Cidades brasileiras registram inflação acima de 10%



  

Regiões metropolitanas de Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS) registraram índices de inflação de 10,88% e 10,54%, respectivamente, no acumulado dos últimos 12 meses.

Em uma pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foram investigados os índices de inflação de diversas regiões do País. Três das regiões apresentaram resultado acima de 10% para a inflação acumulada nos 12 meses até o mês de agosto deste ano.

As regiões metropolitanas de Porto Alegre e Curitiba tiveram índices de dois dígitos para o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao consumidor). Dentre as duas regiões, o resultado mais alto foi registrado em Curitiba, que possui inflação acumulada de 10,88% em 12 meses. Porto Alegre vem logo atrás com índice de 10,54% e Goiânia ocupa a terceira colocação com 10,38% de inflação acumulada.

O IBGE também apurou que outras cinco regiões do país, embora estejam abaixo da casa dos dois dígitos, também tiveram aumentos significativos de inflação. Todas ficaram acima dos 9%: Rio de Janeiro, com 9,92%, São Paulo que registrou 9,73%, Salvador com índice de 9,09%, Recife com 9,07% e Fortaleza registrando também 9,07% de índice inflacionário em 12 meses.

Abaixo da casa dos 9% estão Belém, com 8,76%, Belo Horizonte com 8,25% e Brasília, registrando 8,04%.





O IPCA-15 é calculado semelhantemente ao IPCA, com a diferença somente do período de coleta, que é entre o 16º do mês anterior e 15º do atual mês. Os dados do IPCA-15 são coletados de estabelecimentos comerciais, de prestação de serviços, domicílios (para averiguar o preço de aluguéis e condomínios) e concessionárias de serviços públicos. O índice engloba famílias com rendimento mensal de até 40 salários mínimos e as regiões metropolitanas pesquisadas são as de Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Recife, Salvador, Belém, Goiânia e Distrito Federal. Onze no total.

A média geral para o IPCA-15 em 12 meses está com acumulação de 9,57%, o maior resultado já registrado pelo IBGE desde dezembro do ano de 2003. Naquele ano, o índice chegou a 9,86%.

O resultado apurado pelo IBGE mostra que a crise vem atingindo de forma diferente as diversas regiões do País, mas, no geral, a média é pessimista: um índice de aumento de preços de 9,57% é considerado alto. Basta aos consumidores brasileiros aguardarem ansiosamente o pacote econômico do Governo Dilma, que visa à redução do aumento da inflação e a retomada do controle econômico do País.

Por Patrícia Generoso

Inflação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *