Combustíveis – Reajuste nos preços



  
Guido Mantega disse que não há previsão para o reajuste nos preços dos combustíveis

Opondo-se às informações ditas pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que não há previsão para o aumento nos preços dos combustíveis neste ano.

Ontem pela manhã, Lobão disse que existia a possibilidade de um novo reajuste nos preços dos combustíveis no segundo semestre deste ano, fazendo com que as ações da Petrobras disparassem na Bovespa. Os papéis preferenciais fecharam em alta de 4,59%, a R$ 21,18, e as ações ordinárias subiram 5,43%, a R$ 22,14, influenciando positivamente no fechamento do Ibovespa, que encerrou o dia com alta de 2,12%, a 58.950 pontos.





Porém, no mesmo dia, o ministro Guido Mantega, que é o presidente do Conselho de Administração da Petrobras, afirmou que não garantiu ao comando da estatal o reajuste dos preços dos derivados. Portanto, a decisão final ainda não está tomada, mas está sendo discutida entre os Ministérios (da Fazenda e de Minas e Energia).

A Petrobras precisa do aumento, pois compra combustível com o preço mais alto do que o de revenda. Com isso, a defasagem de preços é grande, e foi um dos fatores que influenciou no prejuízo de R$ 1,3 bilhão da estatal no segundo trimestre deste ano.



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *