Juros bancários de PF atingiram 54,3% em fevereiro



  

Fevereiro teve alta nos juros bancários, nos juros de cartões de crédito e na inadimplência

Os juros cobrados pelos bancos para pessoas físicas seguem em alta. No mês passado, a taxa atingiu 54,3%, mais alta do que em janeiro, que foi de 52%.

Segundo o Banco Central (BC), esse aumento de 2,3% em relação ao mês passado é o maior patamar atingido desde o início da série, em 2011.  Em janeiro deste ano, a autoridade monetária realizou uma alteração na metodologia de cálculo dos juros bancários. Para o Banco Central, esta mudança integra o processo de aprimoramento das estatísticas, que deverá ser permanente.

No entanto, além do aumento dos juros bancários, a taxa básica da economia também aumentou. Esta, foi criada, também pelo Banco Central, para tentar conter as pressões inflacionárias e é revista a cada 45 dias.  De acordo com uma matéria publicada no G1, o aumento de juros por parte da Instituição Bancária vem acontecendo desde outubro do ano passado, quando a taxa beirava os 11% ao ano e, em janeiro, aumentou em 1,25%.





Além disso, os juros dos cartões de crédito também tiveram aumento – 342,2% em fevereiro – o que significa que o consumidor está pagando, em média, 0,4138% ao dia. Em termos práticos, se o cliente dever R$ 1.000,00 no início do mês, no final, estará devendo R$1.127,00. Ou seja, pagará R$ 127,00 apenas em juros. Já a inadimplência entre pessoas físicas e jurídicas ficou em 4,4%, valor considerado estável em relação a janeiro deste ano e a fevereiro de 2014.

Analisando os números, pode-se perceber que esse aumento de juros, por parte dos bancos, tem sito feito de forma intensa, o que, muitas vezes, pode deixar o consumidor nervoso.  Ainda,  a rentabilidade dos grandes bancos que possuem capital aberto no Brasil foi, no ano passado, de 18,23%, valor duas vezes superior ao dos bancos americanos, que foi de 7,68%. O levantamento foi realizado pela consultoria Economatica para a BBC Brasil.

Por Andréa Corneli Ortis

Juro bancário



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *