Número de contas correntes aumentou nos últimos anos



  

Nos últimos 8 anos o número de contas correntes saltou para 60%, tornando o Brasil uma potência no que diz respeito à inclusão financeira das nações emergentes.

É quase um senso comum. A maioria das pessoas acha que bancos só visam lucros e não são muito de se importar com os benefícios – em forma de dinheiro e facilidades – para os seus clientes. Apesar dessa visão quase que generalizada, acreditem, o Banco Central do Brasil, órgão que regula todos os bancos do país, sejam eles de iniciativa pública ou privada, informou que nos últimos oito anos nunca os brasileiros abriram tantas contas correntes.  

Para usar de mais exatidão nas informações, o setor de Administração e Relações Institucionais e Cidadania do Banco Central fez uma pesquisa, confirmando que a quantidade de correntistas teve um incremento de 60%, levando em consideração, como já citado, os últimos anos para servir como amostra da pesquisa.  

A entidade também explica que o mais surpreendente nesses números está nas oscilações econômicas que o Brasil tem passado e vem passando ao longo desses anos, o que não serviu, de modo algum, como freio para que os brasileiros desistissem de por os pés em bancos; abrir uma conta corrente e movimentá-la.  

Claro que esse aumento de correntistas foi muito comemorado pelo Banco Central, pois, em posse de dados como esses, fica evidenciado no mercado financeiro global que o Brasil é uma potência no que diz respeito à inclusão financeira, ficando na 3ª posição dos países com maior inclusão financeira, entre as nações consideradas emergentes.  

Apesar de toda a vibração com a elevação de contas correntes abertas no Brasil, que também causou um reflexo positivo em torno de 45% no Sistema Financeiro Nacional (SFN), o Banco Central comunica que ainda há muitos esforços a serem feitos para que mais contas correntes sejam abertas; mais investimentos lucrativos sejam feitos e que o Brasil se eleve, em breve, para a primeira colocação dos países de inclusão financeira.  





Certamente que a elevação de correntistas no Brasil se deve ao fato de aquisições como compra da casa própria, financiamento de carro, empréstimos para abertura de um empreendimento, entre outros, só poderem ser feitos para quem possui conta corrente e a movimentação seja feita com frequência. No entanto, o Banco Central coloca como o centro do avanço o uso da internet pelos bancos, afirmando que a tecnologia tornou muito cômodo para os correntistas observarem, direto do seu smartphone ou computador pessoal, como está a situação da sua conta bancária.  

Nos últimos anos, o que se conhece como Internet Banking, foi fator crucial para que 60% a mais de brasileiros abrissem contas correntes e confiassem suas finanças em bancos.

Segundo o Banco Central, o fator comodidade foi decisivo para que as transações financeiras do país não tivessem uma queda significativa, o que é importante para que a máquina da economia não pare de girar. 

Por Michelle de Oliveira

Conta corrente



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *