Novas Regras do Crédito Rotativo do Cartão – O Que Muda?



  

Saiba aqui o que muda com as novas regras do crédito rotativo no cartão.

O Banco Central do Brasil (BCB) determinou novas regras para utilizar o rotativo dos cartões de crédito. A mudança já é válida a partir do dia 3 de abril (segunda-feira). Confira aqui quais são as principais alterações.

restrição para pagar o valor mínimo da fatura. Não será mais possível escolher essa opção de pagamento por vária vezes subsequentes no ano. Antes, funcionava da seguinte maneira: o cliente, para evitar a inadimplência, deveria pagar até a data de vencimento pelo menos 15% do montante total da fatura do cartão do crédito. Assim, o saldo devedor seria cobrado com juros no próximo mês. Caso o consumidor não conseguisse realizar o pagamento integral, seria possível efetuar o pagamento do valor mínimo novamente e por quantas vezes quisesse.

Para evitar a conhecida "bola de neve" que esse tipo de pagamento pode gerar aos consumidores, o BCB estabeleceu que eles podem quitar 15% do valor da fatura, como antes. Todavia, não é mais permitido realizar essa operação seguidas vezes. De acordo com as novas regras, os bancos devem ofertar uma linha de crédito para que os clientes parcelem a dívida. Os prazos e taxas de juros serão negociados. Alguns bancos já divulgaram que os juros cobrados serão menores do que aqueles cobrados com o parcelamento do cartão de crédito. A variação está entre 1,99% e 9,99% por mês.

É válido esclarecer que o cliente pode, a qualquer tempo, mesmo antes do prazo para pagamento da conta do cartão, extinguir a dívida, pagando o valor total. O Banco Central esclarece que essa alternativa é para que os clientes, acostumados ao uso rotativo dos cartões de crédito, não acumulem dívidas com juros exorbitantes. Essa determinação visa por fim ao uso sem fim do pagamento mínimo e ao descontrole financeiro.





As taxas menores permitem menos dívidas. Mas os clientes devem ficar atentos ao financiamento dos débitos que venha a fazer junto aos bancos para não ficar inadimplente. Avalie o seu orçamento financeiro e faça um acompanhamento dos gastos para evitar déficit.

A mudança foi divulgada pelo BCB em 26 de janeiro (quinta-feira).

O Banco Central foi instituído em 1964. Trata-se de uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda responsável pela política monetária e cambial do Brasil.

Melisse V.



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *