Refinaria de Petróleo de Manguinhos – Construção do Programa habitacional público



  

A Refinaria de Petróleo de Manguinhos, a única não controlada pela Petrobras no país, pediu para que a Bolsa de Valores de São Paulo interrompesse as negociações de suas ações nessa segunda-feira. O motivo, segundo a empresa, é que o governo do Rio de Janeiro anunciou que irá entregar com ação para pedir a expropriação das terras da refinaria para a construção de um programa habitacional público.

O motivo da interrupção do comércio de ações da empresa foi justificado por ela para obter informações mais detalhadas sobre o plano do governo carioca. A refinaria de Manguinho foi responsável pelo processamento de 3,5 milhões de barris de petróleo no último ano. Segundo os dados de produção da empresa.

As operações de Manguinho, no entanto, vêm sofrendo com a política de preço de combustíveis levada pela Petrobras. Isso se deve ao fato de que a Petrobras vende os combustíveis no mercado interno a um preço inferior ao do mercado internacional.





Como a Refinaria de Manguinhos não possui ativos de produção de petróleo, ela é obrigada a pagar os preços internacionais do produto e não consegue fazer-se competitiva frente à Petrobras.

O governo do Rio disse que a expropriação do terreno da empresa deve custar 170 milhões de reais e outros 200 milhões devem ser gastos para a limpeza de matéria tóxica no local.

Por Matheus Camargo



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *