Salário Mínimo São Paulo 2017



  

O piso salarial regional de São Paulo teve um reajuste de 7,62% em 2017. Confira o salário para cada categoria.

Em dezembro do ano passado o governador de São Paulo Geraldo Alckmin propôs à assembleia legislativa o projeto que visava ao aumento do salário mínimo regional, ou conhecido também como piso salarial regional num total de 7,62%.

Em março de 2017, Geraldo Alckmin, conseguiu a aprovação da lei que reajustou o piso salarial dos trabalhadores do estado em 7,62%, que passou a valer a partir do dia 1º de abril.

O reajuste feito equivale ao reajuste anual regional.

A lei

Apesar de ser previsto em lei o direito do trabalhador receber um salário mínimo nacional que atualmente está em R$ 937,00, os governos podem criar projetos de lei para os empregados sem piso salarial definido em lei federal, ou acordo coletivo de trabalho.

Valores Reajustados

A primeira faixa de trabalho que inclui trabalhadores domésticos, pescadores, trabalhadores agropecuários e florestais, auxiliares de serviços gerais, cabeleireiros, telefonistas, motoboys, marceneiros, costureiros, manicure, pedicure e entre outros que antes recebiam R$1.000,00 passaram a receber R$ 1.076,20.

A segunda faixa R$ 1.017,00 para R$ 1.094,00, e atinge os trabalhadores das áreas de administração pecuária e florestal, representantes comerciais, supervisores de compra e venda, radialistas, chefes de comunicação, dentre tantas outras redes de trabalhadores que hoje estão podendo desfrutar deste aumento aprovado pelo governo do Estado de São Paulo.

O estado paulista é um dos poucos beneficiados onde o salário mínimo é maior que o salário nacional, ou seja, os servidores beneficiados com esse aumento podem comemorar. Pois além de conseguir a aprovação do aumento do piso salarial regional, o governador também conseguiu validação do projeto que abona complementarmente os funcionários públicos a terem salários igualados a esse mínimo regional.





Com esse pequeno aumento, porém significativo, é possível que os trabalhadores que são regidos por lei estadual, consigam esticar um pouco mais o salário até o fim do mês, mesmo com a inflação acima de 7%.

Vale ressaltar que é importante a participação dos trabalhadores na fiscalização do valor pago por seus superiores e do valor pago para seus empregados. Pois a lei deve ser utilizada de forma a beneficiar os servidores, e o valor mínimo que deve ser pago as determinadas faixas. Para que a lei funcione é preciso à colaboração dos envolvidos e interessados.

Passados cinco meses da validação e recebimento do reajuste regional, é possível observar efeito positivo que teve sobre a população que tem desfrutado desse aumento.

O reajuste salarial pode auxiliar também na geração de lucros e de empregos em uma época de crise e de desempregos, podendo ajudar também na economia do estado. Mas como? O aumento do piso salarial regional pode ser um atrativo para pessoas que estão em busca de uma nova vida em uma cidade grande, como São Paulo. Pois, os empreendedores e donos de lojas, mercados e etc, podem aproveitar o momento para desembolsar um valor um pouco maior, porém com uma chance de conseguir recuperar todo o valor investido em novas contratações.

Quando uma população recebe mais, tende a gastar mais. Ou seja, pode ser uma chance de conseguir gerar lucros para o governo e vendas para os donos de negócios e também gerar empregos para pessoas que estão em busca de uma oportunidade. Em uma situação como essa, todos podem ganhar. É preciso pensar na sociedade como um todo, para assim conseguirmos tornar o país com geração de lucros e oportunidades de emprego para quem precisa.

Pensando nisso, é preciso mostrar resultados para incentivar outros estados a seguirem os mesmo passos. A longo prazo pode ser uma das soluções para a economia do país.

Por Fabiane de Barros Coelho

Salário mínimo



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *