Saiba aqui como usar o site do Serasa para renegociar suas dívidas.

Atire a primeira pedra quem nunca esqueceu de quitar uma conta ou, ainda, não fez o cálculo exato do dinheiro do mês e acabou deixando vencer um boleto bancário. Se você já passou por qualquer uma dessas situações, deve saber que, em alguns casos, a companhia para a qual você está devendo irá incluir o seu CPF na lista de inadimplentes, como o Serasa. Esses locais são muito utilizados posteriormente como uma referência das instituições ou dos bancos para a garantia de boas qualificações, seja para oferecer empréstimos ou créditos, por exemplo. Então, se o seu nome consta na lista de devedores, é bem possível que você tenha vários problemas na hora de financiar imóveis, obter crédito ou, ainda, solicitar cartões de lojas específicas.

Nome sujo. E agora? Apesar de ser uma situação no mínimo incômoda, “limpar” o seu nome não exige medidas tão drásticas como se imagina, sendo inclusive muito fácil de fazer. Isso porque o próprio Serasa já criou uma ferramenta que possui o nome de “Serasa Limpa Nome”, que ajuda na resolução de tal problema na modalidade online. Sendo assim, a ideia é de que os usuários possam consultar de forma muito prática os seus possíveis débitos que estejam no seu CPF, de forma a renegociar também as suas dívidas com alguns descontos e com o pagamento parcelado.

Porém, é muito importante lembrar que ainda são poucas empresas que estão participando desse sistema. Todavia, sabe-se que esse já abrange boa parte das prestadoras de serviços voltados para as telecomunicações, bancos, companhias de cartão de crédito e instituições de educação. Podem-se citar entre elas as seguintes participantes: Itaú, Santander, Vivo, Porto Seguro Cartões, Recovery, Net/Claro/Embratel, Tricard, CredSystem e Ipanema Credit Management.

Então, se você ficou curioso e quer saber como fazer para limpar o seu nome, fique ligado nas dicas que nós te daremos a seguir. Vamos a elas.

Como faço para “limpar” o meu nome?

Para limpar o nome é muito simples. Se você tiver qualquer dívida, basta se cadastrar na plataforma do Serasa, disponível no site do órgão no endereço eletrônico https://www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online/. Nesse link, é possível consultar o seu número de CPF e, também, se cadastrar na plataforma. Para a última opção, é só clicar em “Cadastre-se”. É possível vincular também à plataforma por meio de uma conta particular no Facebook ou no Google.

Feito o cadastro na ferramenta, o usuário precisa clicar em “Listagem de Ofertas”. Por esse local é possível fazer a checagem das propostas para a renegociação de uma dívida para um determinado CPF. Somente estarão disponíveis tais detalhes se as empresas se dispuserem a renegociar.

No local intitulado “Meus Acordos, ainda é possível consultar pelas dívidas que já foram renegociadas e imprimir os boletos para os pagamentos dos eventuais parcelamentos dos débitos que serão renegociados.

Sem proposta de renegociação: o que fazer? E, além de tudo que já foi citado, no mesmo portal ainda é possível verificar se ainda há dívidas que estão ativas no seu CPF e que ainda não tenham tido quaisquer propostas para renegociação por meio da plataforma “Limpa Nome”. Para visualizar essa opção, basta clicar em “Serasa Consumidor”.

No caso dos débitos sem uma proposta para o seu pagamento, é indicado que o devedor entre diretamente em contato com a própria empresa para que seja feita a renegociação da dívida. Isso porque muitas organizações ainda não estão cadastradas na plataforma, utilizando de outros meios para entrar em contato com o consumidor. Porém, a tendência é de que sempre mais empresas acabem se cadastrando para esse sistema. Com isso, o futuro nesse sentido é tanto o de facilitar a vida de quem tem as contas a receber, como de garantir praticidade para aqueles que possuem as dívidas pendentes de pagamento.

Kellen Kunz


Confira aqui algumas dicas para melhorar a organização de suas contas.

O final de ano se aproxima e isso é sinônimo de aumento de gastos para a maioria dos Brasileiros. Nessa época do ano, as pessoas começam a se preparar para as festas, compram presentes para amigos e familiares, roupas para usar no Natal e Ano Novo, investem na reforma da casa, entre outros gastos. Em muitos casos, esses gastos excedentes acabam indo parar na fatura do cartão de crédito, ou pior, novos empréstimos são contratados, o limite do cheque especial vira opção ou dívidas importantes são deixadas de lado.

Para não cair nas armadilhas de final de ano e acabar gastando mais do que ganha, é preciso ter muita cautela. Ainda mais quando o comércio se organiza para atrair a atenção de potenciais compradores, oferecendo vantagens, promoções e liquidações que podem fazer o consumidor perder o foco e o controle das finanças. Se você quer saber como se organizar de forma a começar 2019 no azul, acompanhe nossas dicas e veja como manter o orçamento na palma das mãos.

Organizando a vida financeira

Não é muito difícil encontrar pessoas que não têm ideia de quanto gastam por mês. A água e chocolate comprados no trajeto de casa para o trabalho, a cerveja ou refrigerante com os amigos no fim do expediente e a pizza com a família aos finais de semana compõem a lista de despesas não contabilizadas durante o mês. A maioria das pessoas costuma anotar apenas as despesas mais básicas, como a conta de luz, água e internet, por exemplo. Esse costume configura erro, pois, os pequenos gastos podem se transformar em valores exorbitantes quando calculados.

A solução para manter tudo em ordem é colocar na planilha todos os gastos, pequenos ou grandes. Após somados, eles precisam ser debitados da quantia líquida arrecadada por mês e o saldo final precisa ser positivo. Se ao contabilizar você perceber que só conseguirá pagar o valor mínimo das compras com o cartão de crédito, deixando parte da dívida para o mês seguinte, sentimos informar que seu orçamento não fecha e, talvez, a solução seja deixar de fazer compra com essa modalidade de pagamento. Na dúvida prefira pagamentos em dinheiro, mas somente se estiver sobrando. Tentar não cair na ilusão do cheque especial é outra dica importante.

Cartão de crédito não significa mais dinheiro

Algumas pessoas entendem o cartão de crédito como complemento de renda. É essa mentalidade que leva o consumidor a ir ao supermercado e utilizar o crédito como forma de pagamento, por exemplo. É preciso entender que os gastos com alimentos se repetirão todos os meses, portanto, se houver necessidade de usar a modalidade de crédito, evite parcelar, deixando parte da dívida para o mês seguinte.

Segundo especialistas, cerca de 40% da renda mensal é gasta com a compra de alimentos e esse valor deve estar incluso no orçamento mensal. Se o valor destinado às compras de mês não for suficiente, o ideal é rever a lista de compras e evitar o que for dispensável. Refrigerantes, salgadinhos e aperitivos podem ser deixados de lado, nesse caso. Se houver a possibilidade de mudar para uma marca mais barata, mas com qualidade similar, não hesite em mudar. Outra opção é ir atrás das promoções agendadas que alguns mercados fazem e, quem sabe, ir em mais de um supermercado ou ir também no dia das promoções mais vantajosas.

Imponha limite ao orçamento

Como já ressaltamos, a planilha de gastos é a única forma de saber se seu salário cobre todas as despesas. Feito isso, você poderá saber onde você pode reduzir gastos ou em que área você pode investir mais dinheiro.
Se você planeja viajar no final do ano, determine previamente um valor para gastar enquanto estiver viajando. Isso evitará surpresas e aperto financeiro ao retornar. Além disso, você precisa estar ciente que a chegada de um novo ano é sinal de reajuste. Aumento na mensalidade do colégio ou da faculdade e até mesmo reajuste nos serviços prestados por companhias de água e luz precisam ser previstos antes de gastar demais no passeio.

Não há nada de errado com as lembrancinhas

Se você já anotou, somou e debitou todas as despesas do salário e descobriu que precisa mesmo economizar, comece a cortar despesas imediatamente. Se a intenção é presentear os entes queridos nas festas de final de ano, considere dar apenas lembranças ao invés de presentes muito caros. No entanto, se você está com o orçamento estourado, o ideal é descartar os mimos esse ano.

Boas marcas também entram em liquidação. Através do site da sua loja preferida você pode pesquisar as opções de roupas e montar um look para o fim de ano gastando menos. Ir à loja tendo em mente o que procura ajuda a evitar o excesso na hora da compra. Dá para se vestir bem gastando pouco e a internet pode ser sua aliada nesse momento.

Tome medidas radicais

Se é tempo de radicalizar, radicalize. Ruas e edifícios comerciais são uma tentação nessa época. Esses locais estão sempre tumultuados e repletos de promoções irresistíveis. Portanto, se houver a possibilidade de trocar o trajeto, mude. Você pode guardar uma pequena quantia em dinheiro na carteira somente para emergências, evitando carregar muitos cartões e se tornar presa fácil na hora da tentação.

Em tempos de crise, o consumidor precisa policiar as finanças rigorosamente. O ideal é tentar pagar todas as dívidas ou boa parte dela. Renegocie, se houver essa possibilidade. Reserve uma parte da renda para possíveis despesas, compra de remédios, por exemplo, e pense no décimo terceiro salário como um dinheiro extra e não como parte do orçamento, mas, se precisar, use para quitar as dívidas e começar 2019 no azul.

Por Nanny Cunha


Veja algumas dicas de como trabalhar em casa, trabalhando com internet.

Estamos chegando ao fim de mais um ano e nessa época é comum as pessoas começarem a se planejar para o próximo ano. Muitos podem ser os planos para o ano novo, mas muita gente planeja arrumar um trabalho novo para ser a sua fonte de renda ou uma renda complementar.

Uma modalidade de trabalho que é nova, mas que já envolve um grande número de pessoas no mundo inteiro e vem crescendo a cada ano é o trabalho pela internet. Afinal, quem não gostaria de trabalhar em casa, sem precisar sair, enfrentar o trânsito muitas vezes caótico, sem um chefe e no conforto de seu lar?

Há pessoas que pensam que este tipo de trabalho não existe, mas elas estão enganadas, em países do exterior, por exemplo, uma grande parcela dos trabalhadores já realizam suas atividades em suas residências, como freelances e o número dessa classe de trabalhadores tem aumentado consideravelmente.

Nesse sentido, se você está querendo uma atividade que lhe dê uma boa renda, o trabalho pela internet é o que você realmente procura.

Veja abaixo algumas dicas de como ganhar dinheiro pela internet:

Venda de produtos novos ou usados: a internet hoje é uma porta aberta para vendas. Os produtos para venda podem ser roupas, calçados, produtos eletrônicos, cosméticos e tudo o que você achar que alguém poderá se interessar. Até mesmo produtos usados têm uma boa saída nesse comércio, desde que estejam em um bom estado de conservação. Uma dica para quem vai começar é utilizar as páginas de suas redes sociais para apresentar seus produtos. Outra página muito visitada é o Mercado Livre que cobra uma pequena comissão pelas vendas feitas e oferece uma grande exposição. Assim, se você ver o que o seu negócio está indo bem, você poderá montar o seu próprio site.

Ser redator para blogs e portais: Se você habilidade para escrever textos uma opção é se tornar um freelancer para blogs e portais, que geralmente oferecem esse tipo de serviço. Existem alguns sites muito conhecidos que contratam freelances para redação e texto de variados assuntos, como a Blogolândia, Prolancer, Busca e Freelas. Encontre um que publique assuntos que você possui interesse e se cadastre. Há também sites que contratam freelances para outros trabalhos como tradução e textos, marketing e vendas, além e outras áreas. Se você se interessou por esse tipo de atividade faça uma pesquisa na internet para buscar pelos sites que oferecem esse tipo de trabalho.

Realizar Testes e Avaliações de produtos: Como o comércio de produtos e serviços é um mercado muito forte, a maioria das empresas contratam pessoas para serem avaliadores de seus produtos. Um site muito conhecido nessa área é o Eu Testei, em que o contratado recebe um produto, testa e revela a sua opinião, sendo recompensado por isso, seja em dinheiro ou por meio de vale-compras como na empresa Carrefour. Se você se interessou acesse o site e faça o seu cadastro.

Youtuber: o Youtube tem se tornado uma grande fonte de dinheiro. Mas para se tornar um youtuber de sucesso é preciso possuir um perfil bem comunicativo, com ideias criativas que chamem a atenção do público. Para ganhar dinheiro com essa atividade seus vídeos devem possuir uma boa quantidade de visualizações e diversos anúncios. Não é um caminho fácil, mas se seus vídeos caem no gosto de uma boa quantidade de internautas você poderá ganhar muito dinheiro. Pesquise no próprio Youtube dicas para ser um youtuber de sucesso.

Enfim, a Internet é uma terra onde todos podem conquistar um espaço e se dar muito bem. Mas antes de qualquer coisa é preciso estar focado em uma atividade e se inteirar sobre tudo o que a envolve a atividade que você deseja seguir. Planeje-se e boa sorte.

Por Sirlene Montes

Ganhar dinheiro na internet


Renda fixa e variável, Fundos de investimento e Ações são bons investimentos para os diferentes perfis neste ano.

Em época de crise, é importante investir dinheiro em um negócio seguro e com boa rentabilidade. Mas fica a dúvida, aonde investir?

O investimento mais recomendado ainda é a renda fixa. No ano de 2017, a previsão é que a taxa de juros real permaneça em torno de 6%, considerado um bom índice.

Para aquele investidor com um perfil mais conservador, o indicado é que ele invista em títulos de renda fixa, com ativos pós-fixados. Para investimentos de curto prazo, os melhores títulos são os CDBs (certificado de depósito bancário) e LCIs (Letras de Crédito Imobiliário). A vantagem das CDB e das Letras é que elas são isentas de imposto de renda para pessoas físicas. Mas, devem ser verificados os prazos de resgate e as taxas.

Ainda para o investidor conservador, outra escolha boa são os Fundos de investimento. É importante verificar as taxas de cada um e as modalidades, pois alguns fundos são de risco alto.

Já para os mais arrojados vale fazer investimentos de renda variável, como em ouro e commodities.

Vale ressaltar que neste ano de 2017, a safra agrícola foi muito boa e investir em commodities agrícolas é um bom negócio. A negociação delas ocorre na Bolsa de Mercadorias (BM&FBovespa). Esse tipo de investimento é de renda variável e tem um risco maior do que os investimentos em renda fixa.

E também para os investidores aventureiros, há a opção de se investir em ações em bolsas de valores.

A terceira opção válida para investimento é sobre a moeda americana: Dólar.

Todavia, devido a volatilidade das moedas, é difícil para a pessoa física trabalhar neste mercado, pois ele não tem acesso fácil as cotações do dólar comercial e acaba investindo nas cotações do dólar turismo. Isso faz com que o investidor perca muito dinheiro devido às variações cambiais imprevisíveis. Mesmo os investidores com perfil arriscado, não gostam muito de operar neste mercado devido a sua grande flutuação. Todavia, as flutuações podem ser bem lucrativas também, sendo um investimento a ser considerado após uma análise bem detalhada do mercado.

É bom procurar boas corretoras para fazer uma análise dos melhores mercados para aplicar o dinheiro. A expectativa é que a economia melhore aos poucos e o PIB tenha um crescimento discreto.

Por Anneliese Gobbes Faria

Melhor investimento


Saiba aqui por quanto tempo é preciso guardar os comprovantes de pagamento.

Se você resolveu fazer aquela faxina e viu que está guardando um monte de comprovantes de pagamentos, mas não sabe bem se pode descartar, pois pode precisar depois, o Senado Federal disponibilizou uma cartilha que pode ajudar sobre isso. Para cada tipo de comprovante existe um prazo de vida útil para sua utillização. Seguem abaixo os comprovantes mais comum e suas datas.

  • Para comprovantes de Imposto de Renda, IPTU, IPVA e demais impostos: A vida útil dos comprovantes é de 5 anos, contando sempre do primeiro dia útil do próximo ano. Comprovantes que são utilizados para deduções do Imposto de Renda também devem ser guardados pelo período citado.
  • Telefone, gás, água e luz: Vida útil de 5 anos.
  • As notas fiscais: Podem ser usadas até o fim da garantia do produtos.
  • Crédito imobiliário: Vida útil até o momento de quitação do imóvel.
  • Aluguel: Vida útil de 3 anos.
  • Condomínio: Vida útil de 5 anos.
  • Cartão de Crédito: Para faturas, a vida útil é de um ano. Para comprovantes de pagamento, a vida útil é de 6 meses para compras à vista e de 5 anos para compras parceladas.
  • Financiamentos, dívidas e contratos: Os comprovantes terão a vida útil até o término do contrato. Para o termo de quitação, o prazo equivale a dois anos.
  • Planos de saúde: Apenas 5 anos, em caso de ser utilizado na declaração de IR.
  • Documentos gerais do veículo e multas: Para o certificado de compra e venda do automóvel a vida útil é da duração da posse do veículo. Para documentos de licenciamento e para pagamento de seguro a vida útil equivale ao prazo de um ano, até serem renovados. Para os comprovantes de multas, a vida útil é de dois anos.
  • Contadores, advogados, dentistas e demais honorários: Vida útil de 5 anos.
  • Seguros: vida útil de um ano após o prazo de vigência.
  • Contracheque: Vida útil de 5 anos.
  • INSS: Por conta da Previdência Social, os contribuintes devem manter o carnê do INSS guardado até o pedido da aposentadoria e do benefício.

Importante: Para a obtenção de quaisquer direitos em cima dos comprovantes, é importante preservar os comprovantes em locais seguros, longe de umidade e calor, para que não se danifique o documento. Alguns locais não aceitam documentos danificados, ainda que no prazo de vigência.

Yamí de Araújo Couto


Confira dicas de como usar da melhor maneira o dinheiro que irá sacar das contas inativas do FGTS. A cautela é principal delas.

Para quem estava na espera, a partir do dia 10 de março os saques do FGTS de Contas Inativas começam. Diante disso, muita gente ainda não sabe o que fazer com esse dinheiro. Os especialistas em economia recomendam cautela com o uso de FGTS inativo, é preciso analisar seu melhor uso.

Veja algumas dicas de como usar o dinheiro do FGTS de contas inativas:

A recomendação número 1 é de que se você possui dívidas, não adianta sacar o dinheiro e gastá-lo com outras coisas. O ideal é que nestes casos as dívidas acumuladas sejam pagas e assim evitam-se os juros, principalmente as dívidas de cartão que são como “bolas de neve”.

Outra dica é para quem está com o nome negativado devido ao não pagamento de prestações. Neste caso procure seus credores e negocie a dívida e “limpe seu nome”.

Já para aqueles que devem parcelas, por exemplo, de automóvel, mas estão em dia, a dica é para que esse valor seja abatido, o que deve dar um bom desconto nos juros.

Agora, se você como milhões de brasileiros encontra-se desempregado, guarde o dinheiro para gastos como supermercado, farmácia, água e energia.

Se você não se encontra em nenhuma dessas situações e R$ 5 mil, a recomendação é de que faça a aplicação deste dinheiro na poupança, uma forma de guardar sem perder nada com tarifas, impostos e ainda rende.

Para aqueles que vão sacar mais de R$5 mil, converse com o gerente do banco e encontre algum fundo de investimento que renda e que tenha menos descontos. Pesquise em mais duas agências antes de decidir.

Para quem está desempregado investir esse dinheiro em algum empreendimento também pode ser vantajoso. Faça uma pesquisa de mercado e pense em um negócio próprio embora pequeno, mas que possa gerar alguma renda, como carrinho de cachorro quente, churrasco, equipamentos de cabelereiro, manicure, barbaria, microfranquias, ou até mesmo um bom curso de capacitação profissional.

Observe todas as dicas e veja qual é a sua situação atual. Lembre-se que a liberação do saldo das contas inativas do FGTS é uma medida emergencial criada para auxiliar os brasileiros nesse momento de crise na economia.

Por Sirlene Montes

Dinheiro


Dicas de como investir o dinheiro e obter bons rendimentos neste ano de 2017.

Para o ano de 2017, tanto os pequenos investidores quanto os de maiores portes deverão estar bastante atentos na hora de investir o seu dinheiro nas aplicações disponíveis no mercado. Esta expectativa foi criada desde novembro de 2016 quando a chamada taxa Selic passou a cair em virtude da mudança da política econômica implantada pelo governo atual.

Atrelada à queda da Selic, o mercado financeiro também se prepara para uma queda gradativa na taxa básica de juros, o que pode influenciar no mercado financeiro e consequentemente no panorama das aplicações bancárias do país.

A partir das avaliações feitas pelos órgãos de controle da economia no país como o Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM), a expectativa gerada com a queda das taxas de juros pode não ser prejudicial assim. A avalição da principal instituição financeira do país, o Banco Central (BC) aposta na manutenção da taxa de juros em dois dígitos, o que favorece algumas aplicações.

Diante deste panorama, o mercado financeiro deverá focar sua atenção em algumas aplicações para este ano de 2017. São elas: a renda fixa, os títulos pós-fixados ligados à variação da taxa Selic e a CDI, as aplicações no Tesouro Direto, os CDBs, os LCs, os LCAs e LCIs. Além disso, para quem é mais conservador e apenas que ter um rendimento mínimo, para não deixar o dinheiro parado no banco e sem correr riscos, a poupança ainda é uma opção, apesar de ser a última para quem pretende ganhar dinheiro com as correções monetárias.

Uma das aplicações que deverá continuar a despontar em 2017 será a compra dos chamados títulos públicos. Ou seja, o pequeno investidor, a partir de uma pequena quantia que não chega nem a R$ 50,00 poderá adquiri-los na sua agência bancária ou nas corretoras de valores de sua confiança. A vantagem desta aplicação é a sua correção atrelada à variação da Selic, entretanto, o ganho ocorre em proporção inversa. Ou seja, quando esta cair de valor, a taxa de juros deverá manter elevada, favorecendo a quem tem dinheiro investido neste tipo de investimento.

Outro tipo de aplicação que deverá se sobressair em 2017 serão as chamadas LCIs e LCAs. A primeira são as chamadas Letras de Crédito Imobiliário e a segunda, as Letras de Crédito do Agronegócio. As LCIs são voltadas para o financiamento do setor do agronegócio no país e as LCAs relacionam-se ao capital investido para a realização do financiamento de imóveis. A vantagem deste tipo de investimento é a total isenção de pagamento de imposto de renda. Por outro lado, o investidor que deseja ter este tipo de aplicação em sua carteira de investimento deverá desembolsar uma fatia maior de dinheiro na compra, além de ter que esperar um longo prazo para desfrutar de seus rendimentos.

Uma boa opção, principalmente para quem não tem uma grande capital para investir são as já tradicionais CDBs e LC (Letras de Câmbio). Com um rendimento um pouco superior a poupança, elas são uma alternativa à velha caderneta de poupança. A vantagem é que os juros são pós-fixados e seguem a variação do CDI, o que pode garantir taxas maiores de lucratividade.

Para 2017, o investidor deve ficar bastante atento, pois, caso se confirme a tendência de queda da Selic, os rendimentos poderão ser afetados por esta volatilidade.

Por Emmanoel Gomes

Investimentos


Confira aqui algumas dicas para economizar nas compras de fim de ano.

Com os dias contados para a chegada do Natal, muitas pessoas já começam a fazer seus planos para as compras de fim de ano. Depois de uma alta taxa de endividamento que atingiu uma parte considerável da população em 2012, dos índices de inadimplência alarmantes de 2013, da falta de oportunidades no mercado de trabalho em 2014 e 2015, do aumento do desemprego e da crise econômica que perdura neste ano, nada mais normal (e ideal) do que controlar os gastos.

Em dezembro o aumento de determinadas despesas é significativo e os especialistas em planejamento financeiro chamam a atenção para os chamados gastos excessivos (ou seja, aqueles que poderiam ser de alguma forma evitados) de uma família que podem, nessa época, representar de 30% a 40% da renda mensal.

Entretanto, para não se enrolar nas contas, é necessário saber quais são as despesas que realmente não podem ser adiadas. Sabendo disso, fica mais fácil se prevenir para não começar o ano no vermelho.

Nesse artigo trazemos algumas dicas para você para aproveitar as ofertas e as festas sem problemas.

1 – Planeje os Gastos

Essa é uma boa época para se familiarizar e usar uma planilha de orçamento familiar. Para se organizar da melhor forma, coloque na planilha escolhida todos os ganhos (renda fixa mensal, rendimentos extras, etc). Depois liste todas as despesas desde as fixas até as variáveis. Sempre confira se existe alguma pendência financeira. Depois de fazer tudo isso fica mais fácil saber o quanto você gasta e quanto será possível guardar.

2 – Não faça Compras por Impulso

Antes de ir às compras, é interessante criar uma lista com tudo o que de fato precisa para o período. Com isso, quando chegar na loja ou na rede supermercado a chance de escolher um produto por impulso cai assim como as compras de algo “que não tinha certeza de que precisa”.

3 – Seja Original

Essa é uma alternativa interessante para quem quer economizar na hora de presentear os amigos. Em muitos casos, uma lembrancinha personalizada para eles garante maior sucesso do que um presente um pouco extravagante.

4 – Planeje sua Celebração

Fazer um jantar no Natal ou uma celebração no Ano Novo não é sinônimo de gastar muito. Antes de sair às compras coloque em uma lista tudo que será necessário sempre pensando a quantidade de pessoas que estarão presentes. Assim fica mais fácil comprar apenas o necessário e claro, evitar os gastos.

5 – Aproveite a Internet

A Internet é uma “mão na roda” na hora de economizar. O final de ano é uma época onde muitas lojas online fazem promoções e descontos especiais. Porém, é bom ter cuidado. Não se leve por ofertas que parecem muito atraentes, podem ser falsas! Sempre pesquise sobre a reputação da loja ou do serviço que irá adquirir. Busque também por opiniões de quem já comprou para não cair em golpes.

Por Denisson Soares


Confira aqui algumas dicas e cuidados ao usar o Cartão de Crédito.

Hoje em dia quase todas as pessoas possuem cartões de créditos, seja pela facilidade de uso ou pelas parcelas “milagrosas”, mas em tempos de crise vale a pena ficar ligado para não ser passado para trás. Veja agora 10 dicas valiosíssimas para você usufruir de seu cartão sem surpresas quando chegar à fatura.

1 – Um Cartão de Crédito é Suficiente

Com tantas bandeiras no mercado fica difícil escolher apenas uma, ainda mais com promessas que uma empresa oferece que a outra não possui, por isso, é de extrema importância tomar cuidado com a quantidade de cartões de créditos que você possui. Se você possui apenas um salário, para que vários cartões? Isso apenas lhe renderá mais juros no final do mês atrapalhando sua organização financeira.

2 – Evite Parcelar as suas Compras

Não é surpresa para ninguém que as lojas comem juros e mais juros em cima de compras parceladas, mas por que então não paramos de dividir o valor total da mercadoria? Muito simples, com uma boa estratégia de marketing até o mais sábios dos economistas pode cair na tentação de pagar em 12 vezes. Além de pagar mais caro, com compras parceladas apenas o valor da primeira parcela é descontado no limite atual do cartão, lhe possibilitando fazer mais e mais compras, o que quando a fatura fechar lhe renderá muito mais do que o seu limite.

Uma boa dica é comprar em lojas que ofereçam serviços sem juros, pois dessa forma apenas o valor real do produto irá ser debitado dos créditos do cartão, evitando um amontoado de contas no fim do mês.

3 – Limite do Cartão

Muitas pessoas se iludem em confiar no seu cartão de crédito quando o assunto é limite, tendo em mente de que nunca passarão o limite, como se o cartão “travasse” ao chegar a certo valor, mas infelizmente não funciona assim. As empresas de cartões de crédito, ao criar seu cadastro, lhe empurram limites altos e exorbitantes, que quando não pagos no dia do vencimento da fatura são cobrados juros por cada dia, então ao final de um mês uma fatura que era de R$ 880,05 se torna R$ 1.557,17. Fique atento! Se você tem um salário legal não tenha isso como alicerce para crer que pode ter um limite alto. Procure algum sempre na margem de seu salário ou de quanto está disposto a gastar.

4 – Uma boa Pesquisa

Essa é sempre uma boa aliada, a pesquisa. Economia sempre é vantagem e para se dar bem nesse ponto conte com uma boa pesquisa em diferentes lugares. Não tenha vergonha de comprar em mercados atacadistas, pois os grandes mercados também compram deles. Compare os preços e se divirta com isso. Na situação atual toda economia conta, então vale a pena economizar nas compras comprando em lugares mais baratos.

Na hora de abastecer seu veículo é imprescindível ficar de olho nos preços para não cair no golpe de cartéis, sempre prefira abastecer com dinheiro vivo.

5 – Cartões de Loja

Toda pessoa já foi abordada por lojas varejistas como a Riachuelo, Renner, Ricardo Eletro e diversas outras com ofertas de cartões de crédito. Por mais que os benefícios existam nesse tipo de cartão, como descontos na loja, milhagem e promoções, os juros tendem a ser altíssimos.

Por mais que eles na realidade tenham uma bandeira comum, são propícios a taxas por serviço, o que torna a fatura ainda mais cara no final do mês. Se você já possui um cartão de crédito ou está pensando em criar um, fique longe dos cartões de lojas, pois eles possuem um sistema tentador de crédito rotativo, que implica em utilizar o crédito de um cartão para pagar o outro, entrando assim em uma linha paradoxal sem fim.

6 – Pague a Fatura Total

É de suma importância você em hipótese alguma parcelar sua fatura (sim, é possível parcelar o faturamento de crédito). Se não conseguir pagar tudo, pague o máximo que conseguir, pois se pagar um valor baixo, na próxima fatura você vai se deparar com o montante do mês atual e o que deixou de pagar do mês passado, fora os juros pela dívida. Então procure sempre dar o máximo que conseguir para se ver livre e com o crédito livre no próximo mês.

7 – Consulte sua Fatura

Hoje em dia pode se checar as faturas de seus cartões e o que foi movimentado com o crédito através da internet, por isso não há mais desculpas para ser pego de surpresa no final do mês. Leia detalhe por detalhe de suas faturas a fim de encontrar alguma cobrança errada ou valor mais alto.

Caso seja leigo nesse assunto, pode usar planilhas baixadas na internet ou até mesmo o próprio Microsoft Excel para controle do seu movimento mensal financeiro.

Cuidado ao sincronizar dados bancários com seu celular, pois você está vulnerável a qualquer momento de ser roubado, por isso desative o preenchimento automático dos seus dados para não ser roubado duas vezes.

8 – Benefícios

Por mais terríveis que os cartões possam parecer, eles lhe oferecem alguns benefícios que valem a penas serem usados.

O famoso sistema de milhagem não é apenas o único aspecto em você pode investir seus benefícios. Atualmente já é possível utilizar os seus pontos para serviços como estacionamento, restaurantes, produtos eletrônicos, ingressos para shows, entre outros. Veja mais AQUI.

Ligue para a bandeira do seu cartão ou consulte no site todos os serviços que você pode usar.

9 – Desconfie

Sempre desconfie de promessas utópicas, lembre-se, nada nessa vida é de graça, por que o cartão seria? Por isso tenha em mente sempre procurar criar seu cartão em grandes bancos ou nas empresas das bandeiras, evite criar em “lojas de esquina” ou em qualquer lugar que lhe ofereçam. Esses cartões podem ser clonados de outras pessoas, podem ter juros sem limites ou até mesmo serem duplicados, onde enquanto você paga a fatura outras pessoas usam. Portanto tome cuidado!

10 – Deixe o Cartão no Descanso

Se a situação realmente ficou difícil e está cortando gastos, considere antes de qualquer coisa dar umas boas “férias” para seu cartão até a situação melhorar. Se cortar o cartão parece muito agressivo e radical, tente deixa-lo realmente em descanso, sem uso até que as coisas melhorem. Até lá, faça de forma “primitiva”, pague à vista, dessa forma juros não existirão e você terá na ponta do lápis exatamente quanto está gastando.

Wendel Dias Quaresma


Confira aqui algumas dicas de como conseguir um dinheiro extra em épocas de crise.

Muitas famílias se encontram com problemas financeiros devido a crise que o nosso país se acomete. Porém, há algumas maneiras até simples de ajudar no caixa no final do mês. Confira algumas opções!

Freelancers:

Também chamados de “bicos”, os freelancers podem ajudar nas horas vagas para possibilitar uma renda extra. Verifique a sua rede de contatos e ofereça para os mesmos serviços de ordem temporária. São exemplos, aulas particulares, prestação de consultoria ou qualquer outro tipo que tenha afinidade com o seu talento.

Vendas de Produtos Usados:

Você pode ter livros, roupas e outros acessórios que ficam parados na sua casa. Eles podem ser uma alternativa para ganhar um dinheiro a mais no final do mês. Você pode vendê-los em sebos e brechós, ou então, aquelas plataformas online que existem em larga escala na internet. São comunidades virtuais para a compra e a venda de produtos. Até o Facebook pode ser uma boa opção nesse momento.

Alugue algo que não usa tanto:

Não é somente imóveis e automóveis que podem ser alugados. Roupas sociais e até ferramentas também pode ser objetivos que você poderá “emprestar” através da internet com outras pessoas. Há aplicativos como o Armário Compartilhado e o Dress Go que são voltados para o aluguel de vestidos de festas.

O aluguel de um quarto não utilizado:

Você pode apresentar espaços em sua casa que não utiliza. Muitas pessoas chegam à sua cidade para estudo ou algum trabalho temporário, sendo que o aluguel de um espaço pode ser uma maneira de obter uma renda extra. Na internet você encontra o site Airbnb que ajuda a encontrar locatários e inquilinos. Outra opção são grupos do Facebook que você pode anunciar as vagas.

"Aluguel" do seu Carro:

Na verdade você pode alugar o carro para um amigo ou vizinho. Outra opção é oferecer carona para os mesmos em troca de uma quantia. Eles ajudarão com certa quantia de dinheiro ou na gasolina, o que já é algo caro nos dias atuais. Há o aplicativo Fleety, onde o usuário aluga o seu carro para outras pessoas por dia, semana ou até hora.

As opções para você obter uma renda extra nesse momento de crise estão aí. Agora, basta você selecionar alguma delas ou criar outra com a sua criatividade.


Confira aqui algumas dicas do que fazer quando a empresa atrasa o pagamento do salário.

O atraso do salário é uma das maiores preocupações de muitos trabalhadores. Grande parte dos empregados depende totalmente de seus rendimentos e quando não o recebem na data planejada acabam sendo lesados, não conseguindo pagar suas contas e nem se manter enquanto o dinheiro não aparecer. Perante a lei, o empregado tem direito a receber seu ordenado até o quinto dia útil de cada mês, porém, cada empresa possui uma data limite estipulada no momento da contratação. Quando o prazo não é respeitado, o empregado pode questionar a justificativa pelo atraso, principalmente no caso de instituições particulares, em que é mais viável chegar até o seu superior ou chefe. Quando se trata de instituições públicas, as complicações são maiores, pois em alguns casos o dinheiro é repassado por esferas do governo que não atendem as inquietações do funcionário.

Para ambos os casos, a justiça é a opção quando a conversa e acordos não forem o suficiente para a resolução do problema, lembrando que atualmente o atraso de apenas um mês de salário já justifica a procura por recurso judicial, diferente de antigamente, em que a procura pelos direitos só poderia ser feita após três meses de atraso do salário. Pois bem, mesmo conversando com chefe ou buscando ajuda na legislação, as contas estão apertando e falta dinheiro até para comprar alimento. A principal opção até que as pendências sejam resolvidas é priorizar quais são os gastos que não podem ser adiados, preocupe-se com a alimentação e saúde primeiramente, para dívidas no comércio e de terceiros é possível a tentativa de renegociação, esclareça sua situação e tente reagendar a dívida, nem que isso custe um valor extra por respeito a espera do credor.

Quando todas as tentativas de ajuste de quitação não funcionarem e não for possível renegociar ou atrasar por um período maior as dívidas, além de não haver mais fontes de renda, a ajuda a recorrer são os empréstimos bancários. Os empréstimos bancários são a opção para os devedores não terem seus nomes colocados em cadastros como do SPC e SERASA. Existem vários tipos de empréstimos específicos para cada caso e necessidade. Os mais recorridos pela população são o empréstimo consignado e o empréstimo do cheque especial.

O crédito consignado pode ser feito por pessoas físicas que são servidores, funcionários, pensionistas ou aposentados que possuem vínculo com entidades públicas ou do governo. Neste caso o valor emprestado é parcelado e debitado direto da folha de pagamento do devedor, conforme o acordo feito com o banco ou empresa credora. Já o empréstimo do cheque especial também podem ser utilizado por pessoas físicas que abram e possuam determinados tipos de conta em banco. Nesta situação, o banco libera um valor limitado além do que o indivíduo possui depositado em sua conta e este valor extra que for gasto será cobrado com juros automaticamente da conta no mês seguinte. Existem riscos com juros abusivos em ambos os tipos de empréstimos, que devem serem feitos somente em situações de extrema necessidade, para evitar novas dívidas futuras.

Em todo caso, o planejamento das contas de acordo com a renda disponível e a elaboração de uma reserva financeira sempre que possível é fundamental para evitar turbulências para o bolso do funcionário.

Fabiana da Rosa


Dicas de empréstimos interessantes e com juros baixos.

Por vezes uma pessoa está com suas finanças em baixa e necessita um empréstimo para equilibrar isso. Porém, você deve observar alguns pontos para não ficar com uma dívida maior ainda devido a contratar um empréstimo errado.

Primeiro vamos entender como estão os juros, segundo dados do Banco Central:

Cheque Especial – por volta de 230% ao ano.

Cartão de crédito rotativo (cobrança quando a fatura do cartão não consegue ser paga) – por volta de 360% ao ano.

Crédito Consignado Privado – O juro médio fica por volta de 40% no ano.

Os juros vão começar a aparecer quando a pessoa se encontra no negativo ou não paga a sua fatura. Porém, alguns clientes pagam juros de valores elevados, mas não percebem que há outras opções de empréstimo que são mais baratas.

Os especialistas apontam que a pessoa deve, primeiramente, observar se as suas dívidas podem ser sanadas em um empréstimo. Caso não seja possível, ela deve fazer uma avaliação sobre as linhas de crédito que possam ser mais vantajosas.

Nenhum tipo de empréstimo é muito barato, mas alguns apresentam taxas de juros mais baixas em comparação como o cheque especial, por exemplo.

O Crédito Consignado:

Os especialistas indicam muito essa modalidade, pois apresenta no mercado com juros mais reduzidos. As parcelas da dívida ficam descontadas na folha salarial da pessoa endividada. Os bancos contam com uma garantia maior de que vão receber e as taxas ficam menores.

Porém, nem todos os clientes contam com o acesso ao crédito consignado. Essa modalidade é voltada para aposentados do INSS e aos pensionistas.

Sites que disponibilizam crédito pessoal:

Certos portais oferece o crédito pessoal com uma taxa de juros reduzida em relação aos bancos de renome. Os sites não apresentam custos de manutenção com as agências físicas e ficam com um rigor maior em termos da concessão do crédito. Os sites contam com uma parceria com bancos médios e pequenos do mercado.

O ponto negativo é uma análise rigorosa do crédito que se faz, o que pode deixar algumas pessoas de fora.

Imóvel refinanciado:

Nessa modalidade de empréstimo o proprietário vai apontar o seu imóvel para ser uma garantia de dívida. O banco pode retomar o imóvel, uma vez que não tenha o pagamento da dívida. Com juros mais reduzidos, os valores do empréstimo chegam a ultrapassar os R$ 20 milhões com prazos bem longos.

O seu ponto negativo é o não pagamento da dívida e o banco retomar o imóvel.

O 13° salário antecipado:

Conta com a contrapartida do décimo terceiro salário e apresenta taxas de juros bem baixas em comparação com os outros empréstimos pessoais. O seu ponto de desvantagem é que, uma vez que o empregador não faça o depósito do 13° salário, a dívida será descontada na conta da pessoa com a dívida na data acordada.

A restituição do Imposto de Renda antecipada:

O pagamento da dívida é feito na conta do devedor quando acontece o depósito da restituição do Imposto de Renda. Com isso, os bancos também possuem maior garantia que vão receber e as taxas são reduzidas (a partir de 1,93% por mês e 25,78% anual).

Porém, caso aconteça uma inconsistência na declaração do seu Imposto de Renda, a pessoa poderá ficar na Malha Fina e o valor da restituição fica reduzido, ou então, nem é depositado.

Empréstimos


Confira aqui algumas dicas para o gerenciamento e sucesso de sua empresa.

A gestão é um dos pilares fundamentais para o gerenciamento e o sucesso de uma empresa, seja ela de pequeno ou médio porte. Normalmente quando uma empresa almeja um crescimento, poderá trazer algumas complicações na folha de pagamento. Para que isso não ocorra é necessário um bom gerenciamento que possibilite bons resultados e o estabilizar dos seus funcionários.

Com um bom planejamento e um quadro de funcionários sólido, alinhado e satisfeito, conseguimos assim ter um uma boa estrutura e funcionalidade para os negócios.

Em algumas empresas o gerenciamento é feito por dois departamentos, o RH e o departamento financeiro, que fará com que o gestor tenha as melhores informações dos seus negócios no que se refere a sua equipe como também a sua folha de pagamento, que por sua vez se torna uma das suas maiores responsabilidades. No mundo atual a ineficiência da folha de pagamento traz desmotivação, provocando retenção dos mais talentosos de sua equipe.

Para isso, um bom plano de cargos e salário, por mais simples e objetivo, pode ser a chave para o crescimento, fazendo com que tenham aumento em sua produtividade, refletindo diretamente nos ativos da empresa.

De acordo com as leis trabalhistas, empresas com mais de dez funcionários é obrigatório o registro na folha de ponto, seja ele manual ou eletrônico, pois desse modo teremos um melhor controle das horas trabalhadas, trazendo benefícios tanto para os funcionários quanto para os empresários, fidelizando a jornada diária, além das horas extras trabalhadas e outros fatores.

Contudo, como possuímos um sistema tributário complexo, devemos reduzir ao máximo os erros e as imprevisibilidades, como multas, sanções, atraso em pagamento, etc. Para isso, toda e qualquer finança precisa ser acompanhada de perto, tornando assim o processo de constas a pagar e receber uma forma mais simplificada e eficiente, evitando surpresas indesejáveis a longo e até mesmo a curto prazo.

Por M. O Lucas


Confira aqui algumas dicas de como economizar na hora de usar o ar condicionado.

Com o valor da conta de luz chegando cada vez mais a níveis estratosféricos e, junto a isso, um calor insuportável que tem acometido principalmente a região sudeste, nordeste e norte do país, os brasileiros têm se visto acossados entre sofrer com as elevadas temperaturas ou pagar mais caro na conta de luz para ter mais de conforto com o uso do ar condicionado.

A questão é que com a velha criatividade nossa de cada dia, transformadas em verdadeiros jogos de cintura, é possível usar o ar condicionado sem que ele pese tanto no orçamento, por meio da conta de luz, que diga-se de passagem, tem sido responsável pela elevação dos índices da inflação nos quatro últimos meses de 2015. Importante para isso é seguir dicas de como usar o ar condicionado de forma econômica e a primeira delas é evitar ao máximo a compra de ar condicionado que não venham com o selo de economia, um tipo de adesivo que dá todas as garantias de que o aparelho não irá sugar muita energia. O Selo Procel é o mais referenciado no mercado nesse sentido, por isso, na compra do seu equipamento faça essa observação.

A segunda dica é não obstruir as laterais e o fundo do ar condicionado, porque isso o forçará a puxar mais energia ainda para que funcione bem, já que suas saídas estão com obstáculos para um funcionamento eficiente.  

A terceira dica é que os filtros do aparelho devem estar sempre higienizados (livres de poeira), o que irá evitar manifestação de doenças alérgicas em quem esteja no ambiente e também poderá oferecer o melhor em potência do ar sem que ele absorva a energia.

Não deixe o ar condicionado ligado sem que ninguém esteja no ambiente. Atitude como essa pode até ser mais cômoda, mas com certeza irá lhe causar um gasto na conta de luz em vão. Melhor mesmo é estar no ambiente para ligá-lo e aguardar que ele, dentro da sua própria potência, torne a temperatura agradável.

Seguindo essas orientações, com certeza você irá se beneficiar do uso do seu aparelho da melhor maneira possível, sendo evitados não apenas sustos na conta de luz, como também as frequentas idas à manutenção.

Por Michelle de Oliveira


Fazer algumas adaptações pode garantir um final de ano mais tranquilo em relação às finanças.

As férias de final de ano chegaram, mas muitas pessoas sofrem com a crise econômica do país. Com isso, o dinheiro falta e a dificuldade de ter fundos para as despesas que dezembro e janeiro trazem se mostra um grande problema.

Confira algumas dicas para ter um bom final de ano com pouco dinheiro:

Presentes para o Natal:

Geralmente, as crianças são as mais difíceis para fazer entender que presentes mais simples também são bons. Essa pode ser uma oportunidade para que os pais ensinem aos pequenos, questões envolvidas às finanças.

Uma opção é deixar para fazer as compras de Natal é esperar alguns dias depois das festas. Isso pode favorecer a encontrar preços mais em conta. Dê livros para seus filhos para que já tenham esses hábitos culturais. Em sebos, você encontrará vários livros por preços mais baixos.

Para os presentes aos mais grandinhos, uma sugestão é a troca das coisas tradicionais para bebidas, chocolates e pequenas lembranças como chaveiros. Outra dica é questionar a pessoa sobre algo que seja mais simples, mas que ela possa estar precisando como roupas íntimas e outros acessórios.

Vamos sair para as férias:

Viajar no final de ano é, na maioria das vezes, um ato bem caro. Mas algumas dicas podem fazer com que isso seja menos doloroso para o seu bolso. Uma dica é buscar passagens em horários alternativos. De acordo com o SerasaConsumidor, esse ano pode ter uma falta de demanda e isso pode ocasionar em promoções de última hora das empresas.

Caso o seu destino não seja tão longe e o seu carro tenha um razoável consumo de gasolina, viajar com o automóvel pode ser uma opção viável. No carro você levará cinco pessoas e elas poderão também ajudar com o combustível.

Hospedagem é algo que também exige uma quantia razoável. Casas de amigos e parentes pode ser uma opção para quem tem essa possibilidade. Campings em praias e hostels também podem ser alternativas com um custo menor.

E a ceia de Natal e Ano Novo?

A melhor saída, caso os fundos não sejam os necessários para se comer fora, é comprar os alimentos e você mesmo preparar a ceia com a ajuda da família. Vai ser muito mais barato. Não tenha medo de tirar o peru e colocar um frango no lugar ou uma pescada substituindo o bacalhau. 

Economizar dinheiro


Manter as contas em dia depois de perder o emprego requer disciplina e cuidados. Confira aqui algumas dicas do que fazer nesta situação.

A economia brasileira vive uma fase muito delicada, o desemprego já alcançou sua maior taxa em oito anos e a previsão de inflação para os próximos meses é iminente, então se você já sente os efeitos da atual recessão econômica, leia esta matéria e confira dicas preciosas para manter o seu orçamento em dia, mesmo estando fora do mercado de trabalho.

Faça uma avaliação minuciosa de sua atual situação financeira:

Depois do choque de ficar sem emprego, é necessário reunir a família e fincar os pés no chão. Aceitar a nova realidade e se unir com as pessoas que convivem com você. Faça uma reunião familiar e descreva todas as suas despesas. Estabeleça suas despesas fixas (despesas de sobrevivências como: água, luz, alimentação, etc.) e despesas variáveis (telefone, tv a cabo, combustível, etc.). Calcule os valores e tenha em mente o montante necessário mensal para você sobreviver com sua família.

Defina o novo padrão de vida:

Estabeleça a quantia mensal ideal para você viver mensalmente com sua família. É importante ter em mente a quantia mensal que deverá ser desembolsada para que você mantenha o seu padrão de vida a partir da nova realidade. Você deverá cortar despesas, vai ser um momento difícil, porém, acredite que será temporário e que essas atitudes serão necessárias para a manutenção da saúde financeira da família.

Defina a sua reserva de emergência:

Não é aconselhável utilizar os valores recebidos na quitação para o pagamento de dívidas contraídas quando se estava empregado. O ideal é manter um montante guardado de no mínimo seis meses, que garanta o sustento de sua família durante o período em que estiver sem receber receita de nenhuma fonte.

Não utilize cartão de crédito e nem cheque especial:

Utilizar cheque especial e cartão de crédito são atitudes muito arriscadas em tempos de crise. Praticamente se torna inviável, pois os juros são os maiores do mercado, principalmente o do cheque especial. Prefira pagar tudo no dinheiro vivo e evite contrair dívidas com coisas supérfluas que não agregam valor em sua vida nesse momento tão delicado.

Além das dicas acima, não se desespere, encare a realidade com serenidade e acredite que será passageiro. A união da família nesse momento é muito importante, então economize e busque formas alternativas de contrair novas receitas, faça pesquisa na internet, assista vídeos, se matricule em cursos e converse com pessoas que possam oferecer oportunidades de trabalho.

Por Rodrigo da Silva Monteiro


Veja aqui algumas dicas para aproveitar os descontos em imóveis na Black Friday 2015.

A Black Friday também vai contar com ofertas de imóveis que são realizadas por sites, construtoras e incorporadoras. São várias as empresas que prometem os descontos nesse segmento, mas alguns cuidados devem ser tomados.

Mas será que vale a pena?

A principal dica é que a pessoa observe se realmente o desconto acontece. Se sim, é uma boa oportunidade, uma vez que a economia não está boa e encalha a venda de alguns imóveis.

Internet:

Utilize a web para fazer uma pesquisa sobre como estão os preços do imóvel que procura.

Conheça o Imóvel:

O consumidor deverá visitar a região do imóvel para observar se tudo está de acordo com o que busca (tamanho, vagas da garagem, entre outros). Outro ponto a se verificar é a localização do mesmo dentro do condomínio, por exemplo. Alguns imóveis podem se apresentar em andares mais baixos do prédio ou de frente para ruas, por exemplo, o que ocasionam mais barulho e fazem o preço ser menor. Os especialistas dão conta que essas são as unidades que são as que mais encalham.

Como estão as ofertas no prédio?

Você deve verificar se no local existem outras ofertas, pois elas podem ter preços melhores. A crise faz com que o repasse de imóveis seja maior, o que resulta em custo menores.

Conheça a empresa:

Você deverá pesquisar como é o histórico da empresa. Faça uma pesquisa sobre reclamações no Procon e em outros sites. Observe também ações judiciais da companhia nos sites do Tribunal de Justiça da região.

Caso seja um imóvel já mais antigo, você deverá pedir uma ajuda para algum engenheiro ou arquiteto para verificar a estrutura. A documentação também deve estar em dia.

Pagamento:

Verifique se você tem realmente condições de pagar o imóvel. Observe qual é o que você deseja e peça crédito pré-aprovado para o banco. Não se deve confiar apenas em avaliação feita por simulador, pois as mesmas não vão considerar a real situação de dívidas do consumidor. 


Confira aqui algumas dicas de como aumentar as vendas de sua empresa neste período de crise econômica.

Não é novidade de que a crise está afetando a todos. Desemprego, inflação e corrupção, tem frustrado a população. Mas como vender bem em tempos de crise? Existem técnicas e novidades que você pode fazer suas vendas alavancar mesmo diante da atual situação. Ideias que talvez antes você não tinha pensado e que podem fazer muita diferença neste Natal.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a Intenção de consumo das famílias brasileiras (ICF) caiu pelo nono mês seguido em outubro deste ano, com 78,4 pontos, percentual menor que 100 pontos, isto significa insatisfação dos consumidores.

Veja 12 dicas de como vender bem neste Natal em tempo de crise:

  • Comece as vendas em novembro (incentiva os consumidores a comprar antecipadamente).
  • Ofereça produtos na promoção (aproveite principalmente os produtos natalinos que sobraram do ano passado, a promoção incentiva ao consumo).
  • Divulgue seus produtos através das mídias sociais (uma forma moderna, sem custo e muita atrativa de divulgação, através do Facebook, Twitter, Blog, Site, crie uma página destinada a sua empresa e alimente-a com informações dos seus produtos, como fotos e valores que custam).
  • Entregue panfletos (não podemos esquecer desta forma tradicional de divulgação e que dá resultados).
  • Esteja atento ao estoque (mantenha ele sempre cheio para não correr o risco de deixa de vender mais produtos).
  • Ajude os funcionários (deixe o orgulho de lado e venda também, caso não tenha condições de contratar mais funcionários).
  • Contrate mais profissionais (devido ao pouco lucro e menos consumidores nas lojas, então contrate poucos funcionários para este período).
  • Contrate um locutor de loja (um locutor chamará atenção para seu estabelecimento, ofuscando as lojas que estão ao redor da sua, mas essa forma de divulgação depende do público que você almeja atingir e do perfil de sua empresa).
  • Fique de olho nos funcionários (Procure observar se todos os seus funcionários estão trabalhando bem e tratando bem os clientes).
  • Faça um sorteio (divulgue através de um cartaz em frente da loja, locutor ou mídias sociais sobre este sorteio, e explique que quem comprar na SUA LOJA, estará concorrendo a um prêmio, você escolhe o prêmio, pode ser um fogão, viagem, depende do público que você tem e do orçamento de sua empresa).
  • Decore sua loja (a aparência desperta atenção das pessoas).
  • Padronize seus funcionários (transmita um clima natalino, cheio de harmonia e alegria, através de acessórios e roupas natalinas).

Maria de Lurdes, 44 anos, pernambucana, comerciante, relata o que fez para melhorar as vendas de Natal. “No meu estabelecimento não tinha locutor de loja, então contratei um rapaz que já tinha essa experiência em lojas e através dele a situação melhorou, pois ele é bastante animado e extrovertido, isso chama a atenção dos clientes que passam, estou vendendo bastante atrativos natalinos”, comentou.

Por Erika Amanda Silva de Souza


Confira aqui as principais vantagens e desvantagens de se ter o próprio negócio.

Muitas pessoas se perguntam se devem trabalhar para si próprio ou para outros. Por vezes, seus sonhos de carreira, formação acadêmica te jogam por um caminho inevitável, trabalhar em grandes organizações, ter plano de carreira, inúmeros benefícios, parece tentador, e se você está no mercado de trabalho, principalmente em tempos de crise, em uma posição sólida como está, talvez sua pergunta já esteja respondida.

Porém, quando não conquistamos o cargo perfeito, ou mesmo tendo um dia ocupado o mesmo, mas não no momento, essa pergunta não se cala.

Ter o próprio negócio tem seus riscos, variações financeiras, desafios incalculáveis. Porém, sua liberdade de criação e sua tomada de decisão não passa por nenhum superior que poderá te "podar". Suas "asas" ficam soltas e seus vôos podem ir muito mais longe do que se espera. Ainda tem o lado financeiro, por mais risco que o negócio corra, os louros são colhido apenas por você.

Se você se matar de trabalhar, por horas e horas, inclusive nos finais de semana, os lucros obtidos por esse esforço adicional serão seu, não será apenas uma pequena recompensa chamada de hora extra ou banco de horas, será o aumento do lucro da sua empresa.

Atualmente, infelizmente, um assunto recorrente é a crise econômica no Brasil e a quantidade de vagas formais fechadas no país. Muitas pessoas estão passando dificuldades e vendo seu poder aquisitivo decrescer em alta velocidade. Ter o próprio negócio irá lhe permitir passar pela crise um tanto mais calma e ainda, por que não gerar emprego.

Outro ponto favorável é que depois da crise, quando a oferta de vagas aumentar e os salários forem compatíveis com as exigências da vaga, caso você queira voltar para o outro lado, sendo empregado, terá em seu currículo uma época de desafios e não um espaço em branco. Terá em seus currículo um cargo e uma função de liderança, de sua própria empresa, que com certeza muito lhe ensinará tanto para a vida profissional quanto pessoal.

Por Vivian Schetini


Confira aqui algumas dicas de como renegociar a sua dívida e limpar seu nome no comércio.

Contas atrasadas. Quantas pessoas que você conhece dentro da sua família e no seu círculo de amizades que não contam com esse problema? Bom, uma notícia boa é que você tem chance de fazer uma renegociação para que o pagamento seja feito da melhor forma para o seu bolso.

Pesquisa:

O primeiro de tudo é verificar os seus débitos que não estão em dia. Caso necessite de um auxílio, peça a alguém de confiança para ajudar nessa tarefa. Você deverá separar as dívidas que contam com maior valor ou aquelas que apresentam os juros mais elevados.

Depois deste primeiro passo, o indivíduo deverá fazer as contas para observar o quanto de dinheiro dispõe para que pague essas contas que serão renegociadas. Vale ressaltar que você deve considerar as despesas que já são fixas no seu mês.

A proposta:

Quando você vai renegociar uma dívida, a calma é uma das coisas mais importantes. Não se deve aceitar, caso não seja bom para você, a primeira proposta que o seu credor oferece. A pessoa deverá expor qual a condição financeira do momento para que uma solução seja encontrada.  

Se você observar que a conta nova não será possível arcar com o dinheiro que recebe atualmente, não assuma essa renegociação.

O fator primordial depois de uma renegociação é que você cumpra os prazos até o último pagamento desta nova dívida.

O planejamento:

Para que seu nome seja retirado do cadastro de pessoas inadimplentes, a legislação do Brasil dá conta que isso deverá ser feito em até cinco dias úteis depois que o pagamento da dívida aconteceu, ou então, da primeira parcela da sua renegociação.

Seu nome agora pode estar limpo, porém, isso não deve ser tido como um incentivo para que uma nova dívida seja feita, pelo contrário. Faça tudo com muita atenção e evite comprar parcelado.

Feirão Limpa Nome de Novembro:

São mais de 57 milhões de pessoas que contam com dívidas em atraso no Brasil e que poderão renegociar as suas dívidas. O evento do Serasa Consumidor acontecerá em São Paulo de 24 a 28 de novembro e no Rio de Janeiro de 03 a 07 deste mês


Os consumidores devem adotar algumas estratégias para evitar transtornos no pagamento das contas e outros serviços que necessita dos bancos.

Com a greve dos bancários em diversos municípios do Brasil as pessoas precisam dispor de outras estratégias para garantir que as contas sejam pagas em dia.

As multas por atraso continuam sendo aplicadas e é indispensável que os consumidores saibam driblar as barreiras da greve para evitar futuros problemas maiores e dores de cabeça.

Confira algumas dicas essenciais para contornar a situação da greve dos bancários:

Caixas Eletrônicos continuam funcionando – Apesar dos bancários estarem em greve, os caixas eletrônicos das agências bancárias estão ativos. É possível realizar saques e pagar contas através dos códigos de barras das contas. O procedimento é simples e fácil.

Casas Lotéricas – O horário de funcionamento é comercial e é possível pagar contas, realizar saques, consultar saldos, extratos e até mesmo depositar dinheiro. Vale lembrar que as filas de algumas lotéricas são grandes e que muita gente recorre a esse método, portanto vá com uma folga no horário.

Internet Banking – Muita gente ainda é receosa em contar com a internet como grande aliada, mas o constante investimento em segurança e tecnologia por conta das instituições financeiras tornou a possibilidade vantajosa, principalmente em momentos como esse.

Cartão Bloqueado – O que fazer? Os clientes que receberam cartões em suas residências em plena greve dos bancários precisam desbloqueá-los para que possam utilizar o benefício. É necessário saber que a greve não afeta esses serviços, pois eles podem ser realizados pelo telefone, internet ou nos próprios caixas eletrônicos ou correspondentes bancários como supermercados e casas lotéricas.

Vale lembrar que o inverso é o mesmo, para bloquear cartões, independente do motivo, é possível utilizar esses mesmos canais.

Transferências – Os consumidores podem realizá-la através do internet banking ou ainda por meio dos terminais de autoatendimento. Quando a transferência tratar de valores mais altos será preciso realizar um cadastro do destinatário, isso varia entre os bancos, alguns exigem a realização na agência, outros, porém, permitem cadastramento via internet ou telefone.  

Por Beatriz 

Pagar contasna greve dos bancos

Foto: Divulgação


Reservando apenas 8% do seu salário todo mês é possível garantir uma aposentadoria tranquila.

Com a crise financeira e o futuro incerto, tem mais brasileiro se preocupando com o futuro e, claro, com a aposentadoria. Só que com um salário pequeno não é possível economizar muito, então como seria possível fazer um bom investimento para garantir a aposentadoria?

Quando se fala em aposentadoria o melhor investimento é a longo prazo e, claro, encontrando uma forma de fazer suas economias renderem mais ao longo dos anos em que você estará juntando o dinheiro.
Até bem pouco tempo atrás, as pessoas abriam uma poupança e iam depositando um pouquinho todos os meses, mas isso não compensa mais, porque o dinheiro na poupança sofre desvalorização, então quem coloca dinheiro na poupança está é perdendo dinheiro.

Outra dica muito importante é aprender a gastar menos do que você ganha. Ninguém consegue planejar um futuro seguro que os gastos excedem o salário. Você não precisa deixar de comprar as coisas que precisa para economizar, basta reservar cerca de 8% do seu salário todo mês, reservando este valor para um investimento que garanta rendimento para seu dinheiro até sua aposentadoria.
Claro que, quanto mais novo o trabalhador for, melhor será sua aposentadoria, porque conseguirá juntar um montante maior, mas nunca é tarde para começar a pensar no futuro.

Uma boa alternativa para investir o seu dinheiro é em "títulos públicos", por exemplo, o Tesouro IPCA+ oferece bons juros acrescidos da inflação. Você deve escolher os que têm vencimentos mais distantes e todo mês comprar mais títulos.

Importante também é que a pessoa tenha disciplina, porque no início ela está pensando na aposentadoria e começa a juntar dinheiro, só que quando ela consegue atingir um valor mais alto já muda os planos, pensa em comprar um carro 0Km, um imóvel ou fazer uma viagem para o exterior.

É preciso definir que o dinheiro separado mensalmente para a aposentadoria não será utilizado para outro propósito. Mesmo recebendo um salário pequeno você pode e deve já começar a pensar em sua aposentadoria. Acesse o site do Tesouro e veja como é fácil começar um investimento seguro com apenas R$ 30,00www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto.

Por Russel

Investir na aposentadoria


A poupança é o pior investimento deste ano. Os melhores investimentos são Tesouro Direto, Dólar e CDB.

É hora de ser conservador nos investimentos, dizem os especialistas. Como as taxas de juros estão altas, assim como o desemprego, que atingiu o maior índice desde o ano de 2010 e a inflação chegando a 9,25% no período de 12 meses, quem possui dinheiro para investir deve procurar soluções de renda fixa.

Segundo os especialistas em investimentos, os melhores papéis são o do Tesouro IPCA+ e o Tesouro Selic, pois o primeiro protege quanto às altas da inflação e o Tesouro Selic segue a alta dos juros para rentabilizar seus investidores.

Poupança está em baixa:

Além de pagar um rendimento muito baixo (0,5% ao mês, mais TR) a poupança não aproveita a alta dos juros para rentabilizar para seus investidores, o que faz com que perca a competitividade perante seus concorrentes que utilizam as alterações dos juros para remunerar o rendimento aos clientes. Mesmo os fundos que cobram altas taxas de administração (acima de 1%, por exemplo) são uma excelente opção para o investidor nesse momento econômico do país.

Como se não bastasse todos esses pontos negativos, no primeiro semestre deste ano, a poupança foi considerada a pior aplicação do ano, pois rendeu menos que a inflação por sete meses seguidos. Portanto, é hora de retirar o dinheiro da poupança, onde ele ficaria parado e investir em um fundo com maior rendimento e com segurança parecida.

Se a poupança não é um bom investimento, confira os principais fundos em alta:

Tesouro Direto – Acompanha a alta dos juros e não sofre grandes variações diariamente. É preciso estar atento ao vencimento do papel, para não tirar o dinheiro antes e perder rendimentos.

Dólar – Com o dólar em alta o investidor pode optar pelo fundo cambial. Quem precisa planejar gastos futuros, como viagens e estudo, pode aproveitar as variações para comprar a moeda aos poucos, sem maiores prejuízos.

CDB – Não tem taxa de administração, mas desconta Imposto de Renda. É um investimento a médio ou longo prazo: quanto mais tempo com dinheiro investido, mais se ganha. E quanto menor o banco, maior o rendimento também. E o investidor ainda conta com uma segurança a mais: a proteção do Fundo Garantidor de Créditos no limite de até R$ 250 mil por cada CPF.

Por Patrícia Generoso

Investimentos


É preciso muita determinação e organização para conseguir se livrar das dívidas neste momento de crise econômica.

Com a atual crise, tem muito brasileiro endividado e que não está conseguindo se livrar de vez das dívidas adquiridas. Se você se encaixa neste perfil, saiba que é possível eliminar as dívidas, porém, você terá que ser determinado e muito organizado.

Não adianta ler as dicas, achar interessante, mas não colocá-las em prática, isso não vai ajudar em nada. Então vamos ver o que você precisa começar a fazer agora para se livrar das suas dívidas.

O primeiro passo é saber exatamente quanto você deve, para quem você deve, quando a dívida deverá ser paga e de quanto é o juro cobrado. O endividado que faz este controle já está com meio caminho andado para se ver livre das dívidas, porque é muito importante que você tenha este controle, pois só com ele você conseguirá se livrar das dívidas.

Feito isso, é hora de organizar o orçamento, porque você só vai se livrar de suas dívidas depois que pagá-las e quanto mais rápido fizer isso, melhor.

Tendo a relação de tudo que deve, você vai procurar negociar juros menores, prazos maiores se for preciso, mas não adianta a pessoa ficar do lado de lá querendo te ajudar, se do lado de cá você não está cortando gastos para sobrar dinheiro para você pagar as dívidas.

Então é hora de termos um outro controle, onde você irá anotar o seu rendimento mensal e todos os seus gastos, porque a primeira coisa a ser feita, é fazer com que você gaste menos do que ganha, pois esta é a primeira forma de conseguir com que sobre dinheiro para ir quitando as dívidas. O segundo passo é verificar em seu orçamento, quais os gastos podem ser eliminados de vez e quais os que podem ao menos ser reduzidos.

Isto não significa que você terá que deixar que sair com os amigos, deixar de ir ao cinema ou se divertir, mas até quitar as dívidas, sacrifícios serão necessários, então veja o que você poderá fazer para reduzir os gastos e anote tudo!

Não deixe de anotar, porque você vai ter que se cobrar no final de cada semana, analisando a semana que passou e vendo se você conseguiu atingir todas as metas. E sabendo quanto está economizando a cada semana, poderá calcular o tempo que vai demorar para pagar as dívidas.

Como foi dito no início, você terá que ser determinado e muito organizado, mas no final verá que valeu a pena todo o sacrifício, ao se ver livre de todas as dívidas.

Por Russel

Quitar as dívidas


Alguns tipos de empréstimos contam com juros mais baixos e facilitam a condição de pagamento dos clientes.

Quem está com o orçamento mais baixo, por vezes tem que optar pela opção de empréstimos, para suprir alguma emergência financeira que surja. Só que os juros de algumas opções de empréstimos podem ser tão altos que o valor pago ao final, em alguns casos, pode ser maior que o dobro do valor contratado inicialmente, trazendo assim prejuízo ao consumidor. Para ficar atento às taxas de juros e não cair em uma furada, confira abaixo algumas opções de empréstimos que oferecem juros mais baixos:

1-      Crédito consignado:

Se você é aposentado, recebe por cartão eletrônico ou é servidor público, pode optar por essa linha de crédito que dentre as outras é a que oferece a menor taxa de juros. Isso acontece porque as parcelas são descontadas diretamente na folha de pagamento do devedor, evitando assim inadimplência. Como os funcionários públicos e aposentados possuem salário fixo, os empréstimos são seguros para os bancos, que não precisam cobrar juros por possíveis faltas de pagamento.

2-      Refinanciamento de imóvel:

O cliente oferece seu imóvel como garantia da dívida, e o banco tem a certeza de que tem uma forma de compensar a dívida, caso o cliente não pague as parcelas que deve. Em alguns casos, os juros do refinanciamento podem ser menores que a do crédito consignado, estando na faixa entre 19,56% e 26,82% ao ano, sem contar os outros custos da operação, que podem encarecer o contrato.

O cliente tem que ficar atento, já que o risco de perder o imóvel existe e é grande. Caso as parcelas não sejam pagas, corre-se o risco de ter o imóvel tomado pelo banco.

3-      Antecipação da Restituição do Imposto de Renda:

Como também é um fundo que o banco sabe que o cliente terá no futuro os juros costumam cobrir somente as tarifas da transação bancária. As taxas ficam por volta de 1,93% ao mês o que equivale a 25,87% ao final do ano.

A única desvantagem é que se houver algum problema com a sua declaração e seu nome cair na malha fina, o seu valor de restituição pode ser menor ou mesmo não ser devolvido e o banco continuará cobrando a sua dívida, mesmo que você não receba a restituição. Por isso todo o cuidado é necessário para que seu nome não caia na malha fina.

4-      Antecipação do 13º:

Assim como a antecipação do Imposto de renda, a antecipação do 13º salário oferece menor risco aos bancos e, portanto, menor juros para o consumidor. Os riscos são a de o empregador não depositar o benefício, o que pode deixar o trabalhador sem saldo para quitar sua dívida.

Além disso, antecipar o seu 13º salário é uma medida que deve ser tomada só em casos extremos já que no final do ano costuma-se gastar muito mais do que em outras épocas do ano, e caso  o13º já tenha sido usado, o trabalhador  corre o risco de adquirir mais dívidas para cobrir sua dívida.

5-      Crédito oferecido por sites:

Como não são aliados a uma instituição bancária, nem a uma loja física, alguns custos com manutenção de agências não existem, o que faz com que os juros sejam reduzidos. A concessão de empréstimos ,no entanto, é um pouco mais rigorosa, gerando um processo de muita burocracia, que pode aborrecer alguns clientes. O processo de análise é necessário para garantir a confiabilidade dos clientes. Como o ambiente é virtual, desconfie de sites pouco conhecidos e que ofereçam grandes vantagens logo a princípio.

Mesmo com essas opções, os especialistas aconselham a só pegar empréstimos em último caso, em casos extremos ou de emergência, para não comprometer o orçamento familiar.

Por Patrícia Generoso

Empréstimo


A alta nos preços das faturas da conta de luz está assustando os brasileiros, mas seguindo algumas dicas é possível economizar energia e segurar os altos valores que aparecem na conta de luz.

De janeiro de 2015 até então, os brasileiros têm ouvido, com temor e desapontamento, a expressão “bandeira vermelha” sobre a conta de luz. Essa expressão sempre advém de representantes de órgão do governo federal para anunciar algo que todo cidadão abomina: aumento na conta de luz. Meses se passaram e a verdade é que os reajustes já podem ser sentidos em torno de 30% a 40% ao mês.

A explicação do governo para isso é bem simples – tarifa vermelha é sinal de que está muito cara a produção de energia no país, um cálculo cujo resultado sempre recai no bolso dos usuários de energia.

No entanto, como brasileiro sabe driblar as situações adversas, já estão atrás de boas dicas para não sofrer tanto quando a conta de luz chegar à sua residência. São sugestões simples de serem seguidas e que resultarão em valores menores a serem pagos na conta do final do mês.

A primeira dica, altamente válida, é fazer uma troca na iluminação da casa. Por exemplo, se as luzes de cada ambiente do seu lar forem incandescentes faça uma experiência e troque pelos modelos fluorescentes, os quais não necessitam sugar tanta energia para gerar uma iluminação eficiente.

A segunda dica é lhe aconselhar a parar com a mania de deixar o carregador do celular sempre na tomada, mesmo que não esteja usando. Atitudes como essas são responsáveis pelo aumento no consumo de energia, o que vai refletir no seu bolso. Ponha o carregador do celular na tomada só quando for realmente abastecer a bateria do seu celular, pois aparelhos em modo stand-by tendem a consumir 12% de energia.

A terceira dica é que, por mais que seja funcional, evite colocar a geladeira perto do fogão na arrumação da cozinha. Acredite, o fogão pode influenciar no consumo de energia da geladeira. Ainda se tratando de eletrodomésticos, deixe para lavar roupas e passá-las quando tiver uma boa quantidade acumulada para o serviço, já que máquinas de lavar e ferro são os grandes vilões no aumento do valor nas contas de luz. Com isso, melhor que o uso desses eletrodomésticos seja feito de uma única vez do que aos poucos.

A quarta e última dica além de ser bem prática também será um apoio para a boa higiene de sua casa: mantenha o filtro do seu ar-condicionado sempre limpo (livre de poeira) para evitar que ele seja sobrecarregado na hora do uso. Também mantenha sempre limpo, igualmente, os lustres e abajures da sua casa – principalmente os transparentes – pois assim eles aproveitarão a máxima potência que a lâmpada tem para oferecer sem necessariamente aumentar o consumo de energia.

Seguindo essas instruções, os resultados serão positivos na economia de energia de sua casa, algo que não apenas o país agradece como também o seu bolso. Afinal, nunca foi tão complicado se estar em dia com o pagamento da conta de luz em meio a uma crise econômica que vem assolando o Brasil com suas altas taxas de desemprego e arrocho fiscal.

Por Michelle de Oliveira

Conta de luz


É preciso estipular e seguir algumas regras para atingir a sua meta de enriquecer.

Se você, de fato, quer se enriquecer, saiba que não adianta ficar contando com a sorte, é preciso estar focado neste objetivo e seguir algumas regras que certamente vão lhe ajudar a atingir este objetivo.
E por incrível que pareça, a primeira regra é fazer um levantamento e determinar de quanto você irá precisar para se considerar realmente rico. Não tem como chegar a um lugar se não soubermos quando chegaremos lá. Veja o que é ser rico para você e estipule um valor que deverá ser a sua meta.

A segunda regra é fazer uma modificação total no seu modo de ver as coisas! O consumismo deverá ser deixado de lado e muitos sacrifícios deverão ser feitos. Será que você realmente está preparado para isso? Tem muita gente querendo enriquecer, mas poucas de fato estão dispostas a enfrentar as dificuldades e os obstáculos.

Esqueça aquela velha mania de ficar comprando produtos supérfluos, você deverá estar sempre focado em sua meta de enriquecer.

A terceira regra é tomar cuidado com os bens que você adquirir. Uma casa bonita, grande, confortável em um bairro classe alta além de custar mais caro também gera mais despesas, seja para manutenção, segurança, IPTU, entre outros gastos.

O mesmo vale para um automóvel, imagine que você compre um carro 0km, um modelo top de linha. Vai gastar muito dinheiro com seguro, IPVA, etc.

Cuidado com o que comprar nesta fase em que está buscando o enriquecimento!

O importante agora é comprar bens que vão lhe dar retorno financeiro, por exemplo, um veículo de aluguel, um imóvel que possa ser alugado, etc.

A quarta regra também é importantíssima para quem deseja enriquecer, que é ter um controle total do seu dinheiro. Tem pessoas que não sabem o quanto ganham e o quanto gastam por mês e isso não sendo rico, então imagine como seria esta pessoa com uma fortuna. Ela perderia tudo em pouco tempo.
É de fundamental importância que você saiba qual é a sua renda, quais são os seus gastos, planejar quanto irá ganhar e gastar nos próximos meses, saber o que pode economizar, enfim, é preciso aprender, desde já, a saber lidar diariamente com este controle.

E à medida que for aumentando seus bens ou sua renda, inclua tudo neste controle, veja o que está lhe dando mais retorno e o que tem lhe dado prejuízo, pois desta forma você estará sempre trabalhando em cima daquilo que mais lhe ajuda a enriquecer, deixando de lado as práticas que não rendem tanto ou que até mesmo, lhe traz prejuízo.

Por Russel

Ter dinheiro

Foto: Divulgação


Entenda porquê utilizar cartão de crédito para cobrir despesas domésticas é muito perigoso para as finanças do lar

Tempos difíceis na economia brasileira, e o pior que nem sabemos quanto tempo essa  crise  vai durar. O que  sabemos é que tem atingido várias pessoas, empresas, comércios, etc. De acordo com levantamentos realizados, muitas pessoas estão fazendo uso do cartão de crédito para cobrir despesas domésticas.

O uso do cartão de crédito para esses fins são um perigo para as finanças do lar, pois os juros do pagamento rotativo são os mais elevados do mercado.

As compras com cartão muitas vezes são uma atrativo, pois o parcelamento sem juros é oferecido em vários estabelecimentos fazendo com que as pessoas se sintam atraídas para  comprar.

Não que comprar com cartão seja algo errado, mas no momento em que estamos vivendo é algo a ser feito com extrema cautela.

Ao chegar a fatura depois das compras somos tentados pelo pagamento da  fatura com o valor mínimo, achando que  com isso  teremos um  folga nas finanças, mas isso é algo muito perigoso a ser feito.

O pagamento de uma fatura no valor mínimo pode fazer com que a dívida venha a crescer  cerca de três vezes, no mínimo.

Outra armadilha é o cheque especial, onde muitas pessoas veem o seu limite como um refúgio, contando sempre com aquela quantia para usar e acabam esquecendo que aquela quantia limite do cheque especial não pertence a nós e sim ao banco, e que deveria ser usada em ocasiões que podemos chamar de emergenciais.

O uso do limite do cheque especial faz que com venhamos a pagar juros e  com isso a situação  financeira fica cada vez mais no vermelho.

Os economistas sugerem que o limite do cartão de crédito ou cheque especial seja de 20% a 30% do salário do seu titular, assim ficará mais fácil para administrar.

Outra sugestão é que não se tenha muitos cartões de créditos, pois tendo uma quantidade menor de cartões fica fácil administrar tanto as contas como os  gastos. 

Por André Escobar

Cartão de crédito


Os apps podem ser baixados para smartphones com Android, iOS e Windows Phone

Se você é do tipo de pessoa que fica todo enrolado na hora de controlar a sua receita mensal, não se preocupe, assim como você, muitas pessoas sofrem na hora de gerenciar os seus ganhos e os seus gastos. O principal motivo desta dificuldade é a falta de planejamento, já que a maior parte da população prefere "vivem mês-a-mês" do que pensar no futuro mais distante.

Uma das principais causas da pouca organização financeira é que muita gente coloca à disposição tudo o que ganha, comprometendo todo o salário em contas, deixando pouco ou nenhum valor guardado para posteriores necessidades.

Com os adventos da tecnologia, o controle dos gastos está muito mais fácil e acessivel. Atualmente, diversos softwares e aplicativos permitem que as pessoas tenham em consideração as suas dívidas e possam gerenciar melhor o seu dinheiro.  

Alguns dos aplicativos mais conhecidos nesse sentido são o GuiaBolso, Moni, Wally+, Finance Organizze, Zero Paper, Minhas Economias, Finance Plus, Orçamento Inteligente 2.  

O Guiabolso permite que o usuário sincronize as despesas. Há versões para sistema operacional Android e iOS e ele pode ser usado também por meio dos navegadores. O app realiza a a classificação das despesas através do uso de categorias.

No ano passado, este aplicativo foi considerado a melhor startup no INFO Start. 

Sendo considerado um dos mais rápidos e simples aplicativos do tipo, o Moni pode ser usado por aparelhos iOS. Ele requer que o interessado em utilizá-lo cadastre todas as informações de forma manual.

O Wally+ é um app curioso, ele permite saber se o usuário está gastando mais dinheiro com família, vida social, trabalho, etc. Um dos principais diferenciais deste app é o scanner de recibos,. Por meio deste, é possível criar uma versão digital do recibo e depois jogá-lo fora.  

Tendo as características dos programas que visam o controle financeiro, o Finance realiza gráficos para despesas e também receitas. A sua interface é bem colorida e muito fácil de ser utilizada.  

O Organizze pode ser baixado para smartphones Android ou iOS. Ele funciona mesmo que o usuário não esteja conectado à internet. Uma desvantagem deste app é que a pessoa precisa lançar todas as suas despesas de forma manual.  

A conotação do Zero Paper é basicamente empresarial. O app serve para que proprietários ou responsáveis por pequenas empresas tenham controle sobre os gastos da empresa.  

O aplicativo Minhas Economias pode ser usado por dispositivos iOS, Android e também por meio da web. Uma das vantagens de usá-lo é que a pessoa tem à disposição todos os seus dados financeiros, assim, fica mais fácil quando ele precisa acessá-los.  

O Finance Plus é um app que só funciona no Windows Phone 7.5, contudo, ele é gratuito e possui boas funcionalidades. Vale a pena testar!

Considerado como um bloco de notas, o Orçamento Inteligente 2 possui uma interface bonita e simples, permitindo que o usuário calcule de forma manual os seus gastos. No final do mês, o app libera uma planilha com os gastos totais e específicos.  

Como pode perceber, há diversos instrumentos para melhorar o seu desempenho financeiro, cabe a você escolher qual é mais propício para as suas necessidades.  

Por Melina Menezes

Foto: divulgação


O período de férias acabou e, como diz a sabedoria popular, o ano no Brasil só começa depois do carnaval. E com os gastos das festas de fim ano somado às férias, carnaval e as outras contas do início de ano, como IPTU, IPVA, gastos com materiais escolares, é possível que muitas pessoas cheguem à conclusão que gastaram bem mais do que ganharam nesse período.

Se você é uma delas, veja 5 dicas de como equilibrar as suas contas e seguir com a vida financeira tranquila durante o resto do ano.

1. Evite o Cheque Especial

A tentação é grande. Você está cheio de contas para pagar e quando olha no seu extrato bancário, possui uma quantia à sua disposição que daria para quitar algumas delas, ou até mesmo todas. Segundo informações divulgadas pelo Banco Central, a taxa de juros superou os 200% ao ano, sendo considerada a mais alta dos últimos 16 anos.

Então, embora pareça ser uma solução fácil para os seus problemas, a longo prazo poderá aumentar ainda mais as suas dívidas.

2. Fuja dos cartões de crédito

Além da taxa de juros alta nas compras parceladas, os cartões nos dão a ilusão de possuir mais dinheiro do que temos de fato, o que pode aumentar o desequilíbrio financeiro.

3. Pesquise os preços na hora do supermercado

As compras de mês são um dos gastos que pesam mais no orçamento doméstico. Fazer uma lista de compras necessárias e pesquisar os preços em diferentes mercados irão garantir uma economia significativa na compras realizadas.

4. Arranje uma fonte de renda extra

Use a sua criatividade e crie uma fonte de renda extra. Você pode usar seus talentos para oferecer aulas, vender bijuterias, alugar uma vaga não usada na garagem ou oferecer algum serviço que saiba fazer. Não venda produtos para pagamento posterior, pois você poderá ganhar mais dívidas caso a pessoa resolva não pagar por eles.

5. Corte os gastos supérfluos

Doces, lanchinhos fora da hora, gastos com noitadas, passeios, compras no shopping, entre outros. Verifique quais os seus gastos são realmente necessários e quais deles podem ser evitados.

Por Raquel Conrado

Foto: divulgação


Todos gostariam de poder administrar melhor seu salário, mas, não é qualquer um que tem essa aptidão, já que é mais fácil gastar do que economizar. Antes do mais nada, saiba que economizar demasiadamente nem sempre é o melhor jeito de administrar seu dinheiro. Se todos os meses você tem dificuldade em administrar o seu salário, aprenda agora por meio das dicas abaixo:

1. Assim que você pegar a sua renda, ou o seu salário, já separe ele pela metade, meio a meio. Uma metade, você reserva para pagar suas contas mais emergentes, como água, luz, IPTU, telefone, internet, fatura de cartão de crédito, mensalidade da escola das crianças, etc. Já a outra metade do dinheiro, você reserva apenas para despesas pessoais e coisas de mais necessidade, como despesas de supermercado, medicamentos, etc. Dessa mesma metade, guarde pelo menos de 10% a 20% para lazer e para pequenos gastos que você tiver durante o mês, como gasolina para o carro, o salão de beleza da sua esposa, manutenções da sua casa, etc.

2. Invista sempre. Outra maneira de usar seu dinheiro de forma inteligente é investindo. De tipos de investimentos o mercado está cheio, cabe a você saber qual deles se encaixa no seu perfil. Por isso, antes do mais nada, identifique primeiro qual perfil de investidor você tem. Um perfil de investidor vai de conservador a um investidor mais agressivo no mercado. Esteja atento a isso, pois o seu perfil também tem que condizer com o seu tipo de renda e o quanto você quer investir. Para isso, pesquise mais a respeito de cotas, juros, poupanças, ações, dividendos, etc. É importante ressaltar que você deve investir conforme sua renda. Comece com uma pequena porcentagem e depois vá aumentando conforme os seus gastos forem diminuindo e assim sobrar mais dinheiro. Para isso, será necessário também que você gaste menos ou pechinche mais quando for gastar, para que assim seu dinheiro renda mais.

Por Daniela Almeida da Silva


Hoje em dia, se fala muito sobre motivação, conquistas financeiras e poder aquisitivo, mas não se fala em aspectos para mantê-los ou conquistá-los. É sempre um conselho daqui, uma experiência dali e outra história de vida acolá. Mas, o que o povo quer saber mesmo é de colocar a mão na massa, de resultados concretos e realizados em tempos reais e de ter a certeza de suas próprias escolhas.

A maioria das pessoas que tem facilidade para conquistar seus bens financeiros também tem uma certa dificuldade de mantê-los, por um outro lado, há pessoas que conquistam tudo com dificuldade na vida e não deixam que nada escape de suas mãos, mas também não aproveitam em nada.

Veja agora como ter sucesso em suas conquistas financeiras e saber aproveitá-las da melhor forma:

– Não crie limitações:

As limitações só nos servem apenas como obstáculos, por isso saiba driblá-las para que você tenha qualidade de vida em sua vida e em suas conquistas. A primeira coisa que você precisa fazer é não criar muitas expectativas em torno de seus objetivos, pois expectativas, por mais positivas que elas sejam, consomem energia e te tiram do principal foco, que é gerar metas sobre aquilo que você realmente quer.

– Cuide de suas economias:

Por menores que sejam suas economias, elas lhe valerão muito no momento em que você mais precisar. Portanto cuide delas. E para cuidar bem delas não precisa economizar ao extremo, mas sim saber como gastar e onde deixar de gastar. É criar fontes de rendas, investimentos e planejamentos para melhores condições, sendo seu dinheiro pouco ou muito.

– Aproveite cada sinal que a vida enviar:

Quem acredita nas oportunidades que a vida tem a nos oferecer não dorme na estrada. Fica sempre atento às oportunidades que as circunstâncias podem sugerir e aceita cada uma delas de forma grandiosa, pois mesmo que não venham a calhar, podem significar muita coisa para quem sabe onde quer chegar. Por isso, qualquer sinal positivo pode ser um aviso que suas conquistas estão perto.

Saiba ter persistência e ao mesmo tempo perseverança naquilo que você quer, não importa o que seja.

Por Daniela Almeida da Silva


Quando chega o final de ano logo pensamos em comemorações, festas e diversões. É justamente por causa dessas comemorações e festividades todas que às vezes acabamos por nos entregar aos gastos que elas proporcionam.

São festas por todos os lados, viagens, além de presentes e enfeites de natal por toda a parte. Se você está entre um desses atributos, preste atenção nas dicas a seguir e aprenda como não gastar muito dinheiro no final de ano:

– Presentes:

Os presentes são os maiores causadores de gastos nessa época. Para evitar isso, procure fazer uma lista de presentes, ou de pessoas que você pretende presentear. Organize pelas quais você conhece mais e tem mais afinidades. Comece primeiro pelos filhos, se você tiver, depois pela esposa, depois pelos parentes e por último colegas ou amigos mais íntimos. Prefira as lembrancinhas do que os presentes mais caros. É claro que pode haver exceções, desde que você as tenham planejado durante o ano, como, por exemplo, aquele carrinho de brinquedo que seu filho tanto quer ou aquela surpresa que você vinha planejando há tempos para sua esposa ou marido.

– Festas:

Depois dos presentes, as festas com certeza são uma das maiores causadoras de gastos nessa época. É a sogra que te chama pra passar o natal na casa dela, são os amigos que vão fazer aquele churrasco e te convidam, etc. E numa dessas, você acaba indo ao supermercado só para não aparecer na festa de mãos vazias. É aí que mora o perigo. Caso decida levar alguma coisa para contribuir com a festa, verifique junto à pessoa que te convidou e veja a possibilidade de levar algo que esteja ao seu alcance. Se for comida, faça algo em casa. Uma receita simples, mas bem caprichosa. Caso você tiver que levar bebida, opte pela mais barata ou rache com mais alguma pessoa que também vai à festa.

Por Daniela Almeida da Silva


É de conhecimento geral que todos os trabalhadores trabalham a vida toda e sonham no final da sua carreira ter uma aposentaria que seja muito confortável e que dê para cobrir todas as despesas pessoais, além de sobrar dinheiro para luxos como viagens, um bom carro e porque não uma boa casa.

Contudo, para aqueles desconhecem, conforme a previsão do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), as tendências com relação à aposentadoria dos brasileiros vão totalmente de encontro a esses anseios dos trabalhadores de ter uma aposentadoria farta, uma vez que segundo os estudos dessa instituição até o ano de 2060 a população, no Brasil, acima de 65 anos deve superar os atuais 14,9 milhões chegando a, aproximadamente, 65 milhões de idosos. Fato este que irá impactar sobremaneira o sistema previdenciário do país, devido ao grande número de idosos aposentados que teremos nessa ocasião.

Uma excelente opção para o trabalhador ainda continuar sonhando com uma aposentadoria farta é a previdência privada, uma vez que ela permite que o trabalhador faça uma reserva, em vida, para que em um momento de necessidade ou na velhice retire um bom valor para ter um pouco mais de conforto.

Então que tal se aposentar com R$ 1 milhão em mãos?

Vamos dar algumas sugestões que irão demonstrar como esse sonho pode virar realidade muito fácil na vida de muito brasileiros, basta um pouco de controle e planejamento das finanças.

Para se ter R$ 1 milhão em 40 anos, por exemplo, se uma pessoa a partir dos 20 anos de idade juntar R$ 520,00 aos 60 anos ela terá R$ 1 milhão.

Uma outra possibilidade é se com os mesmos 20 anos a pessoa juntar, apenas R$ 254 por mês e com uma ajuda de R$ 50.000 aos 60 anos ela também alcançará a sua meta.

Outra alternativa seria para os pais que pensam no futuro dos filhos, haja vista que se a partir de um ano de idade os pais começarem a poupar R$ 160,00, aos 40 anos o filho já terá R$ 1 milhão em mãos.

Então fica a dica, no momento de incerteza em que estamos vivendo atualmente, vale a pena procurar uma instituição financeira e simular como será o seu futuro financeiro.

Por Adriano Oliveira

Aposentadoria


Final de ano chegou e já tem muitos pais preocupados com o material escolar dos filhos, já que a inflação está de volta e os preços estão lá nas alturas. Quem tem filho em idade escolar sabe que vai ser preciso pesquisar muito para conseguir economizar, então o jeito é começar desde agora a verificar o preço do material escolar nas mais diversas lojas, físicas e virtuais.

A previsão é que os artigos escolares sofram um reajuste de pelo menos 8%, de acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares.

Mas dicas simples e eficientes poderão ajudar você a economizar nas compras do material escolar para 2015, confira!

– Comprar em conjunto:

Esta prática vem se popularizando e agora é hora dos pais também se unirem. Se os pais fizerem compras coletivas do material escolar, os preços ficarão muito mais em conta. A economia é grande.
Porém, tudo deve ser muito bem organizado e o pagamento deve ser feito corretamente por todos, nada de alguém deixar para pagar depois.

– Reciclar:

Aproveitar o material deste ano é uma ótima forma de economizar e contribuir com o meio ambiente. Faça em casa um levantamento completo de todo o material escolar disponível, o que poderá ser reutilizado e assim já poderá riscar vários itens da lista.

– Cuidado com as promoções:

Muitas pessoas compram pela internet por causa do menor preço, mas esquecem que é cobrado o frete! Leve isto em consideração. Prejuízo maior é para quem faz suas compras em lojas virtuais desconhecidas que nunca entregam os produtos! Tenha cuidado com as promoções, com as lojas virtuais e até com a qualidade do material vendido.

– Cuidado com a lista:

Muitas escolas pedem materiais que não poderiam ser solicitados aos pais, por isso, fique atento à lista! Material coletivo não pode ser exigido pela escola, por exemplo, giz, material de limpeza, entre outros.

E não deixe a escola ficar responsável pela compra do material. Faça uma pesquisa e compare qual é o menor preço encontrado, o seu ou o da escola e aí sim, escolha aquele que lhe garanta maior economia.

Por Russel


A moeda nacional do Brasil é o Real. Essa moeda que recebemos pelos trabalhos prestados e que merece melhor investimento para termos um retorno satisfatório. Devemos planejar a vida financeira, porque encontramos muitas mudanças no cenário econômico.

Adquirimos gastos pela indisciplina durante o uso incorreto desta moeda, no entanto, devemos planejar com o que vamos gastar, avaliar a necessidade do gasto e se é de prioridade tal investimento.

A palavra economizar, basicamente, significa que devemos gastar menos com algo do orçamento como, por exemplo, comparar preços antes de efetuar uma compra ou não e gastar menos energia elétrica e água em casa, ensinando ou estabelecendo metas com os demais integrantes da família.

Essa dica também vale para a conta de telefone. O uso deste somente para necessidades e negócios e atentar ao valor da tarifa cobrada. Hoje em dia as empresas de telecomunicações, geralmente, oferecem tarifas melhores para cada orçamento.

Ao economizarmos, tendemos gastar a mais com algo, por isso, é preciso e necessário obter metas voltadas ao hábito da poupança. Quando sobrar algum dinheiro, separe qualquer quantia e faça uma poupança e deixe render. Portanto, é conveniente gastarmos menos do que ganhamos; regrinha básica para o aumento de capital.

Com o dinheiro na poupança, o cliente tem opção de investimento com juros melhores, porém com algumas condições.

Existem várias maneiras de investimentos que podem adequar ao perfil de cada investidor e é importante o cliente manter-se informado desses investimentos com os gerentes dos respectivos bancos, escolhendo o que melhor atenderá cada situação.

Outra dica interessante é a inflação. O investidor deve proteger-se, ou seja, se você não protege o que poupou em investimentos com rendimentos que superem a inflação, terá uma queda no seu padrão de vida ao longo dos anos. Mesmo quando a inflação é baixa, a longo prazo ela pode ter um efeito negativo para seu negócio.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes

Foto:divulgação


Qual o significado que o dinheiro tem para você? Trabalho, diversão, amor, prazer, satisfação, luxúria, sucesso? Seja lá qual for o significado que você dá para ele, saiba que inconscientemente você age de acordo com o que acredita para consegui-lo.

A primeira aposta é sempre o trabalho, pois é um dos meios mais antigos para consegui-lo de forma honesta, além de estar dentro de valores e crenças pessoais que você pode criar. Quando ficamos sem dinheiro, normalmente ficamos deprimidos, angustiados e com uma autoestima baixa, pois algumas pessoas o consegue com facilidade, já outras batalham demais e às vezes acima do limite para consegui-lo. Ainda tem aqueles que, infelizmente, escolhem um caminho mais largo e sombrio para consegui-lo, que muitas vezes não tem volta. Enfim, basta olhar ao nosso redor e poderemos encontrar pessoas lutando de tudo quanto é forma para se dar bem de algum jeito.

Se você se encontra desanimado neste momento por estar sentindo a falta dele, pare e reflita sobre alguns mitos antes de criticá-lo:

– Dinheiro só traz felicidade se você escolher usá-lo apenas para satisfação pessoal. Uma pessoa que só pensa em gastar dinheiro, normalmente tem uma ideia diferente e idealizada para consegui-lo, e isso traz uma segurança à ela. Diferente daquelas que ganham pouco e só pensam em economizar para depois gastar exageradamente ou ganham muito e não sabem gastar.

– Só fica rico se souber gastar dinheiro. Isso nem sempre funciona para todos. A boa ideia é sempre saber investir, e investir corretamente. Até a própria poupança se você não souber usar você fica no zero, ou não tem um bom retorno.

– Abrir um negócio próprio e trabalhar que nem louco se ganha dinheiro fácil, rápido e enriquece. Bom, nem sempre isso vale para todos também. Existe o tempo certo, o negócio certo e as pessoas certas para isso. É preciso se instruir muito antes, para não correr o risco de ficar no vermelho.

Por Daniela Almeida da Silva

Dinheiro

Foto: Divulgação


Cada vez mais os pais vêm ensinando seus filhos desde cedo a pouparem suas finanças. Um deseja realizar uma viagem ao exterior e conhecer a Disney nos Estados Unidos, outro sonha em realizar a sua festa de 15 anos e outro sonha em juntar dinheiro para destinar a um Instituto de pacientes com câncer. Afinal de contas o que todas essas crianças têm em comum? Juntar dinheiro e conseguir o desejado.   

Essa medida vem sendo amplamente adotada e inserida nas grades curriculares de algumas escolas particulares de Belo Horizonte/MG, juntamente com apoio da associação de pais de alunos das escolas e com certeza trará reflexos positivos no futuro dessas crianças, que é termos jovens e adultos mais conscientes quanto a noções de economia e o que realmente pode gastar, para não ficarem tão endividados.

Segundo especialistas em educação financeira o primeiro passo a estimular seu filho ou até mesmo você a poupar é a conversa aberta e espontânea em família sobre o tema. Discutir o assunto é fundamental e mostrar a criança que o primeiro passo é aprender a sonhar e descobrir quanto custam os sonhos seja ele em curto, médio ou longo prazo.

Outro detalhe que especialistas recomendam é que cada criança, orientada principalmente pelos pais, adquira um cofrinho e passe a ter o hábito de recolher suas pequenas economias, pois por menor que seja essa quantia, chega-se a um determinado valor, basta ter força de vontade que se consegue alcançar e ter aquele objeto ou aquela viagem tão sonhada.

Finalmente aos pais ficam as dicas para ajudarem seus filhos: Estabeleçam  algumas tarefas a seus filhos para que eles ganhem um dinheirinho extra, Faça passeios mais econômicos, Evite ir toda semana ao shopping, Incentive o seu filho a obter boas notas na escola. Se essas pequenas dicas forem seguidas, você terá dado um grande passo com seu filho sobre a importância em aprender a economizar.

Por Valter Falinácio

Crian?as poupam dinheiro

Foto: Divulgação


Os brasileiros estão ficando mais ousados e alguns até deixam a tradicional Poupança para investirem na Bolsa. Mas logo descobrem que investir na Bolsa requer mais trabalho, uma vez que na Poupança basta depositar seu dinheiro e conferir os rendimentos mensais, enquanto que na Bolsa seu dinheiro poderá ter que ficar investido por um longo período até dar um retorno satisfatório. E uma pessoa que conseguiu faturar R$ 420 mil na Bolsa, mas agora pretende sair, qual a melhor opção para investir o dinheiro?

Adquirir um imóvel para alugá-lo é um bom investimento, seja para aluguel residencial ou comercial, mas é preciso ter muito cuidado, verificando a localização do imóvel, vizinhança, infraestrutura do bairro e se há projetos futuros para a região, como a construção de avenidas, aeroportos, parques, shoppings, presídios, etc.

Vale lembrar ainda que, o dinheiro aplicado em um imóvel, para ser recuperado pode levar um bom tempo, já que para que um imóvel seja bem vendido, não pode ter pressa.

Mas, se a pessoa não quiser investir em um imóvel, quais seriam as outras opções? A aplicação sempre depende do aplicar, ou seja, se a pessoa é mais cautelosa, a poupança poderá ser a melhor alternativa, apresentando vantagens e desvantagens. A vantagem seria da praticidade e segurança, além do fato de que, todo mês você tem o seu rendimento, sendo assim, se precisar do dinheiro, basta esperar que se completem os 30 dias, para você ter o seu rendimento e então poderá sacar seu dinheiro. A desvantagem é que a poupança rende cerca de apenas 0,5% ao mês, o que é muito pouco diante de outros investimentos.

Aplicando R$ 420 mil na poupança você terá um rendimento de R$ 2.100,00 mensais. Se a poupança for a sua opção, a dica é não sacar todo o rendimento, procure reduzir suas despesas para que o rendimento de R$ 2.100,00 seja suficiente para você cobrir seus gastos mensais e ainda sobre um pouco, para você deixar em sua poupança e ir aumentando o seu capital. Se puder obter uma fonte de renda, para não mexer no rendimento de sua poupança, então seria perfeito.

Mas com um capital de R$ 420 mil, o LCI/LCA se torna opção de investimento bem melhor que a poupança. Basta conversar com seu gerente para ver as vantagens, sendo que se puder deixar por um período maior nesta aplicação as vantagens serão maiores que na poupança.

Por Russel

Dinheiro

Foto: Divulgação


Quando falamos em dinheiro logo vem a sensação do consumismo exagerado. Por mais que não tenhamos tendência a sermos consumistas, acabamos nos envolvendo nessa camada da sociedade, que determina quem é o melhor só porque tem mais ou menos dinheiro que o outro.

A maioria da população é assalariada, e quando se trata de algo limitado, as pessoas realmente não têm autocontrole. É mais fácil controlar o muito do que o pouco, pois quanto menos uma pessoa tem, mais ela vai querer gastar, consumir e se individuar para ter algo. Se você é uma das pessoas que possuem dificuldades de administrar seu salário, ou mesmo aquela sua renda mensal, vinda da conta poupança ou outro tipo de benefício, atente-se a estas dicas a seguir:

– Faça uma lista de suas dívidas e pague-as primeiro. Antes de pensar em fazer qualquer coisa com o seu dinheiro, priorize suas contas mensais, tais como aluguel, água, luz, IPTU, condomínio, telefone, faturas de cartão de crédito, entre outras.

– Divida seu dinheiro ao meio. Depois que você pagar todas as suas dívidas, separe o restante do dinheiro que sobrou e use metade para necessidades básicas como alimentação, e a outra para bem-estar, como comprar aquele lindo sapato da vitrine da loja que você estava namorando há tempos, entre outras coisas que sejam relevantes para o seu bem estar, mas vá com muita calma. É importante você fazer isso mesmo que você receba adiantando salarial no meio do mês, pois assim fica mais fácil de manter seus gastos no controle.

– Outra dica interessante também é anotar tudo o que você gasta durante o mês, até aquele cafezinho que você toma toda manhã na lanchonete da esquina. Assim, seus gastos ficarão controlados na prática e com o tempo, a tendência será gastar menos. Quando isso acontecer, você estará totalmente no controle dos seus rendimentos.

Por Daniela Almeida da Silva


Você possui caderneta de poupança ou pensa em abrir uma? Se a resposta for positiva, esse artigo certamente irá auxiliá-lo a definir se essa é a melhor escolha. Vamos lá:

Se você parar para avaliar o rendimento da poupança durante alguns meses, perceberá que ele altera mês a mês. Conforme o valor investido, talvez não seja tão fácil notar, mas quem possui um valor relevante certamente perceberá a diferença. Para comprovar essa informação é simples: faça uma simulação do rendimento da poupança, utilizando um mesmo valor, em meses distintos. Isso é possível com a Calculadora do Banco Central, clique aqui para acessá-la.

Embora a caderneta de poupança esteja entre os investimentos favoritos dos cidadãos do Brasil, especialistas afirmam que ela não é 100% segura, tendo seu risco variado entre diferentes bancos.

Em comparação aos demais investimentos, a poupança é vista como segura e prática, porém os ganhos com ela são bem menos significativos que os demais. Exceto se na poupança estiver aplicado um valor alto, isso pode render muito, inclusive há pessoas que utilizam o rendimento como um salário.

Há períodos em que o rendimento da poupança fica menor que o da inflação em alguns produtos, portanto é possível encontrar no mercado financeiro outras aplicações financeiras que ofereçam melhores retornos para quem investe, bem como segurança em relação aos riscos. Para se ter ideia, o rendimento da poupança fica na casa dos 6% ao ano.

Se você está satisfeito com o rendimento da poupança, uma opção para melhorar ainda mais é o Certificado de Depósito Bancário (CDB), papel de renda fixa emitido por bancos. Assim como a poupança, eles são seguros, fáceis de resgatar, mas podem fornecer rendimentos maiores.

Para quem quer uma alternativa melhor que a poupança, são indicadas as Letras Financeiras do Tesouro (LFT), Títulos do Tesouro Nacional, e Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). 

Por Rafaela Fusieger

Investimentos

Foto: Divulgação


Ter um dinheiro guardado na poupança já foi apontado como um dos melhores investimentos, mas isso foi há muitos anos atrás. Atualmente, quem tem dinheiro guardado na poupança pode acabar tendo é prejuízo. O problema é que muita gente acaba optando pela poupança pelo costume e não porque fez uma avaliação e viu que esta seria a melhor opção para o seu caso. Não existe o melhor investimento, existem investimentos que são melhores para uma ou outra situação.

Quem tem uma renda baixa e consegue separar apenas R$ 100 por mês deve pensar muito antes de escolher onde aplicar seu dinheiro. E tem o fato de que em determinado momento um investimento pode ser o melhor, mas depois de certo tempo poderá deixar de ser interessante e então é hora de buscar uma nova opção.

Quem está começando a fazer uma economia agora, com R$ 100 por mês, certamente vai ficar na dúvida se consegue um bom investimento, pois muitas aplicações exigem que o montante tenha um valor mínimo e assim a pessoa acaba ficando mesmo com a poupança.

Realmente, quanto maior for o seu capital, melhores serão as opções de escolha para você aplicar o seu dinheiro, mas nem por isso a poupança é a única alternativa para quem está começando agora. O dinheiro aplicado na poupança está rendendo na média de 0,5% ao mês, mais a Taxa Referencial, o que é muito pouco. Ao ano, a poupança rende pouco mais de 6%. Mas vale lembrar que a poupança é isenta do Imposto de Renda.

Uma boa alternativa é optar pela poupança no início e ir depositando os R$ 100,00 todos os meses. Depois de um tempo, quando tiver um montante maior, poderá optar pelos fundos de investimentos, mas cuidado, pois o Imposto de Renda incide sobre estes fundos, sendo:

  • 22,5% para aplicações até 180 dias;
  • 20,0% para aplicações de 181 a 360 dias;
  • 17,5% para aplicações de 361 a 720 dias;
  • 15,0% para aplicações acima de 720 dias.

Neste caso, quanto mais tempo seu dinheiro ficar aplicado melhor, então tenha a certeza de que neste período você não precisará mexer no seu dinheiro.

E enquanto seu dinheiro fica aplicado, você pode continuar economizando seus R$ 100,00 mensais na poupança, assim, quando sua aplicação vencer, se não estiver precisando do dinheiro, você poderá juntá-lo ao que está na poupança e fazer uma nova aplicação, única e com um montante maior, conseguirá melhores opções.

Por Russel


A poupança já foi um bom investimento. Há alguns anos atrás quem guardava seu dinheiro na poupança poderia fazer uma boa economia. Atualmente, aplicar seu dinheiro na poupança é um péssimo negócio.
Apesar disso, mais da metade da população brasileira que tem um dinheiro para investir, acaba optando pela poupança e o motivo é simples: falta de conhecimento.

O brasileiro tem essa cultura, de poupar na poupança e fica com preguiça de se informar sobre outros investimentos.

Quem aplica seu dinheiro na poupança, tem um rendimento médio ao mês de apenas 0,5%, não chegando nem a 7% ao ano. Quem aplica dinheiro na poupança dificilmente terá seu dinheiro corrigido de verdade.

O LCI e o CDB são ótimas opções de investimentos e que poderiam estar sendo utilizados por muitos brasileiros que continuam preferindo a poupança, por falta de interesse em se informarem sobre essas formas de investimentos.

Para se ter uma ideia, enquanto a inflação garante um rendimento bruto de 6,8%, o CDB quase atinge a casa dos 10%.

Se você reservar um tempo para fazer um controle financeiro, em pouco tempo poderá investir no LCI e LCA, garantindo maior rentabilidade e contando com a mesma segurança oferecida pela poupança.
O importante, ao investir seu dinheiro no LCI e LCA, é que você tenha um controle feito para poder saber que sua aplicação deverá ficar no banco por um período superior a 1 ano.

Outra alternativa mais interessante à poupança, são os CDBs de Liquidez Diária, além dos fundos DI, sendo que estes cobram o IR e também o IOF, mas mesmo assim são mais vantajosos, principalmente para quem precisará retirar parte do dinheiro antes do período de 1 mês.

Poupança hoje em dia, é somente para quem tem uma quantia muito pequena para investir, sendo que muita gente prefere a poupança até mesmo para não gastar o dinheiro, porque sabe que se ficar em casa, vai acabar comprando algo, mesmo sem precisar.

Para garantir maior rendimento então, a dica é “Controle Financeiro”. Se você tem uma poupança, continue depositando seu dinheiro nesta conta até conseguir um montante que lhe permita partir para outra aplicação.

E enquanto isso, gaste um tempo com seu gerente, conversando sobre as aplicações que o banco oferece e converse até com gerentes de outros bancos, para saber quando você poderá deixar de vez a poupança para investir seu dinheiro em uma aplicação que possa, de fato, garantir-lhe melhores rendimentos.

Por Russel

Dinheiro

Foto: Divulgação


Todo profissional trabalha na expectativa de receber do empregador certa quantia que lhe servirá para a subsistência. Entretanto, não importa se a pessoa é um catador de recicláveis ou um bancário, lidar com dinheiro é algo um tanto complicado.

Mas o melhor, e apesar de ser bastante simples, é que existem diversas dicas que podem ajudar qualquer pessoa a lidar quando o assunto é o dinheiro ganho. Christopher Pollock, um consultor de serviços financeiros, por meio do site Quora deu algumas dicas de premissas em relação a finanças pessoais que qualquer profissional (não importando o quanto ganhe) deveria conhecer segundo ele. Abaixo listamos algumas delas:

– Transforme o que gasta em investimento: a regra é bastante simples quando se observa que qualquer quantia gasta é uma espécie de investimento. Pode ser uma viagem ao exterior (um investimento de lazer). A dica que fica é que seja qual for o dinheiro gasto ele tem que ser gasto com algum propósito, útil de preferência.

Gastar menos do que ganha: apesar de ser uma regra básica é uma das mais difíceis de seguir. É preciso ter muita disciplina para isso, ou então o sujeito acabará na lista dos endividados.

– Aprenda sobre finanças: qualquer trabalhador deveria ter um mínimo possível de conhecimento sobre o assunto. Uma observação interessante é que o brasileiro, em geral, não é muito “ligado” no tema. Seja uma exceção.

– Cuidado com os falsos profetas: tão importante quanto saber sobre finanças é saber ainda mais quem são os melhores “conselheiros”.  Todo trabalhador tem um objetivo que planeja tornar concreto por meio do seu trabalho. Para atingir esse objetivo é comum pedir opiniões de diversas pessoas. É aí que se deve tomar cuidado. Geralmente se procura conselhos de familiares, amigos e conhecidos. Na verdade qualquer um pode e deve se informar com um profissional. Um bom exemplo disso é alguém que quer investir em ações pedir informações para quem conhece do setor é bem melhor que o amigo dono do bar (a não ser que ele seja um investidor).

– Preparando a aposentadoria: as pessoas têm o hábito de confiar por completo no INSS. Na verdade a coisa não é bem assim. Ninguém sabe o que acontecerá depois que se aposentar. Então é bom pensar nisso desde já para garantir um futuro melhor, mesmo que a aposentadoria seja boa. É bom criar o hábito de guardar dinheiro e investi-lo.

Por Denisson Soares

Dinheiro

Foto: Divulgação


A poupança já não é tão atraente quanto alguns anos atrás, principalmente depois da nova regra de rendimento, e isso leva muita gente a buscar novos investimentos. Quem tem algo em torno de R$ 30 mil e tempo para esperar, pode escolher entre diferentes investimentos, como a alocação dos recursos em Letras de Crédito Imobiliário, o LCIs ou o Certificado de Crédito bancário, o CDB. Conheça mais sobre cada uma delas e suas vantagens:

O LCIs é um fundo de investimento em que o investidor empresta seu dinheiro ao banco e este irá financiar obras e demais empreendimentos imobiliários e o investidor recebe de acordo com os juros e taxas que podem incidir.

O CDB é semelhante, contudo, o empréstimo é feito para empresas e para o governo e o investidor também recebe a diferença de juros referentes a este empréstimo.

Ambos os investimentos possuem uma semelhança em relação à caderneta de poupança: são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) com o limite de até R$ 250 mil. O retorno também é maior do que a poupança, sendo que o LCIs pode render entre 80% e 90% do valor investido, dependendo do período.

Vale ressaltar que tanto o CDB quanto o LCIs são investimentos que não se pode retirar o dinheiro a qualquer tempo e é necessário aguardar até o momento firmado em contrato.

É importante se atentar ao evento come-cotas, que acontece apenas com quem aplica seu dinheiro em fundos de investimentos e é a antecipação da cobrança do imposto de renda sobre o lucro que o fundo de investimento renderá.

A cobrança ocorre sempre nos meses de maio e novembro, sendo que o recolhimento se dará sobre o número de cotas que o investidor possui em seu fundo de investimento. O que diminui a quantidade de cotas que os investidores tem, daí o nome come-cotas.

Por Robson Quirino de Moraes

Foto: divulgação


Sempre quando pensamos em guardar dinheiro, a primeira palavra que vem à nossa mente é poupança. Mas, o que não sabemos é que com as mudanças que houveram nas regras de rendimento, muitas pessoas ficaram muito confusas a respeito do assunto.

As novas leis da poupança foram instituídas no dia 4 de maio de 2012, mas a rentabilidade só passou a valer quando a taxa básica de juros, denominada de Selic, foi reduzida para 8,5% ao ano. A partir desta mudança, a remuneração da sua poupança vai depender da taxa Selic, que é definida pelo Conselho de Política Monetária (Copom) mensalmente.

Se a Selic for menor que 8,5%, o rendimento passará a ser fixado em 70% da taxa Selic e mais a Taxa Referencial (TR), que será calculada a partir do rendimentos dos CDBs (Certificados e Recibos de Depósitos Bancários) mensais.

Veja agora como ficou na prática para quem aplicava R$ 500 na poupança por mês:

Antes: Com 0,5% ao mês + TR= R$ 2,74 por mês. Depois: Se a taxa Selic chegar a 7,5%, de acordo como previsto pelo governo, a poupança pode pagar até 5,25% + TR: nesse caso, o rendimento será de R$ 2,14 por mês.

Para prazos de investimentos que são inferiores a um período de quatro meses e com taxa Selic abaixo de 8,5% por ano, a conta poupança se torna a melhor opção, pois ela será isenta de Imposto de Renda e ainda oferecerá liquidez imediata.

Para períodos maiores, as Letras Financeiras do Tesouro (LFT), que pagam normalmente a variação da taxa Selic, tornam-se um negócio mais atrativo, pois todos os custos são embutidos e variam de 0,3% ao ano para taxas de CBLC e de 0,10% do valor total investido no ato da compra.

Você precisa deixar o dinheiro aplicado no Tesouro por um período mínimo de quatro meses. Se você quiser ficar mexendo no dinheiro deverá optar pela poupança mesmo.

Por Daniela Almeida da Silva

Foto: divulgação


Um cartão de crédito às vezes é a única forma de consumir sem possuir dinheiro. Além do mais, é uma forma mais fácil de gastar mais do que se tem e depois não ter como pagar tudo o que deve no final do mês.

Como ainda não sabemos como lidar com esses problemas, siga a seguir algumas dicas de como utilizar seu cartão de crédito de forma inteligente e não ficar no zero todo o fim de mês:

1 – Estabeleça de forma consciente seu limite de crédito para ser gasto. Seja rigoroso neste sentido e respeite seu crédito, evite cair nas tentações de limites aprovados, faça uma análise rigorosa antes, pois isso pode vir a se tornar uma armadilha para você, além de ter sua dívida triplicada a curto prazo.

2 – Estabeleça negociações com a administradora de tarifas de seu cartão de crédito antes de começar utilizá-lo.

3 – Pague rigorosamente o valor de sua fatura sempre na data do vencimento, para que os juros absurdos não comprometam seu crédito futuramente. Caso houver um descontrole financeiro, procure imediatamente outras formas de financiamento para a sua fatura, tais como empréstimo pessoal ou consignado, por exemplo, para seu cartão não ficar sem saldo.

4 – Faça um controle de todos os parcelamentos do seu cartão. A soma do valor de todas as parcelas já poderá estar bem próxima do seu limite, e, fazendo isso você estará estabelecendo um limite consciente da sua renda mensal.

5 – Tenha apenas um único cartão de crédito. Se houver necessário de ter mais de um cartão(ões) adicional(is) para outra(s) pessoa(s) de seu convívio, a comunicação sobre finanças entre vocês deverá ser de forma mais clara possível, dessa maneira, vocês evitarão surpresas ao receber a fatura.

6 – Seja cuidadoso com a sua senha e com as compras eletrônicas. Se você não souber usar a segurança que os cartões proporcionam, por evitar andar com grandes quantidades de dinheiro por aí, você poderá entrar em um enorme pesadelo.

Por Daniela Almeida da Silva


Guardar dinheiroé um fator essencial para quem pretende liderar sua carreira e ter liberdade financeira. Afinal, quem não consegue ter fôlego de sobreviver por pelo menos um ou dois meses sem trabalhar,  acaba não usufruindo de liberdade para tomar suas próprias decisões, como pedir demissão no futuro ou tomar uma atitude com ousadia,  sem perder o sono, com receio de ser demitido.

Fazer uma reserva pode ser mais fácil quando você possui um objetivo definido. O primeiro passo para começar é separar uma parte que deve ser investida, sem pensar nas suas despesas. Para quem ganha uma remuneração bruta de R$ 1,5 mil por mês, por exemplo, a dica é começar a economizar R$ 300 por mês, valor razoável, e que não exige grandes sacrifícios para poupar, podendo chegar a uma boa reserva depois de algum tempo. Quer tentar? Veja alguns exemplos abaixo:

– Guardar R$ 300 por mês:

Quem ganha R$ 1,5 mil por mês de remuneração bruta, pode juntar seus primeiros R$ 100 mil em até 13 anos se souber guardar 20% do seu salário todos os meses. 

– Ganhar R$ 50 mil reais:

Quem quer alcançar os primeiros R$ 50 mil, a dica é trabalhar com fundos de investimento ou poupança. Agora, a poupança se tornou um bom caminho, pois está alcançando rendimentos de 0,5%. Se a taxa de juros estiver baixa, o rendimento da poupança será equivalente ao do fundo fixo. Quando a taxa de juros subir, a poupança virará um mau negócio.

– Guardar de R$ 51 mil a R$ 100 mil:

Após juntar seus primeiros R$ 50 mil, você pode começar a investir a segunda parte deste dinheiro em fundo de ações, por exemplo. Esses investimentos devem ser de longo prazo, ou seja, acima de cinco anos, pois a Bolsa de Valores é uma opção muito interessante e atraente. Só não é bom começar a investir em ações por conta própria. Para pessoas leigas essa pode não ser uma boa opção.

Por Daniela Almeida da Silva


Você está trabalhando em casa e divulgando o seu trabalho online? O sucesso nem sempre é fácil.  Veja alguns erros frequentes que podem estar impedindo o seu crescimento online e corrija-os:

  1. Excesso de categorias ou falta delas: uma das maneiras de deixar o site mais atrativo e gostoso de navegar é dividir os posts em categorias. Isso também é essencial para otimizar o site e fazer com que ele suba no ranking dos buscadores;
  2. Falta de links: os links internos são um grande atrativo e ajudam a levar o leitor para outras páginas do blog que possam ser interessantes. É uma maneira de melhorar a rapidez do site ou melhor, de melhorar a rapidez de navegação no site. É importante ressaltar que não se deve exagerar. Três links é um número bom para um texto de 500 palavras, por exemplo. Claro que esses textos precisam ser otimizados para que o resultado seja satisfatório. Eles também fazem parte do processo de otimizar páginas em SSL;
  3. Falta de artigos relacionados: é muito interessante ao chegar ao final do artigo e encontrar links interessantes com temas semelhantes para aprofundar a leitura. Essa é uma ótima maneira de fidelizar o leitor. Para isso, é necessário ter vários artigos sobre o tema proposto, porém, nunca exagere no número de sugestões. Duas são suficientes;
  4. Excesso de Anúncios: muitas vezes o desespero é tanto para conseguir atingir um rendimento com o blog que o administrador exagera no número de banners. Isso costuma espantar o leitor. A propaganda precisa existir, mas nada muito chamativo e nem desalinhado. O site precisa ser atrativo visualmente e limpo;
  5. Banners intrusivos demais: os banners flutuantes podem até aumentar o número de cliques consideravelmente, porém, atrapalham muito a leitura e ao invés de atrair pessoas, afasta. É um erro muito frequente e que precisa ser evitado, para que o rendimento e o crescimento online venham a acontecer. 

Por Milena Godoy


Por mais que você não goste muito de falar sobre dinheiro e finanças e que esse assunto não faça parte da sua realidade, saiba que a tranquilidade financeira (ou a falta dela) é um fator muito impactante na carreira profissional e na vida pessoal.

Alguns padrões de consumo dos jovens ainda não estão completamente estabelecidos e bem resolvidos em suas vidas. O entendimento de processos financeiros está longe de ser uma preocupação desse público, que sempre costuma se ocupar mais com gastos do que com investimento de dinheiro.

O mau uso do dinheiro provoca um estrago na carreira e na vida pessoal, e isso costuma ser maior do que se imagina. Pessoas financeiramente insatisfeitas não encontram motivação nenhuma no trabalho e acham saída em uma situação econômica menos irregular. A pessoa vive em um estado de ansiedade e muitas vezes as dívidas só tendem a aumentar. Há um imediatismo muito grande por conta do êxtase permanente, tornando o indivíduo um escravo da privação e da frustação. 

De acordo com uma pesquisa realizada recentemente pela Cia de Talentos com 35 mil jovens, verificou-se que os que estão iniciando agora no mercado de trabalho estão melhorando a forma de como encarar o dinheiro. 

Antes era comum vermos jovens gastando seu dinheiro em compras, festas ou viagens, bem como também vestindo roupas novas e caras semanalmente e gastando mais de R$ 100,00 quando saem para diversão noturna.

De alguma maneira, isto não está errado, desde que não se torne um problema e traga noites mal dormidas de grande preocupação. Existe ainda a falta de interesse em investir em educação e cultura, por exemplo, pois não sabem o valor de investir em um capital intelectual, como cursos ou estudo de idiomas, pois experiências internacionais são fatores que podem propiciar estabilidade financeira no futuro.

A melhor dica, com certeza, é consumir de forma consciente, dosar os gastos excessivos e planejar o futuro.

Foto: Getty Images

Por Daniela Almeida da Silva


Você está tendo todos os conselhos de um bom economista, tais como guardar uma parte do seu salário todos os meses e tentar economizar sempre que dá. Porém, apesar dos esforços, você ainda não se sente satisfeito. Se os seus ganhos mensais não estão suficientes para comprar o carro próprio, pagar aquele curso de especialização ou aquela viagem dos sonhos, é provável então que esteja na hora certa de você tentar aumentar sua renda. Confira abaixo algumas ideias para você chegar lá:

Não acumule nada, venda: Você pode ganhar dinheiro vendendo coisas que você já tem e que não usa mais, tais como roupas, livros ou objetos que não tem mais uso em sua casa. Além de uma grana extra, você também ganhará mais espaço, podendo assim organizar melhor o ambiente de sua casa!

Seu hobby transformado em negócio: Você faz alguma atividade com prazer e que encanta a todos sempre? Então talvez seja possível ganhar algum dinheiro transformando seu hobby em uma fonte de renda. Se você é bom na cozinha, poderá começar a vender seus quitutes online. Já se você ama escrever, poderá criar um blog. Já pensou em tudo isso?

Freelancer: Se possuir um emprego as vezes já pode ser complicado, dois então, nem imagine. Uma boa alternativa para resolver esse problema é procurar por trabalhos freelancers em sua área. Você pode aumentar seus lucros, além de acrescentar uma experiência a mais no seu currículo.

Descubra seu talento de ensinar algo: Se você é um excelente estudante, fala fluentemente uma outra língua ou toca muito bem algum instrumento, por exemplo, então você poderá aproveitar seu conhecimento e dar aulas particulares para amigos ou ter um segundo emprego como professor.

Mudança de emprego: A primeira vista pode parecer assustador, mas a verdade é que não faltam oportunidades em diversas áreas no mercado. Atualize seu perfil no LinkedIn e dê uma repaginada no currículo. Depois, realize uma pesquisa e descubra as empresas que você gostaria de trabalhar. Não custa nada tentar!

Por Daniela Almeida da Silva


Uma das maiores novidades de 2014 é que o brasileiro poderá abrir seu tão sonhado próprio negócio.

A internet tem contribuído muito com empreendedores de diversas áreas, principalmente da área de vendas, e tem atraído milhares de expectadores para este meio, tanto empreendedores como consumidores. Isso se dá pelo fato da expansão do e-commerce, além da ampliação de tecnologias inovadoras que facilitam consumidores online.

Se você quer se tornar um empreendedor de sucesso na internet, atente-se as dicas a seguir:

  • Primeiramente, analise bem o mercado e o público alvo que quer atingir com seu produto. Deixe muito claro todas as informações a respeito do produto que você está vendendo e sobre os dados de entrega dele.
  • Crie uma loja online com uma página objetiva e fácil de ser navegada pelos consumidores.
  • Facilite sempre a comunicação com seus clientes, procure sempre colocar seus dados para eles tirarem dúvidas.
  • Busque sempre as melhores formas de pagamento e as melhores entregas para seus produtos. Clientes gostam de praticidade.
  • Procure divulgar as novidades de seus produtos na página de sua loja.
  • Planeje sempre. Planejamento é a chave do negócio.
  • Inove em seus produtos, pois quanto mais exclusivo ele for, mais chances ele terá de conquistar um público alvo.
  • Prepare um tempinho do seu dia-a-dia para pensar sobre ideias novas e se dedique exclusivamente para sua loja.
  • Escolha plataformas de criação de lojas virtuais que sejam fácil de manusear e que ofereceram diversas ferramentas para isso, assim você otimizará seu tempo.
  • Promova o marketing de sua loja, crie uma marca, envie e-mails para seus amigos e parentes para promover sua loja, crie um blog com temas atrativos e faça uma página nas redes sociais para que as pessoas possam ter mais acessos e visibilidade de seus produtos.
  • Tenha coragem e planejamento sempre, pois são fundamentais para se ter sucesso em um negócio próprio. Melhor agora do que nunca!  Não perca mais tempo e comece seu negócio próprio, com o tempo você vai aprendendo com ele e vai se ajustando de acordo com o mercado.

Por Daniela Almeida da Silva


Como todos os anos, nesta mesma época as pessoas que tiveram renda superior ao montante estipulado pela Receita Federal têm que transmitir a famosa Declaração do Imposto de Renda. E sempre surge muitas dúvidas como o que declarar, como declarar, e também surgiu uma pequena dúvida sobre aqueleempréstimo que sempre tem em todas as famílias.

Pois então, como declarar o dinheiro emprestado a um parente, que pode ser irmão, primo, pai, filho e etc. É muito fácil e simples, ao fazer a declaração entre na ficha Bens e Direitos a operação de Empréstimo e nesta deverá constar o CPF e nome completo da pessoa que pediu o empréstimo. 

Claro que em contrapartida o parente que recebeu este empréstimo deverá informar na declaração dele na ficha de Dívidas e Ônus, os dados da pessoa que lhe forneceu o empréstimo. Com todos os dados informados e passados ao fisco claro que não haverá nenhum problema e principalmente informando tudo certo.

E ressaltando que quanto mais cedo, quem está obrigado a declarar, transmitir a declaração de imposto de renda, evita a correria e transtorno de lentidão do site da Receita Federal ao transmitir, e sempre procure alguém habilitado para estar fazendo esta declaração para não correr risco de preencher alguma ficha errada, e acarretar em problemas futuros com o fisco.

Ressaltamos quem está obrigado a declarar são aqueles e receberam rendimentos tributáveis cuja soma anual foi superior a R$ 25.661,70, e rendimento isentos não tributáveis cuja soma foi superior a R$ 40.000,00. Quem obteve ganho de capital em qualquer mês na alienação de Bens e Direitos, quem optou pela isenção do imposto de renda sobre ganhos de capital auferido na venda de imóveis residenciais cuja renda deste imóvel seja destinada a aquisição de imóveis residenciais localizados no país no prazo de 180 dias contados da celebração no contrato de venda nos termos do art. 39 da Lei 11.196, de 21 de novembro de 2005.

E lembramos que o prazo para apresentação da declaração termina em 30 de abril de 2014.


Você já parou para pensar quanto tempo jogamos fora durante o dia a dia? Seja no trabalho, em nossa casa, na rua, no ônibus, enfim, nunca percebemos o quanto isso é valioso e que jamais o teremos de volta.

Primeiramente, temos que levar em conta o que é mais necessário para nós: família, dinheiro, carreira, bem estar, saúde, entre outros.

Programar o tempo que temos durante o dia não é só quando estamos sem fazer nada, pois mesmo quando estamos ocupados não estamos necessariamente produzindo. Um tempo bem gasto é aquele que quando o estamos executando temos a sensação de estarmos produzindo o bastante. Depois de ter escalado qual das suas necessidades básica é mais importante, agora priorize qual deve ser feita com mais exatidão. Se for sua família, acorde bem cedo, faça o café da manhã, mantenha o carinho e o diálogo sempre vivo entre vocês, faça cada segundo valer o dia inteiro e com coisas simples apenas. Se for dinheiro ou carreira, você precisará abdicar de muitas regalias ou oscilações, como sair com os amigos aos finais de semana, fazer aquele happy hour ou ficar horas assistindo tv, por exemplo, pois essas coisas nos tiram o foco e o prazer que causam é momentâneo. Agora, se sua prioridade for primeiramente o bem estar e a saúde, considere isso como um caminho mais fácil, pois essas duas vertentes estão praticamente presentes em nossa vida no dia a dia, basta modificar, incluir ou excluir alguns hábitos que mais nos incomodam, como estresse, alimentação, conhecimento, entre outros. 

Utilize um caderno ou uma agenda e escreva uma lista por dia de tudo o que você precisa para atingir suas metas no dia a dia sem desperdiçar seu tempo ou utilizá-lo mal. Identifique em todas as etapas o que está sendo bem aproveitado e mal aproveitado. Escreva várias vezes e compare um dia com o outro para você ver seu progresso, leia, releia, peça opiniões, reinvente e seja criativo, assim cada passo te deixará mais próximo de atingir seu sucesso.

Por Daniela Almeida da Silva


O especialista em marketing digital, Conrado Adolpho, criou a ferramenta “I Jumper” para empreender na web e ter lucro. Recentemente, Conrado lançou o livro “I Jumper – O Novo Empreendedor da Economia Digital”, que é disponibilizado gratuitamente na internet através do site www.ijumper.com.br, basta fazer o cadastro e baixar o e-book.

Você já ouviu falar nessa ferramenta? É na verdade, um conjunto de estratégias e técnicas para que o empreendedor, além de desenvolver um produto interessante, também consiga vendê-lo na internet. A primeira e mais importante técnica é o engajamento de pessoas. Depois de definido seu público-alvo e seu nicho de mercado, você que é empreendedor precisa conversar com seus possíveis futuros clientes para entender qual a real necessidade deles. Isso vai te ajudar a desenvolver um produto personalizado para esse público. 

Depois, vem a propaganda, que é a alma do negócio. Mas os anúncios e comerciais devem ser criados para atrair as pessoas, e não para vender os produtos. Se não, o internauta se sentirá "invadido" e rejeitará as informações que você oferece. Outra técnica é a de construção de uma reputação da empresa ou do produto que você está tentando vender. É um processo longo, que não acontece de um dia para o outro.

Segundo o especialista, criar um produto online é mais simples e barato porque não envolve custos de distribuição, estoque e logística de entrega. Com cliques, o produto é vendido. Outra vantagem é que você consegue empreender no seu tempo livre e criar seu negócio aos poucos.

Com a ferramenta, administrar o negócio também é uma tarefa fácil, garante Conrado, que defende ainda que os empreendedores podem criar conteúdo para ser vendido por tempo indeterminado na internet, ou seja, o empreendedor “gasta” tempo uma única vez para gerar o conteúdo digital e colhe os frutos das vendas indeterminadamente. Mora aí o segredo do sucesso e dos lucros que você pode obter com um negócio online!

Para garantir maior segurança e diversão ao conduzir, a Audi recalibrou a suspensão e adotou uma suspensão traseira independente por quatro braços, ao invés do eixo de torção usado no A1 convencional.

Dicas.


Economizar uma parte do salário todo mês não é fácil. Tarefa mais árdua ainda é saber escolher um investimento certo para essas economias mensais. Cada objetivo de investimento tem algumas opções que podem ser atraentes para o poupador.

O site da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) realizou uma pesquisa em que perguntava ao internauta qual era sua maior dificuldade em relação ao dinheiro. As respostas eram: a) ganhar dinheiro; b) gastar de forma consciente; c) poupar; d) aplicar em produtos do mercado financeiro e e) planejar seus objetivos e orçamento

Até a última segunda-feira de janeiro, 40% dos participantes haviam escolhido a opção "Aplicar em produtos do mercado financeiro" como a tarefa mais difícil, depois veio as opções "poupar" e "gastar dinheiro de forma consciente", com 20% cada uma delas.

Depois das respostas da pesquisa, a superintendente de investimentos da Anbima, Ana Leoni, listou sete dicas para auxiliar os internautas:

1 – O poupador precisa definir e focar os seus objetivos. Por exemplo: o dinheiro juntado é para aposentadoria ou para comprar uma casa?

2- O perfil do investidor deve ser definido logo. Cada indivíduo reage de forma diferente. Uns são conservadores outros mais liberais. O poupador tem que perceber se é mais tolerante ao risco ou não.

3- É preciso conhecer todos os tipos de investimento disponíveis. Buscar as informações de cada um é também um dos primeiros passos a tomar antes de aplicar o dinheiro.

4- A disciplina deve seguir o perfil do indivíduo. Antes de fazer uma viagem, por exemplo, é preciso planejar e buscar saber o destino e quanto custará o roteiro escolhido.

5- É difícil começar e decidir sobre investimento sem uma ajuda profissional. Procurar alguém capacitado para orientar, vai ajudar o poupador a aplicar o dinheiro no melhor investimento do seu perfil.

6- Ofertas de produtos e serviços financeiros estão por toda a parte, por isso, cuidado! O investidor não deve colocar o seu dinheiro em um investimento que não conhece bem e nem quando sente intolerância por ele.

7- A última e não menos importante é lembrar sempre que a vida e o dinheiro é do poupador. A responsabilidade da escolha final deverá ser dele, o profissional será somente a ajuda, e não a decisão de onde investir.

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação


Todo mundo quer ter um dinheiro extra, mas poucos são os que sabem ou guardam dinheiro para os sonhos e as coisas mais importantes da vida. Aqui, para que você fique melhor, iremos listar algumas dicas relevantes para juntar um dinheirinho e poder fazer suas coisas como comprar uma casa, um carro ou ter uma boa aposentadoria.

1.    Não tenha dívidas

Pague todas as suas contas, fique com seu nome limpo e junte a grana que seria para pagar esses débitos para que você possa comprar outras coisas. Essa é, sem sombra de dúvida, a melhor forma de economizar dinheiro.

2.    Tente comprar à vista com desconto, sempre que possível

Tente manter suas contas no mínimo valor possível, negociando bons descontos à vista, tendo assim espaço para juntar seu dinheiro e ter uma boa economia para atividades futuras.

3.    Organização

Sim, é de suma relevância registrar tudo que você gasta. Faça uma planilha de todos os seus gastos e tenha noção de como você está usando seu dinheiro. Veja o que é fútil e passe a economizar mais.  Não estamos pedindo para você deixar de fazer o que gosta, apenas pedimos que seus gastos sejam pesados.

4.    Dificultar a retiradas

Isso mesmo, guarde seu dinheiro num canto que não seja tão fácil de sacar ou retirar, procure alternativas que façam seu dinheiro investir e não ser desperdiçado. Pense nas vantagens desse ato.

5.    Pense nas despesas do carro

Veja o quanto você está gastando com seu automóvel. A vida, muitas vezes, é mais fácil sem eles. Porém, se o carro é fundamental, repense sobre os gastos e tente poupar o máximo que for possível.

6.    Tenha objetivos

Trace seus planos e objetivos. Pense na geladeira ou sofá novo que você quer e, com esse pensamento, procure juntar seu dinheiro para realizar esse sonho.

7.    Guarde o dinheiro inesperado

Às vezes, pois, recebemos algum dinheiro inesperado. Seja uma bonificação do trabalho ou a restituição do imposto de renda, o fato é que o melhor a fazer com esse dinheiro é economizar, juntar, e não gastar rapidamente.


O especialista em marketing digital, Conrado Adolpho, criou a ferramenta “I Jumper” para empreender na web e ter lucro. Recentemente, Conrado lançou o livro “I Jumper – O Novo Empreendedor da Economia Digital”, que é disponibilizado gratuitamente na internet através do site www.ijumper.com.br, basta fazer o cadastro e baixar o e-book.

Você já ouviu falar nessa ferramenta? É na verdade, um conjunto de estratégias e técnicas para que o empreendedor, além de desenvolver um produto interessante, também consiga vendê-lo na internet. A primeira e mais importante técnica é o engajamento de pessoas. Depois de definido seu público-alvo e seu nicho de mercado, você que é empreendedor precisa conversar com seus possíveis futuros clientes para entender qual a real necessidade deles. Isso vai te ajudar a desenvolver um produto personalizado para esse público.  

Depois, vem a propaganda, que é a alma do negócio. Mas os anúncios e comerciais devem ser criados para atrair as pessoas, e não para vender os produtos. Se não, o internauta se sentirá "invadido" e rejeitará as informações que você oferece. Outra técnica é a de construção de uma reputação da empresa ou do produto que você está tentando vender. É um processo longo, que não acontece de um dia para o outro.

Segundo o especialista, criar um produto online é mais simples e barato porque não envolve custos de distribuição, estoque e logística de entrega. Com cliques, o produto é vendido. Outra vantagem é que você consegue empreender no seu tempo livre e criar seu negócio aos poucos. Com a ferramenta, administrar o negócio também é uma tarefa fácil, garante Conrado, que defende ainda que os empreendedores podem criar conteúdo para ser vendido por tempo indeterminado na internet, ou seja, o empreendedor “gasta” tempo uma única vez para gerar o conteúdo digital e colhe os frutos das vendas indeterminadamente. Mora aí o segredo do sucesso e dos lucros que você pode obter com um negócio online!

Por Nathália Sartorato


Em nossa vida sempre nos deparamos com vários paradigmas e problemas e, cada vez fica mais difícil tomar decisões em um mundo em que a informação e conhecimento se desenvolvem muito rápido.

Temos tempo para tudo, mas nem sempre sabemos como organizar e planejar nossa vida e, principalmente nosso futuro.

Com o desenvolvimento da ciência e da medicina, o homem moderno criou a possibilidade de viver cada vez mais. Neste ponto temos um impasse a respeito de nosso futuro, a tão sonhada aposentadoria. Quem não quer se aposentar aos 40 anos e viver os outros muitos anos viajando e fazendo tudo que sempre sonhou.

Obviamente, ninguém se aposentará aos 40 anos, tradicionalmente todos trabalham e pagam seus tributos até os 65 anos e no máximo até os 70 anos. Com isso, todo cidadão espera uma aposentadoria digna, mas o que vemos atualmente é um sistema público falido e que não terá capacidade para absorver toda a população que entrará com este  processo em um futuro breve.

Uma das saídas para não ficar a mercê do governo é investir em uma conta para a previdência privada. Hoje em dia inúmeras instituições bancárias e financeiras oferecem inúmeros serviços, cabe ao cliente saber avaliar e escolher o melhor plano para a sua vida.

Uma pergunta que nos tira o sono é: qual a melhor forma de investimento, previdência privada ou investir por conta própria? Pois bem, depende muito de pessoa para pessoa, se no seu caso, você sabe como fazer e acompanha as variações de mercado, invista em uma conta própria e em fundos fixos que lhe renderão lucro com o tempo, caso contrário, contrate uma instituição adequada, que cuidará de seu dinheiro e de seu plano até a sua aposentadoria, apenas tome cuidado e estabeleça tudo em um contrato bem detalhado. Ambas as possibilidades renderão a você o benefício de uma aposentadoria plena e satisfatória.

Por Claudemir Pereira

Investimentos para a aposentadoria

Foto: Divulgação


Muitos brasileiros vêm investindo em previdências privadas para completar seu rendimento no futuro, já que consideram a Previdência Pública como insuficiente quando desejarem se aposentar. Porém, com diversos tipos de investimentos existentes no mercado, existe uma forte dúvida em qual seria o melhor (e obviamente) mais rentável investimento para dedicar suas finanças. Existem alguns conhecimentos básicos que são necessários na hora de optar pela escolha adequada.

Primeiramente, a Previdência Privada é complementar, não sendo vinculada ao INSS. O Susep (Superintendência de Seguros Privados) é seu órgão fiscalizador. A quantia investida varia de acordo com sua renda, mas existem especialistas que aconselham o investimento de acordo com a idade, ou seja, quem está na casa dos 20, investe menos do que quem já passou dos 50. Ou ainda, subtrai-se 20 anos da sua idade e essa é a porcentagem ideal do seu salário que deverá ser poupado. Com 23 anos tenho que investir 3% ao mês da minha renda para ter um futuro tranquilo. Essa porcentagem aumenta anualmente.

Na hora de escolher um plano é fundamental prestar atenção em alguns detalhes: imposto e resgate. Existe a forma Progressiva e a Regressiva: quem pretende resgatar toda a renda de uma única vez, deve optar pela Regressiva, e, quem deseja retirar aos poucos, mês a mês, por exemplo, deve optar pela Progressiva. Se tiver dúvidas, o ideal é analisar com calma a variação dos impostos cobrados ao longo dos anos.

Após a decisão da retirada, vamos aos tipos existentes. Existe o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Geradora de Benefício Livre). O PGBL é mais indicado para pessoas com rendas elevadas, pois, pode ser abatido do Imposto de Renda, se tiver no mínimo, 12% da sua renda bruta anual e a taxação incide sobre seu valor total, ou seja, se no total tiver um milhão de reais acumulados, o imposto incidirá sobre esse valor. Já o VGBL, não pode abater do IR, mas quando for resgatar o total, o imposto só incide sobre o que acumulou.

Exemplificando, uma pessoa de 30 anos, com renda de R$ 3.000 que deseja fazer um investimento a curto prazo, deve optar por Progressivo/VGBL pois, a tabela de tributação varia de 0% a 27%, de acordo com o tempo que foi investido e por ser uma pessoa com renda baixa, não precisará pagar uma imensa quantia de impostos posteriormente, apenas sendo taxado do rendimento.

Por Deise Gomes

Previdência Privada

Foto: Divulgação


Chegaram os últimos meses do ano e com ele o tão esperado 13° salário. Em tempos de promoções e festas como Natal e Ano Novo, parece que em todo espaço de mídia existem chamarizes para gastarmos nosso dinheiro tão difícil de ganhar. Por isso, resolvemos elencar algumas dicas úteis:

  • Evite fazer as compras dos alimentos da ceia de Natal e Final de Ano com fome. Sério! Um estudo realizado pela Cornell University, no ano de 2013, revelou que se uma pessoa ficar 5 horas sem se alimentar e for ao supermercado fazer as compras, a tendência será a de comprar mais do que realmente necessita. Para piorar, a pessoa irá procurar subconscientemente por alimentos de maior teor calórico.
  • Separe uma parte do 13° salário e faça um investimento cuja facilidade de saque não seja muito grande. Explico: muitas pessoas depositam até mesmo o valor integral do abono de fim de ano em uma poupança, apenas para sacar alguns dias depois para comprar o presente dos filhos. Essa prática faz com que o valor tenha um rendimento baixo e gera um sentimento de incapacidade em relação à capacidade de economia. Aplicações em médio prazo podem ser mais indicadas para, pelo menos, não cair em tentações.
  • Em relação aos presentes, use da criatividade. Ao invés do videogame, podemos ter um livro, que será muito mais útil a evolução da criança. No lugar da roupa de grife, busque opções populares que não saiam do estilo do ente querido a ser presenteado. O carinho e principalmente o presente de acordo com o estilo da pessoa pode fazer mais sucesso do que a marca ou a tecnologia.

Estas simples dicas podem não somente fazer com que você economize o seu 13º salário, mas também ajudam a reinventar a maneira como você enxerga as festas de final de ano. Afinal, festejar nunca foi sinônimo de gastos e sim de alegria compartilhada!

Por Donizeti Nunes


Para atingir as suas metas e realizar tudo aquilo que planeja, é essencial que as pessoas diminuam os gastos com itens desnecessários. Essa não é uma tarefa nada fácil e para isso sugerimos algumas dicas para que você controle suas finanças e consiga alcançar aquilo que espera.

  1. Entenda os seus gastos: Entender os motivos que faz com que você gaste mais é um bom passo para iniciar a resolução do problema. Analise os principais gastos, se são consumos relacionados ao prazer emocional ou se são realmente necessários.
  2. Controle seus gastos: Realizar anotações sobre as suas compras podem facilitar o controle total dos seus rendimentos, por isso, anote tudo que compre.
  3. Considere as parcelas como um gasto único: Contabilize em suas anotações o gasto total no mês referente à compra, para não ter sustos posteriores.
  4. Compreenda que os lucros virão depois: Entender que precisa economizar agora para atingir as suas metas futuras é um dos principais pontos para não gastar demais.
  5. Não gaste nada agora: Pesquisar e economizar podem gerar excelentes compras se o planejamento for feito de maneira adequada.
  6. Guarde o dinheiro no início do mês: Para que você não tenha surpresas até o próximo pagamento, é interessante segurar um pouco o dinheiro no início do mês e gastar apenas com as prioridades.

Seguindo estes poucos passos é possível que sua vida financeira se estabilize em breve e os gastos demasiados não sejam tão recorrentes, para isso, um bom planejamento e dedicação às finanças pessoais podem gerar boas expectativas no final de tudo.

Por Jeana Barreiro


Para quem não possui dívidas, e deseja investir e poupar, deve estar se perguntando: qual é a melhor opção de investimento em tempos de tantas crises?

Com as fortes oscilações nas Bolsas de Valores, a melhor opção para as pessoas que não querem correr riscos são os investimentos de renda fixa, como poupança, fundos de renda fixa e títulos do tesouro direto, que são títulos de dívidas garantidos pelo Governo Federal, por exemplo.

Os investimentos em renda variável, mais especificamente Ações em Bolsa de Valores, são recomendáveis somente para longo prazo, ou seja, para investidores que não precisarão resgatar estes recursos nos próximos dois anos, pelo menos.

E para quem possui dívidas, a boa estratégia é estabelecer uma prioridade para pagá-las, começando com as que têm juros mais altos como ''cheque especial'' e parcelamento de cartão de crédito.

Uma dica para se livrar deste tipo de dívida é substituí-las por dívidas mais ''baratas'', por exemplo, vender seu carro usado para quitar suas dívidas e comprar um carro novo com financiamento mais barato.

O importante é planejar as finanças. Muitos problemas financeiros podem ser evitados e muitos sonhos podem ser realizados.

O planejamento é fundamental para atingir suas metas e passar o ano todo com ''dinheiro no bolso''.

Por Daniela Almeida da Silva


Antes mesmo das aulas começarem, os pais já saem à busca dos materiais escolares. As escolas entregam a lista do que será preciso comprar e é nessa hora que os filhos gostam de ir às compras para escolher o caderno, a mochila, o lápis e tudo que for possível dos seus personagens preferidos.

Quando se trata da lista dos materiais, considera-se que os pais vão comprar o necessário para o uso diário do filho na escola, no entanto, muitas vezes a lista tem mais itens que o esperado.

Além de pesquisar pelo bom, barato e agradar o gosto dos filhos, os pais também possuem o direito de esclarecimentos do uso dos materiais que foram pedidos pela escola.

Outra dica é não deixar para comprar as coisas de última hora, pois corre o risco de diminuir o estoque e você acabar ficando sem muitas opções para escolher o que é melhor para o seu filho e para o seu “bolso”.

Aproveite as ofertas que começam desde o mês de janeiro e compre tudo que precisa, porque se você comprar aos poucos, pode acabar gastando mais do que o esperado.

Confira no vídeo mais algumas dicas para economizar na compra do material escolar:

Por Luana Lima Mercado


As compras de final do ano geram grandes dívidas aos cidadãos, o que não significa, necessariamente, iniciar janeiro com contas no vermelho. É possível associar o temo “dívida” a compras parceladas, embora parte das pessoas relacionem a palavra ao seu sentido mais negativo.

Depois desse período de compras, surge novo obstáculo às contas particulares: pagamento de impostos, tais como IPVA e IPTU. Recentemente, dados divulgados pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) assinalaram que o número de famílias endividadas avançou 12% entre dezembro do ano passado e janeiro de 2011.

Para Dora Ramos, diretora da Fharos Assessoria Empresarial, esse índice compreende o maior acesso dos consumidores ao crédito e o bom nível do otimismo. Em sua visão, o poder de compra incitado pelo 13º salário algumas vezes ilude as pessoas, que deixam de lado as contas de início de ano para dar vazão ao consumo. Para evitar essa recorrência, lista dicas que, se aplicadas, podem melhorar a vida financeira.

A definição de prioridades é o primeiro ponto a ser visto. Se há possibilidades de parcelamento, opte, mas é necessário estar em dia com as contas que só podem ser pagas à vista. Mesmo assim, como segunda dica, é bom evitar o tal parcelamento.

Além dessas duas dicas, Dora ressalta atenção quanto aos pagamentos realizados exatamente na data do vencimento. Qualquer esquecimento pode ser letal, pois pode fazer com que os juros incidentes desestabilizem as finanças.

O dinheiro de plástico (cartão de crédito) só deve ser utilizado quando necessário, e fazer uso do débito é algo mais viável, sempre dentro do saldo em conta. A última dica, uma das mais indicadas por especialistas, é poupar dinheiro, mesmo tendo dívidas e outras contas para pagar.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa


O início do ano costuma deixar a maioria dos brasileiros com o orçamento apertado. Além dos gastos típicos de final de ano com presentes, produtos para a ceia de natal e viagens, coincide com o período de matrículas, compra de material escolar e pagamento de impostos como o IPVA e IPTU, deixando o contribuinte em uma situação financeira delicada.

Por isso, é recomendado um planejamento financeiro durante todo o ano para que se tenha uma reserva neste período de gastos extras.

A realização de um orçamento financeiro pode fazer a diferença. Especialistas recomendam a anotação diária de todos os gastos realizados, assim se tem um melhor controle de todas as despesas, havendo a possibilidade de se verificar o que pode ser economizado.

Economizando um pouco na conta de luz e telefone, evitar compras a prazo e tentar poupar 10% de seu salário também ajudará a ter uma boa reserva financeira no final do ano.

Por Selma Isis

Fonte: Cleston Alexandre dos Santos, coordenador do curso de contabilidade do Grupo Educacional Uninter


Começo de ano é sempre uma correria para os pais em busca de encontrar melhores opções e preços de materiais escolares para seus filhos. Algumas dicas podem ajudar neste processo. Muitas vezes o reaproveitamento de materiais do ano passado, como dicionários, gramáticas, lápis e borrachas que estiverem em boas condições, é uma alternativa.

Também deixar para comprar o material quando estiver iniciando a aulas é uma boa opção, já que os preços podem estar mais em conta. Há também feiras que oferecem trocas de livros antigos ou a preços baixos. Pesquisar na internet antes de sair às compras, também pode ser mais prático. Até mesmo elas podem ser feitas online, se os preços estiverem mais baixos, e você poderá economizar com o deslocamento, estacionamento, etc.

Ir às compras sozinho e pesquisar lojas com descontos também pode ser um alívio para o bolso.

Por Monique Mota


Novembro e dezembro são os dois meses em que o pagamento do 13º salário é realizado nas empresas. Levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) assinalou que o intento deverá inserir R$ 102 bilhões na economia brasileira neste ano, montante superior em 20% ao constatado em 2009, quando R$ 85 milhões foram pagos.

Especialistas, antecipando-se à atual euforia dos consumidores, recomendam que cada qual se preocupe em poupar dinheiro. Para Mauro Calil, educador financeiro, é interessante que os cidadãos destinem 50% do valor para aplicações, no entanto, quando há dividas, deve-se descrevê-las e saber a causa do endividamento. Caso sejam constatados gastos acima de ganhos, o consumidor tem de estar atento, cortar despesas e elaborar, deste modo, uma educação financeira.

De acordo com Reinaldo Domingos, consultor financeiro presidente da Dsop Educação Financeira, gastos de final de ano e viagens podem estar na pauta dos consumidores desde que a pessoa já tenha elaborado seu planejamento e, sobretudo, que não precise quitar dívidas contraídas ao longo do ano.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Band Online


Cada vez mais no mercado imobiliário a compra de imóvel por meio do sistema de administração ganha adeptos.

Para quem não se enquadra em programas do governo para adquirir imóveis mais em conta ou seja ganha em média renda acima de R$4.900,00,mas mesmo assim quer ter uma casa pra chamar de sua sem ter que se endividar todo, o sistema de obra por admnistração é um bom negócio que chega a custar em média 30% menos do que comparada ao modelo tradicional.

A única exigência que se faz é que o grupo de compradores se comprometa a pagar em dia as parcelas mensais.

Basicamente o sistema quer dizer que os próprios moradores pagam pelo empreendimento e pelo rateio do terreno. Algumas empresas oferecem um seguro que garanta a entrega da obra. Dê uma olhada neste sistema e se você se enquadra no perfil, não perca a chance de adquirir um imóvel sem gastar muito mais do que a sua própria renda.

Por Teresa Almeida


Para começar investir não é muito fácil, é necessário programar-se para fazê-lo.

O primeiro passo é separar as despesas mensais e a quantia o qual você deseja investir seja em ações ou poupança.

Este planejamento deve ser feito minuciosamente para obter uma boa rentabilização durante o mês sobre o valor que foi investido.

Feito todo o planejamento o valor investido futuramente poderá ser utilizado para começar a formar o seu patrimônio, mas atenção é necessária muita disciplina.

Após toda essa análise de gastos mensal e quanto você poderá poupar, é muito mais fácil saber como alcançar os seus objetivos.

Por Paula Ribeiro

Fonte: Ágora


Sempre que possível algumas pessoas de todo o mundo procuram tirar férias pelo menos uma vez ao ano para viajar com suas famílias, outros preferem fazer uma reeducação nos seus gastos, eliminando o que seria de menos importância.

Isso se dá porque algumas pessoas respeitam o seu salário, estabelecendo assim, uma boa relação com ele, fazendo com que ele se torne um amigo e não um inimigo.

Sendo assim é possível estabelecer metas ou sonhos na nossa vida, e com o tempo realizá-los sem muitos esforços.

 Mas para quem tem ou deseja ter uma família grande, é bom contar com a ajuda de todos.

Por Sulamita Filisbelo


A cada dia que se passa cresce o consumo com coisas de menos importância em nosso dia a dia, isso porque se começa desde cedo, ainda na infância, quando aprendemos a consumir mais do que poupar.

Ao passo que atingimos a idade adulta, somos obrigados a aprender a poupar mais e consumir menos, mas nem sempre é isso que acontece.

Por isso é essencial reavaliarmos os nossos gastos fazendo uma reeducação financeira.

 E uma boa reeducação financeira começa-se por fazer uma planilha de custos, sendo assim, podemos reduzir alguns gastos, que se eliminados, não farão falta e sim ajudarão para uma boa reeducação financeira.

Por Sulamita Filisbelo


É verdade que a cada vez mais difícil economizar mais dinheiro, visto que os juros estão cada vez mais baixos e os produtos cada vez mais atraentes.

Quem não gostaria de adquirir um novo televisor para assistir aos jogos da copa de 2010? Ou quantas pessoas já adquiriram esse sonho?

Bom, para quem ainda não realizou esse sonho, olho vivo, porque embora os juros estejam mais baixos, os preços estão lá em cima, e o que era um sonho pode se tornar um pesadelo sem fim.

Mas calma, até mesmo os sonhos mais caros podem se tornar realidade se planejado corretamente, pois, mais vale poupar do que acabar em dívidas.

Cuidado com os crediários sem entrada, porque podem não ter saída também.

Por Sulamita Filisbelo

Fonte: VOCÊ S/A





CONTINUE NAVEGANDO: