Aumento nas Tarifas dos Correios 2017



  

Valores dos serviços aumentaram 7,5%.

Para quem é um usuário assíduo dos serviços prestados pelos Correios no Brasil pode ir preparando o bolso, pois as tarifas da instituição ficaram mais caras a partir desta segunda-feira , dia 08, em todo o país.

O ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) autorizou um reajuste de mais de 7,40% nos preços dos serviços de postagens cobrados pelo órgão e que deverá abranger tanto as tarifas cobradas para postagens nacionais quanto as internacionais.

Com isto, os brasileiros vão pagar o valor de R$ 1,23 para enviar uma simples carta comercial de até 20 gramas para qualquer parte do país. Antes o preço cobrado era de R$ 1,15. Outros serviços oferecidos pela instituição como o telegrama, que pode ser escrito a partir da internet, teve seu valor reajustado de R$ 7,07 para R$ 7,60 por cada página a ser redigida.

A medida faz parte do reajuste anual de tarifas feitas pelos Correios e ficou bem abaixo do mesmo aumento dado em 2016, que foi de 10,7%.

O aumento é resultado do chamado Índice de Serviço Postal (ISP), que é calculado tendo-se por base outros índices econômicos como o IPCA, INPC, o IGP-M, o IPCA Transporte e o IPCA Saúde. O primeiro parâmetro é aplicado exclusivamente para as instituições que funcionam em âmbito nacional e que fazem parte do monopólio exercido pela instituição para com os serviços de postagem que operam em território brasileiro.

A elevação das tarifas pelos Correios tenta minimizar os efeitos de uma crise econômica que atingiu esta instituição brasileira, cujos resultados financeiros vêm despencando o seu faturamento desde de 2014.





No ano de 2015, os Correios chegaram a amargar um prejuízo de R$ 2,1 bilhões e de R$ 2 bilhões em 2016.

Com a crise econômica batendo na porta da instituição, cerca de 250 agências foram encerradas em todo o território brasileiro.

Na tentativa de recuperação econômica, a instituição optou por implantar um programa de demissão voluntária, ainda o final do ano de 2015, além da modernização de seus serviços para que pudessem operar em todo o país.

A expectativa do governo é que a empresa possa recuperar a sua atual situação econômica para assim evitar uma possível privatização, já preconizada pelo atual ministro das Telecomunicações, Gilberto Kassab.

Emmanoel Gomes



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *