O brasileiro anda com bastante crédito na praça. Pelo menos é o que garante uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviço (Abecs). Segundo o levantamento realizado pelo instituto, no ano passado foram realizadas compras no valor de R$ 978,8 bilhões com cartões de crédito e débito.

O número de transações em comparação ao ano anterior também teve aumento. De janeiro a dezembro, foram realizadas 10,3 bilhões de transações em todo o território nacional, uma alta considerável de 11%.

Em comparação nas compras nos cartões de crédito e débito, o de crédito teve a preferência dos consumidores brasileiros. Os gastos nesta modalidade foram responsáveis pelo montante de R$ 625,5 bilhões. O de débito, por sua vez, registrou R$ 353,3 bilhões.  Nestes valores não estão computados os gastos realizados por brasileiros no exterior.

O uso maior do cartão de crédito tem a sua explicação. Por oferecer maior facilidade no parcelamento de compras, muitas vezes sem juros, o cartão de crédito permite que seja utilizado em compras maiores. Além disso, a oferta de crédito no mercado tem crescido e contribuído para esses números.

Outro fator que pode colaborar para essa superioridade do cartão de crédito ante o cartão de débito são os pacotes de benefícios oferecidos pelos de crédito, que dão pontos em programa de fidelidade que podem ser trocados por produtos e serviços, entre eles, passagens áreas.

Para transações no cartão de crédito, o valor médio de compras foi de R$ 86,90. Já o de débito registrou a média de R$ 45,80.  

Com estes números sobre o aumento das transações em cartões de crédito e débito, a Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviço projeta um crescimento de 12% a 14% nas transações para 2015, o que significa que este número pode alcançar o montante de R$ 1,1 trilhão.

Por Julio Abreu

Comprar no cart?o

Foto: Divulgação


Nesta segunda-feira, dia 10 de novembro de 2014, a Receita Federal liberou a consulta ao 6º lote de restituição do Imposto de Renda de 2014. Não somente para o ano corrente, foram liberadas as consultas de restituições de 2008 a 2013. Esse lote devolverá mais de 2,3 bilhões de reais para cerca de 2,14 milhões de contribuintes. Vale lembrar que ainda será liberado o 7º lote neste ano e os créditos desse 6º lote começarão a ser realizados uma semana após a publicação dos valores, no dia 17 de novembro deste ano de 2014.

Para consultar a restituição, o usuário pode ligar para o Receitafone através do número 146, consultar a página na internet da Receita Federal ou utilizar aplicativos em smartphones ou tablets que executem os sistemas operacionais iOS ou Android.

Se houver algum problema com a restituição, como não constar o crédito na conta do contribuinte, mesmo que ele tenha a liberação, o usuário deve procurar alguma agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento do banco para resolver essas pendências.

Foram liberados os valores em Reais, a quantidade de contribuintes contemplados e a correção pela Selic, dos meses de maio a novembro do ano, dos seguintes anos:

2014: Contribuintes – 2.146.926, valor liberado – R$ 2.300.152.524,32, correção pela Selic: 6,37% (maio de 2014 a novembro de 2014);

2013: Contribuintes – 25.533, valor liberado – R$ 52.429280,70, correção pela Selic: 15,27% (maio de 2013 a novembro de 2014);

2012: Contribuintes – 7.625, valor liberado – R$ 19.914.665,63, correção pela Selic: 22,52% (maio de 2012 a novembro de 2014);

2011: Contribuintes – 4.104, valor liberado – R$ 18.978.367,00, correção pela Selic: 33,27% (maio de 2011 a novembro de 2014);

2010: Contribuintes – 2.416, valor liberado – R$ 5.600.862,17, correção pela Selic: 43,42% (maio de 2010 a novembro de 2014);

2009: Contribuintes – 791, valor liberado – R$ 1.558.777,50, correção pela Selic: 51,98% (maio de 2009 a novembro de 2014);

2008: Contribuintes – 67, valor liberado – R$ 365.522,68, correção pela Selic: 63,95% (maio de 2008 a novembro de 2014).

Por Rannier 

Restitui??o do Imposto de Renda

Foto: Divulgação


Com a indefinição quanto à futura política econômica do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, o dólar opera em alta pelo quarto dia consecutivo até à última quarta-feira (5). A moeda norte-americana estava sendo vendida a R$ 2,5159 por volta das 16h20, com ganho de 0,42% em relação ao dia anterior.

O que mais lança incertezas sobre investimentos no Brasil e preocupa o mercado é a indicação do novo ministro da Fazenda. A presidente já havia comunicado, durante a campanha eleitoral, que o atual ministro, Guido Mantega, não continuaria no cargo.

Embora o jornal "O Estado de S. Paulo" houvesse afirmado que Dilma pretendia anunciar o nome do novo ministro antes da reunião do G20, a presidente disse nessa quarta que não haveria tempo. Ou seja, o mercado só conhecerá o novo indicado depois do dia 16¨de novembro, quando Dilma deve voltar da Austrália, onde se reunirá a cúpula do G20.

O jornal Valor Econômico informou que Dilma e o ex-presidente Lula teriam se reunido para discutir a questão. Lula teria indicado o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles; o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, e o ex-secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa.

Vale lembrar que há uma semana atrás a possibilidade da nomeação de Luiz Carlos Trabuco havia animado o mercado, e o dólar havia fechado em queda de 1,42%. Porém, segundo o Valor, Trabuco teria sido convidado para assumir o cargo, porém, havia rejeitado o convite. Rumores apontam que Henrique Meirelles seja o mais cogitado pela presidente.

Com ou sem especulações, o provavel é que só conheceremos o novo ministro da Fazenda após a reunião do G20. Só nos resta observar as reações do mercado frente às notícias.

Em entrevista ao Jornal da Record, Dilma avisou: "Não tente especular, porque não direi como farei". Dilma não pretende discutir um único ministro, mas todo o ministério. Declarou ainda que as novas medidas na economia serão marcadas pelo diálogo.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


A caderneta de poupança, reconhecida como um bom investimento nos anos 90, quando as altas inflações garantiam uma alta rentabilidade, vive momentos de oscilação, acompanhando a instabilidade do mercado financeiro brasileiro.

O Banco Central revela que, no mês de setembro, os depósitos da poupança superaram os saques em R$ 1,36 bilhão. O saldo total da caderneta passou de R$ 638,474 bilhões no mês de agosto para R$ 643,413 bilhões no mês de setembro. A informação foi divulgada pelo Banco Central na última segunda-feira, dia 06 de outubro.

Foram R$ 145,095 bilhões depositados e R$ 143,725 bilhões sacados. Contudo, no mês de setembro do ano passado, os depósitos superaram os saques em R$ 6,695 bilhões, uma diferença significativa para o mesmo período do ano corrente.

Acumulando os meses de janeiro a setembro de 2014, a poupança obteve captação líquida positiva de R$ 15,5 bilhões.

Mesmo com os altos e baixos, a poupança continua sendo uma boa opção para os investidores, principalmente para os pequenos e médios investidores, com um perfil mais conservador, uma vez que a caderneta de poupança é um investimento de baixo risco e que tem rentabilidade estável e segura.

A poupança chegou a ter sua rentabilidade abaixo da maioria dos investimentos entre os anos de 2011 e 2012, com uma baixa significativa da rentabilidade mensal. Contudo, com as mudanças nas taxas de juros e a taxa Selic, além de algumas mudanças adotadas pelo Governo Federal, a velha poupança voltou a ter rentabilidade mensal na casa de 0,5% ao mês, o que voltou a atrair novos investidores.

Outra vantagem da caderneta de poupança é a isenção de imposto de renda e outros impostos, diferente de outros investimentos que, apesar de ter maior rentabilidade mensal, descontam-se alguns impostos, o que acarreta, em muitos os casos, na equiparação dos lucros mensais ou até mesmo em uma superação da caderneta de poupança, se comparado a investimentos como CDB e CDI.

Por André César

Foto: divulgação


A poupança já não é tão atraente quanto alguns anos atrás, principalmente depois da nova regra de rendimento, e isso leva muita gente a buscar novos investimentos. Quem tem algo em torno de R$ 30 mil e tempo para esperar, pode escolher entre diferentes investimentos, como a alocação dos recursos em Letras de Crédito Imobiliário, o LCIs ou o Certificado de Crédito bancário, o CDB. Conheça mais sobre cada uma delas e suas vantagens:

O LCIs é um fundo de investimento em que o investidor empresta seu dinheiro ao banco e este irá financiar obras e demais empreendimentos imobiliários e o investidor recebe de acordo com os juros e taxas que podem incidir.

O CDB é semelhante, contudo, o empréstimo é feito para empresas e para o governo e o investidor também recebe a diferença de juros referentes a este empréstimo.

Ambos os investimentos possuem uma semelhança em relação à caderneta de poupança: são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) com o limite de até R$ 250 mil. O retorno também é maior do que a poupança, sendo que o LCIs pode render entre 80% e 90% do valor investido, dependendo do período.

Vale ressaltar que tanto o CDB quanto o LCIs são investimentos que não se pode retirar o dinheiro a qualquer tempo e é necessário aguardar até o momento firmado em contrato.

É importante se atentar ao evento come-cotas, que acontece apenas com quem aplica seu dinheiro em fundos de investimentos e é a antecipação da cobrança do imposto de renda sobre o lucro que o fundo de investimento renderá.

A cobrança ocorre sempre nos meses de maio e novembro, sendo que o recolhimento se dará sobre o número de cotas que o investidor possui em seu fundo de investimento. O que diminui a quantidade de cotas que os investidores tem, daí o nome come-cotas.

Por Robson Quirino de Moraes

Foto: divulgação


O brasileiro está pagando menos suas dívidas. É o que mostra um relatório do Banco Central, que afirmou que houve aumento na taxa de inadimplência das pessoas físicas em relação aos empréstimos bancários com recursos livres (não levando em consideração o crédito rural e habitacional), que mensuram os atrasos de mais de 90 dias nos pagamentos. A taxa voltou a subir em julho e é preocupante.

A inadimplência de pessoas físicas nas operações bancárias passou de 6,5% em junho para 6,6% em julho e esta é a maior medição desde maio desse ano, quando o percentual foi de 6,7%.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel: “O aumento em julho não tem significância, dada a magnitude. Os atrasos de 15 a 90 dias, que são um indicador antecedente relevante para a inadimplência, continuaram recuando. Evoluíram favoravelmente. Isso dá mais robustez ainda à percepção de que a inadimplência encontra-se em patamar historicamente baixo e estável".

As empresas também estão com dificuldade em pagar. A taxa de inadimplência em operações bancárias subiu de 3,4% para 3,5%, sendo este o percentual mais alto desde maio, quando chegou a 3,7%.

No somatório da taxa total de inadimplência, que engloba operações de pessoas físicas e jurídicas, houve alta de 4,8% em junho para 4,9% em julho. Trata-se do maior percentual desde maio, quando os números chegaram a 5%.

Vale ressaltar que neste montante não são considerados os créditos habitacionais e rurais, além das operações do BNDES Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social.

Nessa perspectiva, o governo ainda anunciou medidas de estímulo ao crédito, que pode aumentar essa taxa de inadimplência. É mais uma tentativa para ajudar no crescimento da economia brasileira, cujos níveis estão aquém do esperado, no ano de 2014.

Entre as medidas, estão a liberação de R$ 25 bilhões para os bancos emprestarem aos clientes e medidas para facilitar o financiamento de imóveis. 

Por Robson Quirino de Moraes

Foto: divulgação


Neste último dia 15 de julho de 2014 o Ministério do Trabalho e Emprego começou a efetuar os pagamentos do abono salarial referente ao exercício 2014/2015. De acordo com as informações divulgadas a expectativa é de que 23 milhões de trabalhadores venham a ter o direito ao benefício. O montante que deverá ser pago no processo será cerca de R$ 17 bilhões.

Conforme informações da pasta responsável pela atual gestão a antecipação do pagamento do abono foi feita pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Anteriormente aqueles que tinham direito só poderiam começar a sacar os pagamentos a partir do mês de agosto.

Outra alteração feita neste ano foi em relação ao calendário. Neste caso os trabalhadores que recebem o benefício por meio de uma conta corrente terão os valores depositados conforme o mês de aniversário, contando, claro, a partir do dia 15 de julho de 2014.

Quem pode receber esses benefícios:

De acordo com as informações do Ministério os trabalhadores que tiverem os dados inclusos na Relação Anual de Informações (Rais) podem receber o benefício desde que atendam aos seguintes critérios: ter recebido no máximo até dois salários mínimos de remuneração mensal durante o período de exercício do trabalho, contar com cadastro no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e também ter trabalhado com carteira assinada ou ter sido nomeado efetivamente em cargo público pelo período mínimo de 30 dias no ano-base dos empregadores que contribuem para o PIS/Pasep. Lembrando que neste caso é valido para os empregadores que são cadastrados no CNPJ.

O abono pago é no valor de um salário mínimo.

Quem possui sua inscrição no PIS deve receber seu benefício nas agências da Caixa Econômica Federal. Já os inscritos no Pasep recebem em agências do Banco do Brasil. Sempre respeitando o calendário de pagamento.

Os trabalhadores inscritos precisam apresentar um documento de identificação bem como o número do PIS ou Pasep. O prazo de pagamento dos benefícios seguirá até o dia 30 de junho de 2015.

Por Denisson Soares


Uma das grandes polêmicas em 2013 foi justamente o escândalo envolvendo a denúncia de um ex-funcionário do Banco do Brasil, banco estatal brasileiro bastante conhecido e com milhares de clientes em todo o país.

Caso ainda não esteja por dentro do assunto saiba que a polêmica teve início após a demissão de um funcionário do Banco do Brasil, tal demissão por justa causa foi motivada pelo fato do funcionário em questão ter se dirigido ao Ministério Público Federal para efetuar denúncias contra a instituição.

O cidadão, entre as denúncias, informou que o Banco do Brasil que estava cometendo vários tipos de crimes, entre eles, um esquema de fraude por parte da direção, gerentes e demais funcionários da empresa estatal.

Como já foi citado, após tudo isso o banco resolveu demiti-lo por justa causa, porém, o processo tomou outros rumos e o funcionário demitido saiu vencedor. Mais informações a respeito você encontra na continuação deste artigo.

Saiba que o funcionário demitido por justa causa conseguiu que a Justiça do Trabalho revertesse à demissão por justa causa em uma dispensa imotivada. Dessa forma, o delator em questão conseguiu uma multa de R$ 250 mil, resultantes do processo de danos morais por parte do Banco do Brasil.

É importante ressaltar que para o Tribunal Regional do Trabalho, era absolutamente inaceitável, que o empregado fosse demitido por justa causa após efetuar denunciar os vários crimes cometidos por parte dos funcionários da estatal.

Além disso, é importante destacar que uma demissão por justa causa é uma demissão ocasionada por mau procedimento e indisciplina por parte de um funcionário em questão e, como já citado acima, o TRT não enxergou isso, haja vista que o a demissão foi motivada após o funcionário do Banco do Brasil realizar uma denúncia onde o mesmo informa uma série de irregularidades da estatal para com os seus clientes e até mesmo outros empregados do banco.

Por Bruno Henrique

Foto: divulgação


A queda das ações da Petrobras que aconteceu nos últimos meses causa debate para parte da critica que desconfia se o investimento vale a pena ao longo prazo, para colher os frutos apenas dois da aposentadoria, por exemplo. Por outro lado, também surgem especialistas que indicam ser momento ideal para fazer a compra, ao aproveitar para adquirir na baixa e vender à alta.

De acordo com representantes da “TOV Corretora” os dias atuais são momentos exatos para comprar as ações da Petrobras. De acordo com especialistas que defendem a tese de alta, os papeis da estatal chegaram ao fundo do poço e têm caminho único a seguir, ou seja, começar a subir.

O analista chefe da “TOV Corretora” indica que a empresa espera acontecer aumento de quase 96% no valor dos papéis, ou seja, quantia que ultrapassa a casa de R$ 26,60, no final do ano de 2014. A opinião do especialista aparece com destaque na mídia especialista em mercado de ações.

Não se pode ignorar o fato de que no início do ano de 2014 as ações da Petrobras tiveram média de queda. O mínimo chegou em R$ 17,08 ao final do primeiro bimestre. Quem ficou feliz por conta do aumento da gasolina, no final de 2013, desanimou ao não acontecer aumento no valor dos papeis da estatal. Na prática, o preço diminuiu 22,13% nos dois primeiros meses.

Em consequência das intervenções governamentais e problemas na gerência para administrar e valorizar as ações, os papéis da estatal podem abaixar além do que os atuais valores considerados apocalípticos, conforme parte da crítica. Preços com chances de descer dos R$ 17 para R$ 10.

A Info Money indica em publicação na internet que parte dos governantes usa a estatal para fazer propaganda política ao invés de centrar os objetivos a recuperar o valor das ações.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação


De acordo com informações colhidas no site oficial da Prefeitura de São Paulo e conforme a Lei 11.614/1994, os pensionistas, aposentados e as pessoas que possuem renda mensal vitalícia no sistema previdenciário não precisam pagar o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). A isenção acontece apenas para pessoas que possuem um imóvel registrado no nome físico.

Não se pode ignorar o fato de que pessoas que se enquadram nas regras precisam solicitar a isenção de forma pessoal, com ou sem procurador. Necessário ter o requerimento de isenção, entregue nas subprefeituras que se localizam próximas do imóvel. Para conquistar o documento os interessados precisam seguir ao seguinte endereço: Vale do Anhangabaú, número 206, das 08h às 18h.

Pessoas interessadas em solicitar e preencher o requerimento, para conquistar isenção na taxa de pagamento do IPTU, também precisam trazer no documento o demonstrativo que demonstra de modo claro o rendimento. Quem não apresenta o documento que demonstra a renda tem o pedido de isenção arquivado até a entrega acontecer, na subprefeitura.

Para conquistar esse tipo de isenção existem cinco tipos de regras, de acordo com a Lei: o bem imobiliário precisa compor o patrimônio de quem solicita o direito, não ter outro imóvel na cidade de São Paulo, não utilizar o bem como rendimento, ter renda de no máximo três salários mínimos e ser aposentado (pensionista ou beneficiário).

Caso as condições para conquistar a isenção deixarem de ser atendidas, existe a necessidade de comunicar à Secretaria Municipal das Finanças a atual condição, em prazo de no máximo três meses.

A cópia do demonstrativo de contas e o requerimento de isenção são os únicos documentos solicitados para conquistar o direito de não pagar IPTU, na cidade de São Paulo. Porém, caso julgue necessário, a unidade que analisa o pedido pode solicitar outras fontes documentais para conceder direito ao dono do imóvel não quitar o imposto.

Por Renato Duarte Plantier


Retirado das lojas de aplicativos Google Play (Android) e App Store (iOS) há cerca de duas semanas, o jogo Flappy Bird continua a ser notícia em todo o mundo. Dessa vez, o que chamou a atenção foi a notícia divulgada no site China News, dando conta de que o game criado por um desenvolvedor vietnamita está sendo utilizado para recrutar novos funcionários para uma empresa chinesa.

Conforme o site asiático, a empresa Wuhan Wei Pei Information and Networking, do ramo de programação, tem colocado os candidatos às vagas de emprego oferecidos por ela para jogar o Flappy Bird. E para avançar no processo de seleção, é necessário jogar o game durante 20 minutos e obter pelo menos 20 pontos, algo que pode ser bastante complicado para quem não tem muita intimidade com esse viciante e difícil joguinho de celular.

O motivo do uso do aplicativo na seleção de candidatos pode ter sido justamente pela dificuldade do jogo. Assim, a companhia chinesa ganha uma nova maneira de avaliar as capacidades de cada um deles, para saber se eles possuem aptidão para o trabalho oferecido por ela.

Além disso, a empresa informou também que o uso do game foi uma forma de chamar a atenção para a vaga de emprego que ela está oferecendo. E parece que a estratégia deu certo, pois a organização já recebeu muitos currículos, segundo o site China News.

Para quem não sabe, o jogo Flappy Bird, no qual você tem que ajudar um pássaro a atravessar vários obstáculos, sem encostar neles, foi retirado do ar depois de ter conseguido milhões de downloads em todo o mundo e rendido cerca de US$ 50.000 por dia para o seu criador.

O desenvolvedor do título, Dong Nguyen, alegou que o sucesso alcançado pelo game, lançado em maio de 2013, o incomodou demais, fazendo com que ele fosse requisitado diariamente pela imprensa e pelos fãs. E por não aguentar a pressão, resolveu não mais disponibilizá-lo para download.

Por André Gonçalves


Presidindo a comissão provisória do Partido Solidariedade (SDD) em Divinopólis, o Vereador Eduardo Print Júnior entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), a fim de mudar a taxa de correção monetária do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Atualmente a taxa do FGTS é de 8% do salário do colaborador. E cabe ao empregador depositar todos os meses a quantia em conta creditada em nome do colaborador, o que lhe dá direitos a retiradas, em casos de demissões sem justa causa e também para casos de financiamentos de imóveis.

O partido ao qual Eduardo representa desconsidera essa taxa por se tratar de um índicie com valor abaixo da inflação e, por ser assim, não compensar as perdas inflacionárias. Por isso a ação objetiva que a correção seja feita com base no Índicie Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

"É bem verdade que, quando do seu surgimento, essa inconstitucionalidade não produziu malefícios imediatos aos trabalhadores, pois, no início da década de 1990, a TR se aproximava do índicie inflacionário. No entanto, a referida Taxa Referencial apresentou defasagem a partir do ano de 1999, devido a alterações realizadas pelo Banco Central do Brasil. E mais: essa defasagem só se agrava com o decorrer do tempo, diante da constante da Selic, a taxa básica dos juros", destacou o Partido Solidariedade (Fonte: Agência Brasil).

Essa correção é pra ser adotada pela Caixa Econômica Federal. Mas, até então tem suscitado dúvidas entre os membros do Poder Judiciário. Cuja decisão final aguarda pronunciamento do STF, que tem como relator do processo o Ministro Luís Roberto Barroso.

Eduardo não está só nessa empreitada e conta com o apoio do afiliados: José Wilson Piriquito (Vice Presidente do Partido), Eduardo Silva (Apresentador de TV), Leonardo Ribeiro Gonçalves, Marilda José de Souza Silva, Antônio Hélio da Costa, João Batista e Geraldo Oliveira.

Por Kesianne Ferreira


Economizar uma parte do salário todo mês não é fácil. Tarefa mais árdua ainda é saber escolher um investimento certo para essas economias mensais. Cada objetivo de investimento tem algumas opções que podem ser atraentes para o poupador.

O site da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) realizou uma pesquisa em que perguntava ao internauta qual era sua maior dificuldade em relação ao dinheiro. As respostas eram: a) ganhar dinheiro; b) gastar de forma consciente; c) poupar; d) aplicar em produtos do mercado financeiro e e) planejar seus objetivos e orçamento

Até a última segunda-feira de janeiro, 40% dos participantes haviam escolhido a opção "Aplicar em produtos do mercado financeiro" como a tarefa mais difícil, depois veio as opções "poupar" e "gastar dinheiro de forma consciente", com 20% cada uma delas.

Depois das respostas da pesquisa, a superintendente de investimentos da Anbima, Ana Leoni, listou sete dicas para auxiliar os internautas:

1 – O poupador precisa definir e focar os seus objetivos. Por exemplo: o dinheiro juntado é para aposentadoria ou para comprar uma casa?

2- O perfil do investidor deve ser definido logo. Cada indivíduo reage de forma diferente. Uns são conservadores outros mais liberais. O poupador tem que perceber se é mais tolerante ao risco ou não.

3- É preciso conhecer todos os tipos de investimento disponíveis. Buscar as informações de cada um é também um dos primeiros passos a tomar antes de aplicar o dinheiro.

4- A disciplina deve seguir o perfil do indivíduo. Antes de fazer uma viagem, por exemplo, é preciso planejar e buscar saber o destino e quanto custará o roteiro escolhido.

5- É difícil começar e decidir sobre investimento sem uma ajuda profissional. Procurar alguém capacitado para orientar, vai ajudar o poupador a aplicar o dinheiro no melhor investimento do seu perfil.

6- Ofertas de produtos e serviços financeiros estão por toda a parte, por isso, cuidado! O investidor não deve colocar o seu dinheiro em um investimento que não conhece bem e nem quando sente intolerância por ele.

7- A última e não menos importante é lembrar sempre que a vida e o dinheiro é do poupador. A responsabilidade da escolha final deverá ser dele, o profissional será somente a ajuda, e não a decisão de onde investir.

Por Carolina Miranda

Foto: divulgação


Com o grande capital de giro presente atualmente no Brasil, não é surpresa que haveria um aumento nos IPVA's do país.

Podemos destacar que, dentre os 10 lugares com o IPVA mais caro do país, claro que São Paulo estaria no meio, já que, a cidade é sempre castigada com os grandes valores em seus impostos, não só por ser uma das capitais do país, mas por ser a cidade onde se tem o maior giro de capital da América Latina, por exemplo.

Nessa cidade, o maior IPVA terá o valor de R$ 101 mil, que será do carro esportivo, Ferrari F12berlinetta, logo atrás, temos o Estado do Rio de Janeiro, ao lado de Minas Gerais, que há uma pequena redução de preço para o IPVA do mesmo esportivo, que será de R$ 100 mil. O mesmo carro no Estado do Rio Grande do Sul terá o IPVA no valor de R$ 87 mil. Na Bahia, vemos redução de 5% no valor do IPVA, mas ainda assim, o preço do IPVA da moto Honda Gold Wing é de R$ 81 mil.  

No Mato Grosso, o IPVA mais caro será de R$ 32 mil para o Lamborghini que vale um pouco mais de um milhão de reais. No Paraná também haverá uma redução nos valores de 5,6% para os carros, onde é possível ver o valor do seu IPVA no site da Secretaria da Fazenda e consultar a tabela FIPE tendo o documento do carro em mãos.

No Espírito Santo não houve um aumento nem uma redução como aconteceu nos outros Estados, o preço está estável sendo o mesmo que no ano passado. Só é possível ver os preços a partir de uma consulta também. Em Santa Catarina irá ocorrer uma redução de 3,8%, juntamente com o Distrito Federal, que terá uma redução de 4,5%, já que, na visão dos especialistas, diminuir o IPVA pode beneficiar a frota atual.  

Por Mariana Caetano

IPVA 2014

Foto: Divulgação


O Banco Central divulgou dia 11 de novembro o boletim Focus, que é um relatório de mercado, que apontou as previsões feitas pelos economistas do mercado financeiro semana passada, onde eles chegaram a conclusão que em 2014 o Brasil terá um índice de inflação maior e uma menor taxa de crescimento.

Sendo que segundo a precisão dos economistas do mercado financeiro até semana passada, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2013 está estável em 5,85%. Entretanto para o ano de 2014 a previsão dos economistas do mercado financeiro avançou de 5,92% para 5,93%.

Assim se as previsões dos economistas do mercado financeiro se confirmarem, a inflação de 2013 ficará acima do valor registrado em 2012, que foi de 5,84%.

Entretanto, Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, havia prometido queda da inflação em 2013, quanto à taxa de inflação de 5,84% registrada em 2012, além de uma taxa menor ainda em 2014.

Já para a taxa de PIB de 2013, os economistas do mercado financeiro mantiveram a sua previsão de uma alta de 2,50% o que mantém as expectativas do Banco Central  e do Ministério da Fazenda. Mas para o ano de 2014 os economistas do mercado financeiro estimam que o crescimento do PIB cairá de 2,13% para 2,11%.

O boletim Focus também apontou que segundo a estimativa do mercado financeiro, a taxa de câmbio para o final de 2013 permanecerá em R$ 2,25 por dólar. Já para o final de 2014 a taxa de câmbio ficará estabilizada em R$ 2,40 por dólar.

Quanto à expectativa dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial, que é determinada pelo total de exportações menos as importações do país, em 2013 o superávit do Brasil caiu de US$ 1,90 bilhão para US$ 1,55 bilhão segundo dados coletados até semana passada.

Já para o ano de 2014 o superávit da balança comercial subiu de US$ 9,25 bilhões para US$ 10 bilhões.

Os economistas do mercado financeiro preveem também, que para 2013 a entrada de investimentos estrangeiros no Brasil ficará  na faixa de US$ 60 bilhões. Sendo que para o ano de 2014 também estão previstos US$ 60 bilhões de entrada de investimentos estrangeiros no Brasil.

Por Mara Mothsin





CONTINUE NAVEGANDO: