Juros de longo prazo caem



  

No final das negociações de terça-feira, 23 de outubro, da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) associada a Bovespa, a projeção da taxa DI para janeiro de 2013 estava em 7,10 por cento.

A taxa DI indica as projeções prefixadas de juros em contratos com liquidação futura. Atingindo a média de 7,10 por cento ontem com 655.330 mil contratos negociados. Já as taxas prefixadas em contratos para janeiro de 2014 estavam em 7,39 por cento, uma queda de 0,01% para os 268.350 mil contratos fechados na segunda-feira.

Esses números relevam uma trajetória de queda das taxas prefixadas de juros nos contratos futuros. Os motivos da queda são indicados como a deteriorização da situação na Europa com o anuncio do Banco Central da Espanha sobre o aprofundamento da recessão no país. 





A queda teria sido forçada também pelas previsões dos índices inflacionários no Brasil, com os últimos dados, mostrando que o ritmo de aceleração do crescimento da taxa de inflação começava a ser revertido na terceira semana de outubro, o que levou Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, a afirmar que o país vai conseguir manter-se dentro da meta do governo para a inflação acumulada em 2012.

Por Matheus Camargo



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *