Veja algumas dicas de como trabalhar em casa, trabalhando com internet.

Estamos chegando ao fim de mais um ano e nessa época é comum as pessoas começarem a se planejar para o próximo ano. Muitos podem ser os planos para o ano novo, mas muita gente planeja arrumar um trabalho novo para ser a sua fonte de renda ou uma renda complementar.

Uma modalidade de trabalho que é nova, mas que já envolve um grande número de pessoas no mundo inteiro e vem crescendo a cada ano é o trabalho pela internet. Afinal, quem não gostaria de trabalhar em casa, sem precisar sair, enfrentar o trânsito muitas vezes caótico, sem um chefe e no conforto de seu lar?

Há pessoas que pensam que este tipo de trabalho não existe, mas elas estão enganadas, em países do exterior, por exemplo, uma grande parcela dos trabalhadores já realizam suas atividades em suas residências, como freelances e o número dessa classe de trabalhadores tem aumentado consideravelmente.

Nesse sentido, se você está querendo uma atividade que lhe dê uma boa renda, o trabalho pela internet é o que você realmente procura.

Veja abaixo algumas dicas de como ganhar dinheiro pela internet:

Venda de produtos novos ou usados: a internet hoje é uma porta aberta para vendas. Os produtos para venda podem ser roupas, calçados, produtos eletrônicos, cosméticos e tudo o que você achar que alguém poderá se interessar. Até mesmo produtos usados têm uma boa saída nesse comércio, desde que estejam em um bom estado de conservação. Uma dica para quem vai começar é utilizar as páginas de suas redes sociais para apresentar seus produtos. Outra página muito visitada é o Mercado Livre que cobra uma pequena comissão pelas vendas feitas e oferece uma grande exposição. Assim, se você ver o que o seu negócio está indo bem, você poderá montar o seu próprio site.

Ser redator para blogs e portais: Se você habilidade para escrever textos uma opção é se tornar um freelancer para blogs e portais, que geralmente oferecem esse tipo de serviço. Existem alguns sites muito conhecidos que contratam freelances para redação e texto de variados assuntos, como a Blogolândia, Prolancer, Busca e Freelas. Encontre um que publique assuntos que você possui interesse e se cadastre. Há também sites que contratam freelances para outros trabalhos como tradução e textos, marketing e vendas, além e outras áreas. Se você se interessou por esse tipo de atividade faça uma pesquisa na internet para buscar pelos sites que oferecem esse tipo de trabalho.

Realizar Testes e Avaliações de produtos: Como o comércio de produtos e serviços é um mercado muito forte, a maioria das empresas contratam pessoas para serem avaliadores de seus produtos. Um site muito conhecido nessa área é o Eu Testei, em que o contratado recebe um produto, testa e revela a sua opinião, sendo recompensado por isso, seja em dinheiro ou por meio de vale-compras como na empresa Carrefour. Se você se interessou acesse o site e faça o seu cadastro.

Youtuber: o Youtube tem se tornado uma grande fonte de dinheiro. Mas para se tornar um youtuber de sucesso é preciso possuir um perfil bem comunicativo, com ideias criativas que chamem a atenção do público. Para ganhar dinheiro com essa atividade seus vídeos devem possuir uma boa quantidade de visualizações e diversos anúncios. Não é um caminho fácil, mas se seus vídeos caem no gosto de uma boa quantidade de internautas você poderá ganhar muito dinheiro. Pesquise no próprio Youtube dicas para ser um youtuber de sucesso.

Enfim, a Internet é uma terra onde todos podem conquistar um espaço e se dar muito bem. Mas antes de qualquer coisa é preciso estar focado em uma atividade e se inteirar sobre tudo o que a envolve a atividade que você deseja seguir. Planeje-se e boa sorte.

Por Sirlene Montes

Ganhar dinheiro na internet


Você está trabalhando em casa e divulgando o seu trabalho online? O sucesso nem sempre é fácil.  Veja alguns erros frequentes que podem estar impedindo o seu crescimento online e corrija-os:

  1. Excesso de categorias ou falta delas: uma das maneiras de deixar o site mais atrativo e gostoso de navegar é dividir os posts em categorias. Isso também é essencial para otimizar o site e fazer com que ele suba no ranking dos buscadores;
  2. Falta de links: os links internos são um grande atrativo e ajudam a levar o leitor para outras páginas do blog que possam ser interessantes. É uma maneira de melhorar a rapidez do site ou melhor, de melhorar a rapidez de navegação no site. É importante ressaltar que não se deve exagerar. Três links é um número bom para um texto de 500 palavras, por exemplo. Claro que esses textos precisam ser otimizados para que o resultado seja satisfatório. Eles também fazem parte do processo de otimizar páginas em SSL;
  3. Falta de artigos relacionados: é muito interessante ao chegar ao final do artigo e encontrar links interessantes com temas semelhantes para aprofundar a leitura. Essa é uma ótima maneira de fidelizar o leitor. Para isso, é necessário ter vários artigos sobre o tema proposto, porém, nunca exagere no número de sugestões. Duas são suficientes;
  4. Excesso de Anúncios: muitas vezes o desespero é tanto para conseguir atingir um rendimento com o blog que o administrador exagera no número de banners. Isso costuma espantar o leitor. A propaganda precisa existir, mas nada muito chamativo e nem desalinhado. O site precisa ser atrativo visualmente e limpo;
  5. Banners intrusivos demais: os banners flutuantes podem até aumentar o número de cliques consideravelmente, porém, atrapalham muito a leitura e ao invés de atrair pessoas, afasta. É um erro muito frequente e que precisa ser evitado, para que o rendimento e o crescimento online venham a acontecer. 

Por Milena Godoy


Uma das maiores novidades de 2014 é que o brasileiro poderá abrir seu tão sonhado próprio negócio.

A internet tem contribuído muito com empreendedores de diversas áreas, principalmente da área de vendas, e tem atraído milhares de expectadores para este meio, tanto empreendedores como consumidores. Isso se dá pelo fato da expansão do e-commerce, além da ampliação de tecnologias inovadoras que facilitam consumidores online.

Se você quer se tornar um empreendedor de sucesso na internet, atente-se as dicas a seguir:

  • Primeiramente, analise bem o mercado e o público alvo que quer atingir com seu produto. Deixe muito claro todas as informações a respeito do produto que você está vendendo e sobre os dados de entrega dele.
  • Crie uma loja online com uma página objetiva e fácil de ser navegada pelos consumidores.
  • Facilite sempre a comunicação com seus clientes, procure sempre colocar seus dados para eles tirarem dúvidas.
  • Busque sempre as melhores formas de pagamento e as melhores entregas para seus produtos. Clientes gostam de praticidade.
  • Procure divulgar as novidades de seus produtos na página de sua loja.
  • Planeje sempre. Planejamento é a chave do negócio.
  • Inove em seus produtos, pois quanto mais exclusivo ele for, mais chances ele terá de conquistar um público alvo.
  • Prepare um tempinho do seu dia-a-dia para pensar sobre ideias novas e se dedique exclusivamente para sua loja.
  • Escolha plataformas de criação de lojas virtuais que sejam fácil de manusear e que ofereceram diversas ferramentas para isso, assim você otimizará seu tempo.
  • Promova o marketing de sua loja, crie uma marca, envie e-mails para seus amigos e parentes para promover sua loja, crie um blog com temas atrativos e faça uma página nas redes sociais para que as pessoas possam ter mais acessos e visibilidade de seus produtos.
  • Tenha coragem e planejamento sempre, pois são fundamentais para se ter sucesso em um negócio próprio. Melhor agora do que nunca!  Não perca mais tempo e comece seu negócio próprio, com o tempo você vai aprendendo com ele e vai se ajustando de acordo com o mercado.

Por Daniela Almeida da Silva


O especialista em marketing digital, Conrado Adolpho, criou a ferramenta “I Jumper” para empreender na web e ter lucro. Recentemente, Conrado lançou o livro “I Jumper – O Novo Empreendedor da Economia Digital”, que é disponibilizado gratuitamente na internet através do site www.ijumper.com.br, basta fazer o cadastro e baixar o e-book.

Você já ouviu falar nessa ferramenta? É na verdade, um conjunto de estratégias e técnicas para que o empreendedor, além de desenvolver um produto interessante, também consiga vendê-lo na internet. A primeira e mais importante técnica é o engajamento de pessoas. Depois de definido seu público-alvo e seu nicho de mercado, você que é empreendedor precisa conversar com seus possíveis futuros clientes para entender qual a real necessidade deles. Isso vai te ajudar a desenvolver um produto personalizado para esse público.  

Depois, vem a propaganda, que é a alma do negócio. Mas os anúncios e comerciais devem ser criados para atrair as pessoas, e não para vender os produtos. Se não, o internauta se sentirá "invadido" e rejeitará as informações que você oferece. Outra técnica é a de construção de uma reputação da empresa ou do produto que você está tentando vender. É um processo longo, que não acontece de um dia para o outro.

Segundo o especialista, criar um produto online é mais simples e barato porque não envolve custos de distribuição, estoque e logística de entrega. Com cliques, o produto é vendido. Outra vantagem é que você consegue empreender no seu tempo livre e criar seu negócio aos poucos. Com a ferramenta, administrar o negócio também é uma tarefa fácil, garante Conrado, que defende ainda que os empreendedores podem criar conteúdo para ser vendido por tempo indeterminado na internet, ou seja, o empreendedor “gasta” tempo uma única vez para gerar o conteúdo digital e colhe os frutos das vendas indeterminadamente. Mora aí o segredo do sucesso e dos lucros que você pode obter com um negócio online!

Por Nathália Sartorato


Essa semana a consultoria ComScore apresentou a pesquisa "2012 Brazil Digital Future in Focus", que traçou um panorama do uso da internet no país.

De acordo com o estudo, os consumidores do Brasil estão comprando mais pela internet. O aumento foi de 30% em 2011, quando comparado ao ano anterior. Esse crescimento seguiu uma tendência mundial, porém os brasileiros ainda gastam menos tempo em sites de e-commerce que os internautas de outros países. 

Outro ponto abordado pela pesquisa foi com relação às categorias dos sites. Entre os portais analisados, os sites que comparam preços estão entre os mais procurados pelas pessoas que estão dispostas a fazer alguma compra pela internet. A pesquisa apontou que um a cada três consumidores usou esses sites antes de realizar uma compra no ano passado. Em dezembro de 2011, foram realizadas quase 7 milhões de pesquisas nesses portais, o que representa um aumento de 37% quando comparado ao mesmo período de 2010.

Entre os sites mais visitados pelos internautas do Brasil, estão os blogs e os portais de entretenimento, sendo que os especializados em viagens não ocupam uma posição de destaque.

Outra característica dos usuários de internet no Brasil é a crescente procura por sites de notícias.

Por Joyce Silva


Os produtos comercializados pela internet apresentaram deflação de 10% no ano passado, os dados são do Índice Fipe.

Segundo as informações do Fipe, entre o período de janeiro do ano passado e janeiro desse ano, os preços apresentaram quedas mensais, porém nos meses de agosto de 2011 e janeiro de 2012 houve um ligeiro aumento de 0,59% e 0,90%, respectivamente.

Foram pesquisadas ao todo 151 categorias, sendo que em 84% desse total a queda foi de 10,3% em média, em 24 das categorias houve aumento nos valores de 3,1%.

A telefonia encabeça a lista dos produtos que mais apresentaram queda, com 18,1%. Para especialistas, essa queda expressiva foi influenciada pelos aparelhos de celulares, que apresentaram queda de mais de 20%.

Em segundo lugar aparecem os eletrônicos, que ficaram 16,7% mais baratos. Os aparelhos de televisão foram os que mais apresentaram desvalorização, com 17,7%, acompanhados pelos aparelhos de Blu-ray e GPS, com quedas de 22,5% e 15,6%, respectivamente.

Com relação aos eletrodomésticos, que tem como forte concorrente os eletrônicos, a queda foi de 6,2%. Um dos responsáveis por essa queda, nesse caso, foi o Governo Federal e seus incentivos, em especial a redução do IPI.

Por Joyce Silva


Uma recente pesquisa divulgada pela empresa eMarketer apontou um crescimento de 21,9% no segmento de compras feitas pela internet no Brasil, esse percentual representa efetivamente um acréscimo de US$ 19 bilhões se comparado ao ano de 2011.

Ainda segundo o estudo, em 2013 o país poderá ser o responsável por mais da metade das transações online na América Latina.

A explicação para esse bom momento do mercado de e-commerce é o crescimento da economia brasileira.

Apesar dos dados positivos, uma das preocupações do mercado é com relação à chegada de empresas internacionais, porém especialistas apontam que esses investimentos serão vantajosos para o comércio eletrônico no Brasil.

Segundo profissionais de e-commerce, as empresas que pretendem fazer parte do segmento precisam ficar atentas a alguns pontos importantes, como por exemplo, a satisfação do cliente final, esse ainda é um dos maiores motivos de reclamação dos consumidores.

Outro ponto é com relação à segurança desse tipo de site, como essas transações exigem que os usuários informem dados, é importante que o empresário tenha uma loja segura e sem riscos de vazamento de dados.

Por Joyce Silva


O sonho de ganhar na Mega-Sena leva muitos brasileiros a correrem às Lotéricas de todo o país. Uma vida mais confortável, recheada de requinte e menos pressão pode ser refletida na esperança de cada cidadão, a qual pode ser vista em cada expressão pelas filas desses locais.

Uma aposta nem sempre pode ser realizada, pois nem todo local de trabalho está próximo de casas Lotéricas. Os correntistas da Caixa Econômica Federal (CEF), porém, podem fazer sua fezinha diretamente pela rede mundial de computadores. Para tanto, é preciso acessar o Internet Banking de sua conta bancária e escolher os números. O limite diário afixado para cada usuário é de R$ 100 e independente da quantia o débito é realizado diretamente na conta corrente.

As apostas, que devem ser realizadas entre 12h e 18h, são voltadas apenas a pessoas físicas com idade igual ou superior a 18 anos. A Teimosinha e a Surpresinha não estão disponíveis no sistema por enquanto.

O valor de cada aposta é o mesmo do praticado nas Lotéricas.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa


O setor de telecomunicações passou a se expandir com elasticidade após a privatização da antiga Telesp, segundo afirmações do ex-governador de São Paulo, José Serra. O segmento, aliás, cresce ano a ano, tanto que na cidade de São Paulo, por exemplo, medidas de expansão de números para a telefonia móvel tiveram de ser emplacadas – tais como adição do dígito 5, antes utilizado apenas pela modalidade fixa.

Compreendo o setor, informações da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) apontam aumento de 51,5% no número de acessos em banda larga móvel e fixa das prestadoras de telecomunicações no primeiro trimestre de 2011 em comparação ao período igual de um ano antes, para 38,5 milhões.

Os números favorecem alguns pontos estatísticos ao Brasil. Segundo a Telebrasil, consultorias internacionais indicam o país como o oitavo mais bem posicionado no mundio no ramo de banda larga móvel e a nova colocação entre as nações com os maiores acessos fixos.

Destacada a banda larga fixa, os acessos ao final do primeiro trimestre chegaram a 14 milhões, dados que representam aumento de 20,5% em comparação ao período análogo de 2010. Em relação às conexões móveis, 24,4 milhões, avanço de 77,7% em detrimento aos 13,7 milhões registrados no mesmo intervalo do ano passado.

Mantendo-se essa tendência o Brasil precisará, em poucos anos, adotar medidas que permitam a expansão do número de acessos fixos e móveis. Este setor, em especial, é um ótimo campo para quem deseja conquistar uma oportunidade de emprego e crescer profissionalmente, aos poucos.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Uma novidade que está na moda e tomou conta das cabeças dos brasileiros são as compras coletivas pela Internet. Há diversos sites que oferecem descontos de até 90% em diversas categorias, desde uma massagem, uma viagem ou até churrascarias. Eles começaram a surgir há pouco tempo, mas hoje são centenas em todo o Brasil.

Os usuários sentem-se satisfeitos, pois podem usufruir da boa qualidade do produto por um ótimo preço. No entanto, os produtos ou serviços só podem ser adquiridos pelo preço anunciado se houver um número indicado de compradores. Então, o apelo desses sites é fazer com que os usuários os divulguem e conquistem mais pessoas para compartilhar da mesma promoção.

Mas não deixa de ser uma ótima opção para quem gosta ou precisa economizar. 

Por Flávia Yoshitani


A velocidade e a economia propiciadas pela rede mundial de computadores têm atraído novos interessados por seus serviços, conforme é possível constatar a cada novo levantamento realizado por institutos especializados.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o Débito Direto Autorizado (DDA), um dos sistemas, já possui em torno de cinco milhões de clientes registrados. Esse serviço consiste, basicamente, em possibilitar ao cidadão receber boletos pela rede, deixando para trás a impressão (em papel) do documento de cobrança.

Com esse resultado e cálculos relativos, 230 milhões de boletos virtuais foram movimentados. A Febraban prevê que até o final deste ano o número de pessoas que venham a fazer uso do DDA chegue a 10 milhões.

Vigente desde outubro de 2009, o sistema tem na praticidade a chave para o sucesso, uma vez que permite ao cidadão, por exemplo, receber o documento no prazo certo.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1





CONTINUE NAVEGANDO: