Comércio prevê queda nas vendas no Natal 2015



  

Previsão é de queda de até 4,1% nas vendas no comércio neste Natal, sendo um dos piores resultados da última década.

Como já é esperado, o Natal deste ano terá um péssimo desempenho para o comércio, podendo ser um dos piores da última década e o recuo em relação ao último ano poderá ser de até 4,1%, sendo esta a primeira vez, desde 2004, em que é registrado um resultado negativo.

As informações são da Confederação Nacional do Comércio que ainda informou que nos últimos dez anos as vendas sempre foram superiores em relação ao ano anterior, por isso a época de Natal é tão aguardada pelos comerciantes, pois sabem que por mais difícil que seja o ano, no último mês sempre era época de recuperar as perdas, mas este ano, infelizmente, não será assim.

A crise continua afetando todos os setores e o comércio de um modo especial, fazendo com que a expectativa para este Natal tenha um resultado negativo, com um recuo bastante atípico nesta que é a principal data para o setor.

E os estragos desta expectativa já começaram, com muitas empresas definindo que não irão contratar para este fim de ano, nem mesmo funcionários temporários, além daquelas que vão ter que reduzir nas compras, pois sabem que se no final de ano as vendas serão ruins assim, o que dizer então de janeiro, onde é comum para o comércio registrar uma baixa muito grande nas vendas.





O início do ano é mês dos pais se preocuparem com a volta às aulas, IPTU, IPVA, entre outros impostos mais as faturas dos cartões referentes às compras do fim de ano. Ficar com um estoque para janeiro, definitivamente, não vai ser um bom negócio para o comerciante.

De acordo com a CNC – Confederação Nacional do Comércio, as vendas no varejo terão um recuo de 4,1% no último mês do ano, em relação ao mesmo período de 2014. Ainda de acordo com a CNC, o desempenho do Natal será tão ruim, que ficará pior do que o recuo deste ano até o mês de agosto.

Victor França, assessor econômico da Federação do Comércio do Estado de São Paulo, confirmou esta projeção e disse ainda que o segundo semestre terá um desempenho pior do que o registrado no primeiro semestre deste ano e que o desemprego vai chegar ao seu pior momento agora no fim do ano, o que vai piorar ainda mais para o comércio, já que com um maior número de desempregados, serão menos consumidores fazendo compras e isso vai gerar mais desemprego e muito menos contratações.

Por Russel

Vendas no Natal



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *