Maior restrição na liberação de créditos em 2015 foi detectada pelo Bacen



  

Na última terça- feira, 10 de fevereiro de 2015, foi divulgada a pesquisa do Banco Central que informa a situação do Brasil no que se refere à liberação de recursos tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica.

Conforme o BC, o início de 2015 está sendo marcado por uma maior restrição na liberação de créditos. A pesquisa foi feita em 46 instituições financeiras em todo o país no período entre 8 e 19 de dezembro de 2014. A divulgação dos dados ficou por conta do Chefe do Departamento Econômico do IBGE, Tulio Maciel.

De acordo com as informações contidas no relatório redigido pelo Banco Central (o Boletim Regional Trimestral), foi percebido um decréscimo nas possibilidades de liberação de créditos para os meses de janeiro, fevereiro e março (primeiro trimestre do ano) ao comparar o resultado obtido neste primeiro trimestre do ano com os números alcançados no mesmo período de 2014. Dos quatro segmentos analisados, a deterioração ocorreu em três deles.

No caso de pessoas jurídicas, empresas de micro, pequeno e de médio porte o poder de liberação de crédito passou dos 0,18% negativos para -0,56%. Já para as grandes empresas o indicador passou doa 0,08% para -0,29%.





Já para pessoas físicas, o crédito habitacional passou de 0,22% no último trimestre de 2014 para -0,22% neste trimestre de 2015. Para o crédito ao consumo houve uma leve melhora de -0,18% passou para -0,09%. Por mais que tenha havido uma exceção para as pessoas físicas, a expectativa é que a restrição à liberação de crédito continue.

Nesta pesquisa realizada pelo Banco Central, que tem como objetivo informar sobre a capacidade de liberação de recursos no país, o indicador varia de menos duas concessões a mais duas concessões.

Como pode-se perceber quase todos os setores registraram um quadro de dificuldade na captação de créditos para pessoas físicas e jurídicas.

Por Melina Menezes

Restri??o na libera??o de cr?dito



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *