Feriados podem trazer perdas de R$ 64,6 bilhões para a indústria em 2015



  

Enquanto os empregados têm comemorado o vasto número de feriados que teremos ao longo do ano de 2015, um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) aponta que os nove feriados nacionais, os sete pontos facultativos, além dos 43 feriados estaduais, podem acarretar perdas para a indústria que chegam ao montante de R$ 64,6 bilhões. De todos os feriados estaduais, 32 ocorrem em dias de semana.

O estudo mostra que a perda calculada com os feriados representa 4,8% da produção da indústria brasileira. No ano passado, o índice foi de 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial. Para 2015, o PIB industrial está estimado em R$ 1,355 trilhão.

As perdas ocorrem tanto para as indústrias quanto para o governo, pois com os feriados as indústrias param a produção e, consequentemente, o governo arrecada menos impostos. Estima-se que R$ 18 bilhões, da indústria de transformação, deixem de ir para os cofres do governo.

Obviamente, as perdas mais significativas estão nas regiões com mais indústrias no Brasil – São Paulo (R$ 19,5 bilhões), Rio de Janeiro (R$ 10,1 bilhões) e Minas Gerais (R$ 6,4 bilhões).





Ao longo de 2015 somente oito estados não terão feriados estaduais em dias úteis, são eles: Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pará, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Uma das soluções apontadas pela Firjan é mudar os feriados que caem em dias úteis para segunda-feira ou sexta-feira, dessa forma, minimizaria os riscos de diminuir a competitividade da indústria nacional e auxiliaria a meta de redução do custo Brasil. Outra questão é que, ao transferir os feriados para o início ou fim da semana, diminui-se a chance de haver “enforcamentos” de dias úteis. Afinal, em diversos feriados que ocorrem, por exemplo, na terça-feira, muitas indústrias acabam emendando o feriado, não tendo expediente também na segunda-feira.

Por Rafaela Fusieger

Calend?rio



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *