Poupança registrou grande saída de recursos em junho



  

Em junho de 2015, o total de retiradas da poupança foi de R$ 6,26 bilhões, o pior resultado obtido nos últimos 20 anos.

Durante o mês de junho a caderneta de poupança registrou uma das maiores saídas de recursos para esse mês, desde que os valores começaram a ser registrados, no ano de 1995. O Banco Central divulgou os dados na última segunda-feira (dia 6).  O total da saída foi de R$ 6,26 bilhões. O pior resultado havia sido registrado no ano de 1999 quando as saídas registradas foram de R$ 1,4 bilhão. No mês de maio desse mesmo ano, as saídas foram ainda piores, com valores de R$ 11,438 bilhões.

Os números para o primeiro semestre também foram os mais altos desde o começo da série histórica do BC. As retiradas realizadas tiveram seu valor líquido de R$ 38,451 bilhões. Com essa alta retirada no mês de junho, o saldo total da poupança dos brasileiros fechou em R$ 645,56 bi o primeiro semestre do ano. O valor é o menor desde setembro do último ano, quando os saldos das poupanças alcançavam R$ 643,4 bilhões.

A grande saída da poupança, considerada um dos fundos de investimentos mais populares entre os brasileiros é facilmente explicada pela alta dos juros e da inflação, pelo endividamento das famílias e também pela perda da rentabilidade da poupança se comparada a outros investimentos acessíveis.





Embora a poupança esteja menos atrativa pelo menor rendimento, os especialistas afirmam que ela ainda é uma boa opção de investimento em alguns casos. Pequenos poupadores, pessoas que querem um investimento a curto prazo, ou mesmo as que querem apenas um fundo de reserva para emergência. A poupança também pode ser atrativa para quem deseja se livrar dos impostos, pois mesmo os fundos mais simples, como o tesouro direto, por exemplo, possuem cobrança de Imposto de Renda. Em alguns investimentos o valor cobrado pelo IR é menor de acordo com o tempo de investimento. O que não acontece com a poupança, já que esta não cobra impostos. 

Por Patrícia Generoso

Dinheiro



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *