Número de brasileiros endividados cresceu



  

Em julho, o número de dívidas regularizadas diminuiu em 8,34%.

O número de brasileiros endividados cresceu nos últimos tempos. Só em julho, o percentual de dívidas regularizadas diminuiu em 8,34%, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Os dados são do indicador de recuperação de crédito do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) juntamente com a CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

Trata-se da sexta queda seguida e a segunda queda mais intensa desde o início de 2013. Se comparado ao mês de junho, a diminuição de 0,40% do número de brasileiros inadimplentes que pagavam as dívidas em atraso e tiveram os CPFs retirados dos órgãos de proteção ao crédito. No acumulado de janeiro até julho, o percentual de consumidores que negociaram as dívidas também foi negativo, de -5,39%.

A economista chefe do SPC, Marcela Kawauti, informou em nota, que a diminuição do indicador está intrinsecamente relacionada ao cenário da economia. Segundo ela, os brasileiros têm sentido os efeitos da crise, que acarretou em um menor crescimento da renda. Além disso, o desemprego cresceu, fazendo com que os consumidores priorizassem determinadas contas, contribuindo para a piora na recuperação do crédito.





Segundo o SPC, o brasileiro inadimplente deve, em média, sete vezes mais do que ganha e isso acaba comprometendo a diminuição do endividamento. O agravamento recorrente dos indicadores de quitação de dívidas, diminuição das vendas a prazo e inadimplência mostra que o ano é de cautela. O consumidor deve se resguardar em 2015 e se precaver. O ideal é fazer uma reserva financeira para lidar com as adversidades e optar sempre pelo pagamento à vista.

O brasileiro está mais precavido quanto às compras a prazo. Segundo dados do CNDL e do SPC, a diminuição de compras a prazo foi de 3,26% em julho, em relação ao mesmo mês do ano passado. Também é a sexta queda seguida, computada desde janeiro de 2014 e o indicador revelou que há queda em 12 dos últimos 19 meses. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Endividados



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *