Inadimplência de pessoas físicas sobe novamente em julho 2014



  

O brasileiro está pagando menos suas dívidas. É o que mostra um relatório do Banco Central, que afirmou que houve aumento na taxa de inadimplência das pessoas físicas em relação aos empréstimos bancários com recursos livres (não levando em consideração o crédito rural e habitacional), que mensuram os atrasos de mais de 90 dias nos pagamentos. A taxa voltou a subir em julho e é preocupante.

A inadimplência de pessoas físicas nas operações bancárias passou de 6,5% em junho para 6,6% em julho e esta é a maior medição desde maio desse ano, quando o percentual foi de 6,7%.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel: “O aumento em julho não tem significância, dada a magnitude. Os atrasos de 15 a 90 dias, que são um indicador antecedente relevante para a inadimplência, continuaram recuando. Evoluíram favoravelmente. Isso dá mais robustez ainda à percepção de que a inadimplência encontra-se em patamar historicamente baixo e estável".

As empresas também estão com dificuldade em pagar. A taxa de inadimplência em operações bancárias subiu de 3,4% para 3,5%, sendo este o percentual mais alto desde maio, quando chegou a 3,7%.

No somatório da taxa total de inadimplência, que engloba operações de pessoas físicas e jurídicas, houve alta de 4,8% em junho para 4,9% em julho. Trata-se do maior percentual desde maio, quando os números chegaram a 5%.

Vale ressaltar que neste montante não são considerados os créditos habitacionais e rurais, além das operações do BNDES Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social.





Nessa perspectiva, o governo ainda anunciou medidas de estímulo ao crédito, que pode aumentar essa taxa de inadimplência. É mais uma tentativa para ajudar no crescimento da economia brasileira, cujos níveis estão aquém do esperado, no ano de 2014.

Entre as medidas, estão a liberação de R$ 25 bilhões para os bancos emprestarem aos clientes e medidas para facilitar o financiamento de imóveis. 

Por Robson Quirino de Moraes

Foto: divulgação



Compartilhar:

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *