Lançamento das novas cédulas de R$ 10 e R$ 20

O Bacen lançará na segunda-feira (23/07) as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20 da segunda família do real.

O lançamento será realizado em Brasília (DF), às 15h, e contará com a presença do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

Segundo o BC, as cédulas apresentarão novos elementos de segurança, que serão mais modernos e de fácil verificação, além de tamanhos diferenciados e novas marcas táteis, visando facilitar a identificação dos valores das notas pelos deficientes visuais, aumentando a dificuldade de falsificações.

A circulação das novas cédulas será feita através dos comércios, dos bancos comerciais e dos caixas automáticos. As notas atuais continuarão valendo, sendo retiradas de circulação pelo motivo do desgaste natural.

A segunda família do real entrou em vigor com o lançamento das notas de R$ 100 e R$ 50, que foram colocadas em circulação em 2010. Já, o lançamento das novas notas de R$ 2 e R$ 5 está previsto para 2013.

O projeto das novas cédulas segue desde 2003, com a interação entre o Bacen e a Casa da Moeda do Brasil, responsável pela fabricação do dinheiro nacional.


Uma pesquisa realizada pelo Banco Central (BC) teve o resultado divulgado nesta segunda-feira (23/04) e apontou que há uma boa porcentagem de cédulas no país que deveriam estar em desuso por causa do desgaste causado com o tempo.

De acordo com a pesquisa, as piores notas encontradas em circulação são as de R$ 2,00, com 21,8%. Em seguida vêm as cédulas de R$ 5,00, com 14,5%, consideradas inadequadas para circulação. Já no caso das notas de R$ 50,00, apenas 2,7% deveriam estar em desuso, ficando na frente das notas de R$ 100,00, com 3,3%.

Para qualificar as cédulas em questão a pesquisa organizou 6 níveis de desgaste, sendo o nível 1 considerado o melhor, usado para classificar as cédulas novas, e o nível 6 o pior, usado para classificar as notas em pior estado, ou seja, com manchas, sujeira, dobradas e gastas.

No caso das moedas, a pesquisa considera que 27% das produzidas desde o Plano Real já não estão mais em circulação e explica que esta estatística deve-se à perda de moedas de baixo valor e o hábito das pessoas em manter o armazenamento prolongado.

Para a imagem do país é importante manter o bom estado das cédulas em circulação, além de facilitar a autenticação dos elementos de segurança.

Por Anne A. Matioli Dias





CONTINUE NAVEGANDO: