A lista de jogadores que receberam maiores salários do mundo em 2013 traz nomes novos e antigos. Nas duas primeiras posições o destaque permanece o mesmo, ou seja, Lionel Messi lidera na frente de Cristiano Ronaldo, embora o jogador português do Real Madrid tenha ganhado o prêmio Bola de Ouro FIFA.

Há pouca diferença no salário dos dois principais jogadores de futebol nos dias de hoje. Messi ganhou 41 milhões de euros ao ponto de que Ronaldo recebeu 39,5 milhões de euros, conforme indica a pesquisa da revista France Football. O estudo leva em conta não apenas salários como também prêmios e contratos com publicidade.

De novidade na lista vale o destaque ao companheiro de Lionel Messi no ataque no Barcelona, ou seja, Neymar, com 29 milhões de euros. O jogador da seleção brasileira aparece pela primeira vez no ranking entre os três futebolistas que receberam maior renda no mundo em 2013.

Depois de Neymar e na quarta posição está Wayne Rooney, atacante da seleção inglesa e do Manchester United. Com idade de 28 anos representa a grande esperança da Inglaterra na Copa do Mundo no Brasil em 2014. Ele ganhou 24 milhões de euros no ano de 2013.

Com 32 anos e a imagem de ser um dos mais conhecidos atacantes suecos de todos os tempos, Zlatan Ibrahimovic ganhou no ano passado a quantia de 23,5 milhões de euros do PSG.

Na sexta posição se encontra o atacante do Mônaco, Radamel Falcão, colombiano com 28 anos de idade. Ele ganhou 21,2 milhões de euros no ano de 2013. Ao sétimo lugar está Sergio Agüero, centroavante do Manchester City, com 19,7 milhões de euros.

Não se pode ignorar o fato de que também existe outro jogador brasileiro no ranking, o zagueiro Thiago Silva recebeu quase 17 milhões de euros e se encontra no oitavo lugar.

Por Renato Duarte Plantier


Em pesquisa realizada pelo Núcleo Brasileiro de Estágios – o Nube – foi constatado que a média da remuneração em 2013 dos estagiários brasileiros aumentou em 11% em relação ao ano anterior de 2012. Com um salário médio de R$ 859,45 durante o ano de 2013, os estágios são a primeira oportunidade de trabalho que prepara os alunos, sejam esses do Ensino Médio, Técnico ou de Cursos de Graduação para o mercado de trabalho.

Importante saber que o trabalho de estagiário é regulamentado pela Lei N° 11788 de 25/09/2008, que consiste em um ato educativo que prepara o aluno para o mercado de trabalho e, em muitos casos, são os steps iniciais para diversas carreiras.

Todo estágio é vinculado a um projeto pedagógico de cursos reconhecidos pelo MEC. É importante salientar que os estágios em empresas podem ser ou não remunerados, não são regidos por CLT e não criam vínculo empregatício entre o aluno e a empresa.

É necessário formalizar e regulamentar junto a Instituição de Ensino através de um Termo de Compromisso (Contrato de Estágio) que deve ser assinado pelo aluno, pela escola e pela Empresa em questão. Outro ponto importante é definir junto a Instituição de Ensino se o estágio será obrigatório, ou não. No caso do estágio obrigatório, é necessário cumprir algumas etapas conforme definido no projeto do curso e cuja carga horária é obrigatória registrar.

A pesquisa foi realizada junto a cerca de 23 mil estagiários em diferentes níveis de colocação no mercado e foi constatado que alunos de cursos de graduação ou nível superior recebem um pouco mais, em torno de R$ 964,81. Dentro desse perfil, os homens continuam sendo mais remunerados em relação às mulheres, que recebem menos em alguns casos.

Em segundo lugar ficam os estagiários de cursos superiores em tecnologia, que ganham em média de R$ 884,00. Em relação ao nível médio, os técnicos recebem em média de R$ 670,69 e os alunos do ensino médio comum ganham em torno de R$ 513,73.

Por Claudemir Pereira

Foto: divulgação


A produção da indústria brasileira registrou recuo de 2% no mês de maio e reverteu os ganhos de abril que foram de 1,9%. A pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que desde fevereiro essa foi a baixa mais acentuada deste ano. Porém o recuo de 2% não foi suficiente para transformar o acúmulo no ano em porcentagem negativa, pois alguns setores continuaram a crescer.

Se comparado com o mês de maio do ano de 2012, a atividade fabril teve alta de 1,4 % sendo o segundo resultado positivo da comparação até agora, porém a atividade se mostrou menos intensa se comparada ao mês anterior, no caso fevereiro de 2013. No acumulado do ano, a produção brasileira teve alta de 1,7%, mas nos últimos doze meses teve queda de 0,5%.

Os fatores que influenciaram o recuo de 2% no mês de maio foram os veículos automotores com queda de 2,9%, as máquinas e equipamentos com queda de 5% e os alimentos que tiveram queda de 4,4%. Das 27 atividades, apenas 12 delas tiveram avanço e porcentagem positiva na comparação anual.

Por Jéssica Posenato


O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou no dia 26 de julho que a inflação está sob controle e encontra-se em queda. Segundo ele, existem dados que revelam essa tendência.

Guido Mantega esteve presente na audiência de Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados e criticou quem se opôs aos parlamentares que rejeitaram as medidas criadas pelo governo para controlar a inflação. De acordo com Mantega, as donas de casa já estão verificando a redução de preço no supermercado, pois houve desoneração da cesta básica. Para ele, a situação não é ruim como dizem, mas tem pessoas querendo levar vantagem maximizando a situação.  

O ministro afirmou que a inflação continua se mantendo dentro da meta esperada pela equipe econômica nos últimos anos e que em alguns momentos os preços se elevaram devido as condições climáticas do Brasil e a elevação do preço das commodities.

Os preços dos alimentos pressionaram a inflação, mas agora os índices já estão registrando queda. A previsão é que até o final do ano a inflação reduza e que essa redução permaneça durando o próximo ano.

Por Jéssica Posenato


A Fundação Getúlio Vargas (FVG) divulgou uma notícia nesta terça-feira, 6 de novembro, sobre a pesquisa no mercado consumidor de materiais de construção. Segundo a FGV, os consumidores desse tipo de produto devem passar por mudanças de perfil no próximo ano.

Segundo o pesquisador Robson Gonçalves, deverá ter uma maior presença de vendas no varejo de materiais de construção em 2013, acompanhado pelo crescimento do setor de infraestrutura e uma diminuição da demanda por materiais importados.

Segundo ele, as mudanças devem ocorrer pois as empresas construtoras estão entregando um grande volume de obras e não tem se notado um crescimento no lançamento de grandes projetos. Isso deverá fazer com que as compras no atacado de materiais de construção caiam no futuro em favor de compras no varejo. Além disso, o setor de infraestrutura deve ampliar a demanda com a aceleração das obras para a Copa de 2014 no país.

Os dados da FGV mostram que no ano passado as vendas de materiais de construção no varejo representavam cerca de 47% do total do mercado, enquanto o setor de empresas imobiliárias era responsável por 31% das compras.

Por Matheus Camargo

Fonte: A Tarde


A Danone é uma das maiores empresas de laticínios no Brasil e tem investido aproximadamente R$ 100 milhões por ano em sua planta industrial no país. Os investimentos têm gerando um retorno positivo, com uma média de crescimento da empresa de 15% nos últimos anos.

Mariano Lozano, presidente da Danone, afirmou que a empresa está em um forte ritmo de crescimento e o projeto chegará a dobrar de tamanho em 2013, em relação ao tamanho da empresa em 2009. Isso representa uma faturamento bruto de R$ 2 bilhões para a empresa.

O mercado de produtos lácteos industrializados no Brasil é de aproximadamente R$ 5 bilhões, afirmou Lozano. A Danone deve investir pesado também em promoção da marca e do consumo de laticínios industrializados no país. Segundo o executivo da empresa, um dos focos da campanha publicitária da Danone no próximo período é aumentar o consumo do produto no país, hoje com média de seis quilos e meio per capita.

A empresa não divulgou a previsão de participação de seus produtos no mercado de lácteos para o ano que vem, porém considerando as informações colocadas, a Danone deve alcançar uma fatia de mercado próxima de 40% em 2013.

Por Matheus Camargo

Fonte: Estadão


Salário Mínimo 2013

Foi aprovado hoje (17/07) por unanimidade, pela Comissão Mista de Orçamento, o texto-base da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2013. O texto visa aumentar o valor do salário mínimo para R$ 667,75, crescendo 7,36% em relação aos R$ 622,00 atuais.

Depois que a LDO for aprovada, o Governo terá até o dia 31 de agosto de 2012 para encaminhar ao Congresso o Projeto de Lei Orçamentária. O documento deverá conter a estimativa das receitas que o Governo espera arrecadar durante o ano, além de fixar os gastos a serem feitos.

Um dos assuntos polêmicos discutidos foi o reajuste salarial dos servidores das três esferas da União. O Palácio do Planalto autorizou que o Governo analise os recursos destinados aos reajustes dos servidores no Orçamento 2013, mas isso não torna obrigatório o aumento. Porém, o Governo poderá não incluir no Projeto de Lei Orçamentária a estimativa de recursos para este reajuste salarial dos servidores.

A presidente Dilma Rousseff poderá, ainda, vetar a emenda.





CONTINUE NAVEGANDO: