pedido do cliente.

A taxa de administração cobrada é de 2% ao ano e a liquidez da carteira é diária.

As vantagens para a Caixa com este novo produto, são as seguintes: a maximização do uso do dinheiro depositado no banco e a receita da taxa de administração, que faz com que a Caixa ganhe com esse serviço.

Para obter mais informações acesse o site da Caixa.


O Banco Central (BC) divulgou na quarta-feira (dia 23 de maio) o seu Boletim Regional Trimestral de abril. De acordo com o documento, as operações de crédito estão com a inadimplência em expansão, sendo que, em fevereiro, o resultado foi de 3,3%. Em novembro de 2011, o índice tinha ficado em 3,1% e em fevereiro de 2011 a taxa foi de 2,5%.

Entre as regiões brasileiras, a que teve o maior nível de inadimplência em pessoas físicas foi o Centro-Oeste, com alta de 0,2 ponto percentual. Já em relação às pessoas jurídicas, a maior alta no índice de não pagamento foi registrada no Norte, com crescimento de 0,6 ponto percentual.

O documento ainda apontou que as operações de crédito em valores acima de R$ 1 mil tiveram alta no trimestre. O que motivou a alta neste indicador foi a alta na concessão de empréstimos, que fechou em 7,7% para pessoas físicas e em 1,7% para pessoas jurídicas. Neste ínterim, as operações de crédito nos últimos 12 meses cresceram 20,6%. A maior concessão de crédito foi registrada no Nordeste, sendo de 6,2%. Em seguida ficou o Sul, com alta de 4,6%.

Fonte: Banco Central

Por Matheus Camargo


O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, disse, na quinta-feira (dia 10 de maio), que a instituição financeira esperava que o crédito voltasse a crescer num ritmo mais rápido do que o que está sendo verificado na prática.

A princípio, o esperado era de que a alta registrada no indicador fosse de 15% este ano, mas o resultado deverá ser menor, já que o setor automobilístico ainda deve registrar um aumento no número de financiamentos, fazendo com que a economia cresça com o passar dos meses.

Apesar dessa situação, Tombini ressaltou que o Banco Central pretende manter a concessão de créditos mesmo em situações de crise, permitindo que a economia seja retomada.

Já nos momentos em que há aquecimento da economia, o cuidado dever ser para que o crédito não acabe aumentando a inflação, afirma o presidente do BC. “Agora, nos momentos em que a economia começa a recuperar, é natural que se espere que o crédito acompanhe esse processo e não que as inflações fiquem excessivamente severas no processo de concessão do crédito”, comentou.

Apesar do resultado com projeção menor do que o esperado, a economia neste ano deve registrar alta em comparação com o ano passado. O segundo semestre deste ano deverá apresentar concessão de crédito maior e deve registrar alta se comparado ao primeiro semestre.

Além disso, Tombini falou que acredita que o desenvolvimento positivo da economia deve manter a inadimplência em patamares baixos. “Nossa visão é que com o crescimento maior da economia, no segundo semestre, essa inadimplência recue. Olhando à frente, o crédito tem condições de crescer”, concluiu.

Fonte: Banco Central

Por Matheus Camargo


O Brasil está entre os países mais conectados do mundo, ocupa a 5ª posição em um ranking de 20 países, perdendo apenas para ao Japão, Índia, Estados Unidos e China.

De acordo com um estudo realizado pelo Partido dos Trabalhadores, o Brasil já possui 75,9 milhões de pessoas que acessam a internet regularmente. O PT levou em consideração os dados fornecidos pelo e-bit, empresa especializada em monitorar os sites de comércio eletrônico.

De acordo com a consultoria, as lojas que atuam no ambiente virtual movimentaram R$ 540 milhões no ano de 2001 e em 2011 esse valor subiu para R$ 18,7 bilhões, esses valores não levam em consideração as vendas de passagens aéreas e de automóveis, e nem os portais que trabalham com leilões online.

Nas compras referentes ao natal de 2011, o faturamento dessas lojas foi de R$ 2,6 bilhões, um aumento de 18% quando comparado ao ano anterior, sendo que os produtos mais procurados pelos compradores são eletrodomésticos, equipamentos de informática, produtos de beleza, moda e acessórios.

Essas informações serão levadas em consideração pelos senadores na hora de estudar a melhor maneira de distribuir os recursos provenientes do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), nas compras realizadas via internet, para os diversos estados da federação.

Por Joyce Silva


Segundo a pesquisa anual realizada pela consultoria Kelly Services, a maior parte dos trabalhadores em todo o mundo pensa em mudar de emprego. Os entrevistados também fizeram revelações sobre os fatores que influenciam na hora de optar por uma determinada empresa ou vaga específica.

Ao todo foram entrevistadas 170 mil pessoas de diferentes faixas etárias e de 30 países das regiões da Ásia, Europa, África, Oriente Médio e Américas.

Segundo a pesquisa, 44% dos entrevistados se sentem desvalorizados pelas empresas em que trabalham. Além disso, 66% das pessoas expressaram a vontade de procurar uma nova colocação no próximo ano.

Ainda de acordo com a pesquisa, os profissionais da Geração X (que abrange a faixa etária de 31 a 48 anos) são os mais propícios a pedir demissão.

Com relação aos pontos importantes na hora de escolher um novo emprego, a pesquisa revelou que a reputação corporativa é o principal atrativo levado em consideração, esse fator foi apontado por 58% dos entrevistados. Em segundo lugar está a localização com 52%.

Com relação à qualidade de vida, o grupo que mais valoriza esse aspecto é o dos Baby Boomers (profissionais com idade entre 49 e 66 anos), sendo que a Geração Y (com idade entre 19 e 30 anos) procura maior crescimento profissional e pessoal na hora de escolher um novo emprego.

Fonte: Marketwire

Por Joyce Silva


Depois da Caixa Econômica Federal, do Santander e do HSBC anunciarem seus pacotes de redução nas taxas de juros em seus produtos, o banco Bradesco também anunciou cortes expressivos em suas taxas.

Segundo a instituição, a taxa sobre o crédito pessoal irá passar de 2,66% para 1,97% mensais, já a linha CDC Bens a nova taxa de juros será de 2,97%, anteriormente os juros eram de 3,54%.

Com relação ao financiamento de veículos, a taxa passou de 1,35% para 0,97%. Os aposentados que possuem operações com crédito consignado contarão com uma taxa de 0,9%. Os cartões de créditos feitos em parceria com as redes varejistas também terão taxas de juros menores no caso de parcelamento, as taxas cobradas serão de 2,49% para um prazo de 24 meses, vale lembrar que nesse caso poderá haver alguma variação.

O Bradesco também anunciou que haverá uma ampliação no limite de crédito, o aumento será superior a R$ 15 bilhões, sendo que desse valor R$ 5 bilhões serão voltados para Pessoas Jurídicas e R$ 9 bilhões para Pessoas Físicas.

As micro e pequenas empresas também serão beneficiadas com esse novo pacote, o Banco criou uma linha de crédito para CDC e Capital de Giro no valor de R$ 1 bilhão, nesse caso a taxa de juros a ser cobrada é de 2,9%.

Por Joyce Silva


A análise do Índice Ceagesp de março apontou que o indicador teve crescimento de 4,61%. O resultado foi influenciado pela recuperação nos preços dos alimentos e também pelo maior consumo impulsionado pelo clima quente. Os dados foram divulgados na terça-feira (dia 17 de abril) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

No acumulado do ano, o Índice Ceagesp apresentou redução de 0,34%, já nos últimos 12 meses a retração chegou a 9,57%.

A maior alta foi no segmento de legumes, com 14,55% a mais de vendas do que o registrado em fevereiro. O setor de verduras também teve um bom desempenho, com alta de 12,46%. O segmento de peixes cresceu 4,05%, em função da Páscoa e do período da quaresma. Por último, o setor de diversos apresentou elevação de 3,68% e as frutas tiveram alta de 2,11%.

O Mapa ainda informou que, para abril, a tendência é que não haja grandes mudanças nos preços. O motivo é a estabilidade climática. Já as hortaliças e frutas devem permanecer relacionadas como sugestões de oferta.

Fonte: Mapa

Por Matheus Camargo


O banco Bradesco anunciou que irá distribuir para os seus clientes Prime novos cartões com a tecnologia contactless. A novidade permite que os usuários desses cartões façam pagamentos diversos apenas pela aproximação nas máquinas, ou seja, não será necessário nenhum contato físico. Um chip especial é o responsável por esse novo recurso.

A ideia da instituição é que esses cartões passem a ser distribuídos para todos os clientes Prime a medida que o cartão antigo perder a validade.  Ainda segundo o Bradesco, os clientes poderão usar o novo cartão em toda a rede Cielo, sendo que a previsão é que o tempo de execução do pagamento apresente uma queda de cerca de 30% quando comparado aos pagamentos feitos em dinheiro ou cheque.

Os cartões com contactless também possuem maior agilidade do que os cartões tradicionais.  Outro ponto destacado pelo banco é a segurança, o novo cartão evita que terceiros tenham qualquer contato direto com o cartão, o que acaba evitando fraudes ou clonagem.

Segundo Márcio Parizzotto, Diretor do Bradesco Cartões, essa é uma possibilidade única para difundir o uso do pagamento realizado por aproximação entre os brasileiros, além de abrir as portas para o uso de celulares e tablets como um meio alternativo de pagamento.      

Por Joyce Silva


Recentemente a plataforma para sites Vtex fez uma pesquisa com seus clientes para analisar o crescimento do número de acessos aos sites de e-commerce via dispositivos móveis. A empresa está presente em 150 países e é base para sites como Polishop, Daslu, Walmart, Nokia e Trip Linhas Aéreas.

O resultado da pesquisa mostrou que os dispositivos móveis (tablets, celulares e smartphones) são responsáveis por uma porcentagem entre 10% e 15% do número de acessos aos sites de comércio eletrônico no Brasil.

De acordo com Geraldo Thomaz, CEO da Vtex, até dezembro deste ano os dispositivos móveis representarão 20% dos acessos aos sites de clientes da sua plataforma. E, conforme ele, esse número não é devido apenas ao grande número de smartphones no mercado, mas também ao fato de aumentar o número de novos projetos para sites em versão mobile.

Com certeza isso nos mostra que o mercado mobile vem crescendo constantemente e não pode passar despercebido.

Por Guilherme Marcon


A Páscoa já está aí e nesta última semana começa uma verdadeira maratona para comprar os ovos de chocolate para a família e amigos.

Com a correria do dia a dia é difícil pesquisar e encontrar o mais barato, e muitas vezes o impulso pode induzir ao erro e consequentemente ao prejuízo para o bolso do consumidor.

As crianças, um público muito especial nesta data festiva, costumam preferir os ovos com brinquedos. Os pais tem a difícil tarefa de convencê-los a optar por escolhas mais acessíveis.

Segundo um levantamento feito pelo site Buscapé, os ovos de chocolate com a mesma marca podem ter até 50% de diferença no valor. É o caso do ovo Ferrero Rocher, com 250 gramas, que pode ser encontrado por R$ 29,90 ou até por R$ 44,90.

Por isso, é altamente recomendável pesquisar antes de sair para comprar ou até mesmo encomendar pela internet.

De acordo com Rodrigo Borer, do site Buscapé, essa diferença pode ocorrer devido à procura por esta ou aquela marca, o que acaba encarecendo ou barateando determinado ovo.

No site do Buscapé você pode encontrar as principais marcas e as respectivas diferenças entre elas. 

Por Natali Alencar


Um relatório divulgado na terça-feira (dia 27 de março) pela Receita Federal do Brasil demonstrou que a arrecadação de tributos vem crescendo no país. Somente em fevereiro, o total recolhido pelo governo federal foi de R$ 71,9 bilhões. O resultado foi 5,91% superior ao mesmo mês do ano passado, sendo que a inflação já foi descontada da conta.

No entanto, se comparado a janeiro, a arrecadação de impostos sofreu queda de 30,22%, já que no primeiro mês do ano tinham sido arrecadados R$ 103,041 bilhões. Em todo o ano, o valor acumulado chega a R$ 174,9 bilhões, apresentando crescimento de 5,99%, já descontado a inflação.

O resultado foi influenciado por dois quesitos opostos. Enquanto o faturamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) registrou diminuição de 2,03% na arrecadação (devido às ações do governo federal), a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) aumentou 37,9%. A expansão na arrecadação da CSLL foi incentivada, principalmente, pelo crescimento do pagamento de instituições financeiras.

A previsão do governo para os próximos meses é de que a arrecadação continue aumentando, apesar de isso acontecer em patamar menor do que o registrado no ano passado.

Fonte: Receita Federal

Por Matheus Camargo


Segundo um levantamento realizado pela Abima (Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias), o setor de pães industrializados no Brasil cresceu 56% no período de quatro anos, o estudo foi realizado em parceria com a empresa de consultoria Nielsen e levou em consideração os anos de 2007 a 2011.

O valor das transações envolvendo o setor chegou a atingir R$ 3,2 bilhões. Foram analisados também os bolos feitos industrialmente, que cresceram 46% (levando em consideração o mesmo período) e atingiram um patamar de R$ 590 milhões no ano passado.

Com relação ao volume comercializado, o pão de forma alcançou um valor superior a 990 milhões de toneladas, já os bolos alcançaram a marca de 299 milhões.

Para o presidente da Abima, Claudio Zanão, esse resultado é o reflexo da procura das pessoas por uma alimentação mais saudável, o que fez com que o consumo de pão aumentasse nos últimos anos. Para ele, os brasileiros procuram variedade de pães, como os integrais e os com grãos, por esse motivo as empresas costumam lançar diversas novidades constantemente.

A pesquisa também analisou o consumo per capita dos pães. De acordo com os dados divulgados, cada habitante consumiu 5,2 kg de pão em 2011, sendo que em 2007 esse valor era de 4,2 kg. Já com relação aos bolos, o consumo subiu de 1,2 kg em 2007 para 1,6 kg em 2011.

Por Joyce Silva


Se depender da expectativa dos vendedores, as pessoas não deixarão de lado os chocolates na Páscoa de 2012.

De acordo com uma pesquisa, 85% dos supermercadistas acreditam que as vendas deste ano irão superar o mesmo período do ano passado. A expectativa com isso é que haja um crescimento de 11,1% nas vendas dos produtos relacionados ao período.

Já os outros 15% dos entrevistados pensam que as vendas ficarão no mesmo patamar.

O estudo foi realizado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Além da espera de um grande público consumidor, também foi constatado um aumento de pedidos de produtos pelos supermercados, dentre eles estão o bacalhau, refrigerante, azeites, peixes em geral e, claro, os ovos de páscoa.

Outro dado interessante do estudo é que os preços não são a causa do aumento da procura. Diversos produtos tiveram aumento com relação à Páscoa de 2011. Dentre eles, a maior alta se concentra nas bebidas como cerveja (7,7% mais caro) e refrigerante (com alta de 5,9%). No caso do bacalhau, peixe muito consumido no feriado da sexta-feira santa, o aumento foi mais tímido (1,5%).

Em geral, os ovos de páscoa estão 5,9% mais caros do que no ano passado.

Por Paulo Talarico


A consultoria Frost & Sullivan divulgou um estudo que apontou um crescimento no mercado de Tecnologia da Informação no Brasil. Segundo os dados da consultoria, esse setor movimentou mais de US$ 11 bilhões no ano passado, isso representou um aumento anual de 11,5%, o país já representa 50% de todo o mercado de TI da América Latina.

A previsão é que em 2012 o faturamento dessas empresas ultrapasse os US$ 12,9 bilhões, o que representaria um crescimento de mais de 9%.

Uma das explicações da empresa para essa crescente participação do Brasil no mercado de TI é a preocupação cada vez maior de empresas com a segurança de seus sistemas, não é à toa que as instituições que oferecem serviços financeiros representam mais de 20% do total da receita vinda desse setor, em segundo lugar aparecem empresas de Ti & Telecom, acompanhadas por empresas de Manufatura e Indústria.

A importância do setor na economia brasileira ficou evidente com a participação maciça de empresas em um dos eventos mais conhecidos do setor no país, a Ciab Febraban, que já está com os stands praticamente esgotados. Em sua 22ª edição, estão previstos que o número de participantes de 2012 supere o registrado no ano passado.

Por Joyce Silva


Os produtos comercializados pela internet apresentaram deflação de 10% no ano passado, os dados são do Índice Fipe.

Segundo as informações do Fipe, entre o período de janeiro do ano passado e janeiro desse ano, os preços apresentaram quedas mensais, porém nos meses de agosto de 2011 e janeiro de 2012 houve um ligeiro aumento de 0,59% e 0,90%, respectivamente.

Foram pesquisadas ao todo 151 categorias, sendo que em 84% desse total a queda foi de 10,3% em média, em 24 das categorias houve aumento nos valores de 3,1%.

A telefonia encabeça a lista dos produtos que mais apresentaram queda, com 18,1%. Para especialistas, essa queda expressiva foi influenciada pelos aparelhos de celulares, que apresentaram queda de mais de 20%.

Em segundo lugar aparecem os eletrônicos, que ficaram 16,7% mais baratos. Os aparelhos de televisão foram os que mais apresentaram desvalorização, com 17,7%, acompanhados pelos aparelhos de Blu-ray e GPS, com quedas de 22,5% e 15,6%, respectivamente.

Com relação aos eletrodomésticos, que tem como forte concorrente os eletrônicos, a queda foi de 6,2%. Um dos responsáveis por essa queda, nesse caso, foi o Governo Federal e seus incentivos, em especial a redução do IPI.

Por Joyce Silva


Segundo o que foi decidido hoje pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), os bancos que trabalham com microcrédito produtivo em breve estarão habilitados para utilizar essas linhas de crédito em empréstimos para deficientes. Estes empréstimos poderão ser utilizados para a compra de bens e serviços, como cadeira de rodas, muletas, próteses e aparelhos auditivos.

De acordo com Sérgio Odilon dos Anjos, chefe do Departamento de Normas do Banco Central, a medida ainda não está válida e em breve será divulgada uma lista com todos os produtos que poderão ser comprados com esse crédito. A lista será feita em parceria com o Ministério da Fazenda, o Ministério da Ciência e Tecnologia e a Secretaria de Direitos Humanos.

A taxa de juros para este tipo de empréstimo não poderá passar de 2% ao mês. Além disso, a tarifa de abertura de crédito não pode exceder 2% do total do crédito cedido.

A linha de crédito também terá algumas regras importantes. Não terá direito quem ganhar mais que dez salários mínimos mensais, o valor máximo que poderá ser emprestado é de R$30 mil e os bens adquiridos não poderão ser utilizados para fins de comércio.

Fonte: G1

Por Jéssica Posenato


Encerrar o mês com dinheiro em conta é para poucos. Estudos apontam que parte da população possui dificuldades em administrar seu salário para que ele compreenda todo um período. Controlar os gastos, sobretudo em meio às novas medidas do governo federal, é praticamente um desafio.

Quem possui iPhone já conta com um aplicativo capaz de colaborar para o intento. Denominado ‘Finanças Iradas’, baseado na coleção de livros “Meninas Iradas”, de Mara Luquet e Andrea Assef, ambas jornalistas, o software promete assessorar o usuário no controle de gastos, melhor organização financeira e, por fim, como investir na Bolsa de Valores.

A ferramenta, segundo Flávia Bravin, diretora-editorial da Editora Saraiva, permite ao brasileiro administrar suas receitas e despesas, inclusive assinalando em qual área é possível economizar e tornar o dinheiro mais rentável. O aplicativo possui um jogo integrado que mostra ao usuário mais informações sobre o mercado de ações.

O ‘Finanças Iradas’, desenvolvido para iPhone 3GS ou 4 e iPods touch da 2ª a 4ª geração está disponível na Apple Store por apenas US$ 3,99.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa





CONTINUE NAVEGANDO: